F.A.Q.

Questões frequentemente colocadas 

1. O que significa p., n., h., t., b., f., o., [...] ou  '...', RP
p. - padrinho 
n. - nascido 
h. - herdeiro 
t. - testemunha 
b. - baptizado 
f. - falecido 
o. - óbito 
[...] e '...' - informação deslocada, para melhor ajudar ou elucidar o utilizador 
RP - Registos paroquiais (livros das paroquias onde os padres anotavam os assentos de nascimentos, casamento e obito, dos seus paroquianos) 


 2. Existem locais cujo o nome inicia por letra maiúscula e e outros por letra minúscula. Porquê? 
Atendendo a que deparamos, com lugares e freguesias 'paróquias', com o mesmo nome, adoptou-se pôr o lugar com letra pequena. 


3. O que significa IG
IG - Inquirição de Genere (processos necessários para a ordenação dos párocos e consiste na inquirição de testemunhas para comprovar a filiação e reputação ou bom nome do requerente) Quando aparece IG*, remete. para mais informação, para o fim do documento onde se descreve o que contém o processo. 


 4. O que representa - # ......... ?
Tudo o que apareça com este símbolo, letra vermelha e sublinhada, quer dizer, que os nossos ascendentes são comuns, portanto parentes afastados. 


 5. A partir do 2º filho, porque é que não aparece o nome dos pais?
No registo de famílias, adoptou-se o procedimento de só mencionar o nome dos pais no 1º e 2º filho, e omitir nos seguintes se fosse repetitivo, para poupar trabalho. 


6. A pesquisa não funciona!
A pesquisa funciona com sucesso para posts/mensagens/postagens com mais de 3 dias. Mais, deverão ter em conta que a pesquisa pertence à google e portanto deverão ser consideradas as regras habituais deste motor de busca. Por exemplo: se escrever Joaquim Mirculino, o motor vai dar todos os resultados com uma e outra palavra, se se colocar entre aspas "Joaquim Mirculino" o mottor vai dar resultados com exactamente estas duas palavras (o que vai filtrar os resultados). Ver mais AQUI.

Desde meados de Abril que nos chegaram queixas relativas à pesquisa da google no widget do blogspot. Desta forma, e uma vez que não conseguimos contornar o problema, sugerimos que façam a pesquisa como se ilustra na figura abaixo (para o exemplo de estarem à procura de um Manoel Sousa):


As aspas, no nome a procurar e no nome do blog, colocam-se para que se procure por essas palavras exactas e dentro deste blog.
****

Nota: Para uma mesma pessoa, foram encontradas variações de escrita do seu nome, pelo que o mesmo foi normalizado para facilitar a pesquisa dessa pessoa sem haver confusões que levassem a pensar que não se tratasse da mesma. O mesmo se passou para lugares. Mesmo assim poderá acontecer de haver falhas. 
****

Caracterização dos Personagens deste blog:


Povo do Minho
Calça de pau,
Veste de linho,
Come pão de passarinho,
Bebe vinho do enforcado,
É renegado como o diabo.

(Isto, segundo lenda popular, disseram os Franceses quando por cá passaram...)

****


18 comentários:

Bruno Cerqueira disse...

Caro António Gonçalves,

Quando me sugeriram o seu Blog, nem queria acreditar quando vim visitar. Este trabalho está incrível! Os meus parabéns. E pelos visto somos parentes por vários lados (Borges, de Prozelo, Miguel de Araújo Dantas, de Carrazedo, Azevedos, de Fiscal, entre outros...). Desde já quero disponibilizar o meu tempo para colaborar consigo no que for necessário.
Agora pedia-lhe só uma informação, na freguesia de Fiscal, o Manoel de Azevedo, que foi casado com Brites de Sá e com Maria de Sousa, sabe por caso de quem é ele filho? e a sua filha, Ana de Azevedo casada com Bento Tinoco é filha de que casamento?
Os meus melhores cumprimentos,
Bruno Cerqueira

Email: brunoribeirodecerqueira@gmail.com

Alberto disse...

“Durão Coelho” é um nome que se compôs já no Brasil, na sequência ao casamento de português e portuguesa, os biso e bisa meus, um Coelho com uma “Duroa” -- ele de São Miguel de Oriz; ela, de Almalaguês, Coimbra.
(Quanto a ela, nada a dizer diretamente ao caso que vou expor...).
Joaquim José da Silva Coelho (o biso) é que está no centro do meu assunto de agora, conquanto Guilhermina Amália de Sena Durão , a bisa, pertença a outra pesquisa, relativamente à qual já fui até a bem mais longe, mas não cabe aqui fazer mais do que mencionar, sem aventar...
O pai de meu avô paterno, o qual está no centro do assunto, nasceu em 9 de outubro de 1833, compondo portanto a linhagem “por varonia”.
Meus antepassados foram Silva Coelhos por três gerações --- biso, triso e tetro.
A composição havia sido formada na descendência dos pentos, João Tinoco da Silva e Antonia Coelha, de cujo registro de casamento (e de numerosos outros), disponho de imagem, bem como também de uma transcrição bem certificada. Trata-se de um casamento em SMO e datado de 1753
Pelo registro, João Tinoco da Silva era filho de um Pedro Martins Tinoco e de uma Serafina da Silva, e a Antónia era filha de um Manuel Coelho e de uma Páscoa Fernandes.
Além de Silvas e Coelhos, são Fernandes, Coimbras, d’Araújos, Tinocos, Simões, Gonçalves, João e um desconhecido os nomes surgidos até a geração a que cheguei, a oitava (como disse , se as gerações contadas relativamente à minha como de nº 1).
São nomes que acentuam a sugestão de endogamia na estreiteza do espaço geográfico e no mundo pequeno que era então o de cada um, uma repetividade ainda a maior se formos a padrinhos e testemunhas, a escrivãos e a sacerdotes, com a noção da endogamia ainda mais acentuada se formos às concessões de licença para casar apesar das relações de sangue e principalmente se considerarmos as proles de casais não legitimados em razão da impossibilidade ou pela dificuldade de obtenção de tais dispensas.
Os Silvas são 5, os Coelhos são 5, os Fernandes são 7, os Coimbras são 3, os d’Araújos são 7, os Simões são 2,havendo ademais 1 João (como nome de família), um Martins, e um desconhecido.
Dentro do horizonte das 8 gerações, os Coimbras, Gonçalves e Simoens aparentam provir de Caldelas, S. Tiago; os Araújos de Ponte, S. Vicente; o Tinoco sênior consta como de Salvador de Dornelas, o Coelho mais remoto como de Santa Eulalia de Sande.
Creio que disponho das condições de ajudar e ser ajudado, pois estou de posse de alguma informação de desde o século XVII --- entretanto apanhando “pra caramba” na lida com as informações mais antigas, relativamente as quais realmente preciso de ajuda.
Assusto-me um pouco por estar encontrando “primos” e “primas”, na região, mas eles revelarem pouca disposição de reaproximarem-se, mesmo que à conveniente distância. Em especial me assutei com a indiferença dos que até ostentam interesse em genealogia, o que deixa claro que em meu coração cabe uma família maior!
Alberto

Antonio Gonçalves disse...

Caro Alberto

Como sabe, nem toda agente anda nestas lides desinteressada e a prova é de quando se precisa.
Não é por acaso, que muita gente quando se apanha com 'meia dúzia' de elementos, exige logo um registo, com toda a trama que a acompanha. E no fundo, independentemente de tudo, isto é lindo, é melhor do que andar em cafés a maldizer.
No entanto, há muita gente nestas lides que não querem trabalho [que se compreende com aqueles, cuja distância não tenham acesso as fontes], querem sim, que lhe façam aquilo que lhes compete, que é começando de si, irem até onde pretendem, se o tempo e a vontade lhes permitir.
Como não falou em ajuda no que quer que fosse, fico-me por aqui, no entanto, se pretender qualquer apoio, gosto que ele seja em pequena escala e muito sintético, mas dessa forma ser fácil a comunicação e a sua resolução.

Um Bom Domingos

António Gonçalves

Alberto disse...

António --- será que tenho como publicar em Heróis do Homem e Cávado o registro mais remoto que tenho, que é o do casamento de João Tinoco da Silva com Antónia Coelho, em São Miguel de Oriz, em 12 de setembro de 1753?

Ao mesmo tempo que tenho os registros de batizado e matrimônio de boa parte da descendência do casal, e certamente de todos os que estão em minha ascendência direta, o que poderia ser de interesse a alguém mais, estou embatucado na escalada rumo aos pais de referido casal, cujos nomes só tenho em razão de referido registro e que no momento constituem o que a genealogia costuma designar pela expressão "fim de linha".

Mas por favor, não suponha que haja nisso a intenção de abusar da boa-vontade de ninguém.

Alberto

Não tenho desenvoltura com blogs e com sites semelhantes ao seu, mas estou supondo que não irei concentrar em você o trabalho relativo ao que eu ponha em questão, julgando mais provável o contato ser feito com alguém que seja oportuno e esteja na circunstância.

No primeiro contato, só procurei deixar evidente que a confluência dos dois rios é a terra de origem de minha gente há muito afastada de Portugal.

Alberto

Marcos Camargo disse...

Estou procurando a Simao Quinteiro e Caterina Goncalves que moravam no "lugar da Ribeira" em Braga. A filha deles, Caterina Quinteira, casou-se em Sao Vitor, Braga em 1674 com Joao Marques. Gostaria de obter ligacoes entre os Quinteiros que voce menciona em seu blog e esse tal Simao Quinteiro.

Antonio Gonçalves disse...

Prezado Marcos Camargo,

Este Quinteiro's poderão ter origem no lugar de Quinteiro, Fiscal, Amares, no entanto, não há certeza, pois eles surgem em Prozelo, Amares e em Vila Verde.
A curto prazo, tenciono fazer umas incursões nas freguesias que fazem parte de Braga, nessa altura terei em conta este pedido, de momento não tenho mais elementos que o possam ajudar, dado que nestas partes, este nome não é muito comum, a partir de certa idade, poderei atirar com o ano de 1700.
Melhores cumprimentos

malu disse...

Prezado Antônio, moro no Brasil e tenho procurado dados de minha avó que nasceu em Arco de Baúlhe, mas como as informações não estão on-line, gostaria de saber se pode me ajudar.Seu nome era Rosa Teixeira, nasceu em 23 de setembro de 1892.Era filha de Francisco Teixeira e Maria Rosa Teixeira.Tinha um irmão, José.É tudo que possuo. Obrigada.

Antonio Gonçalves disse...

Malu

Verifiquei todas as freguesias do concelho de Arco de Baúlhe e pela data e nomes, não encontrei absolutamente ninguém que se aproxime do seu pedido.
Penso que não têm conhecimento exato das datas do mesmo, o que complica, se pretende ajuda, digite o seu mail, para evitar transformar este blog, que luta com falta de espaço, num forum em que muitos assuntos não serviriam a ninguém.

Patrícia Rebello disse...

Sr Antonio Gonçalves, sou neta de Prudencio ( que o Sr escreveu Prodencio) Prudencio José da Silva, emigrante de Amares que foi para o Brasil, filho de Bernardo José da Silva e Rosa Maria Pereira da sua postagem de 28 de dezembro de 2012 "AMARES, emigrantes para o Brasil". Gostaria de pedir a sua ajuda ,
preciso das seguintes informações para o meu pedido de cidadania portuguesa junto ao consulado português.

Nome do meu avô: PRUDÊNCIO JOSÉ DA SILVA
Pai: Bernardo José da Silva
Mãe: Rosa Maria Pereira
Nascido a 7 de janeiro de 1908, na freguesia de Santa Maria do Bouro, concelho de Amares

Preciso dos seguintes dados:

Assento de nascimento Nº ___________________ do ano de ____________ da _____________Conservatória do Registro Civil de _________________


Ficaria muito agradecida se o Senhor pudesse me ajudar.

Patrícia Rebello da Silva

Unknown disse...

Antonio, bom dia! Tens informações de família Amorim em Santa Maria de Távora? Mais especificamente descendentes de José Anacleto Amorim?
Grata
Cristina

Antonio Gonçalves disse...

Como Santa Maria de Távora, pertence ao concelho dos Arcos de Valdevez, Viana do Castelo.
Com pena minha, tenho pouca coisa, sobretudo , mas nada de Amorim.
Melhores cumprimentos

ma disse...

Venho agradecer por ter encontrado mais um antepassado no blog.

Ernesto Barros disse...

Deixo aqui, os meus sinceros Parabéns pelo trabalho exposto. E também, por ter encontrado aqui alguns nomes de antepassados meus.

Os meus melhores cumprimentos

Ernesto Barros

Antonio Gonçalves disse...

Obrigado! Boa Páscoa

Unknown disse...

Boa tarde
estou a tentar fazer a arvore genealogica da minha familia,
mas nao sei por onde comecar...
Tenho o nome dos meus bis avos Paternos :
Antonio Pires
Maria Joaquina Coutinho ,pais do meu avo Basilio Pires natural de Rio Caldo nascido em 1913 casado com Acidalia de Jesus Martins nascida em janeiro de 1918.
Nao tenho mais informacoes.
Sera que voce me pode dar mais informacoes?
Muito obrigada

Antonio Gonçalves disse...

Com os elementos que possui, terá de pedir uma certidão ao Registo Civil do concelho de Terras de Bouro.

tiago disse...

Boa tarde
Sou descendete do casamento de Joao Tinoco da Silva com Antonia Coelho (1753) de que falava o sr Alberto em 2012.
Alguem sabe se o sr Alberto é contactável?
Obrigado,
Tiago

tiago disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

Enviar um comentário