segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Braga, Tenões, S. Eulália - 2ª

Casamentos:
- Paulo Fernandes, filho de Alvaro Enes e Catherina Pires, S. Eulalia (casou em Este, S. Pedro, a 20.1.1584, com Catherina Gonçalves, filha de Francisco Gonçalves e Cecilia Fernandes, meus fregueses, Padre Bento de Freitas, abade de S. Pedro Deste)
- António Pires, filho de António Alvares e Inez Pires, S. Eulalia (casou em Este, S. Pedro, a 14.1.1590, com Gracia Rodrigues, filha de Gaspar Rodrigues e Ana Gonçalves, meus fregueses, Padre Bento de Freitas, abade)
- Pedro Afonso, filho de António Afonso e Catherina Gonçalves, mosteiro de Hermelo, Valença (casou, em 18.10.1592, com Ana Martins, filha de Domingos Martins e Cecília Gonçalves, T. com a presença dos fregueses, Padre Nunes)
- Salvador Ferreira, filho de Domingos Pires e Ana Dias, S. Maria de Ferreiros da Ponte do Porto (casou, em 7.12.1592, com Catherina Pires, filha de Lourenço Pires e Isabel Pires, desta, T. a presença dos fregueses, Padre Nunes)
- Domingos Gonçalves, filho de João Gonçalves e Cecilia Gonçalves, S. Eulalia (casou em Este, S. Pedro, a 2.2.1593, com Cecilia Gonçalves, filha de Francisco Gonçalves, outeiro, meus fregueses, assento feito em 8.2.1593, Padre Francisco Freitas)
- Geraldo Gonçalves, filho de João Gonçalves e Branca Luís, vilar, S. Victor (casou, em 3.5.1593, com Beatriz Gonçalves, viúva, desta, T. com a presença dos fregueses, Padre Nunes)
- Pedro Martins, filho de António Gonçalves e Ana Gonçalves, S. Gonçalo da Cunha, ou ‘S. Miguel da Cunha, Braga’ (casou, em 1.7.1596, com Catherina Gonçalves, filha de João Gonçalves e Catherina Dias, nogueiras, desta, T. todos os fregueses, Padre Balthazar Ribeiro, vigario) - ‘vive em campo de santa Ana, S. Victor’
- Pedro Fernandes, viuvo, S. Cristóvão de Algozo ‘Pousa, S. Cristina, Barcelos’ (casou, em 14.5.1597, com Catherina Dias, filha de João Gonçalves e Catherina Dias, nogueiras, desta, T. Manoel Dias e seu filho Domingos, pay criado do Sr, Deão, Manoel Gonçalves e Gonçalo Rodrigues, telhado, Padre Balthazar Ribeiro, vigario)
- Sebastião Martins, filho de Cecília Gonçalves, viúva, pica (casou, em 28.4.1596, com Maria Antónia, filha de António Gonçalves e Margarida Pires, pousada, todos desta, T. todos os fregueses, Padre Balthazar Ribeiro, vigario)
- João Fernandes, mosteiro de Souto ‘termo de Guimarães’ (casou, em 27.4.1598, com Catherina Dias, viuva, T. todos os fregueses, Padre Balthazar Ribeiro, vigario)
- Pedro João, filho de João Pires e Apelonia Gonçalves, Sampaio da Pousada (casou, em 30.5.1598, com Domingas Gonçalves, filha de João Gonçavles e Catherina Dias, nogueiras, S. Eulália de Tonoins, T. Manoel Dias, Manoel Gonçalves, telhado, Pedro Gonçalves, nogueiras, João Martins, pica, João Gonçalves, pousada e Manoel Fernandes, Padre Balthazar Ribeiro, vigario)
- Francisco Dias, S. Eulalia de Tenões (casou em, Adaufe, S. Maria, a 14.11.1599, com Inez Lopes, mota, T. com a presença dos fregueses, a rogo do reitor Padre Francisco Gonçalves, coadjutor do mosteiro)
- Domingos Fernandes, filho de Pedro Francisco e Ana Fernandes, desta (casou, em 7.6.1600, com Maria Gonçalves, filha de Ana Pires, moradora nesta, T. Manoel Dias, Domingos Afonso, Padre Francisco Soares, vigario)
- Braz Pires, viuvo (casou, em 20.11.1600, com Maria Antónia, viúva, T. Geraldo Francisco, Pedro Francisco, ambos campo de santa Ana, S. Victor e Domingos Pires, desta, Padre Francisco Soares, vigario)
- Pedro Afonso, filho de Domingos Afonso e Maria Gonçalves, viúva, Cornes ‘S. Pantalião, V. Nova de Cerveira’ (casou, em 14.1.1601, com Isabel Martins, filha de Cecília Gonçalves, viúva, desta, T. Manoel Dias, Manoel Fernandes, Pedro Gonçalves e Pedro Fernandes, meus fregueses, Padre Francisco Soares, vigario)
- Manoel Fernandes, sirgueiro, S. Eulalia (casou em Souto, S. João, Braga, a 3.3.1601, com Francisca Vaz, filha de Amador Vaz, pedreiro, T. Arcediago de Vermoim, Conego Correia, Conego Vasconcelos, Pedro Afonso, vendeiro, João Dias, sapateiro, rua do anjo, Padre Geraldo de Morais, coadjutor, o Padre Gaspar de Araujo, abade)
- Francisco Gonçalves (casou, em 24.6.1607, com Catherina Braz, T. Manoel Dias e seu genro Pedro Gonçalves, Pedro Gonçalves, nogueiras, Braz Pires, Pedro Afonso, todos desta, Padre João Carneiro, cura)
- Belchior Gonçalves, filho de António do Souto e Domingas Alvares, veiga, Santiago de Atiães (casou, em 24.1.1610, com Ana Gonçalves, filha de Belchior Pires e Ana Gonçalves, falecida, desta, T. Domingos Afonso, João Martins, António Martins, Braz Pires, Padre Francisco Soares, vigario)
- Pedro Afonso (casou, em 2.2.1615, com Maria Pires, T. Gonçalo Rodrigues, Martim Fernandes, Pedro Gonçalves, João Dias e António Fernandes, toldos desta, Padre Domingos Pires)
- Francisco Fernandes (casou, em 16.2.1616, com Ana Gonçalves, T. Domingos Fernandes, Domingos Pires, telhado e Gonçalo Rodrigues, todos desta, Padre Domingos Pires)
- Bento Gonçalves (casou, em 5.2.1617, com Inez Pires, T. Domingos Pires, telhado, João Dias e António Martins, Padre Domingos Pires)
- Manoel da Costa (casou, em 2.10.1617, com Maria Antónia, T. Manoel Dias, Pedro Gonçalves, João Dias e Braz Pires, Padre Domingos Pires)
- António Gonçalves (casou, em 26.1.1618, com Domingas Martins, T. Manoel Gonçalves e Manoel da Costa, Padre Domingos Pires)
- Silvestre António (casou, em 18.5.1618, com Maria Gonçalves, T. António Martins, Domingos Pires, Pedro Gonçalves, Pedro Afonso, Padre Domingos Pires)
- Domingos Gonçalves (casou, em 28.1.1619, com Isabel Pires, T. Salvador da Cunha, António Martins e João Dias, Padre Domingos Pires)
- Martim Fernandes (casou, em 2.1.1622, com Maria Dias, T. Manoel Gonçalves, Pedro Afonso e António Gonçalves, Padre Domingos Pires)
- Geraldo Pires, natural S. Eulalia de Tonões (casou em Este, S. Pedro, a 16.4.1624, com Ana Geraldes, filha de Geraldo Gonçalves e Maria Gonçalves, estrada, desta, T. Geraldo Pires, António Vieira e Pedro Gonçalves, todos areias, Padre Gonçalo Fernandes de Sampaio, cura)
- Geraldo Rodrigues, filho de Rodrigo Afonso e Maria Gonçalves, S. Eulalia de Tenões (casou em Souto, S. João, Braga, a 16.7.1624, com Maria Pires, filha de Antonio Pires e Catherina Pires, S. Miguel de Cabreiros, T. Padre Pedro Lopes Falcão, cura de Nogueiro, meu coadjutor, João da Rocha Andrade, escrivão da Camara, Antonio Pires, pai da contraente, Diogo Pires, irmão da mesma, Padre Gaspar de Araujo, abade)
- Domingos Gonçalves (casou, em 26.1.1625, com Catherina Francisca, T. João Dias, Braz Pires e Domingos Pires, Padre Domingos Pires)
- Francisco Alvares (casou, em 2.2.1625, com Ana Ferreira, ribainhos, T. Pedro Gonçalves, Pedro Afonso e Braz Pires, Padre Domingos Pires)
- Afonso Gonçalves (casou, em 9.11.1625, com Maria Martins, T. Francisco Fernandes, Domingos Gonçalves, Pedro Gonçalves, Padre Domingos Pires)
- António Gonçalves (casou, em 9.8.1626, com Maria Dias, T. Francisco, criado do reverendo Deão, Geraldo do reguengo, Francisco Alvares o novo, ribainhos, Padre Domingos Pires)
- Geraldo António, natural S. Eulalia de Tonões (casou em Este, S. Pedro, a 8.10.1626, com Ana de Oliveira, familiar do abade Bento de Freitas, minha freguesa, T. Alexandre da Fonseca, David de Paiva, João Valente, todos desta, Padre Pedro Mendes de Freitas, abade) – 1º assento
- Antonio Fernandes, viuvo de Catherina Gonçalves, canto do eirado de S. Antonio (casou em Cividade, Santiago, a 8.2.1627, com Vitoria Rodrigues, filha de Gonçalo Rodrigues, S. Eulalia de Tenões e Maria Neta, falecida, moradora ‘contraente’ na rua do anjo, em casa de Maria Barbosa, viuva, S. João de Souto, onde casaram, T. Belchior Lopes, alfaiate, Cividade, Padre Paulo Soares, rua das Chagas, Francisco Rodrigues, carpinteiro, Domingos Gonçalves, sirgueiro, Francisco Andre, sombreireiro, todos S. João de Souto, Padre Pedro Lopes Falcão, cura)
- Antonio Fernandes o roncolho, Santiago da Cividade (casou em Souto, S. João, Braga, a 9.2.1627, com Vitoria Rodrigues, filha de Gonçalo Rodrigues e Maria Neta, S. Eulalia, moradora rua do anjo, T. Pedro Lopes Falcão, Inacio de Araujo, meu sobrinho, Padre Gaspar de Araujo, abade)
- Francisco João, filho de Pedro João e Domingas Gonçalves, falecidos, S. Eulália de Tenões (casou em, Adaufe, S. Maria, a ?.12.1627, com Martha Francisca, filha de Domingos Fernandes e Catherina Francisca, desta, T. Miguel de Faria e Geraldo Fernandes, Padre Domingos Antunes Tinoco, reitor)
- Pedro Gonçalves, alfaiate, morador no recio da praça velha do peixe que ora é da ortaliça da porta nova (casou em Cividade, Santiago, a 15.4.1628, com Madalena Gonçalves, filha de Belchior Pires, lavrador e Ana Gonçalves, S. Eulalia de Tenões, deste termo ‘moradora a muitos anos em casa de Miguel de Resende Sotto Mayor’, com licença por ser quaresma do juiz do casamento, T. Miguel de Resende Sotto Mayor e dois filhos João de Roldona e Diogo de Sotto Maior, estudante, Cividade, Francisco Gonçalves, sapateiro, rua maximinos, celebrou o Padre Pedro Lopes Falcão, abade)
- João Fernandes, pousada (casou, em 9.4.1630, com Madalena Martins, T. Braz Pires, João Gonçalves, Domingos Gonçalves e Pedro Gonçalves, Padre Domingos Pires)
- Pedro Alvares (casou, em 16.1.1631, com Ana Gonçalves, moinhos, T. Braz Pires, Pedro Alvares, Nogueiró e Domingos Gonçalves, nogueiras, Padre Domingos Pires)
- António Gonçalves (casou, em 1.6.1631, com Isabel Antónia, telhado, T. Domingos Gonçalves, Pedro Gonçalves e António Gonçalves, Padre Domingos Pires)
- António Vieira (casou, em 2.7.1631, com Maria Lopes, T. Domingos Pires, Domingos Gonçalves e Braz Pires, Padre Domingos Pires)
- João Dias, baixetes (casou, em 24.10.1633, com Ana Gonçalves, T. Domingos Gonçalves, António Gonçalves e sua filha Martha, Miguel da Costa, criado de Balthazar Pinheiro, Padre Domingos Pires)
- Miguel da Costa (casou, em 14.2.1634, com Martha Antónia, T. Geraldo António, Ambrozio Fernandes, Domingos Gonçalves e Domingos Pires, Padre Domingos Pires)
- Francisco Gonçalves, filho de Sebastião Gonçalves barranhas (casou, em 11.2.1635, com Catherina Gonçalves, filha de Maria Gonçalves, pica, T. Simão Antunes, António de Andrade, de trás da Portela e naturais, Padre António Alvares)
- Francisco Alvares, filho de Gaspar Fernandes e Maria de Matos, falecida, S. Victor (casou, em 18.2.1635, com Isabel Francisca, filha de Pedro Gonçalves e Francisca Valente, nogueiras, desta, T. Gonçalo Fernandes, Sebastião Gonçalves e António Gonçalves, Padre António Alvares)
- Simão Gonçalves, filho de Gregório Gonçalves, falecido e Catherina Gonçalves, S. Mamede de Este (casou, em 1.4.1636, com Maria Martins, viúva, filha de Braz Pires e Maria Antónia, telhado, T. Francisco Pires, Valdeste, João Afonso, Freiriz, Maria Antónia, telhado, Padre António Alvares)
- António Gonçalves, filho de Sebastião Gonçalves, barralhas e Maria Gonçalves, S. Eulália de Briteiros (casou, em 8.9.1636, com Luzia Fernandes, filha de Belchior Pires, falecido e Inez Pires, desta, T. António Gonçalves, eira, Domingos Fernandes, nogueiras, Francisco Fernandes, pousada, Padre António Alvares)
- Antonio da Costa, filho de Belchior Pires, falecido e Inez Pires, S. Eulalia de Tonões, ‘Tenões’, termo de Braga (casou em Se, Santiago, a 3.5.1637, com Antonia da Silva, filha de Francisco Gonçalves e Isabel Fernandes, falecidos, S. Salvador de Portela das Cabras, T. Favião de Tavora, barbeiro, Pedro Gonçalves, alfaiate e outros, violinha, Se, Padre Antonio de Araujo, vigario)
- Miguel Fernandes, filho de Francisco Fernandes e Isabel Antonia, S. Eulalia de Tolões ‘Tenões’ (casou em Se, Santiago, a 3.5.1638, com Inez Francisca, viuva, rua da conega, Se, filha de Francisco Dias e Maria Fernandes, S. João de Rei, T. Domingos Alvares, carpinteiro, conego e João Rodrigues, vizinho, Padre Antonio de Araujo, vigario)
- Francisco Fernandes, filho de Francisco Fernandes e Isabel Antónia, pousada (casou, em 8.5.1638, com Isabel Gonçalves, filha de André Antunes e Ana Gonçalves, crasto, todos desta, T. João Afonso, Francisco Fernandes, Miguel da Costa, António Gonçalves, do reguengo, Maria Gonçalves, viúva, pica, Padre António Alvares)
- Domingos Rodrigues, filho de Gonçalo Rodrigues e Martha Gonçalves, desta (casou, em 5.8.1638, com Maria Rodrigues, filha de Sebastião Rodrigues e Joana Gonçalves, S. Mamede de Sibões, T. Domingos Francisco, sapateiro, João Afonso, Miguel da Costa, António Gonçalves, telhado, Padre António Alvares)
- Domingos Gonçalves, filho de Manoel Gonçalves, falecido e Maria Gonçalves, pica (casou, em 29.9.1639, com Madalena Gonçalves, filha de Domingos Gonçalves, mourisca, Gualtar e Isabel Lopes, telhado, T. Braz Pires, Francisco Fernandes e Pedro Afonso, Padre António Alvares)
- Francisco Gonçalves, filho de Isabel Antónia, vilar, ‘S. Victor’ (casou, em 8.1.1640, com Maria Fernandes, filha de Francisco Fernandes, pousada, desta, T. Domingos Gonçalves, João Fernandes e António Gonçalves, reguengo, Padre António Alvares)
- João Afonso, filho de António Afonso e Ana Pires, S. Miguel de Boivais ‘termo da Barca’ (casou, em 25.11.1641, com Catherina Antónia, filha de Braz Pires e Maria Antónia, desta, T. Inácio de Paços, Braga e Pedro Gonçalves morouço, Padre António Alvares)
- João Domingues, filho de Manoel Domingues e Barbara Domingues, Duas Igrejas ‘Vila Verde’ (casou, em 7.12.1641, com Mariana Carneiro, viúva, desta, T. Pedro Gonçalves o morouço, Geraldo Gonçalves e Ana Martins, Padre António Alvares)
- Pedro Alvares (casou, em 24.1.1644, com Maria Lopes, viúvos, baixetes, desta, T. Sebastião Gonçalves, João Dias e Domingos Gonçalves, nogueiras, Padre António Alvares)
- Domingos da Costa, filho de Francisco Dias e Catherina da Costa (casou em Câmara de Moure, a 26.11.1645, com Domingas Francisca, filha de Domingos Francisco e Maria Francisca, moradores em S. Eulália de Tenões, termo de Braga, T. Francisco Ferreira, Francisco Dias, Simão Gonçalves, todos lugar de moure, Padre Geraldo Vieira Brandão, vigário)
- Paulo Fernandes, filho de Domingos Gonçalves e Maria Fernandes, S. Eulália (casou em, Adaufe, S. Maria, a 31.1.1646, com Isabel Gonçalves, filha de Francisco Gonçalves e Catherina Correia, valver, T. Francisco Lopes e Francisco Dias, penela, celebrou o Padre Francisco Mendes Leitão e assina Barreto, reitor)
- Gonçalo Rodrigues, natural de S. Lourenço de Paranhos (casou, em 5.8.1646, com Martha Antunes, crasto, T. Francisco Fernandes, pica, Ana Gonçalves, vale e Padre Francisco Fernandes o rato, Padre António Alvares)
- Sebastião Gonçalves, S. Eulalia de Tonões (casou em Este, S. Pedro, a 20.1.1647, com Margarida Gonçalves, meus fregueses, T. Sebastião Rodrigues e Domingos Martins, desta, Padre Pedro Mendes de Freitas, abade)
- João Domingues, viuvo (casou, em 23.4.1648, com Maria Antónia, desta, T. Sebastião Gonçalves, moleiro, Pedro Alvares, João Afonso, telhado e Padre António de Araújo, Padre António Alvares)
- Francisco Dias, viuvo, veacova, Lamaçães (casou, em 19.9.1649, com Madalena Antónia, filha de António Gonçalves e Maria Antónia, vinha, desta, T. Domingos Gonçalves, nogueiras, Hieronimo João e Miguel da Costa, Padre António Alvares)
- Domingos Fernandes, filho de Catherina Gonçalves, solteira, Crespos e Pedro Fernandes, Navarra (casou em, S. Lucrecia de Algeriz, a 17.5.1654, com Martha Fernandes, filha de Catherina Gonçalves, falecida e Bernardo de Aranha, Tenões, termo de Braga, T. Pedro Fernandes, quintela, Antonio Fernandes, oliveira, Pedro Fernandes, oliveira, João Francisco, Amaro Gonçalves, Francisco Fernandes o macho e seu pai Antonio Fernandes, Francisco Rodrigues, eiro, Padre João Francisco, vigario)
- Domingos Gonçalves, filho de Maria Gonçalves, viúva, desta (casou, em 22.4.1651, com Isabel da Costa, filha de Martha Antónia, viúva, T. Domingos Gonçalves, telhado, Ambrozio Fernandes e Gonçalo Fernandes, ambos de Braga, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Pedro Alvares, desta (casou, em 13.12.1655, com Hieronima Esteves, S. Miguel de Oriz, ribeira do homem, Regalados, T. Francisco Gonçalves, moleiro e Geraldo Valente, meus fregueses, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Manoel Fernandes, filho de André Fernandes e Mariana Carneiro (casou, em 11.8.1657, com Maria de Oliveira, filha de Martinho de Oliveira e Antónia Gonçalves, todos desta, T. Hieronimo João e Domingos Francisco, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Inácio Gonçalves, filho de António Gonçalves e Isabel Antonia, Tonões (casou em Este, S. Pedro, a 13.1.1658, com Ana Antonia, filha de Sebastião Gonçalves e Luzia Antonia, desta, com licença do juiz dos casamentos, T. Domingos Rodrigues, ponte de guimarães, Padre João da Costa, ponte da cancela, João Afonso, Tonões, celebrouo o Padre Francisco Carneiro, vigario de S. Eulalia de Tonões, nesta igreja, o Padre Gregorio Gonçalves, coadjutor)
[A partir daqui incluindo os óbitos ‘neste livro’, as folhas encontram-se sem parte da folha, pelo que se perde muita informação]
- António Fernandes, filho de Geraldo Fernandes e sua mulher (casou, em 25.2.?, com Maria Fernandes, filha de Francisco Fernandes e Isabel Gonçalves, T. Francisco Gonçalves e Hieronimo João, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Geraldo Gonçalves, filho de Francisco e sua mulher, oliveira (casou, em 24.2. ?, com Maria Martins, filha de ?, T. Espinho ‘não se pode ler mais’, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- André da Fonseca, filho de ? Magalhães (casou, em 12.4.1659, com Philipa Brandão, filha de ?, T. Manoel do ?, António Francisco, familiar abade S. Pedro Fins, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Manoel da Rocha, filho de Sebastião Gonçalves e Isabel Gonçalves, falecida, S. Eulalia de Tonões (casou em Este, S. Pedro, a 24.5.1659, com Maria Francisca, filha de Margarida Gonçalves e Salvador Fracnisco, falecidos, desta, T. a freguesia na missa conventual, Padre António de Oliveira, cura)
- Pedro Fernandes, filho de Gabriel Fernandes (casou, em ? 1659, com Maria Lopes, filha de Pedro Alvares e Maria Lopes, baixetes, T. Francisco Fernandes, alem, Hieronimo Francisco e Domingos Gonçalves, todos desta, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Balthazar da Silva de Azevedo, filho de António de Azevedo e Maria do Vale, Briteiros (casou, em 3.10.1660, com Maria Gonçalves, filha de Geraldo Gonçalves e Maria Domingues, desta, T. Gonçalves, telhado, António Gonçalves e André Martins, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Pedro de Oliveira, filho de Martinho de Oliveira e Antónia Gonçalves (casou, em 6.6.1661, com Martha Gonçalves, filha de Francisco Gonçalves e Catherina Gonçalves, pica, T. Sebastião Gonçalves, ?, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Domingos Gonçalves, filho de António Gonçalves e Isabel Antónia (casou, em 2.12.1661, com Maria Francisca, filha de Francisco ? e Francisca Antónia, Lamaçães, T. André da Fonseca e Hieronimo João, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- João Fernandes, filho de António Fernandes e Catherina Fernandes, vilar (casou, em ?.5.1662, com Maria de Oliveira, mulher de Manoel Fernandes, falecido, T. Domingos Antunes, ?, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Gregório Antunes, filho de Domingos Gonçalves e Maria Rodrigues (casou, em 21.5.1662, com Ana de Oliveira, filha de Domingos Gonçalves, viuvo, T. Hieronimo João e Domingos Gonçalves, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Domingos João, filho de Domingos Gonçalves e Catherina Francisca (casou, em 4.6.1662, com Francisca Fernandes, filha de António Gonçalves e Luzia Fernandes, T. Domingos Antunes, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Pedro Fernandes, filho de Francisco Fernandes e Isabel Gonçalves, desta (casou, em 4.6.1662, com Margarida Francisca, ?, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- André Fernandes, Espinho (casou, em 16.9.1663, com Inácia Fernandes, filha de Francisco Fernandes e Isabel Gonçalves, desta, T. André Antunes e Hieronimo João, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Gonçalo Antunes, filho de Gonçalo Rodrigues e Martha Antunes (casou, em 1663, com Ana de Oliveira , filha de ? Gonçalves, T. João Dias e Pedro ?, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Domingos Pereira, filho de Francisco Pereira e Leonor Antonia, falecidos, S. Eulália (casou em Este, S. Mamede, a 1.3.1665, com Maria João, filha de Pedro João, chãos e Ana Gonçalves, nesta, falecidos, T. Antonio Gonçalves, meitei, Domingos João, pumar longo e Joseph Carvalho, Padre Martim Dias, vigario)
- Manoel Fernandes, filho de Francisco Gonçalves e Maria Fernandes (casou, em 11.8.1666, com Domingas Antunes, filha de Gonçalo Rodrigues e Martha Antunes, T. André Antunes e André Fernandes, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Francisco de Araujo, Santa Eulalia Tenões (casou em, Moure, Lanhoso, a 25.1.1667, com Maria da Costa, filha de Domingos Gonçalves, T. Belchior da Fonseca de Azevedo, abade e eu Padre Padre Francisco da Silva, coadjutor que assino, celebrou o Padre Pedro da Costa)
- João Gonçalves, filho de Geraldo Gonçalves e sua mulher, falecida (casou, em 6.2.1667, com Inocência Antónia, viúva, todos desta, T. André Antunes e Hieronimo João, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Domingos Gonçalves, filho de António Gonçalves e Luzia Fernandes, monte (casou, em 13.2.1667, com Paula Domingues, filha de Geraldo Gonçalves e Maria Domingues, desta, T. André Martins, Domingos Antunes e Domingos João, todos desta, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Hieronimo Gonçalves, filho de Manoel de Morais e Mariana Francisca, Sobreposta (casou, em 14.2.1669, com Francisca Gonçalves, filha de Francisco Alvares, desta, T. Gabriel Fernandes, Domingos Gonçalves, S. Victor, Padre João de Oliveira, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Manoel Dias, filho de João Dias e Isabel Gonçalves (casou, em 1.5.1669, com Andreza Gonçalves, filha de Domingos Gonçalves e Margarida Gonçalves, T. Francisco Gonçalves, Geraldo Gonçalves e António Gonçalves, todos desta, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Pedro da Rocha (casou, em 25.5.1670, com Francisca Gonçalves, T. Francisco Gonçalves, André Martins e Hieronimo Gonçalves, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Domingos de Oliveira (casou, em 26.5.1670, com Catherina Fernandes, T. Gabriel Fernandes, António Fernandes e João Fernandes, celebrou o Padre Pedro Rodrigues, de licença do Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- António Dias, filho de Francisco Dias e Maria Mendes, falecida, Santa Eulália ‘Briteiros’ (casou, em 16.4.1671, com Simoa Francisca, filha de Francisco Gonçalves e Catherina Gonçalves, desta, T. André Martins, Manoel Dias e Hieronimo Gonçalves, todos desta, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Geraldo Gomes, filho de Isabel Gomes, viúva, S. Vicente, S. Victor (casou, em 15.6.1672, com Maria Antónia, filha de João Afonso e Catherina Antónia, desta, T. Sebastião Bravo e Manoel de Morais, ambos Ferreiros e Francisco da Costa, Braga, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Domingos Francisco, filho de Bento Francisco e Susana Francisca, S. Victor (casou, em 1.11.1673, com Francisca da Costa, filha de Sebastião Gonçalves e Margarida Gonçalves, desta, T. Manoel Dias, João Dias, Francisco Gonçalves e Domingos Gonçalves, todos desta, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Estevão da Cruz, Tenões de Santa Eulalia (casou em Nogueiró e Dadim, S. Salvador, a 17.3.1678, com Maria Antonia, filha de Geraldo Afonso e Madalena Antonia, falecida, sobaveiga, Dadim, T. com a presença da maior parte da freguesia, Padre Pedro Alvares de Carvalho, vigario)
- Manoel Francisco (casou, em 7.3.1679, com Catherina da Costa, desta, T. Domingos Gonçalves, Manoel da Costa e Francisco Gonçalves, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Costodio da Costa (casou, em 28.11.1680, com Isabel Martins, desta, T. Santos de Oliveira, Francisco Gonçalves, André Fernandes, desta, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Simão de Faria, S. Maria de Moure, termo de Barcelos (casou, em 12.1.1681, com Maria Gonçalves, filha de Domingos Gonçalves e Margarida Gonçalves, T. Francisco Gonçalves, Manoel Dias, Santos de Oliveira, Pedro da Rocha, todos desta, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- João da Mota, filho de João Brochado e Joana da Mota, S. Veríssimo, termo de Amarante (casou, em 15.10.1681, com Isabel Francisca, filha de Matheos Francisco e Isabel Francisca, falecida, nesta, T. Pedro da Rocha, Sebastião de Barros e Manoel Francisco, desta, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- André Gomes, filho de Francisco Alvares e Catherina Gomes (casou, em 19.8.1682, com Catherina Gonçalves, filha de Domingos Gonçalves e Margarida Gonçalves, todos desta, T. Manoel Dias, Simão de Faria e Agostinho da Silva, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Pedro de Oliveira, filho de Francisco Fernandes e Isabel Gonçalves, falecidos, Santa Eulália de Tenões, Braga (casou em Sampaio de Vila Verde, a 13.1.1683, com Maria Tinoco de Oliveira, filha do Padre Manoel Carvalho Tinoco, Lanhas, Regalados e Barbara André, solteira, desta, T. Bento de Barros e Francisco de Araújo, carvalhosa, Padre Paschoal Brandão Coelho, abade)
- Domingos Gonçalves, filho de Adrião Gonçalves e Senhorinha Gonçalves, áreas, S. Pedro de Este (casou, em 15.4.1685, com Francisca Gonçalves, filha de Domingos Gonçalves e Margarida Gonçalves, pica, T. Francisco Gonçalves, Simão de Faria e Manoel Dias, desta, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Miguel Leite (casou, em 15.12.1686, com Ana da Silva, T. Simão de Faria, Manoel Dias, Santos de Oliveira, todos desta, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Jacome Gonçalves, S. Eufémia de Calheiros, Ponte de Lima (casou, em 5.2.1687, com Maria Francisca, natural Salvador de Barbudo, Vila Cham e moradores nesta, T. licenciado Manoel da Costa, Braga e André da Fonseca, desta, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Gabriel Luís, filho de Gabriel Fernandes e Maria Luís, desta (casou, em 8.9.1687, com Inocência Soares, filha de Francisco Soares e Luzia Veloso, Pica de Regalados, T. Domingos de Oliveira, Pedro Fernandes e Manoel Dias, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Hieronimo Fernandes, filho de André Fernandes e Inácia Fernandes, S. Eulália de Tenões, termo de Braga (casou em Câmara de Moure, a 6.11.1687, com Maria Gonçalves, filha de Domingos Afonso, falecido e Ana Gonçalves, gandra, desta, T. Gregório Francisco, Domingos Rodrigues e Jacome Alvares, todos desta, Padre Domingos Lopes de Passos, vigário)
- Manoel Fernandes, filho de Pedro Fernandes, desta (casou em Gualtar, a 17.1.1688, com Hieronima Martins, filha de André Martins, falecido e Maria Gonçalves, Santa Eulália de Tenões, T. Francisco Fernandes, Domingos Gonçalves o grilo, António Francisco, todos desta, celebrou o Padre Diogo de Paiva, encomendado)
- Manoel Fernandes, filho de Domingos Fernandes e Maria Gonçalves, falecida, Dadim (casou, em 6.2.1689, com Hieronima da Silva, filha de Agostinho da Silva e Mariana da Silva, desta, T. Manoel Dias, Simão de Faria e Domingos Gonçalves, todos desta, celebrou o Padre Gonçalo Alvares de licença do vigário)
- Miguel João, filho de Domingos João e Francisca Gonçalves (casou, em 31.3.1691, com Maria de Oliveira, filha de Santos de Oliveira e Philipa Fernandes, todos desta, T. Gonçalo Antunes, Domingos Gonçalves e André Fernandes, todos desta, celebrou o Padre Gonçalo Alvares, de licença do vigário)
- Domingos Martins, filho de André Martins, falecido e Maria Gonçalves (casou, em 26.8.1691, com Maria Dias, filha de Manoel Dias e Andreza Gonçalves, T. Simão de Faria, Domingos Gonçalves e Agostinho da Silva, todos desta, celebroun o Padre Gonçalo Alvares de licença do vigário)
- João da Silva, filho de Domingos Gonçalves e Maria Gonçalves, falecida, S. Maria de Corvite ‘Guimarães’ (casou, em 23.9.1691, com Hieronima da Costa, filha de Domingos Gonçalves e Isabel da Costa, T. Simão de Faria, Manoel Dias e João Gonçalves, todos desta, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Paulo da Rocha (casou, em 22.10.1691, com Mariana da Silva, viúva de Gonçalo Pereira, T. Joseph Pinto, Braga, Manoel das Chagas, ermitão do Bom Jesus, celebrou o Padre João Alvares Nogueira, abade de Lamaçães, de minha licença, o Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Manoel Martins, filho de André Martins, falecido e Maria Gonçalves (casou, em 23.1.1692, com Hieronima Antónia, filha de João Afonso e Catherina Antónia, todos desta, T. Miguel João e Domingos de Azevedo, desta, celebrou o Padre Gonçalo Alvares de licença do vigário)
- Estevão da Silva, filho de Balthazar da Silva, falecido e Martha Gonçalves, Santa Eulália de Tenões (casou em Gualtar, a 3.5.1693, com Madalena Rodrigues, filha de Eugenia Gomes, solteira, vilar, S. Victor, Braga e Padre Francisco Rodrigues, vigário que foi desta, T. Agostinho Vieira, Pedro Vaz, pias, meus fregueses, Padre Francisco Saraiva e Oliveira, vigario)
- Francisco da Costa, filho de Sebastião da Costa e Maria Gonçalves, alem, S. Romão de Dadim e Nogueiró (casou, em 3.5.1693, com Maria Luís, filha de Gabriel Fernandes e Maria Luís, pousadas, S. Eulália de Tonões, celebrou o Padre António Carvalho da Silva)
- João Lourenço, viuvo de Isabel Gonçalves, lage, Gualtar (casou, em 4.5.1693, com Úrsula Martins, filha de André Martins e Maria Gonçalves, eiras, desta, T. André Fernandes, Inácio Fernandes, desta, celebrou o Padre António Carvalho da Silva)
- Simão de Faria, viuvo de Maria Gonçalves, pica (casou, em 8.1.1696, com Ângela Luís, filha de Costodio Antunes e Maria Fernandes, crasto, T. Padre Pedro Carvalho, que disse a missa conventual e Gonçalo Antunes e Manoel Dias, fez assento o Padre António Carvalho da Silva)
- Geraldo da Silva, filho de Agostinho da Silva e Mariana da Silva (casou, em 15.1.1696, com Joana Fernandes, filha de André Fernandes e Inácia Fernandes, T. Simão de Faria, Gonçalo Antunes e Manoel Dias, celebrou o Padre Pedro Carvalho, de licença do vigário)
- Domingos Luis, filho de Gabriel Fernandes e Maria Luis, falecida, pousada, Tenões (casou em, S. Lucrecia de Algeriz, a 30.1.1696, com Domingas Geraldes, filha de João Geraldes e Ana Francisca, regadas, T. Estevão Francisco, garrida, Francisco de Magalhães e Manoel Gomes, ambos ribas, Crespos e Constantino da Silva, regadas, celebrou o Padre Miguel Fernandes, o Padre Domingos de Sousa, vigario)
- Manoel de Figueiredo, viuvo, S. Mamede de Este (casou, em 15.7.1696, com Maria Carvalho, solteira, desta, T. Padre Pedro Carvalho, Braga e Manoel Dias, desta, Padre Francisco de Carvalho, vigario)
- Thome da Silva, filho de Domingos Gonçalves e Paula da Silva, falecida, S. Eulalia de Tenões, T. Braga (casou em, Adaufe, S. Maria, a 11.10.1696, com Domingas Gomes, ‘moradora em casa de Domingos Lopes, moinhos’, filha de Gaspar Rodrigues e Catherina Gomes, S. Eulalia de Ruivos, T. Barca, T. Domingos Gomes, Ruivos, Pedro da Rocha, Tenões, Padre Joaquim Fernandes de Barros, reitor)
- António Fernandes (casou, em 22.4.1697, com Maria Francisca, filha de Hieronimo Gonçalves e Francisca Gonçalves, T. Gonçalo Antunes e Manoel Dias e Manoel, filho de Gonçalo Antunes, Padre Pedro Carvalho)
- Domingos Gonçalves, monte (casou, em 5.4.1698, com Benta Gonçalves, Sampaio de Vila Verde, T. Domingos de Oliveira, Manoel Dias e Miguel João, Padre João Antunes, encomendado)
- Manoel Antunes de Oliveira (casou, em 16.11.1698, com Juliana de Araújo, ambos desta, T. Padre António da Silva, vigário de Nogueiró, Simão de Faria, Hieronimo Gonçalves e Manoel Francisco, Padre João Antunes, encomendado)
- Marcos Gonçalves, filho de Hieronimo Gonçalves e Francisca Gonçalves, Santa Eulália de Tenões (casou em Gualtar, a 18.9.1698, com Domingas Fernandes, filha de Hilário Fernandes e Maria de Sepúlveda, desta, T. Domingos Fernandes, lage, Domingos, solteiro, João, solteiro e Hilário Fernandes, todos desta, Padre António de Araújo Pereira, vigário)
- Domingos Fernandes (casou, em 1.2.1699, com Francisca Antunes, todos desta, T. Simão de Faria, Costodio da Costa, Costodio Antunes e Miguel João, Padre João Antunes, encomendado)
- Joseph Gonçalves, filho de João Gonçalves e Inocencia Antonia, S. Eulalia de Tonões (casou em Este, S. Pedro, a 20.5.1699, com Andreza Rodrigues, filha de Hieronimo Rodrigues e Isabel Gonçalves, falecida, outeiro, desta, T. Domingos Ferreira, António Valente e Amaro Vieira, todos outeiro, Padre Manoel Antunes de Oliveira, abade)
- André Gonçalves (casou, em 26.9.1700, com Andreza Antunes, todos desta, T. Simão de Faria, Miguel João, Pedro da Rocha e Manoel Antunes, Padre João Antunes, vigário)
- João da Costa (casou, em 17.4.1701, com Gregoria de Oliveira, todos desta, T. Simão de Faria, Domingos Martins, Manoel Martins e Miguel João, Padre João Antunes, vigário)
- Feliciano de Oliveira (casou, em 16.5.1701, com Sebastiana Gonçalves, todos desta, T. Padre Pedro Carvalho que disse a missa conventual e Gonçalo Antunes, Simão de Faria, o Padre João Antunes, vigário)
- Martim Gonçalves (casou, em 21.5.1702, com Joana da Silva, T. André Gonçalves, Costodio da Costa e Manoel Martins, todos desta, Padre João Antunes, vigário)
- Miguel Leite, viúvo de Ana da Silva, Santa Eulália de Tenões (casou em Gualtar, a 20.8.1702, com Maria Fernandes, filha de Hilário Fernandes e Maria de Sepúlveda, T. Geraldo Vieira, desta, Padre Alexandre de Miranda, vila de Montalegre, Chaves, Padre Aleixo Ferreira, encomendado)
- Santos de Oliveira, viuvo (casou, em 2.12.1702, com Benta Gonçalves, T. Simão de Faria, Thome da Silva e Feliciano de Oliveira, Padre João Antunes, vigário)
- Francisco Antunes de Oliveira (casou, em 10.3.1703, com Serafina de Oliveira, todos de S. Eulália de Tonoes, T. Manoel Francisco, Francisco da Costa, João da Costa e Hieronimo Gonçalves, Padre João Antunes, vigário)
- João da Rocha (casou, em 30.5.1703, com Maria Antunes, todos desta, T. André Gonçalves, pica, Costodio Antunes e seu filho Domingos, Domingos Fernandes, todos de crasto, Padre João Antunes, vigário)
- Inácio de Oliveira ‘filho de Domingos de Oliveira e Catherina de Fernandes’ (casou, em 30.5.1703, com Serafina da Silva, desta, T. Thome da Silva, Domingos Rodrigues e Miguel Leite, Padre João Antunes, vigário)
- Antonio Fernandes, filho de Andre Fernandes e Inacia Fernandes, pica, S. Eulalia de Tonões (casou em Este, S. Pedro, a 4.7.1703, com Maria Gonçalves, filha de Domingos Gonçalves e Isabel Gonçalves, telhado, desta, T. Domingos Francisco, Antonio da Silva e Paulo Francisco, todos telhado, Padre Manoel Antunes de Oliveira, abade)
- Francisco Gonçalves, filho de João Gonçalves e Francisca Gonçalves, nogueiras, S. Eulalia de Tonões (casou em Este, S. Pedro, a 29.7.1703, com Thereza Francisca, filha de Domingos Fernandes e Margarida Francisca, falecidos, casal de mogueimes, desta, T. Antonio da Silva, Silvestre Gonçalves, telhado e Domingos Antunes, mouquim, Padre Manoel Antunes de Oliveira, abade)
- Costodio Antunes de Oliveira (casou, em 13.1.1704, com Ângela Vaz, T. Domingos Antunes, Nogueiró e seu filho Domingos Antunes e Manoel Antunes, Padre João Antunes, vigário)
- Domingos Antunes, filho de Costodio Antunes e Maria Fernandes, crasto, S. Eulalia de Tonões (casou com dispensa por serem parentes em 4º de consanguinidade, Este, S. Pedro, a 13.1.1704, com Maria Vieira, filha de Geraldo Vieira e Catherina Dias, batoca, T. Amaro Valente, Francisco Vieira e Antonio Valente, todos de outeiro, Padre Manoel Antunes de Oliveira, abade)
- Miguel de Faria (casou, em 30.11.1704, com Maria Antunes, todos desta, T. vigário de Nogueiró Padre Costodio Rodrigues, Gonçalo Antunes, Manoel Antunes e João Veloso, Braga, Padre João Antunes, vigário)
- Joseph Barbosa (casou, em 1.11.1705, com Gracia Gomes, natural de Braga, T. Dr. Manoel Gomes da Costa, desta, Padre Manoel Vieira, cónego no Porto e Padre Domingos Fernandes, Braga, celebrou o Padre Cipriano Duarte, vigário de S. Victor)
- Frutuozo Rodrigues (casou, em 14.2.1706, com Hieronimo Gonçalves, desta, T. Simão de Faria, Manoel Dias, Domingos Antunes e Miguel de Faria, Padre João Antunes, vigário)
- Domingos Francisco (casou, em 18.4.1706, com Maria Antónia, T. Padre Joseph Duarte, que celebrou dizendo a missa conventual, Padre João Tinoco, ambos de Braga e Simão de Faria e Domingos Antunes, desta, o Padre João Antunes, vigário)
[o Visitador em 4.5.1706, mandou o pároco pôr os nomes do pais e donde são naturais]
- Hieronimo de Freitas, filho de António de Freitas e Senhorinha Marques, falecidos (casou, em 14.7.1706, com Prudência da Silva, filha de Gonçalo Pereira, falecido e Mariana da Silva, crasto, desta, T. João da Rocha, Domingos Antunes, crasto, Costodio da Costa, eira, Costodio, solteiro, criado do Reverendo Deão, Padre João Antunes, vigário)
- Santos de Arantes, filho de António de Arantes e Catherina Antónia, falecidos, S. Pedro de Este (casou, em 25.7.1706, com Francisca da Silva, filha de Agostinho da Silva e Mariana da Silva, meus fregueses, T. Simão de Faria, Miguel de Faria e Manoel Dias, Domingos Antunes, Padre João Antunes, vigário)
- Joseph da Fonseca da Silva, filho de Andre da Fonseca, Tonões e Maria da Silva, solteira, desta (casou, na igreja de Santiago, Braga, Este, S. Pedro, a 20.9.1706, com Josepha Barbosa, filha de João de Azevedo e Maria Barbosa, falecidos, Nª Sª de Oliveira, vila de Guimarães, lembrança, para melhor elementos no livro de casamentos da referida igreja, Padre Braz Cadima de Oliveira, abade)
- Pedro Lobato, filho de Joseph Ferreira e Maria Lobato, S. Maria de Caires, Entre Homem e Cavado (casou, em 26.1.1707, com Isabel Antunes, filha natural de João Fernandes e Maria Antónia, falecidos, S. Lourenço de Navarra, T. Pedro Gonçalves, João Francisco e João Soares, Padre João Antunes, vigário)
- Inácio de Oliveira, viuvo de Serafina da Silva, Tenões, filho de Domingos de Oliveira e Catherina Fernandes (casou em, S. Lucrecia de Algeriz, a 8.5.1707, com Domingas Cerqueira, filha de Manoel Cerqueira, falecido e Antonia Gonçalves, S. João de Vila Cham, termo da Barca e ora morador nesta, T. Antonio Lopes, eiro, Domingos Fernandes, oliveira, Antonio Fernandes, Antonio Francisco, oliveira, Padre Domingos de Sousa, vigario)
- Francisco de Araujo, filho de Francisco de Araujo, falecido e Maria da Costa, baixetes, S. Eulalia de Tenões, Braga (casou em Palmeira, S. Maria, a 9.6.1707, com Maria Gonçalves, filha de Domingos Alvares e Maria Gonçalves, ribeiro, desta, T. Domingos Alvares, ribeiro, Joseph de Araujo, Costodio de Araujo e seu filho Francisco de Araujo, falecido, todos de baixetes, Tenões, Padre Pedro Fernandes, vigario resignatario, que foi desta)
- Pedro Fernandes, viuvo de Domingas Fernandes, Tonões (casou em Este, S. Pedro, a 26.6.1707, com Maria Antonia, viuva de João Carvalho, desta, T. Santos de Arantes, mouquim, Francisco Gonçalves, picoto e Pedro Rodrigues, mouquim, celebrou o Padre Manoel Antunes de Oliveira, abade que foi desta)
- Costodio de Araujo, filho de Francisco de Araujo e Maria da Costa, baixelos, S. Eulalia de Tenões (casou em Nogueiró e Dadim, S. Salvador, a 12.1.1708, com Senhorinha Lopes, filha de Domingos Antunes e Maria Lopes, falecida, lage, Dadim, T. Jeronimo Francisco, pinheiro, Manoel Fernandes, igreja, Estevão da Cruz, sobaveiga, desta, Padre Costodio Rodrigues velho, vigario)
- Jacinto de Oliveira, filho de Salvador Gonçalves e Madalena Ferreira, falecidos, Lamaçães (casou, em 8.7.1708, com Costodia de Oliveira, filha de Hieronimo de Oliveira e Maria Gonçalves, falecida, desta, T. Feliciano de Oliveira e Domingos de Oliveira, celebrou o Padre Pedro Carvalho, meu assistente, o Padre João Antunes, vigário))
- Silvestre Pereira, viuvo de Domingas Antónia, S. Pedro de Este (casou, em 29.7.1708, com Vitoria Gonçalves, filha de Hieronimo Gonçalves e Francisca Gonçalves, meus fregueses, T. Miguel João, Gonçalo Antunes, celebrou o Padre Pedro de Carvalho, meu assistente, o Padre João Antunes, vigário)
- Domingos Antunes, viuvo de Maria Vieira, crasto (casou, em 15.8.1708, com Madalena de Faria, filha de Simão de Faria e Maria Gonçalves, falecida, todos desta, T. vigário de Nogueiró Costodio Rodrigues Velho, Miguel João, desta, Padre Pedro Carvalho, assistente nesta)
- Jeronimo da Rocha, filho de Pedro da Rocha, S. Eulalia de Tenões (casou em Nogueiró e Dadim, S. Salvador, a 24.8.1707, com Maria Francisca, filha de Sebastião Gomes e Domingas Francisca, falecida, passo, Dadim e Nogueiro, T. Domingos Antunes, Geraldo Antunes, ambos devesa, Felix Fernandes, alem, Dadim e Nogueiro, Padre Costodio Rodrigues velho, vigario)
- António Peixoto, viuvo de Isabel Fernandes, S. Victor (casou, em 13.11.1709, com Maria Dias, viúva de Domingos Martins, desta, T. Valério Lopes, Manoel Lopes e André Pinto, todos desta, Padre Bento da Costa e Magalhães, encomendado da igreja de S. Eulália de Tonões)
- Silvestre da Costa, filho de João da Costa e Juliana Gonçalves, S. Julião de Paços, termo de Barcelos (casou, em 24.2.1710, com Maria de Oliveira, filha de Miguel João e Maria de Oliveira, desta freguesia de Tonões, T. Manoel Antunes, Domingos de Oliveira, Pedro Fernandes e todos os fregueses na missa conventual, Padre Bento da Costa Magalhães, encomendado)
- Hieronimo de Oliveira, viuvo de Maria Gonçalves (casou, em 14.9.1710, com Mariana Vieira, filha de Domingos Gonçalves e Francisca Gonçalves, pica, todos desta, T. Miguel João, Gonçalo Antunes e todos os fregueses da missa conventual, Padre Bento da Costa Magalhães, encomendado)
- Joseph Vieira, filho de João Valente e Marinha Vieira, Espinho, termo de Guimarães (casou, em 15.3.1711, com Hieronima Martins, filha de Domingos Martins e Maria Dias, monte, desta, T. Simão de Faria, Manoel Antunes e todos os fregueses na missa conventual, Padre Bento da Costa Magalhães, encomendado)
- Pedro Soares, filho de Domingos Gomes e Isabel Soares, Sampaio de Merelim, couto de Tibães (casou, em 7.4.1711, com Ângela Dias, filha de Manoel Dias e Andreza Gonçalves, pica, desta, T. Jacinto de Oliveira, ponte, desta, Pedro de Araújo, sacristão de S. Victor e Marcos de Arantes, assento igreja de S. Victor, Padre Bento da Costa Magalhães, encomendado)
- João Francisco, viuvo, baixetes, desta (casou, em 25.11.1711, com Isabel Fernandes, filha de Manoel Fernandes e Martha de Abreu, S. Estevão de Cantilães, concelho de Vieira, T. Manoel Dias, pica, desta, João de Faria, Joseph Francisco, ambos enfias, S. Victor e Manoel Fernandes, Cantelães, Vieira, Padre António Ferreira, vigário)
- António de Sousa, filho de Domingos Fernandes e Catherina de Sousa, S. Cristina Figeira, termo de Guimarães (casou, em 19.4.1712, com Ana Maria de Araújo, filha de Hilário Fernandes e Maria de Sepúlveda, crasto, desta freguesia de Tonões, T. Simão de Faria, monte, Costodio da Costa e Estevão Gonçalves, ambos eira, Padre António Ferreira, vigário)
- Estevão Gonçalves, filho de João Gonçalves e Inocencia Antonia, eira, Tenões (casou em Nogueiró e Dadim, S. Salvador, a 15.12.1712, com Ana da Costa, filha de Manoel da Costa e Jeronima Francisca, pinheiro, Dadim e Nogueiro, T. Felix Fernandes, alem, Dadim, João Tinoco, ortinha, Dadim e Nogueiro, Padre Costodio Rodrigues velho, vigario)
- Joseph Gonçalves, viuvo de Andreza Rodrigues, eira, desta (casou, em 12.1.1713, com Escolástica Vieira, filha de Agostinho Fernandes Vieira e Maria Fernandes, falecidos, pias, Gualtar, T. Padre Costodio Rodrigues Velho, vigário de Nogueiró, Manoel Antunes de Oliveira, João da Rocha, viuvo, pica, Costodio da Costa, eira, André Gonçalves, outeiro, todos desta, Padre António Ferreira, vigário)
- Manoel Gonçalves, filho de Costodio Gonçalves e Domingas Francisca, alem, Dadim e Nogueiró (casou, em 14.1.1713, com Maria Fernandes, filha de André Fernandes, falecido e Inácia Fernandes, monte, desta, T. Manoel Antunes de Oliveira, nogueiras, Feliciano de Oliveira, monte, Domingos de Oliveira, alem, desta, todos desta, Padre António Ferreira, vigário)
- João da Rocha, viúvo de Maria Antunes, pica, Santa Eulália de Tenões (casou em Gualtar, a 2.4.1713, com Isabel Fernandes, filha de Francisco Fernandes, viúvo e Hieronima Fernandes, crespa, T. Constantino Fernandes, António Francisco, Manoel Francisco, todos crespa, Padre João Gomes, vigário)
- Manoel Gonçalves, filho de Hieronimo Gonçalves e Francisca Gonçalves, falecida, monte, desta (casou, em 26.1.1714, com Ana Fernandes, viúva de Domingos Vieira, filha de João Vieira e Antónia Fernandes, falecidos, Vila Seca, S. Miguel de Poiares, Vila Real, T. Pedro Fernandes, pousada, Domingos Gonçalves, nogueiras, Manoel Martins, rosa, todos desta, Padre António Ferreira, vigário)
- António Vieira, filho de Pedro Vieira e Maria Antunes, falecida, Navarra (casou, em 9.4.1714, com Inácia da Costa, filha de Costodio da Costa e Isabel Martins, eira, desta, T. Manoel Antunes de Oliveira, nogueiras, Simão de Faria, Feliciano de Oliveira, Geraldo da Silva, Jacianto de Oliveira, todos monte, Padre António Ferreira, vigário). Passada certidão por petição de Costodia Vieira, mulher de António ? e sua irmã Antónia Vieira, desta, em 24.9.1807
- Manoel Rodrigues, filho de Pedro Rodrigues, falecido e Ana Rodrigues, S. Pedro de Este (casou, em 27.12.1714, com Luiza de Oliveira, filha de Domingos de Oliveira e Catherina Fernandes, alem, desta, T. Geraldo da Silva, Hieronimo de Oliveira, ambos monte, Manoel Rodrigues, areal, António Gonçalves, Francisco Monteiro, granja, António Gonçalves, ronainho, S. Pedro de Este, Padre António Ferreira, vigário)
- Francisco de Oliveira, filho de Domingos de Oliveira e Catherina Fernandes, alem, Tonões (casou em Este, S. Pedro, a 22.8.1715, com Catherina Rodrigues, filha de Pedro Rodrigues, falecido e Ana Rodrigues, novainho, T. Padre Braz Cadima de Oliveira, abade desta, João Pereira, ribainhos, Tonões e Pedro Antonio, filho de João Pereira, desta, Padre Joseph Rodrigues, coadjutor)
- Costodio Francisco, filho de Manoel Francisco e Hieronima Antunes, falecidos, igreja, Nogueiró (casou, em 4.7.1716, com Madalena de Faria, viúva de Domingos Antunes, crasto, desta e filha de Simão de Faria e Maria Gonçalves, falecida, monte, desta, T. Lourenço Fernandes, devezinha, Joseph Alvares, igreja, Francisco Pereira, igreja, todos Nogueiró e Miguel de Faria e Simão de Faria, ambos monte, desta, Padre António Ferreira, vigário)
- Francisco Gonçalves, filho de António Gonçalves, falecido e Domingas Martins, S. Maria de Sequeira, termo de Barcelos ‘Braga’ (casou, em 6.7.1716, com Mariana Antunes, filha de Manoel Fernandes, viuvo e Domingas Antunes, falecida, crasto, desta, T. Costodio Antunes, Domingos Fernandes e Manoel Fernandes, todos de crasto, André Gonçalves, baixetes, Padre António Ferreira, vigário)
- António Francisco, vidraceiro, rua s. marcos, S. João de Souto, Braga, filho de Joseph Francisco e Isabel de Lima, falecidos, rua do anjo, S. João de Souto (casou, em 12.8.1716, com Costodia da Silva Saa, viúva de Costodio de Araújo Cerveira, escrivão que foi do eclesiástico dela, filha de Sebastião da Silva e Luísa de Saa, falecidos, rua da travessa que vai do paço para a rua D. Gualdim, Santiago, Braga, T. Manoel Antunes de Oliveira, nogueiras, Martinho Gonçalves, igreja, Marcos Gonçalves, toural, Domingos, solteiro, filho de Costodio da Costa, eira, todos desta, Padre António Ferreira, vigário)
- Manoel Pereira, filho de Lourenço Fernandes e Hieronima Pereira, devezinha, S. S. Dadim e Nogueiró (casou, em 2.2.1718, com Maria da Silva, filha de Geraldo da Silva e Joana Fernandes, monte, T. Manoel Antunes de Oliveira, nogueiras, Feliciano de Oliveira, monte, Hieronimo da Rocha, reguengo, António Vieira, monte, todos desta, Padre António Ferreira, vigário)
- Manoel Lopes, filho de Francisco Lopes e Mariana de Crasto, S. S. Parada e Barbudo (casou com dispensa por serem parentes em 2º e 3º de consanguinidade, em 16.5.1718, com Hieronima Lopes, filha de Jacome Gonçalves, falecido e Maria Francisca, desta, T. Vicente de Sousa, rua de Janes, S. João de Souto, Braga, António da Cunha, na msma rua, Manoel Antunes de Oliveira, nogueiras, Francisco, solteiro, criado do reverendo Deão, Padre António Ferreira, vigário)
- João Ferreira, filho de João Lopes e Domingas Ferreira, falecida, S. Mª de Ferreiros, termo de Braga (casou, em 19.2.1719, com Maria da Silva, filha de António da Silva e Luiza Gonçalves, falecidos, S. Mª de Sobreposta, couto de Pedralva e agora em reguengo, desta, T. Manoel Antunes de Oliveira, nogueiras, Manoel Ferreira, António Vieira, ambos monte, Martinho Gonçalves, igreja, André Gonçalves, baixetes e Hieronimo da Rocha, outeiro, todos desta, Padre António Ferreira, vigário)
- Francisco Gonçalves, filho de Adrião Gonçalves e Martha Fernandes, lage, Gualtar (casou, em 18.6.1719, com Angélica Dias, filha de Domingos Martins, falecido e Maria Dias, monte, desta, T. Manoel Antunes de Oliveira, Domingos Gonçalves, ambos nogueiras, António Vieira, monte, Jacinto de Oliveira, Manoel Pereira, Manoel Gonçalves, todos mesmo lugar, Padre António Ferreira, vigário)
- Francisco Fernandes, filho de Nicolau Afonso e Maria Fernandes, S. Mª Carvoeiro, termo de Barcelos (casou, em 25.5.1721, com Maria Antunes, filha de André Gonçalves e Andreza Antunes, pica, desta, T. Joseph Gonçalves, Costodio Antunes, ambos eira, Manoel Antunes de Oliveira, nogueiras, Francisco de Oliveira, pousada, todos desta, Padre António Ferreira, vigário)
- António Fernandes, filho de Hieronimo Fernandes e Maria Fernandes, Gualtar (casou, em 25.1.1722, com Senhorinha Vieira, filha de Domingos Gonçalves e Domingas Gonçalves, desta, T. Joseph Gonçalves, eira, Manoel Martins, João Ferreira, todos desta, Padre Manoel da Silva Macedo, encomendado)
- Manoel Rodrigues, filho de Domingos Rodrigues e Maria da Silva, desta (casou, em 30.3.1722, com Thereza Francisca, filha de André Martins e Costodia Fernandes, S. Pedro de Este, T. Domingos Fernandes Lima, João Ferreira e Inácio Francisco, todos desta, Padre Manoel da Silva Macedo, encomendado)
- João Fernandes, filho de Manoel Fernandes e Hieronima Martins, S. Miguel o Anjo, Gualtar (casou, em 21.5.1724, com Ana Leite, filha de Miguel Leite e Maria Fernandes, monte, desta, T. Manoel Antunes de Oliveira, Geraldo da Silva e Manoel Gonçalves, monte, Padre António de Macedo, vigário)
- Domingos Fernandes, filho de Domingos Fernandes e Maria Fernandes, Gualtar (casou, em 16.7.1724, com Justa de Faria, filha de Simão de Faria e Ângela Luís, monte, T. Manoel Antunes de Oliveira, nogueiras, Manoel Martins, pica, Manoel Gonçalves, monte, Padre António de Macedo, vigário)
- Costodio da Costa ‘viuvo de Isabel Martins’, eira, S. Eulalia de Tenões (casou em Nogueiró e Dadim, S. Salvador, a 20.9.1724, com Maria Francisca ‘viuva de Francisco de Oliveira’, filha de Manoel Fernandes e Madalena Francisca, eirado, Nogueiro, T. Jose de Oliveira, solteiro, monte, Nogueiro, Jose Gonçalves, eira, Antonio Vieira, toural, ambos S. Eulalia de Tenões, Padre Costodio Rodrigues Velho, vigario)
- Costodio Fernandes, filho de António Fernandes e Ana Lopes, lage, Gualtar (casou, em 11.2.1725, com Maria Dias, filha de Domingos Martins e Maria Dias, monte, desta, T. Manoel Antunes de Oliveira, nogueiras, Manoel Pereira, Simão de Faria, ambos monte, Padre António de Macedo, vigário)
- Domingos da Silva, filho de João da Silva e Mariana da Silva, S. Eulália de Tenões (casou em, Pousada, Sampaio, a 14.10.1725, com Maria Rodrigues, filha de Balthazar Rodrigues e Isabel Rodrigues, falecidos, S. Thome de Correlhã, Ponte de Lima, T. Domingos Fernandes, João Tinoco da Silva, souto, Padre Manoel de Araújo Barbosa, reitor)
- Miguel Fernandes, filho de Domingos Alvares e Feliciana Pereira, vinha, S. Martinho de Pena Cova, termo de Guimarães (casou, em 7.7.1726, com Maria da Silva, filha de Domingos Rodrigues e Maria da Silva, pousada, T. Manoel Antunes de Oliveira, António Fernandes, ambos nogueiras, Pedro Loureiro, torre, Padre António de Macedo, vigário)
- António Vieira, filho de Pedro Vieira e Maria Antunes, Navarra (casou, em 4.8.1726, com Maria Fernandes, filha de Marcos Gonçalves e Domingas Fernandes, monte, desta, T. Martinho Gonçalves e Félix Rodrigues, ambos igreja, Pedro Loureiro, torre, celebrou o Padre Domingos de Araújo, capelão da Capela de Bom Jesus do Monte, de minha licença)
- Domingos Vieira, filho de Jacinto Vieira, falecido e Maria Mendes, S. Estevao de Cantelães, concelho de Vieira (casou, em 17.8.1726, com Maria Francisca, filha de Pedro da Rocha e Francisca Gonçalves, falecidos, pica, T. Hieronimo da Rocha, André Gonçalves, ambos pica, Feliciano de Oliveira, monte, todos desta, Padre António de Macedo, vigário)
- Félix Rodrigues, filho de Bartholomeo Rodrigues e Sebastiana Antónia, Salvador de Balazar, termo de Guimarães (casou, em 14.11.1726, com Rosa Francisca, filha natural de Balthazar de Caldas e Gracia Francisca, S. Maria de Sobreposta, termo de Guimarães e ambos assistentes nesta, T. Jacinto de Oliveira e Manoel Pereira, monte e Francisco da Costa, igreja, Padre António de Macedo, vigário)
- Costodio Fernandes, filho de Manoel Fernandes e Ângela Rodrigues, areal, S. Victor, Braga (casou, em 10.10.1728, com Costodia de Oliveira, filha de Manoel Antunes de Oliveira e Julinana de Araújo, nogueiras, T. Manoel Gonçalves, Manoel Pereira e Jacinto de Oliveira, todos do monte, Padre António de Macedo, vigário)
- Manoel Francisco, filho de Domingos Gonçalves Costa e Catherina de Saa, S. Martinho de Espinho, termo de Guimarães (casou, em 27.11.1728, com Andreza Francisca, filha de Inácio Francisco e Damazia Francisca, telhado, desta, T. Costodio da Costa, Manoel, solteiro e Simão Lopes, todos do assento, desta, Padre António de Macedo, vigário)
- Manoel Fernandes da Costa, filho de Domingos Fernandes e Domingas da Costa, Dadim e Nogueiró (casou, em 16.1.1729, com Paschoa Rodrigues, filha de Joseph Gonçalves e Andreza Rodrigues, eira, T. Costodio Fernandes, Domingos da Costa e Marcos Gonçalves, todos monte, Padre António de Macedo, vigário)
- Costodio da Silva, filho de João Francisco e Ana Fernandes, rio, S. Dadim e Nogueiró (casou, em 23.1.1729, com Thereza da Silva, filha de Geraldo da Silva e Joana Fernandes, monte, T. Feliciano de Oliveira, Manoel Gonçalves e Jacinto de Oliveira, todos monte, Padre António de Macedo, vigário)
- Antonio Antunes, filho de Manoel Antunes de Oliveira e Juliana de Araujo, falecida, nogueiras, S. Eulalia de Tenões, Braga (casou em Geraz, S. Estevão, a 30.1.1729, com Josefa Antunes, filha de Antonio Gonçalves e Antonia Antunes, falecida, porcas, S. Estevão, T. Filipe Barbosa de Vasconcelos, Padre Pedro Coelho, Padre Manoel Rodrigues Macieira, abade, celebrou o Padre Antonio Alvares Vieira, cura)
- Domingos Francisco, filho de Inácio Francisco e Damazia Francisca, telhado (casou, em 19.2.1729, com Joana de Faria, filha de Simão de Faria, falecido e Ângela Luís, monte, T. Manoel, solteiro, Costodio, solteiro e Costodio da Costa, monte, Padre António de Macedo, vigário)
- Domingos Fernandes Lima, viuvo de Martha Alvares, ribainhos (casou, em 16.6.1729, com Maria da Costa, filha de Costodio da Costa e Isabel Martins, eira, desta, T. Manoel Antunes de Oliveira, nogueiras, Costodio Fernandes e Manoel Martins, monte, Padre António de Macedo, vigário)
- Eusébio Ribeiro, igreja velha, Dadim e Nogueiró (casou, em 5.10.1729, com Mariana de Faria, filha de Domingos Antunes, falecido e Madalena de Faria, crasto, T. Domingos Fernandes, pica, Costodio Francisco, crasto e Manoel, solteiro, assento, Padre António de Macedo, vigário)
- António Francisco, filho de Costodio Francisco e Costodia Gomes, S. Martinho de Espinho, termo de Guimarães (casou, em 13.11.1729, com Costodia de Araújo, filha de Costodio de Araújo e Senhorinha Lopes, falelcida, baixetes, T. Costodio Fernandes, Manaoel Gonçalves e Manoel Pereira, Padre António de Macedo, vigário)
- Joseph da Fonseca, viuvo de Josepha Barbosa, novainho, filho natural de Andreza Fonseca e Magalhães, Tonões e Maria da Silva, solteira, desta (casou em Este, S. Pedro, a 30.3.1730, com Antonia Francisca, filha de Mathias da Rocha, falecido e Domingas Francisca, estrada, T. Pedro Lopes, Francisco Monteiro, Antonio Francisco da Rocha, Padre Braz Cadima de Oliveira, abade)
- Manoel Rodrigues, viiuvo de Thereza Francisca, S. Pedro de Este (casou, em 8.5.1730, com Domingas Fernandes, filha de Gonçalo Fernandes e Domingas Fernandes, Beiral do Lima, termo de Ponte de Lima e assistente na casa do irmão Domingos Fernandes Lima, pousada, T. Pedro António da Cunha Ozorio, ribainhos, Manoel Antunes de Oliveira e António Antunes, ambos nogueiras, Padre António de Macedo, vigário)
- Manoel Alvares, filho de Gonçalo Alvares e Maria Mendes, Sapiães, Montalegre (casou, em 16.8.1730, com Catherina da Silva, filha de Martinho Gonçalves e Catherina da Silva, igreja, T. António Antunes, nogueiras, Domingos Vieira, pica, Costodio da Costa, igreja, Padre António de Macedo, vigário)
- Balthazar de Arantes, filho de António de Magalhães e Domingas de Arantes, rua do assento, S. Victor, Braga (casou, em 2.9.1731, com Ana Leite, filha de Miguel Leite, falecido e Maria Fernandes, monte, T. António Antunes, nogueiras, Costodio Fernandes, Manoel Pereira, monte, Padre António de Macedo, vigário)
- António de Azevedo, filho de Domingos Varela e Maria de Azevedo, S. Miguel de Fontouro, termo de Valença (casou, em 29.10.1731, com Maria Rodrigues, filha de Joseph Gonçalves e Andreza Rodrigues, eira, T. Domingos da Costa, Costodio Fernandes e Domingos Francisco, todos monte, Padre António de Macedo, vigário)
- Manoel Francisco, filho de Inácio Francisco e Damazia Francisco, nogueiras (casou, em 2.8.1732, com Ana Maria da Costa, filha de Costodio da Costa e Isabel Martins, falecida, eira, T. Manoel Antunes de Oliveira, Inácio Francisco e Domingos Fernandes Lima, nogueiras, Padre António de Macedo, vigário)
- João Francisco, filho de Pedro Francisco, falecido e Ângela Fernandes, pousada (casou, em 31.8.1732, com Luiza da Silva, filha de Domingos Rodrigues e Maria da Silva, pousada, T. Domingos Francisco, Costodio Fernandes e Feliciano de Oliveira, todos monte, Padre António de Macedo, vigário)
- Costodio de Oliveira, filho de Domingos de Oliveira e Ana Pereira, falecida, S. Dadim e Nogueiró (casou, em 19.10.1732, com Costodia Francisca, filha de Costodio Francisco e Madalena de Faria, crasto, T. Costodio Fernandes, Domingos Francisco e Manoel Pereira, todos monte, Padre António de Macedo, vigário)
- Salvador de Araujo, filho de Costodio de Araujo e Senhorinha Lopes, falecida, baixetes, S. Eulalia de Tenões, Braga (casou em, Adaufe, S. Maria, a 16.11.1732, com Hieronima Lopes, filha de Domingos Alvares, falecido e Maria Gonçalves, moinhos, T. Domingos Alvares, moinhos, Antonio Fernandes, pinheirinho, João Cerqueira, vale, Padre Domingos Fernandes Velho, coadjutor)
- Francisco Gonçalves, filho de Domingos Gonçalves e Maria Fernandes, falecidos, Adaufe (casou, em 27.11.1732, com Gracia Antunes, filha de Domingos Fernandes e Francisca Antunes, crasto, T. André Gonçalves, Domingos Fernandes, pica e Eusébio Ribeiro, crasto, Padre António de Macedo, vigário)
- Domingos de Faria, filho de Simão de Faria, falecido e Angela Luis, S. Eulalia de Tonões (casou em Nogueiro e Dadim, Salvador, a 18.1.1733, com Mariana Ribeiro, filha de Manoel Ribeiro e Madalena Francisca, lage de dadim, Nogueiro, T. Manoel Gomes, gaião, Costodio de Oliveira, carta, Tonões, Jose Alvares, igreja velha, Nogueiro, Padre Costodio Rodrigues Velho, vigario)
- licenciado Manoel Gomes da Costa, filho do licenciado Miguel da Costa, Sé, Braga e Maria Francisca, S. Mª de Sobreposta, termo de Guimarães (casou, em 11.10.1733, com Rosa Maria da Graça, filha de António da Silva de Carvalho e Maria dos Santos, S. João do Souto, Braga, T. Domingos Francisco, Sobreposta, António Francisco, S. Maria do Souto, Padre António de Macedo, vigário)
- António Francisco, filho de Inácio Francisco e Damazia Francisco, nogueiras (casou, em 20.2.1734, com Senhorinha Vieira, filha de Domingos Gonçalves e Francisca Gonçalves, pousada, todos desta, T. Domingos Francisco, Costodio Fernandes e Manoel Gonçalves, todos monte, Padre António de Macedo, vigário)
- António Leite, filho de Miguel Leite e Maria Fernandes, monte (casou, em 27.2.1734, com Gracia Fernandes, filha de Domingos Fernandes e Francisca Antunes, crasto, T. André Gonçalves, pica, Costodio Fernandes e Balthazar de Arantes, monte, Padre António de Macedo, vigário)
- António Francisco, filho de Francisco Cerqueira e Maria Cerqueira, torre, S. Martinho de Dume (casou, em 19.2.1735, com Conceição de Faria, filha de Simão de Faria e Ângela Luís, falecidos, monte, T. António Domingues, solteiro, Feliciano de Oliveira e Manoel Pereira, todos desta, Padre António de Macedo, vigário)
- João Rodrigues, filho de Domingos Rodrigues e Maria da Silva, pousada, S. Eulalia de Tenões (casou em, Adaufe, S. Maria, a 4.5.1735, com Maria Fernandes, filha de Pedro Fernandes e Hieronima Francisca, falecidos, ferreiros, desta, T. Domingos Fernandes, crespa e Antonio Fernandes, devesa, ambos Gualtar e João Fernandes, ferreiros, desta, Padre Antonio Fernandes Loreto, reitor)
- Joseph Rodrigues, filho de Manoel Rodrigues e Francisca Vieira, outeiro (casou em Este, S. Pedro, a 26.1.1736, com Benta da Silva, filha de Santos da Silva e Maria Dias, falecida, Santiago de Esporões e assistentes em Tonões, T. Padre Pedro Vieira, Domingos Ribeiro, Domingos de Barros, Domingos Vieira, Antonio Vieira, Diogo Ferreira e Manoel Ferreira, todos desta e celebrou Padre Joseph Rodrigues, coadjutor)
- Joaquim da Silva, filho de Manoel Gomes e Antónia Francisca, crespa, Gualtar (casou, em 6.9.1736, com Mariana Antunes, filha de Costodio Antunes e Ângela Vaz, eira, T. Domingos Fernandes, Manoel Francisco e António Leite, todos pica, Padre António de Macedo, vigário)
- Joseph Pereira, filho de Gabriel Pereira e Maria Pereira, S. Ramalde, Porto (casou, em 24.9.1736, com Eugenia Francisca, filha de Manoel Pereira e Domingas Francisca, desta, T. António Rodrigues e António Francisco, ambos pousada e Manoel Fernandes, venda, desta, Padre António de Macedo, vigário)
- Manoel Martins, viuvo de Hieronima Antónia (casou, em 8.10.1736, com Hieronima Rodrigues, filha de Manoel de Morais e Maria Rodrigues, S. Martinho de Espinho, termo de Guimarães, T. Gonçalo Gomes Ribeiro e António Leite, pica, Padre António de Macedo, vigário)
- Costodio Pereira de Oliveira? ‘viuvo de Costodia Francisca’, crasto, Tonões (casou em Nogueiro e Dadim, Salvador, a 13.11.1736, com Angela Gomes, filha de Manoel Gomes e Senhorinha da Costa, gaião, Nogueiro, T. Manoel Gomes, surgião, filho de Manoel Gomes, Costodio Francisco, gaião, Antonio de Araujo, sombreireiro, rua das searas, S. Victor, Padre Costodio Rodrigues Velho, vigario)
- Francisco Rodrigues da Silva, filho de Domingos Rodrigues, falecido e Maria da Silva, S. Eulalia de Tonões (casou em Este, S. Pedro, a 27.1.1737, com Costodia Fernandes, filha de Antonio Fernandes e Maria Gonçalves, seara, desta, T. Bento Ferreira, clerigo in minoribus, Antonio Xavier, estudante, Francisco Vieira de Sousa e Silvestre Gonçalves, todos desta, celebrou o Padre Josephy Rodrigues, cura, o Padre Braz Cadima de Oliveira, abade)
- Manoel de Araujo, filho de Joseph de Araujo e Senhorinha Lopes, falecida, Santa Eulalia de Tenões, termo de Braga (casou em Palmeira, S. Maria, a 30.1.1737, com Rosa Maria Peixoto, filha de Domingos Peixoto e Andreza Veloso, povoa, desta, T. Padre João de Chaves, Padre Antonio Fernandes e Padre Manoel Francisco, todos desta, Padre Joseph Lopes, cura)
- Hieronimo de Oliveira, viuvo, filho de André Fernandes e Inácia Fernandes, desta (casou, em 17.2.1737, com Ana Maria Pacheco, assistente na cangosta da palha, S. Victor, filha de Simão Francisco e Serafina Pacheco, rua da conega, Sé, Braga, T. Feliciano de Oliveira, Manoel Pereira, ambos monte, celebrou o Padre João Martins, nogueiras)
- António Vieira, filho de Pedro Vieira e Paschoa Francisca, souto (casou, em 4.3.1737, com Madalena de Faria, filha de Miguel de Faria e Maria Antunes, souto, T. Manoel Pereira, Domingos Francisco e António Francisco, todos monte, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Bernardo Pereira, filho de Domingos Alvares, falecido e Feliciana Pereira, S. Martinho de Penacova, termo de Guimarães (casou, em 20.5.1737, com Feliciana Fernandes, filha de Manoel Gonçalves e Maria Fernandes, monte, T. Hieronimo de Oliveira, monte e António Antunes, nogueiras, Padre Domingos Antunes, vigário)
- João Ferreira, filho de Dionizio Ferreira e Margarida da Silva, vilar, S. Victor (casou, em 27.8.1738, com Thereza Maria, engeitada que criou João Francisco, assistente no Bom Jesus do Monte, T. Rodrigo Francisco Vieira, chãos de baixo, Braga, Paulo Lopes e Domingos de Araújo, espingardeiros, campo de Nª Sª a Branca, S. Victor, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Manoel Barbosa, filho de Belchior Barbosa e Damazia Vaz, Fontoura, Valença (casou, em 23.10.1739, por ordem do juiz de casamentos Manoel Pimenta de Carvalho, com Antónia Ferreira, filha de Braz Peixoto e Damiana da Silva, S. Victor e ambos assistentes em pica, desta, T. Domingos da Costa, campo de S. Ana, S. Victor, Joseph de Azevedo, consolata, Nogueiró e António Leite, pica, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Domingos Fernandes, filho de Manoel Fernandes e Isabel Francisca, falecida, Lamaçães (casou, em 8.11.1739, com Brizida Antunes, filha de André Gonçalves e Andreza Antunes, pica, desta, T. Manoel Antunes, nogueiras, António Vieira, monte, Félix da Rocha, torre, todos desta, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Diogo Antunes, filho de Andre Gonçalves e Andreza Antunes, pica, Tonões (casou em Nogueiro e Dadim, Salvador, a 9.11.1739, com Costodia Francisca, filha de Antonio Rodrigues e Isabel Francisca, falecida, alem de dadim, Nogueiro, T. Antonio Gonçalves Pinheiro, solteiro, vilar, S. Victor, Lourenço Rodrigues, soldado pago, filho de Antonio Rodrigues, Francisco Gomes, alfaiate, bacelo de dadim, Nogueiro, Padre Costodio Rodrigues Velho, vigario)
- Salvador de Araujo, viuvo de Hieronima Lopes e ele filho de Costodio de Araujo e Senhorinha Lopes, falecida, baixetes, Tonões (casou em Este, S. Pedro, a 1.6.1740, com Dionizia Vieira, filha de João Vieira e Costodia Ferreira, granja, T. Padre Domingos Antunes, vigario de Tonões, Bento Ferreira, clerigo in sacris, Francisco Vieira de Sousa, todos desta, celebrou o Padre Joseph Rodrigues, cura, o Padre Braz Cadima de Oliveira, abade)
- Paulo Joseph Pereira, filho natural de Paulo Pereira e Ângela, solteira, Sapardos, Valença (casou, em 18.7.1740, com Senhorinha Gonçalves, filha de Bernardo de Crasto e Joana Gonçalves, S. Pedro de Este e assistente nesta, T. Félix da Rocha, torre, António Gonçalves, viuvo, eira e António da Rocha, S. Pedro de Este, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Domingos Francisco, filho de Pedro Gonçalves e Catherina Francisca, S. Cristina de Algoso, Pousa, ‘Barcelos’ (casou, em 12.2.1741, com Catherina de Oliveira, filha de Francisco de Oliveira e Catherina Rodrigues, pousada, T. beneficiado Cristóvão de Brito e Sousa, S. João de Souto, Salvador de Araújo, baixetes e Domingos Fernandes, pica, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Pedro de Sousa, filho de Francisco de Sousa e Luiza da Igreja, falecidos, S. Victor (casou, em 29.9.1741, com Maria da Costa, filha de António Vieira e Inácia da Costa, desta, T. Domingos Fernandes, pica, Costodio Joseph de Sa, rua da regoa e António de Araújo segalho?, rua da regoa, ambos S. Victor, Padre Domingos Antunes, vigário). Passada certidão por petiç~kao em 24.12.1807 e 30.5.1822
- António Gonçalves, viuvo de Maria Fernandes, filho de António Gonçalves e Escolástica Vieira, viúva, eira (casou, em 22.10.1741, com Antónia Gomes, filha de Manoel Gomes e Ana de Faria, morins, S. Cristina de Longos, termo de Guimarães, T. Salvador de Araújo, baixetes, António Vieira e Domingos Francisco, ambos monte, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Francisco Ferreira, filho de Domingos Francisco e Maria Ferreira, assistentes em S. Mª de Prado e natural de S. Victor (casou, em 4.12.1741, com Costodia Fernandes, filha de Domingos Fernandes Lima e Maria da Costa, desta, T. Padre Manoel Joseph da Cunha Ozorio e seu irmão Padre Francisco Xavier, campo de Santiago e Manoel Antunes, nogueiras, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Manoel Gonçalves, filho de Jose Gonçalves e Andreza Vieira, eira, Tonões (casou em Nogueiro e Dadim, Salvador, a 21.7.1742, com Jeronima Maria da Costa, filha de Felix Fernandes e Maria da Costa, falecidos, alem de dadim, Nogueiro, T. João da Silva de Carvalho, filho de Domingos Antunes de Carvalho, devesa, Jose de Azevedo, consolação, Nogueiro, Jose Fernandes, regora, S. Victor, Padre Costodio Rodrigues Velho, vigario)
- Luís de Sousa, filho de Domingas de Sousa, solteira, falecida e António de Araújo, sombreireiro, rua das aguas, S. Victor (casou, em 15.3.1743, com Costodia Pereira, filha de João Pereira e Maria Francisca, Bom Jesus do Monte, T. Costodio Vieira de Araújo, poça, Navarra, Bento Fernandes, souto, Adaufe, Joseph Pereira, rua dos pelames, Santiago, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Francisco Ferreira, filho natural de Joseph Ferreira, solteiro, Tonões e Maria Luis, solteira, Sampaio de Merelim, couto de Tibães (casou em Este, S. Pedro, a 5.8.1743, com Ana Maria Vieira, filha de João Vieira e Costodia Ferreira, granja, T. Padre Domingos Duarte, Antonio Xavier, Manoel Pinto, Joseph Ferreira, Padre Braz Cadima de Oliveira, abade)
- António da Costa, filho de Francisco da Costa e Leonor Ferreira, falecida, Santiago de Fraião (casou, em 9.8.1744, com Costodia Maria Vieira, filha de Joseph Gonçalves e Escolástica Vieira, eira, T. Manoel Francisco, Manoel Fernandes, ambos monte e António de Azevedo, nogueiras, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Joseph Luís Teixeira Coelho de Melo, filho de António de Melo Cabral, falecido e Dª Narcisa Teixeira Coelho (casou, em 3.1.1745, com Dª Inez Thomazia da Cunha Ozorio, filha de João Pereira Barroso, falecido e Dª Catherina Luiza da Cunha Ozorio, todos campo de Santiago, Cividade, Braga, T. Dr. Francisco Gomes do Couto, Se, António Joseph da Silva, rua dos pelames, S. Victor, Manoel Francisco, Manoel Carlos, ambos monte, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Bento Francisco, filho de Pedro Vieira e Paschoa Francisca, toural, desta (casou, em 26.3.1745, com Dionizia da Silva, filha de Manoel Pereira e Maria da Silva, monte, T. Joseph Monteiro, campo de santa Ana, Padre Francisco Xavier da Cunha Ozorio, assistente em ribainhos e António Francisco, pousada, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Domingos da Costa, filho de João da Costa e Eugenia da Rocha, lage, Gualtar (casou, em 27.3.1745, com Paula Maria, filha de Manoel Pereira e Maria da Silva, monte, T. António de Araújo, rua nova da seara, S. Victor, Bento Francisco, toural e Hieronimo de Oliveira, monte, Padre Domingos Antunes, vigário)
[O visitador em 4.7.1745, determinou aos párocos que a partir de agora fossem nomeados os avós dos contraentes e suas naturalidades]
- João Fernandes, filho de Thome Fernandes [filho de Félix Fernandes e Maria da Costa, falecidos, alem de Dadim e Nogueiró] e Costodia Francisca [filha de Lourenço Fernandes e Ana Francisca, falecidos, sima vila, Nogueiró] e morador em Nogueiró (casou com dispensa por serem parentes em 3º e 4º de consanguinidade, em 10.3.1746, com Costodia Maria Antunes, filha de Costodio Antunes [filho de Gonçalo Antunes e Ana de Oliveira, falecidos, nogueiras, desta] e Ângela Vaz [filha de Gaspar Vaz e Paschoa Fernandes, falecidos, paredes, S. de Pedralva], moradora em eira, desta, T. Manoel Antunes de Oliveira, António Antunes, Bento Francisco, toural, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Pedro de Araújo, filho de Luís de Araújo, falecido [filho de Salvador Gonçalves e Madalena Ferreira, bouça, Lamaçães] e Costodia da Silva [filha de Domingos da Silva e Isabel Fernandes, S. Victor], Santa Tecla, S. Victor (casou, em 7.5.1746, com Maria Josepha de Faria, filha de Costodio Francisco [filho de Manoel Francisco e Hieronima Antónia, Nogueiró] e Madalena Faria [filha de Simão de Faria e Maria Gonçalves], crasto, T. Bento Francisco, canhotas, Domingos Fernandes, pica e Eusébio Ribeiro, crasto, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Manoel Vieira, filho de António Fernandes [filho de Hieronimo Fernandes e Maria Fernandes, vinha, Gualtar] e Senhorinha Vieira [filha de Domingos Gonçalves e Francisca Gonçalves, pousada, desta] (casou, em 8.11.1747, com Quinteria de Oliveira, filha de Francisco de Oliveira [filho de Domingos de Oliveira e Mariana Fernandes, pousada, desta] e Catherina Rodrigues, [filha de Pedro Rodrigues e Ana Rodrigues, novanho, S. Pedro de Este], T. Domingos Fernandes, pica, Costodio Fernandes, solteiro, pica, António Francisco e Inácio Francisco, ambos pousada, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Francisco Gomes, filho de Damião Vaz [filho de Domingos Vaz e Mariana Gomes, S. Victor] e Maria Francisca das Neves [filha de António Gomes e Maria Ana, S. Eulália, termo de Guimarães], S. Clmente de Sande e assistentes rua da regoa, S. Victor (casou, em 8.6.1748, com Thereza da Silva, filha de Manoel Pereira [filho de Lourenço Fernandes e Hieronima Pereira, Boavista, Nogueiró] e Maria da Silva, falecida [filha de Geraldo da Silva e Joana Fernandes, monte, desta] moradores monte, Tenões, T. António Francisco, pousada, Bento Francisco, canhotas, Paschoal António, assistente na cangosta senhora a branca, S. Victor, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Jacinto Antunes, filho de Costodio Antunes [filho de Gonçalo Antunes e Ana de Oliveira, nogueiras] e Ângela Vaz [filha de Gaspar Vaz e Paschoa Fernandes, paredes, S. Pedralva, couto de Braga], eira, Tonoes (casou, em 21.8.1748, com Josepha Maria, filha de Costodio Vieira [filho de Manoel Vieira e Isabel Pereira, ventozela, S. Martinho do Campo] e Josepha Francisca [filha de Sebastião Francisco e Maria Lopes, picos, S. Pedralva], moradores em ventuzela, S. Martinho do Campo, mieira ccom S. Louredo, T. Padre Manoel Joseph da Cunha Ozorio, António Antunes, pica, António de Sousa, hermitão, Bom Jesus do Monte, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Mateos Rodrigues, filho de Manoel Rodrigues [neto paterno de Domingos Rodrigues e Maria da Silva, pousada, Tonões] e Thereza Francisca [neto materno de Andre Martins e Costodia Fernandes, novainho, S. Pedro de Este], falecidos, novainho, S. Pedro de Este (casou em Nogueiro e Dadim, Salvador, a 21.8.1747, com Maria Fernandes, filha de Manoel Fernandes [neta paterna de Domingos Fernandes e Domingas da Costa, bacelo de dadim] e Josefa Maria, falecida [neta materna de Jose Francisco e Maria Francisca, lage, dadim], lage de dadim, Nogueiro ‘administrei as bençãos musicais’, T. Francisco Vieira, novainho, S. Pedro de Este, Jose Fernandes, sombreireiro, regora, S. Victor, Simão da Silva, lage, Nogueiro, Padre Costodio Rodrigues Velho, vigario)
- João Marques, engeitado em Ponte de Lima e nela baptizado e morador em S. Victor (casou, em 14.10.1748, com Rosa Fernandes Lima, filha de Domingos Fernandes Lima [filho de Gonçalo Fernandes Lima e Domingas Fernandes, S. Mª Beiral do Lima, termo de Ponte de Lima] e Maria da Costa [filha de Costodio da Costa e Maria da Costa, eira] e moradores em baixetes, Tenões, T. Padre Manoel Joseph da Cunha Ozorio, João Francisco, Francisco Ferreira, ambos baixetes e António Antunes, nogueiras, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Félix Gomes, filho de Francisco Gomes [filho de Costodio Gonçalves e Domingas Francisca, alem, Nogueiró] e Luzia Francisca [filha de Francisco Rodrigues e Antónia Francisca, pessama, Espinho, termo de Guimarães], Nogueiró (casou, em 10.9.1750, com Dionizia Vieira, filha de João Vieira [filha de Manoel Pereira e Maria Dias, áreas, S. Pedro de Este] e Costodia Ferreira, viúva de Salvador de Araújo, baixetes [filha de Domingos Ferreira e Maria Rodrigues, outeiro, S. Pedro de Este], T. António Francisco, pousada, Francisco Ferreira, baixetes, João de Oliveira, solteiro, monte, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Inácio Carvalho, filho de Joseph Carvalho, viúvo de Antónia da Rocha, falecida no hospital de Braga, S. Victor [filho do Padre João Carvalho, Gualtar e Maria Alvares, solteira, S. Pedro de Este] e Jacinta de Oliveira [filha de Hieronimo de Oliveira e Maria Ferreira, Tenões] (casou, em 28.1.1751, com Maria de Oliveira, filha de Jacinto de Oliveira e Costodia de Oliveira, monte, desta, T. capitão Balthazar Jorge Viana, reguengo, Manoel Carlos de Oliveira, Pedro de Sousa e Hironimo de Oliveira, os três do monte, desta, Padre Domingos Antunes, vigário)]
- Bernardo da Costa, filho de Domingos da Costa, Santa Eulalia de Tolões ‘Tenões’ [filho de Costodio da Costa e Isabel Martins, Tolões, Braga] e Inez Gonçalves, S. Lourenço de Sande, termo de Guimarães e assistente em S. Martinho de Dume (casou em, Nogueira, Braga, a 16.8.1753, com Marceliana da Costa, filha de Antonio Ferreira [filho de Manoel Francisco carrinho, S. Pedro Deste e Francisca Ferreira, S. Paio da Pica, Regalados] e Domingas da Costa, bairro, desta, Padre Manoel de Matos Coutinho, coadjutor)
- Gabriel Rodrigues, filho de João Rodrigues e Maria Ferreira, S. Eulalia de Tenões (casou em Barreiros, S. Pedro, a 29.4.1782, com Domingas Ferreira, filha de Antonio Gonçalves e Maria Ferreira, Barreiros, T. Padre Francisco Ribeiro, paroquiano, Manoel Martins Borges e seu filho Manoel Martins, solteiro, celebrou o Padre Antonio Jose da Cunha, rua de S. Marcos, Braga)
- Francisco de Carvalho, filho de Manoel de Carvalho e Francisca de Araujo, Tenões, S. Eulalia, Braga e ora em Ferreiros Amares (casou em Crespos, S. Eulalia, a 16.5.1831, com Rosa Rodrigues, filha de Manoel Igrejas e Maria Rodrigues, tomada, Crespos, T. Padre Jose Antonio Tinoco, reaes, Jose Carvalho, assistente quintão, João da Silva, sancho, Pousada, Sampaio, celebrou o Padre João Ferreira Rodrigues Ribas, Crespos de licença do Padre João Antonio de Matos, cavaleiro da Conceição, arcipreste dos Arcos e abade de Crespos)
- Antonio Vieira, filho de Antonio Vieira e Ana Rosa, regadas, S. Lucrecia de Algeriz (casou em Crespos, S. Eulalia, a 6.6.1836, com Maria Ferreira, filha de Antonio Luis Tinoco Pontes e Jeronima Ferreira, montinho, Crespos, T. Jose Maria, meu familiar, Jose Pereira, filho de Josefa Pereira, Antonio Simões, filho de Domingos Simões, todos quintão, Crespos, Padre Jose Antonio Tinoco, cura)
- Domingos Jose de Azevedo, filho de Bento Jose de Azevedo e Francisca Thereza, Tenões, S. Eulalia ‘assistente em Adaufe’ (casou na Sé, Braga em ‘Navarra, S. Lourenço’, a 2.5.1858 ‘conforme certidão que o confirma’, com Maria Rosa, filha de Vicencia de Aborim, solteira, Navarra, em Maio de 1858, Padre Manoel Ferreira Coutinho)
- Antonio Jose de Oliveira, viuvo de Isabel Maria Ribeiro, S. Eulalia de Tenões (casou em Rendufe, S. André, a 24.2.1859, com Maria Rosa da Silva, filha de Jose da Silva da Mota e Gestrudes Maria de Araujo ‘crime de adulterio cometido entre eles, por não serem casados’, T. Francisco Jose Antunes, Domingos de Freitas e Domingos Dias Pinheiro, todos Rendufe, Padre Domingos Martins, reitor)
- João Antonio Gonçalves, 30 anos, natural S. Maria de Refojos de Lima, Ponte de Lima, criado de servir em vila nova, Nogueira, filho de Antonio Jose Gonçalves [neto paterno de Jose Gonçalves e Maria Josefa, quintão de Nogueira, S. Maria de Refojos de Lima] e Costodia Maria [neto materno de Fernando Luis Fernandes e Maria Luis, Estrada de Nogueira, Refojos de Lima], (casou na capela do Hospital de S. Marcos, em Nogueira, S. João Baptista, a 19.8.1872, com Maria de Jesus, 23 anos, natural de S. Eulalia de Tenões, Braga e moradora vila nova, Nogueira, filha de Inacio Jose Pereira [neta paterna de Antonio Jose Pereira e Maria Rosa, S. Maria de Refojos de Lima] e Maria Rosa [neta materna de Antonio Jose Antunes e Ana Maria, Dadim e Nogueiró, Braga], moradores eira, Tenões, T. Jose Joaquim Gonçalves, vila nova e João Antonio da Costa, cazeiro, bairro, ambos Nogueira, Padre João Alberto de Araujo e Castro, abade)
- Manoel Lopes Viola, 24 anos, Tenões, filho de Manoel Lopes, S. Victor e Francisca Thereza, Tenões (casou em Lamaçães, S. Maria, a 10.12.1883, com Maria Thereza, 24 anos, senra, Lamaçães, filha de Jose Adriano Ferreira, S. Victor e Ana Maria, S. Pedro de Maximinos, T. Jose Joaquim Gomes dos Reis, solteiro, servo da igreja de S. João de Souto e morador rua de S. Marcos, Braga e Antonio Luis de Araujo Brandão, negociante, rua do carvalhal, Braga, Padre João Vicente da Costa e Cunha, paroco)
- João da Costa Barroso, 26 anos, pedreiro, Tenões, Braga, filho de Antonio Barroso, Arcos de Valdevez e Maria Thereza, Tenões, S. Eulalia (casou em Lago, S. Martinho, a 5.8.1888, com Ana de Jesus Gonçalves, 18 anos, Lago, filha de João Gonçalves, Pedregais, Vila Verde e Joana Peixoto, Sampaio do Pico, Vila Verde, T. Antonio Jose Machado, pedreiro, telheira, Manoel Jose Soares, professor, s. marta, solteiros, ambos Lago, Padre Domingos Adelino de Almeida, reitor)
- Antonio Joaquim Vieira da Costa, 21 anos, carpinteiro, Lamaçães, filho de Antonio Jose Vieira da Costa e Ana Joaquina, ambos outeiral, Lamaçães (casou em Lamaçães, S. Maria, a 10.2.1889, com Ana Maria Vieira, 25 anos, costureira, natural de Tenões e moradora em outeiral, Lamaçães, filha de Jeronimo Jose de Lima e Rosa Maria Vieira e Sa, outeiral, Lamaçães, T. Miguel Gonçalves, mestre pedreiro e Francisco Xavier de Lima, solteiro, carpinteiro, ambos de Lamaçães, Padre Baltazar Jose Fernandes, paroco)
- Francisco Ferreira, 23 anos, cazeiro, natural Tenões, Braga e morador lavandeira, Crespos, filho de Costodio Jose Ferreira e Thereza Pereira (casou em Crespos, S. Eulalia, a 19.10.1889, com Ana Carmona, 26 anos, natural Arcozelo e moradora lavandeira, filha de Manoel Carmona e Martinha Maria, Arcozelo, T. Luis Manoel Gomes, proprietario, venda, Costodio Jose Ferreira, pai do contraente, ribas, ambos Crespos, Padre Jose Antonio Machado Magalhães)
- Inacio Gonçalves, 19 anos ‘com presença pais, que autorizaram’, vila nova, Nogueira, filho de João Antonio Gonçalves, natural S. Maria de Refojos de Lima, Ponde de Lima e Maria de Jesus, S. Eulalia de Tenões, Braga (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 29.1.1893, com Rosa da Conceição, 22 anos, cruzeiro, Nogueira, filha de Antonio Joaquim Cerqueira e Maria Thereza, Nogueira, T. Jose Francisco Correia, professor primario, barrio e Antonio Jose Vieira, cazeiro, igreja, ambos Nogueira, Padre Jose Joaquim Pinto, abade)
[Dissolvido pelo falecimento de Inacio Gonçalves, as 13H00, dia 27.3.1937, Nogueira]
- Francisco Antonio Ferreira, 19 anos ‘pai presente que deu consentimento’, oficial sapateiro, morador em Tenões, filho de Vicente Jose Ferreira exposto, sapateiro e Francisca Thereza de Jesus, jornaleira, Lamaçães (casou em 28.1.1894, com Maria, 21 anos, moradora em Tenões, filha de Antonio Joaquim Torres exposto e Thereza de Jesus, moleiros, Tenões, T. Manoel de Oliveira, Antonio de Oliveira, pedreiros, Tenões, celebrou o Padre Jose Joaquim de Carvalho, encomendado)
- João Dias, 23 anos, proprietário, S. Martinho de Espinho, filho de Antonio Dias, servo no Santuario de Nª Sª do Sameiro e Albina exposta, Tenões (casou em 11.6.1894, com Rosa Maria, jornaleira, Tenões, filha de Francisco de Sousa, S. Martinho de Leitões, Guimarães e Francisca Thereza, Salvador de Dadim e Nogueiro, lavradores cazeiros, T. Francisco Marques, chapeleiro, Antonio Jose Vieira, surrador, Tenões, Padre Jose Joaquim de Carvalho, encomendado)
- Narciso Leite, 22 anos, pedra, Nogueira, filho de João Baptista Leite, Nogueira e Maria Joaquina, Parada e Barbudo, Vila Verde (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 23.9.1894, com Ana Pinto, 20 anos, natural de S. Victor, Braga, filha de Antonio Vieira, S. Eulalia de Tenões, Braga e Maria Josefa Pinto, S. Victor, T. João Vieira, cazeiro, bairro e Antonio Jose Vieira, cazeiro, igreja, ambos Nogueira, Padre Jose Joaquim Pinto, abade
- Antonio de Sousa Aguiar Junior, 35 anos, negociante, natural da vila de Valongo, Porto e morador Tenões, filho de Antonio de Sousa Aguiar e Joaquina Gonçalves de Brito, padeiros, Valongo (casou em 17.10.1894, com Dª Elisa Ribeiro, 17 anos ‘pai presente que deu consentimento’, natural de S. Jose, Rio de Janeiro, Estados Unidos do Brasil e moradora Tenões, filha de Jose Maria Ribeiro, S. Maria de Ferreiros, Braga e Dª Maria Feydit Ribeiro, cidade de Campos, Brasil, proprietários, Tenões, T. Francisco Manoel da Costa Pereira e sua mulher Dª Emilia Braga da Costa Pereira, negociantes, Porto, padrinhos João Gonçalves Raposo e sua mulher Dª Maria do Carmo Augusta Ferreira Raposo, proprietários, moradores hotel Frankfort, com procuração os pais da contraente, Padre Jose Joaquim de Carvalho, encomendado)
- Jose Lopes, 20 anos, lavrador cazeiro, Fraião, filho de Narciso Lopes, S. João de Nogueira e Thereza Maria Gomes, S. Lazaro, Braga (casou em 13.1.1895, com Serafina Thereza exposta, 18 anos, lavradeira, baptizada em Santiago da Civilidade e moradora em Nogueiro, T. Antonio de Oliveira, pedreiro e Francisco Marques, chapeleiro, ambos lugar monte, Tenões, Padre Jose Joaquim de Carvalho, encomendado)
- Antonio Jose Machado, 27 anos, lavrador cazeiro, filho de Antonio Jose Machado e Antonia Maria da Costa (casou em 2.6.1895, com Bernarda Vieira, 22 anos, lavradeira, filha de Jose da Cunha e Rosa Maria Vieira, Tenões, T. Antonio Jose Machado lavrador cazeiro e João Ribeiro, jornaleiro, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, reitor)
- Jose da Costa Chaves, 28 anos, natural S. Eulalia de Tenões, Braga, filho de Bento da Costa Chaves e Josefa Maria, Tenões (casou com dispensa por serem parentes em 4º de consanguinidade, em Este, S. Mamede, a 21.10.1895, com Maria Joaquina, 22 anos, filha de Domingos Bento Antunes e Ana Fernandes, T. Thereza Maria de Almeida, viuva e sua filha Rosa Maria, casada, proprietarios, ambas Este, S. Mamede, Padre Jose Rodrigues, vigario)
- Joaquim Jose Gonçalves ‘viuvo de Maria Bernardina da Silva Gonçalves’, empregado no telegrafo, filhode Domingos Antonio Gonçalves e Rosa Maria da Graça, lugar do Bom Jesus do Monte, Tenões (casou em 23.10.1895, com Maria Angelina Lopes, solteira, 36 anos, filha de João Tinoco e Maria da Conceição, S. Lazaro, Braga, T. Luis da Costa Palha, empregado no Bom Jesus do Monte e Jose Bento Teixeira, estalajadeiro, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, reitor)
- Antonio Ferreira, 19 anos, moleiro, natural de Celeiros, morador Tenões, filho de Manoel Ferreira e Rosa Duarte, Celeiros (casou em 24.10.1895, com Maria Thereza Ferreira, 16 anos, moleira, natural de Frossos e moradora baixetes, Tenões, filha de Antonio Jose da Costa Mendes e Maria Ferreira, Tenões, T. Francisco Rodrigues, solteiro, estudante e Antonio Jose Vieira, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jeronimo Baptista, 22 anos, caiador, Tenões, filho de João Baptista e Antonia Maria, Tenões (casou em 11.4.1896, com Maria Jose, 23 anos, costureira, Tenões, filha de Bernardo da Cunha e Antonia Maria, Tenões ‘por provisão do Deão Governador deste Arcebispado, por impedimento do Arcebispo’, T. Antonio Barbosa e Francisco Jose Barbosa, solteiros, carpinteiros, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose Francisco Parada, 56 anos, solteiro, capitalista, R. Romão da Ucha, Barcelos, morador em S. Lazaro, Braga, filho de Bento Francisco e Maria Thereza Pereira (casou em 2.7.1896, com Ana Maria da Silva, 22 anos, Tenões, filha de Antonio de Oliveira e Antonia Joaquina, S. Lazaro, Braga ‘com autorização do Senhor Arcebispo para casar nesta igreja paroquial’ , T. Antonio Jose Vieira e Francisco Marques, ambos monte, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Adolfo Ribeiro da Cruz, 31 anos, natural Se, Pará, Estados Unidos do Brasil e morador em S. Victor, Braga, filho de Manoel Francisco da Cruz e Dª Vitoria da Silva Ribeiro (casou na capela do Real Santuario do Bom Jesus do Monte, em 18.7.1896, com Dª Alcina Arantes Freitas Braga, 20 anos, moradora S. Victor, filha de Francisco Jose de Freitas Braga e Dª Maria das Dores Arantes Braga, S. Victor ‘com provisão’, T. do contraente Agostinho Jose Fernandes, Antonio Jose de Pinho, assistentes em Belem, Grão-Pará, Brasil, representados pelos seus procuradores Antonio Jose da Silva Arantes e Joaquim AugustoFerreira da Silva, T. da noiva Jose Antonio Arantes Braga e Dª Margarida Amelia Arantes Braga, S. Victor, celebrou de minha autorização o Padre Jose Raimundo Alves de Araujo, Capelão do Real Santuario)
- Antonio Joaquim de Oliveira, 25 anos, pedreiro, Adaufe, filho de Antonio de Oliveira e Costodia Maria Alves (casou em 3.8.1896, com Thereza Fernandes, Adaufe, filha de João Fernandes Palha e Rosa Ribeiro de Magalhães ‘com provisão do Senhor Arcebispo para casar nesta igreja paroquial’, T. Padre Jose Maria da Circuncisão da Silva Amorim, capelão do Real Santuario do Bom Jesus do Monte, Antonio de Oliveira, Adaufe, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Antonio Joaquim de Oliveira, em 6.12.952, em Adaufe, assento 1197, de 9.12.1952]
- Jose Antonio da Silva ‘viuvo de Helena Maria’, jornaleiro, filho de Caetano Barbosa e Rosa Maria, S. Pedro de Este (casou em 15.4.1897, com Margarida Rosa exposta na roda de Braga, 42 anos, pousada, Tenões, T. Antonio Dias, lavrador cazeiro, igreja e Maria Thereza das Dores, pousada, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose Manoel, jornaleiro, S. João de Nogueira, morador venda, Tenões, filho de Manoel Gonçalves e Rosaria Maria (casou em 13.6.1897, com Maria Thereza Soares, 27 anos, criada de servir, filha de Tomaz de Aquino exposto ou Tomaz de Aquino Correia exposto e Rosa Maria Gonçalves ou Rosa Maria, ambos S. Claudio de Geme, Vila Verde, T. Padre Artur da Conceição Ferreira Campos, paroco de Gualtar e Antonio Pereira, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Verissimo Martins de Almeida, 21 anos, industrial, S. Ildefonso, Porto e morador S. Victor, filho de Jose Martins de Almeida e Dª Amelia Rosa (casou em 17.6.1897, com Dª Maria Adelaide, 20 anos, Bonfim, Porto, moradora em Tenões, filha de Francisco Jose Fernandes da Silva e Dª Maria Jose Correia da Silva, T. pelo noivo Luis Jose de Matos e Dª Ana Maria de Almeida, pela noiva Francisco Jose Ferreira da Silva e Dª Maria Jose Correia da Silva, celebrou com minha autorização o Padre Jose do Egipto Vieira, abade de S. João do Souto, Braga)
[Dissolvido por falecimento de Verissimo Martins de Almeida, em 18.2.1958, Sampaio do Pico, Vila Verde, assento 72, de 23.2.1958]
- Antonio Ferreira, pedreiro, 39 anos, solteiro, Palmeira, filho de Antonio Ferreira e Thereza Alves (casou em 24.6.1897, com Rosa da Silva, 28 anos, Palmeira, filha de Francisco Fernandes ou Francisco Machado e Luisa da Silva ‘autorizado com provisão para casar nesta igreja de 5.6.1897, T. João da Costa, lavrador cazeiro e Antonio Jose Vieira, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jeronimo Barbosa ‘viuvo de Antonia Maria’, 60 anos, natural de Salvador de Nogueiro e morador em Tenões, filho de Jose Barbosa e Angela Maria (casou em 6.11.1897, com Maria Joaquina da Silva Gama, 41 anos, solteira, S. João Baptista de Coucieiro, filha de Jose Narciso Fernandes ou Jose Narciso da Silva Fernandes e Costodia Maria Gama, T. Antonio Jose Vieira, Tenões e Maria Angelina da Silva Gama, Salvador de Nogueiro, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Andre da Costa Chaves, 22 anos, lavrador cazeiro, Tenões, filho de Bento da Costa Chaves e Josefa Maria (casou em 14.11.1897, com Inez Maria, 19 anos ‘pai presente que deu consentimento’, Salvador de Nogueiro, filha de Jose Ferreira e Rosa Maria, Nogueiro, T. Andre Fernandes, Tenões e Jose Ferreira, solteiro, Salvador de Nogueiro, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Augusto Martins, 30 anos, industrial, S. João do Souto, Braga, filho de Antonio Martins Ferreira e Dª Maria do Carmo de Barros (casou em 24.11.1897, com Dª Laura Correia da Silva, 25 anos, natual de Vitoria, Porto e moradora Tenões, filhade Francisco Jose Fernandes da Silvae Dª Maria Jose Correia da Silva, T. do noivo Antonio Martins Ferreira, da noiva Francisco Jose Fernandes da Silva e Dª Maria Jose Correia da Silva, celebrou com minha autorização o Padre Jose do Egipto Vieira, abade de S. João do Souto, Braga)
- João Rodrigues Ferreira, 27 anos, solteiro, industrial, S. Vcitor, Braga, filho de Francisco Bernardo Rodrigues e Maria das Neves ou Maria das Neves Ferreira (casou em 30.12.1897, com Maria dos Desamparados Pereira ‘viuva de Jose Bento Teixeira’, 27 anos, S. João do Souto, Braga e moradora em Bom Jesus do Monte, Tenões, filha de Bento Jose Pereira e Ana Narcisa Pereira, T. Jeronimo da Silva e Sousa, negociante, S. Victor, Antonio Rodrigues de Sousa, S. Pedro de Este, Manoel de Sousa Oliveira Barreto, negociante, S. Victor, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Joaquim Vieira Marques, 25 anos, chapeleiro, Salvdor de Dadim e Nogueiro e morador em S. Lazaro, Braga, filho de Domingos Francisco Marques e Ana Maria Vieira (casou em 26.2.1898, com Adelaide Domingues da Silva, ‘menor, mãe viuva, presente, que deu consentimento’, eira, Tenões, filha de Francisco da Silva Canelas e Maria Domingues, T. Antonio Joaquim de Araujo Franqueira, S. Victor, Tributina Rosa Joaquina, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Joaquim Vieira Marques, em 15,6,1912, Campanhã, Porto, assento 505, de 18.6.1952]
- Antonio da Silva Salgueiral, 37 anos ‘viuvo de Rita Joaquina Gonçalves’, Tenões, filho de Jose da Silva e Mariana Thereza (casou em 13.3.1898, com Maria da Conceição Marques, 24 anos, venda, Tenões, filha de Antonio Marques e Maria Joaquina dos Reis, T. Francisco Marques, chapeleiro e Francisco Antonio Ferreira, sapateiro, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose Carneiro de Melo, 22 anos, industrial, Bonfim, Porto, filho de Jose Carneiro de Melo e Dª Rosa Caldas Carneiro de Melo (casou em 14.4.1898, com Dª Albertina Correia da Silva, 20 anos, natural Bonfim e moradora Tenões, filha de Francisco Jose Fernandes da Silva e Dª Maria Jose Correia da Silva, T. do noivo Joaquim da Silva Ferreira e Dª Rosa Caldas Carneiro de Melo, Porto e pela noiva Francisco Jose Fernandes da Silva e Dª Maria Jose Correia da Silva, Tenões, celebrou com minha autorização o Padre Manoel Ferreira Coutinho de Azevedo, abade de Bonfim, Porto)
- Antonio da Costa Chaves, 26 anos, lavrador cazeiro, Tenões, filho de Bento da Costa Chaves e Josefa Maria (casou em 17.4.1898, com Maria Thereza, 24 anos, jornaleira, natural de Gualtar e moradora em Tenões, filha de Francisco Jose Machado e Maria Joaquina da Luz, T. Jose Antonio Francisco Duarte, Tenões e Francisco Rodrigues, S. Pedro de Este, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose Gomes, 26 anos, jornaleiro, S. Pedro de Este, filho de Antonio Luis Gomes e Ana Maria de Jesus (casou em 8.5.1898, com Thereza de Carvalho, 20 anos, jornaleira, monte, Tenões, filha de Joaquim de Carvalho e Antonia Joaquina, T. Manoel Gomes, Salvador de Nogueiro e Antonio Gomes, S. Pedro de Este, ambos jornaleiros, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Antonio Joaquim Torres, 24 anos, pedreiro, Tenões e estacionado no quartel de infantaria oito, Braga, filho de Antonio Joaquim Torres e Thereza de Jesus (casou em 13.8.1898, com Thereza Maria Chaves, 25 anos, jornaleira, monte, Tenões, filha de Jose da Costa Chaves e Josefa Maria Vieira, T. Padre Manoel Vieira Fernandes de Oliveira, paroco de Salvador de Nogueiro e Antonio Joaquim da Cunha, proprietário, Tenões, celebrou com minha autorização o Padre Artur da Conceição Ferreira Campos, paroco de Gualtar)
[Dissolvido por falecimento de Thereza Maria Chaves, em 18.3.1951, Tenões, assento 377, de 19.3.1951]
- Manoel Joaquim Gonçalves, 46 anos ‘viuvo de Maria do Rosario da Conceição’, jornaleiro, S. João Batista de Nogueira, morador Tenões, filho de Narciso Gonçalves e Ana Joaquina (casou em 31.8.1898, com Maria da Luz, 43 anos ‘viuva de Francisco Jose Machado’, jornaleira, natural de S. Victor e moradora na calçada, Tenões, filha de João Pinto Braga e Ana Joaquina Fernandes, T. Manoel de Oliveira Guimarães e Henrique de Oliveira Guimarães, ambos solteiros, de Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Carlos Maria Correia de Lacerda, 26 anos, natural de S. Bento da Meda, bispado Lamego, filho de Aurelio Cesar Baptista Almeida Leitão e Dª Maria do Carmo Correia de Lacerda (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, em 25.12.1898, com Dª Elisa Coutinho Caldeira, 34 anos, natural de Chosende, bispado de Lamego, filha de Manoel Maria de Sousa Caldeira e Dª Ana Ermelinda de Faria Coutinho, T. pelo noivo Dr. Antonio Julio de Lacerda Leitão, Augusto Cesar Monteiro de Andre, Dr. Afonso Coutinho de Vilhena de Sousa Caldeira, pela noiva Dª Josefa Correia Teixeira Pinto do Amaral, Dª Maria do Carmo Correia de Lacerda, viuva, Dª Maria Augusta de Lacerda Moutinho, celebrou o Padre Francisco Jose Pereira, capelão mor do Real Santuario)
- João Lopes, 38 anos, empregado no Ministerio da Fazenda, natural S. João da Ribeira, Rio Maior, Lisboa, filho de Jose João Lopes e Dª Francisca da Conceição (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, em 29.12.1898, com Dª Maria Beatriz de Magalhães, 31 anos, natural Real, S. Jeronimo, filha de Jose Peixoto de Magalhães e Dª Catherina Candida ‘com autorização e provisão de D. Manoel Martins Alves Novaes’, T. pelo noivo Manoel Vieira da Costa Gomes, pela noiva Candido Rodrigues, Lisboa, celebrou com minha autorização o Padre Jose Gonçalves Bertrão, abade de S. Nicolau, Porto)
- Faustino de Sousa Braga, 34 anos ‘viuvo de Joaquina de Oliveira Mendes’, marceneiro, S. Pedro de Este e morador S. João de Souto, Braga, filho de Manoel de Sousa Braga e Rosa Joaquina (casou em 2.3.1899, com Amelia da Conceição Barbosa e Castro, 28 anos ‘viuva de Henrique Dobles de Melo’, Aguas Santas, Lanhoso e moradora em S. Lucrecia de Algeriz, Braga, filha de Domingos Barbosa e Castro e Maria Josefa da Rocha ‘autorizado com provisão de D. Manoel Martins Alves Novais, Vigario Capitular’, T. pelo noivo Jose de Sousa Braga, pela noiva Maria da Luz Azevedo Braga, ambos de S. Lazaro, Braga, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- João Esteves ou João Luis Esteves, 44 anos ‘viuvo de Ana Maria de Oliveira’, S. Pedro de Este, filho de Costodio Jose Esteves e Narcisa Maria (casou em 5.3.1899, com Ana Costeira ou Ana Joaquina, 37 anos, solteira, moleira, natural de Adaufe e moradora em baixetes, Tenões, filha de Domingos Fernandes Costeira e Thereza Maria Soares ou Thereza Soares, T. Maria Costeira, solteira, Tenões e Ana Maria, solteira, S. Pedro de Este, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Antonio Ferreira, 27 anos, jornaleiro, natural S. Victor e morador em ruibanhos, Tenões, filho de João Ferreira e Maria Ferreira ou Maria da Silva (casou em 9.4.1899, com Thereza Maria, 21 anos, jornaleira, ruibanhos, Tenões, filha de Jose Antonio Machado e Ana Joaquina, T. Alberto de Jesus, solteiro, Tenões e João Rodrigues, S. Pedro de Este, celebrou o Padre Manoel Vilela Fernandes de Oliveira, paroco de Salvador de Nogueiro, com minha autorização)
- Jose Maria da Mota, 32 anos, S. Mamede de Vilarinho, Vila Verde e morador Adaufe, filho de Antonio Jose da Mota e Maria Rosa da Cunha (casou em 22.5.1899, com Francisca Fernandes, 30 anos, solteira, Adaufe, filha de Antonio Jose Fernandes e Francisca Fernandes ‘autorizado e com provisão do Vigario Capitular’, T. Francisco Marques, Antonio Jose Vieira, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Antonio Marques, 35 anos ‘viuvo de Thereza Maria Vieira de Alvim Boucela’, natural Ferreiros, Braga, filho de Manoel Marques e Luisa de Miranda (casou em 7.6.1899, com Rosa Gomes Dias, 35 anos ‘viuva de Antonio Jose Gomes’, natural S. Maria de Prado, moradora em Ferreiros, filha de Jose Dias e Thereza Maria Gomes ‘autorizado com provisão do Vigario Capitular’, T. pelo noivo Antonio Bento Vieira da Cruz, S. João do Souto, Braga e Maria Rosa Vieira, pela noiva Domingas Marques, solteira e João de Lima, S. João do Souto, Braga, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Francisco Marques, 39 anos, solteiro, proprietário, S. Pedro de Este, filho de Jose Joaquim Marques e Antonia Maria (casou em 21.6.1899, com Joaquina Rosa Machado, 59 anos ‘viuva de Antonio Jose Machado’, lavradeira cazeira, S. Maria de Bouro, Amares e moradora em S. Pedro de Este, filha de Francisco Jose Machado e Isabel Maria da Costa ‘autorizado com provisão do Vigario Capitular’, T. Manoel de Faria, Manoel Antunes Machado, ambos S. Pedro de Este, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Francisco Alves Ferreira da Silva Braga, 21 anos, Tenões, filho de João Baptista Alves e Josefa Maria (casou em 29.6.1899, com Maria da Conceição, 25 anos, tecedeira, Tenões, filha de Antonio Jose Nogueira e Mariana Thereza, T. Antonio Jose Nogueira, Francisco Jose Nogueira, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose Antonio da Costa, 24 anos, capitalista, natural vila de Barcelos, morador em Famalicão, filho natural de Ana Joaquina Gouveia (casou em 17.7.1899, com Dª Beatriz Amelia da Silva Araujo, 25 anos, S. Adrião, Famalicão, filha de Manoel Jose da Silva Araujo e Dª Sofia Amelia de Sousa Araujo [este assento ficou sem efeito, por o casamento ser adiado para 1.9.1899, autorizado e provisão do Vigario Capitular], T. do noivo Francisco Correia de Mesquita Guimarães, comerciante, pela noiva Jose Maranha Lopes Serra, professor do ensino livre, Famalicão [no 2º assento], T. Dª Maria Amelia de Sousa e Leopoldo Angelo da Silva Araujo, Famalicão, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Alfredo Dias Pereira, 27 anos, comerciante, natural Nª Sª da Vitoria, Porto e moradora na Se, Porto, filho de Joaquim Jose Dias Pereira e Dª Rita Augusta da Silva Couto (casou na Real Capela do Bom Jesus do Monte, em 2.12.1899, com Dª Elvira Dias Pereira, 27 anos, natural S. João de Souto, Braga, filha de Jose Joaquim Dias Pereira e Dª Thereza Angelina Monteiro ‘autorizado e provisão do Senhor Arcebispo’, T. do noivo Dª Rita Augusta da Silva Pereira, João Dias da Silva Couto, da noiva Dª Thereza de Jesus Pereira e Joaquim Jose Dias Pereira, celebrou de minha autorização o Padre Jose do Egipto Vieira, abade de S. João do Souto, Braga)
[Dissolvido por falecimento de Elvira Dias Pereira, em 20.6.1949, Bonfim, Porto, assento 599, 1ª conservatória do Porto]
- Antonio Joaquim da Cunha, 59 anos ‘viuvo de Rosa Maria Vieira’, proprietário, natural de Sobreposta e morador Tenões, filho de Manoel da Cunha e Maria Luisa (casou em 7.12.1899, com Maria Luisa, 40 anos, criada de servir, natural S. Maria de Moure, Lanhoso e moradora Tenões, filha natural de Josefa Vieira, T. Padre Jose Rodrigues, S. Pedro de Este e Francisco Jose Alves Ferreira da Silva Braga, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Alberto de Jesus exposto na roda de Braga, baptizado em Santiago da Cividade,35 anos, pedreiro, morador Tenões (casou em 11.12.1899, com Joaquina de Oliveira, 30 anos, moradora monte, Tenões, filha de Manoel Lopes de Oliveira e Luisa Maria, T. Francisco Jose Alves Ferreira da Silva Braga e Antonio de Oliveira, ambos de Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Francisco Barbosa, 24 anos, carpinteiro, venda, Tenões, filho de Francisco Barbosa e Francisca Thereza Rodrigues (casou em 31.12.1899, com Joaquina de Sousa, 29 anos, criada de servir, natural de S. Claudio, Geme, Vila Verde e moradora Tenões, filha de Manoel Joaquim de Barros e Maria Thereza de Sousa, T. Antonio Barbosa, solteiro e Francisco Barbosa, ambos carpinteiros, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Manoel Torres, 29 anos, artista, natural de Tenões, filho de Antonio Joaquim Torres e Maria da Luz, Tenões (casou em Espinho, S. Martinho, a 16.4.1900, com Ana Rosa da Silva, 20 anos, Espinho, filha de Manoel Jose Esteves, Espinho e Maria Joaquina da Silva, Sobreposta, T. Bernardo Jose Esteves, proprietario, igreja, Espinho, Antonio Joaquim Torres, artista, monte, Tenões, Padre Antonio Afonso Barral, paroco)
[Dissolvido por falecimento de Manoel Torres, em 23.3.1936, assento 261, de 28.7.1969]
- João Baptista Leite exposto na roda de Braga, 32 anos, solteiro, negociante, morador na Se, Porto ‘reputado como filho natural de João Baptista Leite e Rosa de Jesus Fernandes’ (casou em 22.4.1900, com Dª Maria do Rosario Leite de Magalhães, 22 anos, S. Maria de Lamaçães, filha de Jose Leite de Magalhães e Dª Marcelina Julia da Silva Lata ‘autorizado e provisão do Senhor Arcebispo’, T. pelo noivo Dª Rosa de Jesus Fernandes, viuva e Jose Saraiva, alferes reformado da Guarda Fiscal, Se, Porto, pela noiva Jose Leite de Magalhães, Dª Marcelina Julia da Silva Lata, Lamaçães, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de João Baptista Leite, em 13.8.1933, Boletim 63, de 19.7.1974]
- Torcato exposto roda de Guimarães, 28 anos, morador S. Vitor (casou em 16.6.1900, com Maria Jose Vieira, 20 anos, jornaleira, natural Salvador de Nogueiro e moradora em nogueiras, Tenões, filha de João Dias e Ana Maria Vieira ou Ana Vieira Dias, T. Antonio Dias, Jose Gomes, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Antonio Couto de Abreu, 20 anos ‘mãe, viuva, presente que deu consentimento’, chapeleiro, monte, Tenões, filho de João Couto de Abreu e Antonia de Jesus (casou em 19.6.1900, com Olivia da Costa, 22 anos, S. Cristina de Longos, Guimarães, moradora Tenões, filha de Manoel de Oliveira e Maria da Costa, T. Manol de Oliveira e Francisco Marques, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Henrique de Oliveira, 23 anos, alfaiate, Balazar, Guimarães e morador monte, Tenões, filho de Manoel de Oliveira e Maria da Costa (casou em 9.7.1900, com Elisa exposta, 21 anos, T. Manoel de Oliveira, alfaiate e Alberto de Jesus, pedreiro, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Manoel Alves de Araujo, 24 anos, Nogueira, filho de João Alves de Araujo, S. Salvador de Pedralva e Maria da Conceição, Nogueira (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 15.7.1900, com Maria de Jesus, 22 anos, Nogueira, filha de João Antonio Gonçalves, Refojos de Lima, Ponte de Lima e Maria Rosa de Jesus, S. Eulalia de Tenões, Braga, T. Antonio Rodrigues, castrador e Manoel Jose Pereira, solteiro, ambos Nogueira, Padre Jose Joaquim Pinto, abade)
- Bacharel Jose de Azevedo Fonseca e Moura, 25 anos, professor do Liceu Central de Braga, natural S. Victor, filho do Bacharel Jose Alves de Moura e Dª Emili da Costa Pedreira de Azevedo e Moura (casou em 9.8.1900, com Dª Adelaide Sofia Marques Ferreira Braga, 20 anos, natural de Santiago da Cividade e moradora em S. Victor, filha de Domingos Jose Ferreira Braga e Dª Adelaide Sofia Marques Braga ‘autorizado e provisão do Senhor Arcebispo de 7.8.1900’, T. pelo noivo Bacharel Jose Alves de Moura e Dª Emilia da Costa Pedreira de Azevedo e Moura, pela noiva Comendador Domingos Jose Ferreira Braga e Dª Francisca Nina Marques da Silva, todos S. Victor, celebrou com minha autorização o Padre Dr. Jose Joaquim Pereira dos Santos Mota, o Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Jose de Azevedo Fonseca e Moura, em 2.3.1951, S. Lazaro, Braga, assento 284]
- Braz Lata de Carvalho, 23 anos, negociante, S. Victor, morador em S. João do Souto, Braga, filho de Manoel Bento de Carvalho e Dª Maria Marcelina de Carvalho Lata (casou na Real Capela do Bom Jesus do Monte, em 18.8.1900, com Dª Maria da Conceição Vieira Gomes, 26 anos, S. Victor, moradora em S. Lazaro, Braga, filha Manoel Joaquim Gomes e Dª Maria Vieira da Silva Gomes ‘autorizado e provisão Senhor Arcebispo’, T. pelo noivo Dª Maria Marcelina do Carmo Lata e Manoel Bernardo de Carvalho, ambos de Braga, pela noiva Luisa Gomes de Matos, Porto e Comendador João Vieira da Silva, Lisboa, celebrou de minha autorização o Padre Jose do Egipto Vieira, abade de S. João do Souto, Braga)
- Jeronimo da Cunha, 25 anos, negociante, Tenões e morador em S. João do Souto, Braga, filho de Bernardo da Cunha e Antonia Maria (casou em 22.12.1900, com Dª Joana Elisa Morais Vidigal, 25 anos, professora oficial em Tenões, natural S. Pedro, Évora e moradora em Tenões, T. pelo noivo Antonia Maria, viuva, Manoel Jose Ferreira Gomes da Rocha, Tenões, pela noiva Flaviana Rosa Cardoso, Antonio Cardoso da Cunha, ambos solteiros, Braga, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Joana Elisa Morais Vidigal, em 4.1.1948, Cedofeita, Porto, 3ª conservatória, Porto, assento 7, de 6.1.1948]
- Manoel da Silva Gaio, 40 anos ‘viuvo de Dª Maria Miranda de Castro Silva Gaio’, Bacharel, natural de Se, Nova e morador S. Bartolomeo Coimbra, filho do Dr. Antonio de Oliveira da Silva Gaio e Dª Emilia Paredes da Silva Gaio (casou em 4.2.1901, com Dª Laura das Neves Vieira Braga, 25 anos, natural de Nª Sª da Vitoria, Porto e moradora em Se, Coimbra, filha de Manoel Joaquim Vieira e Dª Doroteia Neves Vieira Braga ‘autorizado e provisão do Senhor D. Deão, de 30.1.1901’, T. do noivo Eugenio de Castro Almeida, Fidalgo Cavaleiro da Casa Real e Manoel da Silva Gaio, empregado nas obras publicas, ambos Coimbra, pela noiva, Dª Cristina Rita Pereira de Lena, soleira, representada pela sua procuradora Dª Maria da Gloria Neves Vieira, solteira, Porto e Dª Maria Jardim Vieira Braga, Coimbra, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Manoel Ferreira, 23 anos, jornaleiro, Tenões, filho de João Ferreira e Maria da Silva (casou em 16.2.1901, com Maria da Graça, 20 anos, jornaleira, Tenões, filha de Antonio Dias e Thereza de Jesus, T. Antonio Jose Vieira, Tenões e Antonio Jose Ferreira, viuvo, Gualtar, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Amandio Casimiro da Costa, 21 anos, natural Se, Porto e morador na rua S. Ildefonso, Porto, filho de Antonio Casimiro da Costa e Dª Maria do Espirito Santo ou Dª Maria do Espirito Santo Costa (casou em 17.3.1901, com Dª Aurora Lopes de Oliveira, 17 anos ‘mãe, viuva, presente que deu consentimento’, natural S. Jose de S. Lazaro, Braga e moradora em Se, Porto, filha de João Jose Lopes de Oliveira e Dª Maria Isabel Alves ‘autorizado e provis-ao do Senhor Arcebispo de 14.3.1901’, T. pelo noivo Antonio Casimiro da Costa e Dª Maria do Espirito Santo Costa, casados, pela noiva Manoel Casimiro da Costa e Dª Maria Isabel Alves, viuva, ambos Braga, celebrou de minha autorização o Padre Jose do Egipto Vieira, abade de S. João do Souto, Braga)
[Dissolvido por falecimento de Amandio Casimiro da Costa, as 01H00, dia 16.12.1963, em Vilar do Paraiso, Vila Nova de Gaia, Boletim 1238, de 23.12.1963]
- Bento Pereira, 24 anos, filho de Jose Manoel Fortunato Pereira, Tenões e Maria Joana, Gualtar (casou em Gualtar, S. Miguel, a 20.3.1901, com Maria Luisa, 18 anos, filha de Manoel Jose Veiga, falecido, Gualtar e Maria Thereza, S. Victor, Braga ‘presente que deu consentimento’, T. João Pereira, proprietario, S. Mamede de Este, Domingos Pereira, cazeiro, Gualtar, Padre Jose Joaquim de Carvalho, abade)
- Manoel da Costa, 40 anos, jornaleiro, S. Victor, filho de Crispiano Rodrigues e Francisca Maria (casou em 14.4.1901, com Costodia Gomes, 25 anos, Tenões, filha de João da Costa e Thereza Gomes, T. Jose da Costa e João da Costa, casados, lavradores cazeiros, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Amadeu Vieira Gomes, 24 anos, industrial, S. Jose de S. Lazaro, Braga, filho de Manoel Joaquim Gomes, S. Cristina de Longos, Guimarães e Dª Maria Vieira da Silva Gomes, Rio Grande do Sul, Brasil (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, em 18.4.1901, com Dª Laura Arantes de Freitas Braga, 22 anos, S. Victor, filha de Francisco Jose de Freitas Braga, S. Pedro de Barreiros, Amares e Dª Maria das Dores Arantes Braga, S. Victor ‘autorizado e provisão do Senhor Arcebispo de 1.4.1901, T. Adolfo Ribeiro da Cruz, comerciante, Belem, Grão-Pará, Brasil, representado pelo seu procurador Dr. Joaquim Arantes Pereira, Porto, Alfredo Vieira Gomes, industrial, Braga, celebrou de minha autorização o Padre Jose Raimundo Alves de Araujo, capelão do Real Santuario, o Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Laura Arantes de Freitas Braga, em 15.6.1957, em S. Victor, assento 463]
- Verissimo, 23 anos, chapeleiro, natural S. Eulalia de Tenões, filho de Jose Mendes, S. João de Souto, Braga e Rosa Gomes, S. Martinho de Dume (casou em Gualtar, S. Miguel, a 18.5.1901, com Ana Maria, 26 anos, tecedeira, filha natural de Joana Thereza Ferreira, S, Ana de Vimieiro, Braga, T. Antonio Ferreira, pedreiro, Antonio Maria da Silva, jornaleiro, ambos Gualtar, Padre Jose Joaquim de Carvalho, abade)
[Dissolvido por falecimento de Ana Maria, em 2.10.1959]
- Casimiro Julio de Sousa, 23 anos, negociante, natural de S. Maria de Murça, bispado Lamego e morador em S. João de Souto, Braga, filho de Guilherme Jose de Sousa e Maria do Carmo Enes de Sousa (casou em 25.8.1901, com Maria de Araujo Ferreira, 25 anos, Tenões, filha de Manoel Jose Ferreira e Costodia Maria da Costa, T. pelo noivo Alvaro Augusto Ferreira Pipa e Dª Maria de Sousa Taxa, ambos Braga, pela noiva Jose Costodio Ferreira Braga, viuvo e Ana de Araujo Ferreira, solteira, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose Maria da Silva Taxa, 22 anos, empregado comercial, S. Victor, filho de Antonio Jose Fernandes da Silva Braga e Thereza Augusta da Silva Taxa (casou em 23.9.1901, com Dª Marcelina Rosa Leite de Magalhães, 21 anos, Lamaçães, filha de Jose Leite de Magalhães, falecido e Dª Marcelina Julia da Silva Lata ‘autorizado e provisão do Senhor Arcebispo de 20.9.1901’, T. Padre Jose Rodrigues, S. Pedro de Este, Antonio Jose Leite de Magalhães, Lamaçães, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Jose Maria da Silva Taxa, em 11.1.1914, assento 44, de 13.6.1970]
- João Carlos Rodrigues de Azevedo, Bacharel em medicina, 27 anos, natural Dornelas, Amares e morador em S. Victor, filho de Jose Carlos Pereira de Sousa Azevedo e Dª Maria Angelina Rodrigues de Oliveira (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, em 31.10.1901, com Dª Avelina Amelia da Cruz Fernandes, 16 anos ‘autorizada pelo juiz de direito’, natural Se, Para, Brasil e moradora em S. Lazaro, Braga, filha de Agostinho Jose Fernandes e Dª Amelia Augusta da Cruz Fernandes [assento anulado e adiado para 9.11.1901 – autorizado e provisão do Senhor Monsenhor D. Manoel Martins Alves Novais, Vigario Geral de 30.10.1901], T. pelo noivo Francisco Carlos Rodrigues de Azevedo e Dª Maria Rosa Rodrigues de Azevedo Nogueira, pela noiva, Adolfo Ribeiro da Cruz e Dª Maria Arantes de Freitas Cruz, celebrou o Padre Francisco Jose Pereira, capelão mor do Real Santuario)
[Dissolvido por falecimento de João Carlos Rodrigues de Azevedo, em 7.12.1948, S. Victor, assento 1001]
- Francisco de Sousa, 20 anos ‘tinha pai presente, que deu consentimento’, ferreiro, natural de S. Jose de S. Lazaro e morador em Tenões, filho de Antonio Jose de Sousa, Maximinos e Mariana da Costa, Palmeira (casou em Gualtar, S. Miguel, a 24.11.1901, com Maria, 22 anos, tecedeira, natural de Tenões e moradora Gualtar, filha de Jose Rodrigues Ferreira, Tenões e Rosa Maria Costeira, Adaufe, T. Manoel Joaquim dos Santos, Ana dos Santos, proprietarios, Gualtar, Padre Jose Joaquim de Carvalho, abade)
- Antonio Agostinho Morão de Campos, 31 anos, medico naval, natural da vila de Sabugal, Guarda, filho de Jose Morão de Campos e Dª Candida Henriques de Campos (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 3.2.1902, com Dª Maria dos Prazeres Vessadas Salazar, 17 anos ‘mãe, viuva, presente que deu consentimento’, natural de S. Andre de Barcelinhos, moradora em S. Maria Maior, Barcelos, filha de Dr. Eduardo da Silva Salazar e Dª Carlota Adelaide Teixeira do Vale Vessadas ‘com provisão do Senhor Arcebispo de 28.1.1902’, T. pelo noivo Francisco de Sousa da Silva Alcoforado e Dª Francisca de Sousa da Silva Alcoforado, pela noiva Dr. Jose Nunes da Silva e Dª Carlota Adelaide Teixeira do Vale Vessadas Salazar, celebrou o Padre Luis Gomes da Silva, de minha autorização, Padre Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Anulado, por transcrição em 26.3.1930]
- Antonio Lopes, 25 anos, criado de servir, natural S. Martinho de Travassos, Lanhoso, filho de Miguel Antonio Lopes e Maria Joana da Cunha (casou em 1.11.1902, com Costodia Maria da Mota, 21 anos, natural S. Pedro de Este, filha de Antonio da Mota e Thereza Maria ou Thereza Maria da Silva, T. Antonio Joaquim Torres, Antonio da Mota, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose da Costa, 36 anos, solteiro, pedreiro, solteiro, S. Eulalia de Tenões, onde casaram, filho de João da Costa, S. Victor e Maria da Conceição, Tenões (casou em Lamaçães, S. Maria, a 24.11.1902, com Maria das Neves, 28 anos, tecedeira, Lamaçães, filha de João Luis Martins, Palmeira e Joaquina Candida, Lamaçães, T. Costodio Fernandes Gabriel, pedreiro e Jeronimo Jose de Lima, proprietario, outeiral, Lamaçães, Padre Antonio Jose Taveira, abade
- Artur Cardoso Pinto Arozio, 33 anos, solteiro, natural Nª Sª da Graça, cidade da Praia, Cabo Verde, morador em S. João da Ribeira, Braga, filho de Dr. Augusto Carlos Cardoso Pinto Arozio e Dª Amecia Felgueira Arozio (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 27.12.1902, com Dª Maria Amalia de Sousa Machado, 23 anos, natural Santiago da Se, Braga, filha de João Maria de Sousa Machado Maia e Dª Ana Amalia do Vale Campos ‘com provisão de Monsenho D. Manoel Martins Alves Novais, Deão da Se Primaz e Vigario Geral, de 13.11.1902’, T. do noivo: Conselheiro Augusto Carlos Cardoso Pinto Arozio, representado pelo seu procurador Jose Simplicio Cardoso Pinto Arozio e Dª Umbelina Cardoso Pinto Arozio ‘ambos de Ponte de Lima’, representada pela sua procuradora Dª Emilia de Matos de Sousa Machado, Braga, pela noiva: João Maria de Sousa Machado Maia e Dª Ana Amalia do Vale Campos Barreto, ambos Braga, celebrou o Padre Francisco Jose Pereira, capelão mor do Real Santuario)
[Transcrito no livro 21, de 1920, 27.10.1933]
- Bento Jose Rodrigues, natural de S. Mamede de Este, filho de Jose Rodrigues e Maria Joaquina Vieira (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 1862 ou 1863, com Maria Viera ou Maria Thereza Vieira, Oliveira, Lanhoso, filha do Dr. João Baptista Vieira e Mariana Rosa Vieira, com a presença do então caelão mor do Real Santuario, ‘justificação de casamento, por determinação do Senhor Arcebispo de 22.4.1903, em 26.4.1903, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Randolpho Valentim Gomes Gandra, 24 anos, capitalista, natural de Nª Sª da Conceição do Engenho Novo, Rio de Janeiro, morador em S. Victor, filho de Bento Antonio Gandra e Dª Amelia Augusta Adelaide Gomes Gandra (casou em 27.6.1903, com Dª Gabriel Augusta Nunes, 21 anos, natural Nª Sª da Conceição do Baraçal, Guarda e moradora em S. Victor, Braga, filha de Francisco Xavier Nunes e Estefania Augusta ‘com provisão do Senhor Arcebispo de 3.6.1903’, T. Dª Aurora Gomes Gandra dos Santos, Antonio Jose dos Santos, capitalistas, campo de S. Ana, S. Lazaro, Francisco Antonio dos Santos, solteiro, S. Lazaro e Antonio Bento Vieira da Cruz, S. João do Souto, todos comerciantes de Braga, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Bernardo Joaquim da Cruz, 22 anos, negociante, S. Pedro de Este, filho de Jose Joaquim da Cruz e Ana Rita (casou na capela do Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 27.7.1903, com Maria da Apresentação Araujo, 26 anos, empregada comercial, natural de Santiago da Cividade e moradora em S. Victor, filha natural de Gestrudes Maria ‘com provisão do Senhor Arcebispo de 24.7.1903’, T. João Jose Ferreira, solteiro, escrivão de direito e Bernardo Joaquim Fernandes da Cruz, proprietário, ambos de Braga, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Domingos Pereira, 23 anos, Gualtar, filho de Jose Fortunato Pereira, Tenões e Maria Joana, Gualtar (casou em Gualtar, S. Miguel, a 23.8.1903, com Ermelina Ribeiro da Silva, 21 anos, costureira, Gualtar, filha de João Baptista da Silva, Gualtar e Maria da Luz Ribeiro da Silva, Ferreiros, Amares, T. Domingos Alves, surrador, Arcela, Antonio de Oliveira, chapeleiro, lage, Gualtar, Padre Jose Joaquim de Carvalho, abade)
- Manoel Jose Nogueira, 21 anos, sapateiro, Tenões, filho de Francisco Jose Nogueira e Maria da Conceição, Tenões (casou em Gualtar, S. Miguel, a 29.8.1903, com Ana de Sousa, 19 anos ‘pai presente’, costureira, Gualtar, filha de Manoel de Faria, Gualtar e Maria Rosa, S. Maria de Bouro, Amares, T. Antonio Joaquim de Sousa, Antonio de Sousa, lavradores, mourisca, Gualtar, celebrou com minha autorização o Padre Jose Rodrigues)
- Antonio Barbosa, 27 anos, jornaleiro, Lamaçães, filho de Francisco Barbosa e Maria da Conceição, Lamaçães (casou em Gualtar, S. Miguel, a 12.9.1903, com Rosa, 22 anos, tecedeira, Tenões e moradora Gualtar, filha de Manoel da Silva, Soutelo, Vila Verde e Maria da Graça, Tenões, T. Antonia Maria Ferreira, criada de servir, Ana Rosa Vieira, tecedeira, ambas igreja, Gualtar, Padre Jose Joaquim de Carvalho, abade)
[Dissolvido por falecimento de Rosa, em 18.8.1952, em Tenões]
- Manoel Jose Leite de Magalhães, 21 anos, proprietário, Lamaçães, filho de Jose Leite de Magalhães e Dª Marcelina Julia da Silva Lata (casou em 3.10.1903, com Dª Emilia Augusta Alves Passos Esmeriz, 26 anos, natural S. Victor, filha de Jose Maria da Torre Araujo Esmeriz e Dª Ana Augusta Alves Passos ‘com provisão do Senhor Arcebispo de 30.9.1903’, T. Dª Ana Augusta Alves Passos Esmeriz, viuva e Artur Alves Passos Esmeriz, ambos S. Victor, Braga, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose Rodrigues, 23 anos, caiador, Salvador de Dadim e Nogueiro, filho de Manoel Rodrigues e Rosa da Silva (casou em 29.11.1903, com Joaquina da Cunha, 23 anos, Tenões, filha de Bernardo da Cunha e Antonia Maria, T. João Lopes dos Santos, Nogueiro e Faviana Rosa, solteira, S. João do Souto, Braga, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Jose Rodrigues, em 23.4.1951, em Nogueiro, assento 510]
- Francisco Manoel, 28 anos, jornaleiro, Santiago de Lanhoso, morador Tenões, filho de João Baptista Peixoto e Thereza de Jesus (casou em 11.12.1903, com Lucinda de Jesus exposta na roda do Porto, 33 anos, criada de servir, moradora em S. João de Guilhufe, Penafiel, Porto, T. Bernardo Jose de Oliveira e sua mulher Luisa Maria da Costa, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose de Carvalho, 22 anos, lavrador cazeiro, calçada, Tenões, filho de Joaquim Carvalho e Antonia Joaquina (casou em 28.1.1904, com Ana das Maravilhas, 23 anos, criada de servir, natural S. Victor e moradora em Tenões, filha de Manoel da Silva e Maria das Maravilhas, T. João Lopes Viola, carpinteiro e Joaquim exposto, jornaleiro, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Costodio Rodrigues, 23 anos, pedreiro, Tenões e morador Gualtar, filho de Jose Rodrigues Ferreira, Tenões e Rosa Maria Costeira, Adaufe (casou em Gualtar, S. Miguel, a 28.2.1904, com Isabel Maria, 22 anos, tecedeira, Gualtar, filha de Antonio Vieira Soares Junior, Gualtar e Ana Maria Vieira, Lamaçães, T. Antonia Maria Ferreira, criada de servir, Ana Rosa Pinheiro, tecedeira, ambas igreja, Gualtar, Padre Jose Joaquim de Carvalho, abade)
- Costodio Rodrigues, 23 anos, pedreiro, Tenões e morador Gualtar, filho de Jose Rodrigues Ferreira, Tenões e Rosa Maria Costeira, Adaufe (casou em Gualtar, S. Miguel, a 28.2.1904, com Isabel Maria, 22 anos, tecedeira, Gualtar, filha de Antonio Vieira Soares Junior, Gualtar e Ana Maria Vieira, Lamaçães, T. Antonia Maria Ferreira, criada de servir, Ana Rosa Pinheiro, tecedeira, ambas igreja, Gualtar, Padre Jose Joaquim de Carvalho, abade)
- Antonio Luis Machado, 22 anos, jornaleiro, Gualtar, filho de Domingos Jose Machado e Ana Maria, Gualtar (casou em Gualtar, S. Miguel, a 9.4.1904, com Maria Rosa Rodrigues, 24 anos, lavrador, Tenões e moradora Gualtar, filha de Antonio Rodrigues, Tenões e Maria Antonia, S. Victor, T. Antonio Jose Machado, Manoel Jose Machado, cazeiros, lage, Gualtar, Padre Jose Joaquim de Carvalho, abade)
- Joaquim Gomes de Matos, 32 anos, cirurgião dentista, natural S. João do Souto, Braga e morador em S. Ildefonso, Porto, filho de Francisco Baptista de Matos e Dª Luisa Maria Gomes de Matos (no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, com dispensa de serem parentes em 2º de consanguinidade em 7.4.1904, casou em 14.4.1904, com Dª Maria Alberta Vieira Gomes, 22 anos, proprietária, S. Jose de S. Lazaro, Braga, filha de Manoel Joaquim Gomes e Dª Maria Vieira da Silva Gomes ‘com provisão do Senhor Arcebispo de 9.4.1904’, T. pelo noivo: Francisco Baptista de Matos e Dª Luisa Maria Gomes de Matos, capitalistas, rua do Bomjardim, Porto, pela noiva: Alfredo Vieira Gomes, negociante e Dª Maria Vieira Gomes, ambos de Braga, celebrou de minha autorização o Padre Jose do Egipto Vieira, abade de S. João do Souto, Braga)
- Domingos de Oliveira, 25 anos, lavrador, natural de Salvador de Dadim e Nogueiro e morador em Tenões, filho de Jose de Oliveira e Ludovina da Silva (casou em 20.4.1904, com Maria Luisa, 64 anos, solteira, proprietária, Tenões, filha de Domingos Francisco e Isabel Maria, T. João de Oliveira, solteiro, Nogueiro, Joaquim exposto, jornaleiro, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Francisco Rebelo da Silva, 22 anos, artista de carpinteiro, natural de Lago e morador Lamaçães, filho de Antonio Joaquim Rebelo e Maria de Jesus Almeida, S. Martinho de Lago, Amares (casou em Lamaçães, S. Maria, a 5.5.1904, com Mariana Alves, 22 anos, tecedeira, Tenões, filha de Antonio Afonso e Maria Joaquina Alves, S. Eulalia de Tenões, T. Jose Luis Martins, serrador e Gaspar da Silva, solteiro, pedreiro, ambos Lamaçães, Padre Antonio Jose Taveira, abade
- Albino Joaquim Peixoto, 26 anos, capitalista, natural de Rendufe, Amares, filho de Antonio Jose Peixoto e Thereza Maria Vieira (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 19.5.1904, com Dª Martinha Augusto de Oliveira Padua, 24 anos, proprietaria, natural de S. Pedro de Alcantara de Simão Pereira, Minas Gerais, Brasil, filha de Antonio Jose Fernandes Padua e Dª Anceria Augusto de Oliveira Padua ‘com provisão do Senhor Arcebispo de 17.5.1904’, T. pelo noivo: Antonio Jose Fernandes Padua, viuvo, proprietario e Dª Corina Augusto de Olieira Padua, solteira, ambos de Turiz, Vila Verde, pela noiva: Dª Maria de Assumpção Sampaio, viuva, S. João do Souto, Braga, celebrou o Padre Jose Narciso Leite Melo de Vasconcelos, abade de S. Maria de Turiz)
- Domingos Jose Ferreira, 41 anos, viuvo de Maria das Maravilhas, cazeira, Gualtar, falecida em Tenões, morador Tenões, filho de Antonio Jose Ferreira e Maria da Graça, S. Victor (casou em Gualtar, S. Miguel, a 2.6.1904, com Antonia Machado, 28 anos, Gualtar, filha de Domingos Jose Machado e Ana Maria, Gualtar, T. Antonio Jose Machado, Manoel Jose Machado, cazeiros, lage, Gualtar, Padre Jose Joaquim de Carvalho, abade)
- Artur Bivar, 22 anos, Doutor em Filosofia, natural de S. Bartolomeo, Evora e morador em S. Ildefonso, Porto, filho de Jose Manoel Bivar Xavier e Dª Filomena Augusta Correia Fresco (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 14.6.1904, com Dª Isabel Inocencia Dias, 33 anos, capitalista, natural de S. Sebastião das Carreiras, Portalegre, filha de João Evangelista Dias e Joana Rosa Machado ‘com provisão do Senhor Arcebispo, de 14.6.1904’, T. pelo noivo: Excelentissimos Viscondes de S. João da Pesqueira, proprietários, Porto, pela noiva: D. Maria Natividade da Costa Alves Pereira de Assis e Luiz Gonzaga de Assis Teixeira de Magalhães, juiz de direito, Ponte da Barca, celebrou o Padre Dr. Agostinho de Jesus e Sousa, professor do Seminario Conceiliar, com minha autorização)
[Dissolvido pelo falecimento de Artur Bivar, as 08H00, dia 15.7.1946, Lapa, Lisboa, Boletim 291, de 26.3.1963, remetida certidão conservatória de Vila Viçosa, Portalegre]
- Alfredo Augusto de Barros Pereira, 27 anos, capitalista, natural de S. Maria de Almacave, Lamego e morador Foz do Douro, Porto, filho de Jose Augusto Vaz Pereira e Dª Maria Candida Baptista de Barros (casou m 13.8.1904, com Dª Emilia dos Santos Caria, 24 anos, capitalista, natural de Penhancos, Coimbra e moradora em S. Nicolau, Porto, filha de Manoel Rodrigues de Figueiredo e Dª Ana dos Santos Caria ‘com provisão de Monsenho D. Deão, de 13.8.1904’, T. Francisco dos Santos Caria e Artur Peça de Carvalho, ambos Braga, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Boletim 308 e 309, remetidos a conservatória de Lamego e Seia]
- Antonio Vitoriano da Silva, 40 anos ‘viuvo de Maria das Dores’, jornaleiro, natural de Gualtar, filho de Jose Vitoriano da Silva e Antonia Rosa (casou em 10.9.1904, com Joaquina Rosa, 46 anos, solteira, proprietaria, Tenões, filha de Francisco Coelho e Rosa Joaquina, T. Francisco Alves Ferreira da Silva Braga e Jose Lopes Coelho, solteiro, ambos chapeleiros, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Domingos de Carvalho Campos, 50 anos, solteiro, capitalista, natural de S. Maria de Borbela, Vila Real, filho de Jose de Carvalho e Maria das Dores (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 14.12.1904, com Dª Thereza de Jesus de Sousa, 31 anos, solteira, proprietaria, S. João de Coucieiro, moradora em S. Victor, filha de Vitorino Jose de Sousa e Dª Maria Rosa de Matos ou Dª Maria Rosa de Matos Mouta Pimentel e Sousa ‘com provisão do Senhor Arcebispo de 9.12.1904’, T. Jose de Carvalho Barcelos, capitalista, Porto e Avelino Augusto de Sousa, proprietario, S. Victor, Braga, celebrou de minha autorização o Padre Antonio Francisco de Freitas Sousa e Brito, paroco de Coucieiro)
- Antonio Jose Machado, 22 anos, natural Tenões, filho de Jose Antonio Machado, Salvador de Nogueiró e Ana Joaquina, S. Eulalia de Tenões (casou em Gualtar, S. Miguel, a 29.1.1905, com Rosa Pinheiro, 23 anos, Gualtar, filha de Jose Pinheiro, Gualtar e Engracia Maria, Aguas Santas, Lanhoso, T. Antonio Antunes, jornaleiro, Lage, Costodio Veiga, lavrador, Barros, ambos Gualtar, Padre Jose Joaquim de Carvalho, abade)
[Dissolvido por falecimento de Antonio Jose Machado, em 28.3.1953, Espinho, Braga]
- Antonio Calheiros de Barros Leitão, 25 anos, proprietario, natural de S. João do Souto e morador em S. Victor, filho de Nicolau Joaquim Leitão de Carvalho de Sousa Barros e Dª Ana Adelaide Fernandes Calheiros (com dispensa por serem parentes em 3º de consanguinidade em 16.7.1904, casou em 22.2.1905, com Dª Ana Julia de Magalhães Almeida, 18 anos, proprietaria, natural Santiago de vila de Torres Novas e moradora em S. Senhorinha de Basto, filha do Dr. Severino Joaquim de Magalhães e Almeida e Dª Rosa Candida Pinto das Dores Machado ‘com provisão do Senhor Arcebispo de 16.2.1905’, T. pelo noivo: Nicolau Joaquim Leitão de Carvalho de Sousa Barros e Dª Ana Adelina Fernandes Calheiros, pela noiva: Dr. Severino Joaquim de Magalhães e Almeida e Dª Maria Engracia de Magalhães e Almeida, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose de Oliveira, 23 anos, artista, natural de Ferreiros, Baga e morador em Gualtar, filho de João Manoel de Oliveira e Joana Maria (casou em 26.2.1905, com Maria do Rosario, 21 anos, jornaleira, baptizada em S. Pedro de Merelim e natural da vila de Santo Tirso, filha natural de Maria Fernandes, T. Francisco Marques, chapeleiro e sua mulher Julia Maria, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Jose de Oliveira, em 9.2.1957, S. Pedro de Este, assento 141]
- Antonio da Costa, 29 anos, balinazeiro, Adaufe, filho de Manoel da Costa e Maria Rosa ou Josefa Dias (casou em 4.3.1905, com Maria Jose da Cunha, 32 anos ‘viuva de Jeronimo Baptista’, filha de Bernardo da Cunha e Antonia Maria Cardoso, T. Jose Rodrigues, tecelão, Tenões e Antonio Cardoso da Cunha, solteiro, comerciante, S. Victor, Braga, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Antonio da Costa, em 12.1.1950, em Gualtar, assento 61]
- Antonio Pereira, 40 anos ‘viuvo de Rosa Maria’, S. João de Souto, jornaleiro, morador em Tenões, filho de Constantino Pereira e Maria do Carmo (casou em 4.3.1905, com Maria Joaquina Alves, 48 anos ‘viuva de Pedro Maria exposto’, proprietaria, Pedralva, Braga, filha de João Alves e Maria Rosa Alves, T. João Lopes Viola, carpinteiro, Tenões e Maria Rosa Vieira, jornaleira, Pedralva, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Domingos Gonçalves Palha, 26 anos, industrial, S. Victor, morador S. João de Souto, Braga, filho de Domingos Gonçalves Braga ou Domingos Gonçalves Palha e Maria Candida ou Maria Candida Gonçalves Palha (casou em 6.5.1905, com Dª Ernestina Ramalhoza de Sousa, 16 anos ‘mãe, viuva, presente que deu consentimento’, proprietaria, natural de S. Pedro de Seixas ‘Caminha’ e morador em S. Pedro de Gondomar, filha de Francisco Manoel de Sousa Seixas e Carolina Ramalhoza de Sousa ‘com provisão do Deão, Vigario Capitular, de 4.5.1905’, T. pelo noivo: Maria Candida Gonçalves Palha, viuva, industrial e João Gonçalves Palha, industrial, ambos S. João de Souto, Braga, pela noiva: Carolina Ramalhoza Sousa, viuva e Manoel Antonio Esteves, negociante, Braga, celebrou de minha autorização o Padre Jose do Egipto Vieira, abade de S. João de Souto, Braga)
[Dissolvido por falecimento de Domingos Gonçalves Palha, em 30.10.1955, Campo Grande, Lisboa, assento 1309, 3ª conservatória, de 4.11.1955 – remetido Boletim 338, Caminha]
- João Fernandes Dias, 22 anos, natural Adaufe, filho de Antonio Jose Fernandes Dias e Thereza Alves (casou em 10.5.1905, com Thereza Dias, 16 anos ‘pai presente’, natural Adaufe, filha de Aleixo Fernandes e Rosa Dias ‘com provisão do D. Deão, em 5.5.1905’, T. Antonio Jose Fernandes Dias, Adaufe e Antonio Dias, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Paulino Pinto Coelho, 31 anos, natural de S. Martinho de Mozelos, Feira, Porto e morador em Nª Sª da Conceição Povoa de Varzim, filho de Jose Pinto Coelho e Dª Maria Pereira de Oliveira (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 10.5.1905, com Dª Julia Augusta Veiga Leite, 24 anos, capitalista, natural S. Martinho de Penafiel, Porto, filha de Antonio Alberto da Veiga Leite e Dª Maria Celeste da Veiga Leite ‘com provisão de D. Manoel Martins Alves Novais, Vigario Geral, de 6.5.1905’, T. pelo noivo: Dr. Joaquim Pinto Coelho e sua mulher Dª Maria Paiva Pinto Coelho, Espinho, pela noiva: Dr. Jose Augusto de Lemos Peixoto e sua mulher Dª Maria Augusta Vieira Peixoto, Porto, celebrou o cónego Jose Augusto da Costa e Melo, capelão efectivo de Suas Magestades e Altezas, por delegação do reverendo capelão mor Padre Francisco Jose Pereira, do Real Santuario)
- Jose da Silva, 23 anos, moleiro, natural S. Eulalia de Tenões e morador Este, S. Pedro, filho de Antonio da Silva e Balbina Alves, Este, S. Pedro (casou em Este, S. Mamede, a 28.5.1905, com Maria da Conceição da Costa, 19 anos ‘com a presença do pai, que autorizou’, filha de Jose da Costa, Este, S. Mamede e Mariana Thereza, S. Martinho de Ruivães, Vieira, T. Joaquim da Silva, viuvo, moleiro e Francisco Fernandes, proprietario, Padre Jose Coelho dos Santos, paroco colado)
[Dissolvido por falecimento de Jose da Silva, em 13.6.1956, Este, S. Mamede]
- Candido Jose Alves Larangeira, 24 anos, natural de S. Pedro de Cerva, proprietario, filho de Delfim Jose Alves Larangeira e Rosa de Jesus Pereira Magalhães (casou com dispensa por serem parentes em 3º e 4º de consanguinidade, em 2.5.1905, em 28.6.1905, com Dª Lucinda Pereira de Magalhães e Almeida, 17 anos ‘pai presente’, natural de S. Martinho de Arco de Baulhe, filha de Justino Gonçalves Pereira e Sousa e Dª Clementina Candida de Magalhães e Almeida ‘com provisão do Senhor Deão de 20.5.1905’, T. Nicolau Joaquim Leitão de Carvalho de Sousa Barros, capitalista, Braga e Antonio Joaquim da Cunha, proprietario, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Francisco Alves da Mota, 24 anos, S. Victor, filho de Domingos Alves da Mota e Josefa Maria Lopes (casou em 15.10.1905, com Joaquina Rosa Machado, 23 anos, Tenões, filha de Antonio Rodrigues da Silva e Rosa de Jesus Machado, T. Antonio Rodrigues da Silva e Manoel de Faria, jornaleiros, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Antonio de Sousa Guedes Cardoso Machado, aspirante do exercito, natural S. Ildefonso, Porto, filho de Luis de Sousa Pinto Cardoso Machado e Dª Maria Jose de Sousa Guedes Cardoso Machado (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 30.10.1905, com Dª Laura da Silva Duarte, 28 anos, capitalista, natural S. Maria Maior, Barcelos, moradora em S. Jeronimo de Real, Braga, filha de Francisco Fernandes Duarte e Dª Maria das Dores da Silva Duarte, T. pelo noivo: Dª Julia de Sousa Guedes Cardoso Machado, viuva, Porto, Miguel de Sousa Guedes, solteiro, Foz do Douro, representado pelo seu procurador Miguel de Sousa Guedes Machado, solteiro, Porto, pela noiva: Dª Maria das Dores da Silva Duarte, viuva, Jose Maria Ferreira da Silva, viuvo, S. Jeronimo de Real, celebrou o Padre Dr. Luis da Cunha Brandão, Desembargador da Relação Eclisiastico de Braga, com autorização do Padre Francisco Jose Pereira, capelão mor do Real Santuario)
[Dissolvido por falecimento de Antonio de Sousa Guedes Cardoso Machado, em 3.8.1964, em Cedofeita, Porto, Boletim 373, de 20.8.1964 – Boletim 301 e 502, para conservatória do Porto e Barcelos]
- Antonio Dias, 50 anos ‘viuvo de Thereza de Jesus’, proprietario, Tenões, filho de João Miguel Dias e Mariana Thereza (casou em 3.3.1906, com Costodia Maria Marques, 55 anos, Salvador de Balazar, Guimarães, moradora em Salvador Nogueiro, filha de Antonio de Araujo e Maria Rosa, T. João Lopes Viola, carpinteiro e Domingos de Oliveira, proprietario, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Francisco Fernandes Costeira, 32 anos, solteiro, moleiro, natural Tenões, filho de Domingos Fernandes Costeira e Thereza Maria Soares, Tenões (casou em Gualtar, S. Miguel, a 17.3.1906, com Maria Thereza Pinheiro, 31 anos, viuva de João Francisco de Oliveira, Gualtar, T. Antonio Ferreira, casado e Manoel da Silva, solteiro, Gualtar, Padre Manoel Jose Dias de Araujo, abade)
[Dissolvido por falecimento de Francisco Fernandes Costeira, em 13.7.1948, S. João de Souto, Braga]
- Manoel Jose da Mota ou Manoel Jose Alves, 23 anos ‘viuvo de Ana Lopes’, jornaleiro, S. Victor, morador S. Lazaro, filho de Domingos Jose Alves e Josefa Maria (com em 16.4.1906, com Maria Ferreira, 19 anos ‘pai presente’, natural de Gualtar, moradora Tenões, filha de Costodio Jose Ferreira e Maria Pereira, T. Manoel da Silva, jornaleiro e Antonio Ferreira, lavradeira, Gualtar, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose Lopes, 24 anos, sapateiro, Tenões, filho de Antonio Jose Lopes e Thereza de Jesus (casou em 21.4.1906, com Thereza Pereira Barbosa, 20 anos ‘mãe, viuva, presente que deu consentimento’, tecedeira, Tenões, filha de Jose Barbosa e Rosa Fernandes Pereira, T. Padre Antonio Joaquim de Araujo Franqueira, paroco de Nogueiro e Jose Evaristo, diácono, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Jose Lopes, em 27.11.1944, em S. João de Souto, Braga, assento 1330, de 5.11.1965]
- Antonio Jose ou Antonio Soares Rodrigues, 24 anos, proprietario, Sampaio de Vila Verde, filho de Lourenço Soares Rodrigues e Dª Costodia Maria Esteves Rodrigues (casou em 20.6.1906, com Dª Maria Elisa da Graça Pereira, 29 anos, proprietaria, S. João do Souto, Braga, filha de Antonio Jose Pereira e Dª Costodia da Graça Peixoto ‘segundo provisão do D. Deão, Vigario Geral de 6.6.1906’, T. do noivo: Dr. Adelino Soares Rodrigues, S. João do Souto e Dª Beatriz Soares de Faria, Sampaio de Vila Verde, da noiva: Antonio Jose Pereira e sua mulher Dª Costodia da Graça Pereira, moradores no campo D. Luis I, Braga, celebrou com minha autorização o Padre Antonio Maria Fernandes, capelão do Asilo da Mendicidade de Braga)
[Dissolvido por falecimento de Antonio Soares Rodrigues, em 14.2.1953, Cedofeita, 3ª conservatória do Porto, assento 253, de 192.1953]
- Joaquim Pereira Aranha ‘viuvo de Rosa Pereira’, proprietario, S. Marinha de Prozelo, Arcos, filho de Manoel Barbosa e Rosa Pereira Aranha (casou na capela do Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sita nesta, em 9.7.1906, com Berta Laura Barreiros, 26 anos, proprietaria, S. Mamede de Mogadouro, Bragança, moradora em Salvador dos Arcos, filha legitimada de sursequente casamento de Bernardo Antonio da Fonseca Barreiros e Antonia do Nascimento Clara ‘com provisão do Sr Arcebispo de 5.7.1906’, T. Manoel Antonio Rebelo, alfaiate, rua de S. Marcos, João Martins Gonçalves, solteiro, empregado comercial, rua Rodrigues de Carvalho, ambos Braga, celebrou o Padre Francisco Jose Pedreira, capelão mor do mesmo Real Santuario, Padre Jose Rodrigues, encomendado)
- Francisco Jose Machado, 30 anos, jornaleiro, Adaufe, morador em Salvador de Fonte Arcada, Lanhoso, filho de Domingos Jose Machado e Ana da Silva ou Ana da Silva Gomes (casou em 28.7.1906, com Maria Thereza, 26 anos, jonaleiros, natural S. Maria de Ferreiros, Braga e moradora em Tenões, filha natural de Ana Rosa Barbosa, T. Joaquim exposto, Jose Antonio Ferreira, jornaleiros, ambos Tenões, Padre Jose Rodrigues, encomendado)
- João Pereira Barbosa, 30 anos, estocador, natural de Salvador deNogueiro e morador Tenões, filho de Jose Barbosa e Rosa Fernandes Pereira (casou em 18.8.1906, com Albina Gomes, 26 anos ‘viuva de Joaquim Fernandes’, capitalista, natural S. Leocadia de Briteiros, Guimarães e morador em S. Nicolau, Porto, filha de Jose Alves e Joaquina Gomes, T. Paulo Jose Pereira, viuvo, S. Victor e Dª Maria Isabel Fernandes, solteira, capitalista, rua de S. Gonçalo Braga, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Antonio Jose Lopes de Freitas, 31 anos ‘viuvo de Eugenia Rosa, falecida nesta’, jornaleiro, Lamaçães, filho de Costodio Lopes de Freitas, Lamaçães e Maria da Conceição, Tenões (casou em Lamaçães, S. Maria, a 23.8.1906, com Costodia Dias, 40 anos, solteira, jornaleira, natural de Palmeira e moradora em Adaufe, filha de João Isidoro e Joana Thereza, Adaufe, T. João Luis Martins, surrador e Antonio Francisco de Araujo, viuvo, reservatario, ambos Lamaçães, celebrou o Padre Antonio Joaquim de Araujo Franqueira, paroco de Dadim e Nogueiro
- João Antonio Rodrigues de Carvalho, 23 anos, professor do ensino livre, natural de igreja, Salvador de Nogueiro, filho de Antonio Jose Lopes de Carvalho, Tenões e Ana Maria Rodrigues, Nogueiró (casou em Maximinos, S. Pedro, a 2.9.1906, com Erminda Julia da Silva Carvalho, 24 anos, costureira, S. Lazaro e moradora na rua cruz de pedra, Maximinos, filha de Francisco Jose Ribeiro, Sampaio, Guimarães e Maria Jose da Silva, S. Lazaro, T. Manoel Antonio da Silva, casado, tendeiro, rua cruz de pedra, Padre Jose Joaquim de Oliveira, coadjutor, Padre Antão Jose de Oliveira, abade)
[Assento transcrito no ano de 1914]
- João Correia, 20 anos, artista, natural Tenões e morador Gualtar, filho de Jose de Azevedo e Maria Antonia, Tenões (casou em Gualtar, S. Miguel, a 2.12.1906, com Rosa Ferreira, 18 anos, familiar, Gualtar, filha de Antonio Jose Ferreira e Isabel Maria, Gualtar, T. Antonio Antunes, Antonio Jose Ferreira, casados, jornaleiros, Gualtar, Padre Manoel Jose Dias de Araujo, abade)
[Dissolvido por falecimento de João Correia, em 14.12.1955, S. João de Souto, Braga]
- Manoel Jose Machado, 29 anos, cazeiro, Gualtar, filho de Domingos Jose Machado e Ana Maria, Gualtar (casou em Gualtar, S. Miguel, a 9.12.1906, com Maria da Conceição, 22 anos, familiar, natural de Tenões e moradora Gualtar, filha de Antonio Rodrigues, Tenões e Maria Antonia, S. Victor, Braga, T. Manoel Jose Machado, casado, cazeiro, S. Pedro de Este e Antonio Rodrigues, casado, cazeiro, Gualtar, Padre Manoel Jose Dias de Araujo, abade)
[Dissolvido por falecimento de Manoel Jose Machado, as 07H00, dia 24.11.1943, Gualtar, 19.1.1961]
- Antonio Severo de Vasconcelos Peixoto, 21 anos, proprietario, S. Jose de S. Lazaro, filho de Antonio Bernardo de Vasconcelos Peixoto e Dª Balbina Rosa Fernandes Pereira (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 2.1.1907, com Dª Adelia Dias de Magalhães Bastos, 20 anos, proprietaria, S. João do Souto, ambos Braga, filha de Francisco de Magalhães Bastos e Dª Maria da Conceição Dias ‘provisão do Senhor Arcebispo de 31.12.1906’, T. Antonio Alves Pinheiro, negociante, S. João do Souto, João Dias Gonçalves, solteiro, proprietario, Santiago da Se, Braga, com a presença do capelão mor Padre Francisco Jose Pereira, celebrou o Padre Jose do Egipto Vieira, abade de S. João do Souto, por despacho do Senhor Arcebispo de 31.12.1906, o Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Bento Lopes de Freitas, 26 anos, jornaleiro, Lamaçães, filho de Costodio Lopes de Freitas, Lamaçães e Maria da Conceição, Tenões (casou em Lamaçães, S. Maria, a 26.1.1907, com Joana Lopes, 44 anos, solteira, criada de servir, Santiago de Fraião e moradora Lamaçães, filha de Antonio Lopes e Ana Maria, Fraião, T. Francisco Antoniol de Araujo, viuvo, professor oficial e João Luis Martins, surrador, ambos Lamaçães, Padre Antonio Jose Taveira, abade
- Henrique de Lima Frias, 23 anos, ferreiro, Cedofeita, Porto, morador em Santiago da Cividade, Braga, filho de Jose Eugenio de Frias e Maria de Lima (casou em 10.2.1907, com Rosa Fernandes de Oliveira, 24 anos, tecedeira, Tenões, filha de Antonio de Oliveira e Maria Fernandes Pereira, T. Antonio Jose Machado, lavrador cazeiro e Antonio de Oliveira, probreiro, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Costodio Fernandes de Sousa, 25 anos, jornaleiro, filho de Francisco de Sousa Junior e Francisca Thereza (casou em 7.4.1907, com Maria dos Prazeres, 25 anos, jornaleira, filha de Joaquim Jose e Ana Joaquina, monte, Tenões, T. Padre Jose Evaristo, João Gonçalves, sombreireiro, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Francisco Gonçalves, 20 anos ‘mãe, viuva, presente’, sapateiro, S. Lazaro, Braga, filho de Jose Carlos Gonçalves e Joaquina da Graça (casou em 5.5.1907, com Mariana da Conceição, 22 anos, Tenões, filha de Francisco de Sousa Junior e Francisca Thereza, T. João Gonçalves, chapeleiro, Costodio Fernandes de Sousa, jornaleiro, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Carlos Alberto da Cunha Coelho, 36 anos, solteiro, medico, natural de Nª Sª da Gloria, Aveiro, bispado Coimbra, filho de Jeronimo Baptista Coelho e Dª Filomena Pereira da Cunha ou Dª Filomena Pereira da Cunha Coelho (casou em 17.7.1907, com Dª Maria Lemos, 22 anos, filha natural de Rosa da Silva, Tenões ‘com provisão do Vigario Geral, de 13.7.1907’, T. elo noivo: Dª Filomena Pereira da Cunha Coelho, mãe do noivo, proprietaria, Aveiro, João Lemos, engenheiro, Tenões, pela noiva: Maria da Luz Pimenta, proprietaria, Tenões e Antonio da Cunha Coelho, solteiro, comerciante, Aveiro, celebrou o Padre Antonio Joaquim de Araujo Franqueira, paroco de Salvador de Nogueiro, encarregado de Tenões, na ausência do abade)
- Jose Gonçalves Dias, 32 anos, solteiro, negociante, natural de Santiago de Carreiras, Barcelos, moradora em Santiago da Se, Braga, filho de Francisco Jose Gonçalves da Silva e Maria Dias de Araujo (casou em 16.10.1907, com Dª Elisa do Nascimento Fernandes da Silva, 29 anos, natural S. Lourenço de Celeiros, Braga, filha de Bacharel Daniel Jose Fernandes e Silva e Dª Maria Ermelinda da Cruz Faria ‘com provisão do Vigario Geral, de 20.9.1907’, T. pelo noivo: Domingos Fernandes Valença, Santiago da Se, Braga, Dª Maria Pulcheria Rebelo da Silva Araujo, S. João do Souto, Braga, pela noiva: Antonio da Cunha Ozorio e Dª Laura Fernandes da Silva, proprietários, Sequeira, Braga, celebrou o Padre Joaquim Gonçalves Dias, de minha autorização)
[Dissolvido por falecimento de Jose Gonçalves Dias, em 24.7.1951, em S. Pedro de Maximinos, assento 780]
- Antonio Gonçalves, 29 anos, jornaleiro, S. João de Nogueira e morador Tenões, filho de Manoel Gonçalves e Rosaria Maria (casou em 20.10.1907, com Antonia da Costa, 25 anos, tecedeira, Salvador de Nogueiro e moradora em Tenões, filha de João da Costa e Catherina Maria, T. Francisco Marques, chapeleiro, Tenões e Francisco de Almeida, solteiro, jornaleiro, Gualtar, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Henrique Leite, 23 anos, jornaleiro, S. Mamede de Este, filho de Miguel Leite e Maria Joaquina (casou em 8.12.1907, com Felicidade Fernandes Costeira, 21 anos, criada de servir, Tenões, filha natural de Joaquina Fernandes Costeira, T. Francisco dos Santos, lavrador cazeiro e Francisco Marques, chapeleiro, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Bento Mendes, 22 anos, pedreiro, natural S. Victor e morador em Gualtar, filho de Francisco Mendes e Maria Luisa (casou em 8.12.1907, com Thereza Dias, 25 anos, lavradeira, Tenões, filha de Jose Antonio Dias e Maria Thereza, T. Jose Antonio Dias, lavrador cazeiro e Francisco Marques, chapeleiro, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Thereza Dias, as 01H00, dia 18.11.1913, assento 1323, de 8.10.1963]
- João da Costa, 23 anos, artista, Santiago de Fraião e morador em Gualtar, filho de Manoel da Costa e Maria Rosa Ferreira (casou em 8.12.1907, com Francisca Machado, 22 anos, lavradeira, Tenões,filha de Jose Antonio Machado e Ana Joaquina, T. Jose Antonio Machado, lavrador cazeiro e Francisco Marques, chapeleiro, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Francisco de Almeida, 24 anos, natural Gualtar, filho de Francisco Jose de Almeida e Francisca Thereza da Costa (casou em 20.1.1908, com Francisca Maria, 24 anos, Salvador de Nogueiro, moradora Tenões, filha de João da Costa e Catherina Maria, T. Padre Antonio Joaquim de Araujo Franqueira, paroco de Salvador de Nogueiro e Francisco Marques, carpinteiro, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade
- Joaquim Queiroz da Conceição, 19 anos, natural Santiago da Se, Braga, criado de hotel, filho de Domingos da Conceição e Rosa de Jesus (casou em 4.6.1908, com Isabel Maria, 22 anos, jornaleira, Ferreiros, Braga, moradora em Tenões, filha de Antonio Pereira e Maria Inacia Lopes, T. João Baptista Ferreira Couto, proprietario do Hotel Parque, Bom Jesus do Monte e Dª Adelaide Ramos Ferreira Couto, solteira, Tenões, celebrou o Padre Jose Raimundo Alves de Araujo, capelão do Bom Jesus do Monte, o Padre Baltazar Jose Fernandes, abade
[Dissolvido por falecimento de Joaquim Queiroz da Conceição, em 30.9.1957, Braga, assento 828, de 1.10.1957]
- Raul da Conceição Rocha, 23 anos, proprietario, S. João de Souto, filho de Manoel Jose da Conceição Rocha, S. João de Souto e Dª Malvina Machado da Conceição Rocha (casou com provisão do Sr. Arcebispo, para casar nesta freguesia, em Gualtar, S. Miguel, a 23.5.1908, com Dª Adelina Correia da Silva, 25 anos, proprietario, Tenões, filha de Francisco Jose Fernandes da Silva e Dª Maria Jose Correia da Silva, Tenões, T. Dª Rosa Maria da Conceição, viuva, proprietaria, Dr. Virgilio dos Santos Faria, conservador, Antonio Martins Ferreira, proprietario, todos campo de Santa Ana, Braga, Dª Maria Jose Correia da Silva, viuva, proprietario, Tenões, Padre Alvaro de Campos Matos)
[Dissolvido por falecimento de Dª Adelina Correia da Silva, em 3.5.1952, Tenões]
- Jose Pinto Gonçalves Palha, 24 anos, industrial, natura, S. João de Souto, Braga, filho de Domingos Gonçalves Braga ou Domingos Gonçalves Palha e Dª Maria Candida ou Dª Maria Candida Gonçalves Palha (casou em 9.9.1908, com Dª Maria dos Santos Cruz, 30 anos, S. Pedro de Este, filha de Manoel Antonio da Cruz e Dª Costodia de Sousa ‘com provisão do Vigario Geral de 24.8.1908’, T. ‘do noivo’ João Gonçalves Palha, industrial e Dª Maria Candida Gonçalves Palha, viuva, proprietaria; ‘da noiva’ Manoel Antonio da Cruz, escrivão de direito e Dª Costodia de Sousa, S. João de Souto, Braga, celebrou de minha autorização o Padre Jose do Egipto Vieira, abade de S. João do Souto, Braga)
[Dissolvido por falecimento de Jose Pinto Gonçalves Palha, em 18.4.1919, de 3.6.1972]
- Manoel Antonio Fernandes, 24 anos, proprietario, S. Jose de S. Lazaro e morador S. Victor, filho de Jose Joaquim Fernandes, Tenões e Rosa da Silva Carvalho, S. Victor (casou com provisão do Sr. Arcebispo, para poder casar nesta freguesia, em Gualtar, S. Miguel, a 22.10.1908, com D. Maria Elvira Veloso, 21 anos, familiar, S. Victor, filha natural de Laurinda Rosa da Silva Veloso, Mosteiro de S. João de Vieira, T. Bernardo Joaquim da Cruz, viuvo, negociante, S. Victor, Dª Carolina Veloso Rebelo, casada, Povoa de Lanhoso, Padre Jose Dias de Araujo, abade)
[Dissolvido por falecimento de Manoel Antonio Fernandes, em 5.7.1918, de 13.2.1969]
- Jose Martins de Almeida, 25 anos, capitalista, S. Victor, filho de Jose Martins de Almeida e Dª Amelia Rosa Martins, S. Victor (casou com provisão do Sr. Arcebispo, para casar nesta freguesia, em Gualtar, S. Miguel, a 28.10.1908, com Dª Zulmira Correia da Silva, 20 anos ‘com consentimento de quem tem poder’, proprietario, Tenões, filha de Francisco Jose Fernandes da Silva e Dª Maria Jose Correia da Silva, Tenões, T. Verissimo Martins de Almeida, casado, industrial, Dª Ana Maria de Almeida, viiuva, capitalista, S. Victor, Dª Maria Jose Correia da Silva, viuva, proprietaria ‘mãe da contraente’, Tenões, Antonio Martins Ferreira, proprietario, campo de Santa Ana, S. Victor, celebrou o Padre Alvaro de Campos Matos)
[Dissolvido por falecimento de Jose Martins de Almeida, as 16H00, dia 22.2.1963]
- Jose Francisco Fernandes, 22 anos, caiador, Gualtar, filho de João Fernandes e Ermelinda Thereza ou Ermelinda Thereza de Jesus (casou em 26.12.1908, com Joaquina Rodrigues, 21 anos, Tenões, filha de Francisco Rodrigues e Carolina Rosa ‘nesta cerimonia na minha presença e das testemunhas legitimaram o filho Francisco, nascido em 24.2.1907’, T. Antonio da Costa, pedreiro, Antonio Fernandes, ambos de Gualtar, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Jose Francisco Fernandes, em 1.5.1954, assento 457]
- Alfredo Vieira Gomes, 37 anos, comerciante, natural S. Victor e morador em S. Lazaro, filho de Manoel Joaquim Gomes e Dª Maria Vieira da Silva Gomes (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 20.1.1909, com Dª Isabel Machado de Araujo, 17 anos ‘consentimento do pai escrito em 6.11.1908’, capitalista, natural S. Jorge, Lisboa, filha de Antonio Guilherme de Araujo e Dª Amelia Hilaria de Santa Ana Machado de Araujo ‘de provisão do Senhor Arcebispo de 7.2.1908’, T. ‘pela noiva’ Dª Maria Augusta de Matos Ribeiro e Antonio Jose Ribeiro, comerciantes, ambos do Porto, ‘pelo noivo’ João Vieira da Silva, cônsul Geral do Brasil em França, acidentalmente em Braga e Dª Luisa Gomes de Matos, proprietaria, Porto, celebrou de minha autorização o Padre Jose do Egipto Vieira, abade de S. João de Souto, Braga)
[Dissolvido por falecimento de Alfredo Vieira Gomes, as 04H15, dia 27.8.1963, Salvador de Nogueiro, assento 836]
- João Lopes Viola, 66 anos ‘viuvo de Maria das Maravilhas’, proprietario, S. Victor, morador em Tenões, filho de Antonio Lopes Viola e Maria Rosa (casou em 23.1.1909, com Josefa Maria Vieira, 50 anos, jornaleira ‘viuva de Andre Fernandes’, Gualtar, moradora Tenões, filha de Jeronimo Jose Vieira e Thereza Maria, T. Padre Jose Rodrigues, S. Pedro de Este e Manoel Raimundo, vendeiro, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Gaspar da Silva, 25 anos, artista de pedreiro, Lamaçães, filho de Candido da Silva, Se, Braga e Antonia Maria, Novegilde, Vila Verde (casou em Lamaçães, S. Maria, a 2.2.1909, com Rosa das Maravilhas Marques, 23 anos, criada de servir, Lamaçães, filha de Bento Marques, Tenões e Thereza de Jesus exposta, Braga, T. João Luis Martins, surrador e Silvestre Ferreira da Silva, artistas de pedreiro, ambos Lamaçães, Padre Antonio Jose Taveira, abade
[Dissolvido por falecimento de Gaspar da Silva, em 24.8.1947, Dadim e Nogueiro]
- Jose Augusto Vilas Boas, 37 anos, medico, solteiro, natural S. Faustino de Peso da Regua, morador em Encarnação, Lisboa, filho de Severino Cesar Vilas Boas, Almacave, Lamego e Dª Francisca Rosa dos Santos, Se, Porto (casou na real capela de Nª Sª da Conceição, monte de Sameiro, em Espinho, S. Martinho, a 4.2.1909, com Dª Palmira da Conceição Rebelo da Silva, 20 anos ‘viuva de Lourenço Xavier da Costa Guimarães’, proprietaria, Tenões ‘com provisão de 3.2.1909’, T. Dª Amelia de Araujo de Sousa, proprietario, Encarnação, Lisboa, Luis Maria Costa, comerciante, S. Jose, Lisboa, Dª Maria da Conceição de Noronha Menezes de Mesquita Melo Portugal, proprietaria, S. Victor, Manoel Ferreira da Silva, comerciante, campo de D. Luis I, S. João de Souto, Braga, celebrou com minha presença o Padre Jose Manoel Ribeiro Braga, coadjutor de S. João de Souto)
- Francisco da Silva Abreu, 24 anos, latoeiro, S. Victor, baptizado em Padim da Graça e morador Santiago da Se, Braga, filho de Constantino de Abreu e Rosa da Silva (casou em 22.3.1909, com Maria Rodrigues, 25 anos, Tenões, filha de Francisco Barbosa e Francisca Thereza Rodrigues, T. Francisco Jose Barbosa, carpinteiro, Tenões e Constantino de Abreu, tendeiro, Santiago da Se, Braga, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Agnelo dos Anjos Patricio, 38 anos, solteiro, industrial, natural Se, Guarda, filho de Francisco Antonio Patricio e Dª Thereza Guilhermina dos Anjos Riba (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 22.4.1909, com Dª Amelia Ferreira, 39 anos, solteira, proprietaria, natural S. Martinho de Ribeira de Pena, moradora em S. Ildefonso, Porto, filha de Manoel Joaquim de Matos Ferreira e Dª Delfina da Conceição Alves ‘com provisão do Senhor Arcebispo’, T. ‘pela noiva’ Dª Maria da Piedade de Oliveira Pinto, proprietaria, S. Ildefonso, Porto, Conde de Alves Machado, representado pelo seu procurador Dr. Adriano Antero de Sousa Pinto, S. Ildefonso, Porto; ‘pelo noivo’ Francisco Antonio Patricio e Dª Thereza Guilhermina dos Anjos Riba, proprietários, Se, Guarda, celebrou o Padre Francisco Jose Pereira, capelão-mor do Real Santuario)
- Joaquim Vieira, 24 anos, carpinteiro, Gualtar, filho de Rozendo Luis Vieira ou Luis Rozendo e Claudia Rosa (casou em 29.5.1909, com Laura Canelas, 19 anos ‘com alvará do juiz de Direito de 27.5.1909’, moradora Tenões, filha de Manoel Francisco Canelas Junior e Rosa Maria, T. Dª Maria da Luz Pimenta Lemos e seu marido João Lemos, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Joaquim Vieira, em 4.2.1958, em Tenões, assento 144]
- Manoel Antunes, negociante, 28 anos, Santiago de S. Lucrecia de Algeriz e morador S. João de Souto, filho de João Manoel Antunes e Maria Fernandes, S. Lucrecia de Algeriz (casou com provisão do Sr. Arcebispo, para casar nesta freguesia, em Gualtar, S. Miguel, a 12.6.1909, com Dª Rosa Fernandes, 34 anos, Gualtar e morador S. Jose de S. Lazaro, filha de João Fernandes Braga, Tenões e Maria Amelia, S. Victor, T. Padre Francisco da Costa Macedo, Francisco Fernandes Machado, solteiro, industrial, Braga, Padre Antonio Gonçalves Branco, abade)
[Dissolvido por falecimento de Dª Rosa Fernandes, as 12H00, dia 23.1.1941, de 27.1.1961, S. João de Souto]
- Heitor de Vasconcelos Ribeiro, 24 anos, empregado de escritório, S. Victor, morador em S. João de Souto e acidentalmente em Tenões, todas Braga, filho de Antonio Jose de Sousa Ribeiro e Dª Amelia Pimenta de Abreu Vasconcelos (casou em 19.6.1909, com Dª Alice Maria Pereira Lopes ‘empregada na administração domestica’, 22 anos, Santiago da Se, Braga, filha de Simão Pereira Lopes e Dª Maria Candida Teixeira ‘com provisão de 17.6.1909’, T. João Lemos e sua mulher Dª Maria da Luz Pimenta Lemos, proprietários, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Heitor de Vasconcelos Sousa Ribeiro, as 22H30, dia 8.6.1962, S. João de Souto, Braga]
- Manoel Pinto Pereira Junior, 30 anos, solteiro, farmacêutico, natural S. Ildefonso e morador em S. Eulalia, vila de Fafe, filho de Manoel Pinto Pereira e Dª Justina Rosa de Jesus (casou em 19.6.1909, com Dª Constança de Freitas Gonçalves da Cunha, 25 anos, S. Eulalia, vila de Fafe, filha de Miguel Gonçalves da Cunha e Dª Julia Soares da Silva Freitas ‘com provisão de 16.6.1909’, T. ‘pelo noivo’ João Soares de Oliveira, farmacêutico e João Leite de Faria, medico; ‘pena noiva’ Dª Julia Soares de Freitas Cunha e Luis de Freitas Gonçalves da Cunha, solteiro, empregado comercial, todos da vila de Fafe, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Dª Constança de Freitas Gonçalves da Cunha, em 8.2.1957, assento 124, 4ª conservatória, Paranhos, Porto, de 13.2.1957]
- Francisco Fernandes, 22 anos, carpinteiro, Lamaçães, filho de Joaquim Fernandes, S. Torcato, Guimarães e Josefa Ribeiro, S. Victor (casou em Lamaçães, S. Maria, a 26.7.1909, com Thereza da Conceição Lopes Viola, 20 anos ‘pai presente deu consentimento’, costureira, natural de Tenões e moradora Lamaçães, filha de Manoel Lopes Viola, Tenões e Maria Thereza, Lamaçães, T. Miguel Gonçalves, proprietario e Jose de Paiva, industrial, ambos de Lamaçães, celebrou o Padre Antonio Joaquim de Araujo Franqueira, paroco de Nogueiro)
[Dissolvido por falecimento de Francisco Fernandes, em 7.7.1958, em Lamaçães, assento 498]
- João Evangelista de Oliveira, 30 anos, capitalista, Santiago da Se, Braga, filho natural de Angelina Rosa (casou em 7.8.1909, com Dª Jeronima Barbosa de Oliveira, 23 anos, natural S. Pedro de Maximinos, filha de Luis de Oliveira e Jeronima Thereza ‘com provisão do Vigario Geral, de 5.8.1909’, T. ‘pela noiva’ Vitor de Lima Brandão e Dª Luis de Faria Barbosa de Brandão, casados, proprietários, Santiago da Se, Braga; ‘pelo noivo’ Francisco Henrique Castanheira e Dª Maria Castanheira, capitalistas, ambos de Vitoria, Porto, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de João Evangelista de Oliveira, em 28.5.1928, assento 504, de 20.2.1974]
- João Gonçalves, 50 anos ‘viuvo de Maria Rosa’, chapeleiro, Salvador de Nogueiro e morador em Tenões, filho de Bernardo Gonçalves e Maria Magalhães (casou em 16.8.1909, com Perpetua Maria, 44 anos, solteira, criada de servir, natural de S. Martinho da vila de Ruivães e moradora em Tenões, filha de Jose Manoel Vieira e Maria Jose de Abreu, T. João da Costa, solteiro, pintor, Maximinos, Flaviana Rosa Cardoso, solteira, proprietaria, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- João Fernandes Lopes, 24 anos, Gualtar, filho de Manoel Antonio Lopes, Tenões e Francisca Vieira ou Francisca Fernandes, Gualtar (casou em Gualtar, S. Miguel, a 27.9.1909, com Maria da Conceição, 23 anos, natural Lamaçães e moradora Gualtar, filha de Francisco Barbosa, S. Victor e Maria da Conceição, Lamaçães ‘nesta cerimonia, na presença das testemunhas pediu para legitimar uma filha tida como solteiros, n. 24.12.1908 e b. 21.3.1909, de nome Zulmira’, T. João Jose Ferreira, casado, pedreiro, Bernardo Ribeiro, casado, sapateiro, Gualtar, Padre Antonio Gonçalves Branco, abade)
[Dissolvido pelo falecimento de João Fernandes Lopes, em 22.7.1942, de 22.1.1972]
- João Augustode Oliveira Pinto, 29 anos, Bacharel, natural de S. Martinho de Cedofeita, morador em Sampaio de Fão, filho do Dr. Augusto Moreira Pinto e Dª Libania Emilia Braga de Oliveira Pinto (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 23.10.1909, com Dª Maria dos Anjos dos Santos Paturro, 27 anos, Sampaio de Fão, filha de Antonio Gomes Paturro e Dª Maria dos Anjos Ferreira Dias ‘com provisão do Senhor Arcebispo’, T. ‘pelo noivo’ Dr. Augusto Moreira Pinto e sua mulher Dª Libania Emilia Braga de Oliveira Pinto, Sampaio de Fão; ‘pela noiva’ Henrique Rodrigues Martins e sua mulher Dª Camila Rosa de Barros Lima, proprietários, S. Lazaro, Braga, celebrou o Padre Francisco Jose Pereira, capelão do Real Santuario)
[Dissolvido por falecimento de João Augusto de Oliveira Pinto, em 11.3.1937, Boletim 179, de 11.11.1974]
- Domingos Rufino, 21 anos, proprietario, S. Maria Maior, Alijo, Lamego, filho de Joaquim Rufino Pinto e Dª Ana Maria Lopes Teixeira (casou em 23.10.1909, com Dª Maria Alice Pereira, 21 anos, S. Maria Maior, Alijo, filha de Manoel Maria Teixeira e Dª Maria de Jesus Teixeira ‘com provisão do Senhor Arcebispo de 20.10.1909’, T. Joaquim Rufino Pinto, proprietario e Dª Maria de Jesus Teixeira, proprietaria, ambos de S. Maria Maior, Alijo, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose do Egipto Gonçalves Palha, 29 anos, industrial, natural S. Victor, moradores S. João do Souto, ambas Braga, filho de Domingos Gonçalves Braga ou Domingos Gonçalves Palha e Dª Maria Candida Gonçalves Palha (casou em 11.12.1909, com Dª Emilia do Carmo Alves, 17 anos ‘consentimento da mãe, por escrito, de 10.12.1909’, natural S. Bartolomeo de Tadim, Braga, moradora em S. João de Souto, filha natural de Ana da Silva e perfilhada em escritura publica por Antonio Jose Alves ‘com provisão de 4.12.1909’, T. ‘pelo noivo’ Dª Maria Candida Gonçalves Palha, viuva, proprietaria, S. João de Souto, João Gonçalves Palha, industrial, S. Lazaro; ‘pela noiva’ Dª Maria dos Santos Gonçalves Palha, proprietaria, S. Lazaro e Antonio Jose Alves, viuvo, proprietario, S. João de Souto, Braga, celebrou o Padre Jose do Egipto Vieira, abade de S. João de Souto, de minha autorização)
[Dissolvido por falecimento de Jose do Egipto Gonçalves Palha, de 13.4.1970, assento 419]
- Antonio Julio Ferreira, 27 anos, Nogueira, filho de João Ferreira e Antonia Antunes, Nogueira (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 29.1.1910, com Thereza de Jesus, 26 anos, Nogueira, filha de João Antonio Gonçalves, S. Maria de Refojos de Lima, Ponte de Lima e Maria Rosa de Jesus, S. Eulalia de Tenões, Braga, T. Domingos Joaquim Ferreira de Barros Junior, estudante, agrelo e Jose Vieira, igreja, ambos Nogueira, Padre Jose Joaquim Pinto, abade)
- Domingos da Silva, 21 anos, trolha, natural Tenões, filho de Antonio Rodrigues da Silva, Tenões e Rosa de Jesus Machado, S. Maria de Braga (casou em Gualtar, S. Miguel, a 9.1.1910, com Luisa da Mota, 21 anos, Gualtar, filha de Manoel Jose da Mota, S. Victor e Thereza de Jesus, S. Pedro de Este, T. Francisco Fernandes, casado, pedreiro, Jose Candido da Silva, casado, chapeleiro, Gualtar, Padre Antonio Gonçalves Branco, abade)
[Dissolvido por falecimento de Domingos da Silva, em 6.4.1955, Gualtar]
- Domingos de Oliveira Guimarães, 21 anos, alfaiate, Salvador de Nogueiro e morador Tenões, filho de Manoel de Oliveira Guimarães e Maria da Costa (casou em 24.3.1910, com Ana Vieira da Cunha, 24 anos, S. Lucrecia de Algeriz e moradora em Tenões, filha de João Vieira Pontes e Thereza Pereira da Cunha, T. Graciano Jose e sua mulher Florinda da Rocha, jornaleiros, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose Luis da Costa, 24 anos, criado de servir, Lamaçães e morador em S. Victor, filho de Jose Luis da Costa e Rosa Maria (casou em 1.5.1910, com Costodia Maria de Oliveira, 25 anos, Tenões, filha de Antero Antonio e Catherina Maria de Oliveira, T. Antero Antonio, carpinteiro e sua mulher Catherina Maria de Oliveira, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Jose Luis da Costa, em 12.12.1946, assento 1425, S. João do Souto, Braga, de 16.4.1966]
- Antonio Nogueira, 22 anos, chapeleiro, Tenões, filho de Francisco Jose Nogueira e Maria da Conceição (casou em 4.5.1910, com Zulmira Rosa Pimenta, 23 anos, Tenões, filha de Antonio Pereira e Marcelina Rosa, T. Manoel Raimundo, vendeiro e Marcelina Rosa, viuva, ambos Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Antonio Nogueira, em 21.2.1972, assento 197]
- João Barbosa, 27 anos, caiador, Maximinos, filho de Jose Barbosa e Mariana de Carvalho (casou em 5.5.1910, com Elvira Maria da Silva ‘exposta do hospicio das crianças abandonadas de Braga’, 21 anos, Tenões, T. Jose Antonio Barbosa, solteiro, estocador, Maximinos e João Gonçalves, chapeleiro, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Jose Antunes, 26 anos, lavrador, S. Lucrecia de Algeriz, filha de João Antunes e Maria de Sepulveda (casou em 8.9.1910, com Dª Maria da Gloria Antunes, 35 anos, solteira, proprietaria, S. Martinho do Campo, filha de Joaquim Antunes e Antonia Gonçalves ‘por provisão de 3.9.1910’, T. ‘pela noiva’ Dª Maria da Conceição Fernandes Leite de Moraes, viuva, Vitoria, Ordem do Carmo, Porto e João Lemos, proprietario, Tenões, ‘pelo noivo’ Dª Maria da Luz Pimenta Lemos, proprietario, Tenões e João Antunes, proprietario, S. Lucrecia de Algeriz, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Inacio Jose Dias, 25 anos, sapateiro, S. Victor e morador Santiago da Cividade, ambas Braga, filho de Francisco Jose Dias e Angelica Rosa (casou em 16.10.1910, com Thereza Rosa de Jesus, 25 anos, Tenões, filha de Antonio Rodrigues da Silva e Rosa de Jesus Machado, T. Francisco Jose Dias, Policia Civil, Santiago da Cividade e Antonio Rodrigues da Silva, jornaleiro, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
[Dissolvido por falecimento de Inacio Jose Dias, em 4.9.1938, assento 763, de 5.2.1975]
- Manoel Pereira, 23 anos, natural Gualtar, filho de Jose Fortunato Pereira, S. Eulalia de Tenões e Maria Joana, Gualtar (casou em Este, S. Mamede, a 26.10.1910, com Quiteria Rosa Fernandes, 20 anos ‘com presença do pai’, costureira, Este, S. Mamede, filha de Pedro Albino Fernandes, S. Maria de Sobreposta e Maria das Dores ‘Rodrigues’, Este, S. Mamede, T. João Jose Pereira, Gualtar, Jose Maria Fernandes, Sobreposta, Padre Abilio Gomes Correia, colado)
[Dissolvido por falecimento de Quiteria Rosa Fernandes, em 5.11.1955, Gualtar]
- Alberto Coelho Nogueira, 30 anos, farmacêutico, natural de Parada de Thodea, Porto, morador em S. João das Caldas de Vizela, filho de Domingos Coelho e Dª Ludovina Nogueira (casou em 12.11.1910, com Dª Thereza de Jesus Costa, 23 anos, S. Jose de S. Lazaro e moradora em S. João do Souto, ambas Braga, filha de Jose Maria da Costa e Dª Ana Maria da Costa ‘com provisão do Senhor D. Deão de 10.11.1910’, T. ‘pelo noivo’ Joaquim Jose Gonçalves Salgado e Dª Rosa Carvalho Salgado, casados, proprietários, Maximinos; ‘pela noiva’ Jose Maria da Costa e Dª Ana Maria Ferreira da Costa, casados, proprietários, S. João do Souto, Braga, celebrou de minha autorização o Padre Jose Joaquim Pinto, abade de Salvador de Nogueiro)
[Dissolvido por falecimento de Dª Thereza de Jesus Costa, em S. Martinho de Dume, a 16.9.1951, assento 966, de 6.6.1964]
- Manoel Machado, 23 anos, carpinteiro, Tenões, filho de Francisco Machado, Salvador de Nogueiro e Maria da Luz, S. Victor (casou em Gualtar, S. Miguel, a 11.12.1910, com Rosa de Sousa, 28 anos, S. Pedro de Este e moradora em Gualtar, filha de Jose de Sousa e Antonia Maria, S. Pedro de Este, T. Francisco Fernandes, casado, pedreiro, Jose Candido da Silva, casado, chapeleiro, Gualtar, Padre Antonio Gonçalves Branco, abade)
[Dissolvido por falecimento de Manoel Machado, em 3.4.1952, em Salvador de Nogueiró, Braga]
- Herculano Pereira de Andrade, 24 anos, proprietario, natural S. Maria de Verim, morador Santiago da Se, Braga, filho de Joaquim de Andrade de Bastos e Dª Ana Josefina Pereira da Costa (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 7.1.1911, com Dª Julieta Freire Fernandes, 20 anos, proprietaria, S. Jose de S. Lazaro, Braga ‘estando como procurador do pai o Dr Joaquim de Almeida Brandão, proprietario, S. Jose de S. Lazaro’, filha de Manoel Joaquim Fernandes e Dª Josefina Maria Freire Fernandes ‘com provisão do Senhor Arcebispo’, T. ‘pelo noivo’ Dª Ana Josefina Pereira da Costa Bastos, viuva, proprietaria e Guilherme Pereira da Costa, solteiro, capitalista, ambos Santiago da Se, Braga; ‘pela noiva’ Dª Maria das Dores Fernandes Brandão, proprietaria e Manoel Joaquim Fernandes, viuvo, proprietario, representado pelo seu procurador Dr. Joaquim de Almeida Brandão, celebrou o Padre Francisco Jose Pereira, capelão mor, do mesmo Real Santuario
[Dissolvido por falecimento de Herculano Pereira de Andrade, em 17.10.1973, assento 789]
- Antonio Pereira, 31 anos, solteiro, jornaleiro, Salvador de Dadim e Nogueiró, morador Gualtar, filho de Manoel Pereira e Thereza de Jesus, cazeiros, S. Victor e morador Gualtar (casou em Gualtar, S. Miguel, a 8.1.1911, com Josefa Soares, 21 anos, tecedeira, Tenões e morador Gualtar, filho de Francisco Soares, jornaleiro, S. Victor e Branca Sucena, ignora-se naturalidade, moradores Gualtar, T. Costodio Veiga, casado, proprietario, Jose da Silva Tinoco, solteiro, lavrador, Gualtar, Padre Antonio Gonçalves Branco, abade)
[Dissolvido por falecimento de Antonio Pereira, em 15.7.1952, Gualtar]
- Jose da Silva Tinoco, 27 anos, lavrador, Gualtar, filho de João da Silva Tinoco, S. Maria de Moure, Lanhoso e Josefa Maria, Gualtar, cazeiros (casou em Gualtar, S. Miguel, a 8.1.1911, com Mariana Dias, 19 anos ‘presença mãe’, Tenões, filha de Jose Antonio Dias, falecido e Maria Jose da Silva, Tenões, T. Manoel Inacio da Silva Braga, casado, proprietario, Cividade, João Maria Peixoto de Carvalho do Amaral e Freitas, solteiro, proprietario, Gualtar, celebrou o Padre Jose Evaristo, Tenões)
- Manoel Raimundo, 41 anos ‘viuvo de Maria de Carvalho’, proprietario, Tenões, filho de Antonio Raimundo e Ana Joaquina (casou em 28.1.1911, com Maria Antonia Vieira, 27 anos, natural S. Jose de S. Lazaro, Braga e moradora em Tenões, filha de Fernando Antonio Vieira Braga e Joana Maria Monteiro, T. João Lopes Viola, Joaquim exposto, casados, proprietários, Tenões, Padre Baltazar Jose Fernandes, abade)
- Baltazar Martins Portela, 65 anos, solteiro, capitalista, natural de S. Jorge de Abadim, morador em S. Miguel de Refojos de Basto, filho de Antonio Jose Martins Portela e Dª Porcina Gonçalves Pimenta (casou no Real Santuario do Bom Jesus do Monte, sito nesta, em 4.3.1911, com Dª Amelia da Conceição Pereira Leite de Moura, 23 anos, S. Miguel de Refojos de Basto, filha de Jose Bernardo e Moura e Dª Maria Inacia Pereira Leite ‘com dispensa de impedimento de cognação espiritual 1ª espécie de 21.2 e provisão do Senhor Arcebispo’, T. Dª Angelina da Gloria Pereira Leite de Moura, solteira, Refojos de Basto e Domingos Pereira de Azevedo, negociante, S. João do Souto, Braga, celebrou o Padre Francisco Jose Pereira, capelão mor do Real Santuario, de minha autorização)
[Dissolvido por falecimento de Baltazar Martins Portela, em 18.10.1923, Povoa de Varzim, Boletim 921, de 20.10.1965]
Falecimentos:
- Domingos Martins – f. 13.11.1592 – esmola 800 reis – Padre Álvaro Nunes, vigário
- Mecia Gonçalves, mulher de Gonçalo Martins, pica – f. 15.12.1592 – esmola 5 tostões
- ?, pica – f. 10.2.1593 - Padre Álvaro Nunes, vigário
- ?, solteira – f. 8.10.1593 - Padre Álvaro Nunes, vigário
- ? Fernandes, solteiro – f. 8.10.1593
- Francisco Pires – f. ?.11.1593 – h. sua mulher
- Cecília Gonçalves – f. ?.6.1596 – Padre Balthazar Ribeiro, vigário
- Gonçalo Martins, pica – f. ?, - h. filha Isabel e filho António Martins
- Maria Martins, solteira – f. ? – tinha bens – h. seu cunhado
- ? – f. ?.8.1595 - Padre Balthazar Ribeiro, vigário
- Pedro Anes, nogueiras – f. 12.5.1595
- António ? – f. 15.8.1595
- ?, telhado – f. 31.9.1595 - Padre Balthazar Ribeiro, vigario
- ? Gonçalves, nogueiras – f. 5.?.?
- Salvador Ferreira – f. ?.9.1597 - Padre Balthazar Ribeiro, vigario
- Maria André, telhado – f. 31.9.1597 – pobre – seu marido Braz Pires, 1 missa por sua alma
- ? – f. 1597 – h. filha Francisca - Padre Balthazar Ribeiro, vigário
- Álvaro Anes – f. 1598 – pobre - Padre Balthazar Ribeiro, vigário
- ? – f. 2.1.1598 - Padre Balthazar Ribeiro, vigário
- ? Gonçalves, mulher de Belchior ? – f. 3.12.1598 – h. ? Martins, moinhos
- Maria Martins, mulher de Braz Pires – f. 3.9.?
- Sebastião Martins – f. 12.9.? - Padre Balthazar Ribeiro, vigário
- ?., - f. 30.9.1603 - Padre Balthazar Ribeiro, vigário
- Catherina Fernandes – f. 1606
- Catherina Martins – f. 1606 – h. filha Martha e Isabel Martins
- Leonor, solteira – f. 1610 - Padre Balthazar Ribeiro, vigário
- António, órfão – f. 1612 - ? Martins
- Belchior Pires – f. 19.2.1616 – fez manda
- Isabel Fernandes – f. 13.9.1616
- Pedro João – f. 2.11.1616 - Padre Balthazar Ribeiro, vigário
- Cecília Gonçalves – f. 20.3.1617
- Bento Gonçalves – f. 8.9.1617
- Joana, solteira – f. 4.4.1619
- Isabel Martins – f. 12.4.1619
- João Martins – f. 1.1.1621
- João Martins – f. 27.3.1621
- Beatriz Gonçalves – f. 6.4.1621
- Inez Rodrigues, viúva, crasto – f. 27.4.1621
- Manoel Fernandes – f. 4.8.1621
- Isabel Martins, mulher de João Martins – f. 27.1.1624
- Domingos Pires, pousada – f. 27.4.1624
- Apelonia Pires – f. 15.5.1626
- Gracia Rodrigues – f. 1626
- Domingos Gonçalves
- ?, pica – f. 1628 - Padre Balthazar Ribeiro, vigário
- António Martins, moinhos – f. 10.4.1630 – fez apontamentos
- Pedro da eira – f. 3.5.1630
- Ana Gonçalves, mulher de Domingos Pires – f. 7.5.1630
- ?, baixetes – f. 27.8.1630 – não se lhe fez nada pela alma
- Eulália Gonçalves, pousada – f. 17.7.1632
- Maria Dias – f. 28.10.1632
- Catherina Pires, pousada – f. 29.10.1632
- Pedro Gonçalves, nogueiras – f. 19.3.1633 – obrada 2 bacalhaus, 2 paes e uma caneca de vinho de 3 canadas - Padre Balthazar Ribeiro, vigário
- Manoel Gonçalves, pica – f. 22.3.1633
- Francisca Valente, nogueiras – f. 28.4.1633
- Braz Pires, telhado – f. 8.2.1634 - Padre António Alvares, vigário
- Catherina Gonçalves, mulher de António Martins, moinhos – f. 17.3.1634
- Maria morouça, solteira, filha de Pedro Gonçalves – f. 9.2.1634
- Martha Francisca, solteira – f. 25.2.1634 – h. sua irmã Ana Francisca
- Martha Gonçalves a galha – f. 21.7.1634
- Inácio Fernandes, ribanhos – f. 19.12.1634 – Padre António Alvares, vigário
- Padre Domingos Pires, vigário que foi desta – f. 19.12.1634 – sepultado igreja de S. João de Souto, Braga
- João Fernandes, ribanhos – f. 19.12.1634
- Domingos Pires, viuvo, telhado – f. 29.1.1635 – adro – f/T que esta no caixão
- Isabel Gonçalves – f. 21.2.1635 – h. filha de Inez Pires, monte
- Catherina Pires, ribanhos – f. 7.3.1636
- Francisco Alvares, monte – f. 22.10.1637 – pobre
- Ana Gonçalves, mulher de Pedro Alvares, baixetes – f. 15.1.1642
- António Gonçalves, eira – f. 21.9.1642 – ‘vindo da Galiza da entrada que fez o Francês Violes, sepultado nas Choças, Pedro Alvares, pia, Frutuozo Gonçalves, cunhado de Pedro Afonso, igreja, ambos de Gualtar e Padre Agostinho Gomes, vigário, o viram morrer
- António Vieira – f. 27.8.1643 - Padre António Alvares, vigario
- Madalena Gonçalves, mulher de António Gonçalves, reguengo – f. 8.1.1644
- Catherina Dias, mulher de Pedro Gonçalves o morouço – f. 20.4.1644 – pobre
- Isabel Gonçalves, solteira, pica – f. 24.9.1644
- Francisco Fernandes, pousada – f. 24.10.1644
- Ana Ferreira, viúva, monte – f. 26.9.1645
- ?, nogueiras – f. ?.9.1646 – Padre António Alvares, vigario
- Isabel Gonçalves, mulher de Sebastião Gonçalves, moleiro – f. 5.11.1646
- Maria Pires, mulher de Pedro Afonso, pica – f. 15.11.1646 – pobre
- Martha Gonçalves, mulher de André Antunes – f. 15.4.1645 – f/T
- Domingas Martins, eira – f. 28.1.1647 - Padre António Alvares, vigário
- Mariana? Caneira, mulher de João Domingues – f. 29.3.1647 – bens alma pay Manoel Dimezo?
- André Antunes, crasto – f. 15.2.1649 – fez manda
- Martha Antunes, mulher de Gonçalo Rodrigues, crasto – f. 5.9.1650
- Miguel da Costa – f. 25.10.1650 – no hospital de Braga
- ?, pica – f. ?.8.1651 - Padre António Alvares, vigário
- Madalena Martins, pousada – f. 5.1.1652
- Maria Antónia, viúva, telhado – f. 9.1.1653
- Alexandre, filho de ? – f. 28.9.1653 – tinha legitima
- Maria Gonçalves, solteira – f. 28.5.1654 – h. filho
- Pedro, ? – f. 16.4.1654 - Padre António Alvares, vigário
- João Fernandes, reguengo – f. 18.5.1655
- Maria Lopes, mulher de Pedro Alvares, baixetes – f. 21.6.1655
- Simoa Martins, slteira – f. ?.9.1655
- Isabel ? – f. 1656
- Maria Martins, viuva, pica – f. 8.5.1656 – pobre
- Francisco Fernandes, pica – f. 16.5.1656 – pobre
- ?, crasto – f. 8.8.1657 - Padre António Alvares, vigário
- ? – f. 17.11.1657 - Padre António Alvares, vigario
- Ana Martins, viúva, pica – f. 8.11.1657 – eu estava ausente ‘vigario’
- ?, - f. 1658 - Padre António Alvares, vigario
- Domingos, solteiro – f. 1.11.1661
- Manoel Fernandes, ribanhos – f. 29.11.1661
- Pedro do Rosario, ermitão do Bom Jesus – f. 11.12.1661 – sepultado na hermida
- Francisca, solteira – f. 10.4.1665 – h. Sebastião Gonçalves – Padre Francisco de Carvalho
- Francisco Fernandes, alem – f. 2.8.1665 – pobre - Padre Francisco de Carvalho, vigário
- Maria Domingues, mulher de Geraldo Gonçalves – f. 22.7.1666
- Isabel Luís, viúva, pousada – f. 23.8.1666 – h. genro Gabriel Fernandes – pobre
- Domingos Gonçalves, nogueiras – f. 11.7.1667 – h. genro
- Martim de Oliveira – f. 15.4.1668 - Padre Francisco de Carvalho, vigário
- Francisco, filho de Manoel Fernandes, falecido e Maria de Oliveira – f. 26.2.1671
- Antónia Gonçalves, ribanhos, viúva – f. 18.12.1671 – h. filho António de Oliveira
- Isabel Pires, viúva – f. 16.1.1672 – pobre – h. filhos – filho Pedro deu 800 reis
- Pedro Fernandes, ribanhos – f. 17.3.1675 – pobre
- António de Oliveira, solteiro – f. 25.4.1675 – h. cunhado João Fernandes
- Sebastião Gonçalves, moleiro – f. 15.12.1675 - Padre Francisco de Carvalho, vigário
- Ana Gonçalves, mulher de João Dias, baixetes – f. 21.11.1676 – pobre
- Isabel Gonçalves, viúva, alem – f. 18.1.1677 – pobre
- Paula Gonçalves, mulher de Domingos Gonçalves – f. 3.2.1677
- Maria Gonçalves, solteira – f. 13.4.1679 – f/T – h. Domingos Gonçalves
- Domingos, solteiro, irmão de Francisco de Araújo, solteiro – f. 2.1.1680 – órfãos
- Isabel Antónia, viúva, eira – f. 25.4.1681 – h. genro João Gonçalves, deu 10 cruzados
- Balthazar da Silva – f. 27.5.1681 – h. mulher - Padre Francisco de Carvalho, vigário
- Geraldo Gonçalves, viuvo – f. 2.10.1681 – f/T – deu 26 tostões para bens de alma
- Luzia Fernandes, mulher de António Gonçalves, monte – f. 12.5.1684
- Maria Fernandes, mulher de Francisco Gonçalves, pica – f. 4.1.1685 – pobre
- Pedro de S. Francisco, ermitão – f. 12.6.1685 – deu de esmola 200 reis e obrada 1 cruzado
- Domingos Gonçalves, pica – f. 23.8.1685 – h. genro Domingos Gonçalves
- Hieronima, filha de Maria Gonçalves, viúva – f. 27.9.1685
- Francisco Gonçalves o canelho – f. 11.11.1685 – pobre – ‘andava por alimentos na casa dos filhos’ - Padre Francisco de Carvalho, vigário
- Catherina Gonçalves, mulher de Francisco Gonçalves o borralho – f. 7.12.1685
- Margarida Gonçalves, viúva, moinhos – f. 26.2.1686 – h. filho
- Francisco de Araújo, moinhos – f. 8.3.1686 - Padre Francisco de Carvalho, vigário
- António Fernandes, pousada – f. 15.3.1686 – f/T
- Francisco Gonçalves o borralho – f. 11.5.1686 – f/T – h. filho Pedro Gonçalves
- André Martins, eira – f. 28.5.1686 – h. mulher - Padre Francisco de Carvalho, vigário
- Domingos Antunes – f. 12.6.1686 . h. cunhado Gonçalo Antunes
- Francisca Gonçalves, viúva de Domingos Antunes – f. 6.1.1687 – h. cunhado Gonçalo Antunes, deixou 3.000 reis para bens de sua alma - Padre Francisco de Carvalho, vigário
- Madalena Gonçalves, viúva, pousada – f. 18.2.1687 – deixou 7 missas rezadas a 6 vintens
- Francisco Alvares – f. 23.4.1687 – deixou 6 missas pagas a tostão
- Philipa da Cunha, mulher de André da Fonseca – f. 20.5.1687 – f/T e codissido
- Martha Antónia, viúva – f. 3.1.1691 – h. genro Domingos Gonçalves – era pobre
- Maria Gonçalves, mulher de Pedro Gonçalves – f. 23.2.1692
- Isabel da Costa, mulher de Domingos Gonçalves, crasto – f. 9.9.1692
- Maria Antónia, mulher de Geraldo Gomes – f. 1.6.1693 – h. filha Joana
- Bernarda, filha de Domingos de Oliveira e Maria Fernandes – f. 4.6.1693
- Gracia, filha de Pedro da Rocha e Francisca Gonçalves – f. 25.9.1693
- Esperança, filha de Costodio Antunes e Maria Fernandes – f. 28.9.1693
- Domingos, filho de Costodio Antunes e Maria Fernandes – f. 2.10.1693
- Costodio, filho de Manoel Fernandes e Domingas Antunes, crasto – f. 5.10.1693
- Madalena Gonçalves, viúva, pica – f. 10.11.1693 – f/T - Padre Francisco de Carvalho, vigário
- Catherina Antónia, mulher de João Afonso – f. 11.11.1693
- Maria Gonçalves, mulher de Simão de Faria – f. 6.9.1694
- Maria Luís, mulher de Gabriel Fernandes – f. 16.7.1695 – h. filho Domingos Luís
- Domingos João – f. 31.7.1695 - Padre Francisco de Carvalho, vigário
- Ana Ferreira, mulher de Máximo Francisco – f. 16.2.1696 – f/T – enterrado Nª Sª a Branca
- Máximo Francisco – f. 15.3.1696 – ‘foi doente para Braga, sepultado em S. Victor’ – h. filhos
- António Gonçalves, monte – f. 23.1.1697 – h. filhos – era pobre – filhos não quizeram ser h.
- Maria Gonçalves, viúva, Gualtar – f. 3.5.1697 – estava em casa filha, enterrado no adro desta
- João Ribeiro, criado Dr. Manoel Gomes da Costa – f. 8.5.1697 – ‘livrou-se de um crime com seguro e sua mulher presa, seu amo deu 300 reis’ – Padre João Antunes, encomendado
- Gabriel Fernandes, pousada – f. 16.6.1697 – f/T – h. filho Domingos Luís
- Maria Francisca, mulher de Domingos Gonçalves – f. 10.12.1697
- Ana Francisca, mulher de João Gonçalves, Santa Lucrécia – f. 4.2.1699 – enterrada nesta
- Domingos, solteiro, filho de Pedro da Rocha – f. 10.2.1699 – ‘morte de repente’
- Domingas Antunes, mulher de Manoel Fernandes, crasto – f. 1.8.1699 – f/T
- Padre Francisco de Carvalho, vigário que foi desta de S. Eulália de Tonões – f. 10.10.1699 – sepultado na capela mor – h. e t. Padre Cipriano Duarte, vigário de S. Victor - Padre João Antunes de Azevedo, vigário
- Philipa Fernandes – f. 23.8.1700 – h. mulher - Padre João Antunes de Azevedo, vigário
- Domingos Martins, monte – f. 15.8.1700 – h. mulher
- Domingas Gonçalves, monte – f. 27.2.1702 – f/T
- Ana da Silva, mulher de Miguel Leite, pica – f. 2.7.1702 – no hospital de Braga
- João da Costa, eira – f. 2.6.1703 - Padre João Antunes de Azevedo, vigário
- Francisco, filho de Domingos Rodrigues – f. 18.7.1703 – ‘afogado no rio cavado, azenhas da ribeira’ - Padre João Antunes de Azevedo, vigário
- André Fernandes, monte – f. 8.2.1704
- João Gonçalves, eira – f. 12.3.1704 – sepultado nesta igreja
- Gracia João, mulher de Sebastião Gonçalves – f. 8.9.1704 – h. mulher
- Serafina da Silva, mulher de Inácio de Oliveira, outeiro – f. 21.3.1705 – era pobre
- Manoel das Chagas, ermitão do Bom Jesus do Monte – f. 28.3.1705 – f/T Dr. Manoel Gomes da Costa - Padre João Antunes de Azevedo, vigário
- Senhorinha, solteira, filha de Pedro Gonçalves, pica – f. 15.9.1705
- Cristóvão, solteiro, filho natural de Cristóvão da Costa e Isabel Borges, ambos de Braga – f. 16.7.1706 – ‘afogado no rio cavado’ – era assistente nesta em casa de Diogo Luís, ribanhos
- Domingas Fernandes, mulher de Gonçalo Fernandes, pousada – f. 18.4.1707
- Maria Vieira, mulher de Domingos Antunes, crasto – f. 3.8.1707 – f/T
- Sebastião Gonçalves – f. 9.3.1708 – f/T – h. filha Hieronima
- Ana de Oliveira, mulher de Gonçalo Antunes – f. 22.3.1708 – h. filho Manoel Antunes
- André Gomes, baixetes – f. 15.11.1708 – h. Domingos Gonçalves, desta
- Manoel, filho de Feliciano de Oliveira e Sebastiana Gonçalves, monte – f. 19.10.1709
- Francisca Gonçalves, mulher de Hieronimo Gonçalves, nogueiras – f. 31.10.1709
- André Dias, soldado, no Alentejo, seu pai Manoel Dias, pica – mandou dizer oficio de 5 pares de alma em 23.3.1710 – Padre Bento da Costa, encomendado
- Mariana da Silva, mulher de Agostinho da Silva, monte – f. 28.1.1711 – h. seu terço filha Ilena e genro Geraldo da Silva - Padre Bento da Costa, encomendado
- Domingos Luís o madre?, monte – f. 25.2.1711
- Maria de Oliveira, mulher de Miguel João, outeiro – f. 20.7.1711 – pobre – Padre António Ferreira, vigário – 1º assento
- Maria Lopes, mulher de João Francisco, toural – f. 13.8.1711
- Andreza Rodrigues, mulher de Joseph Gonçalves, eira – f. 15.8.1711
- Francisco, solteiro, filho de João Francisco, toural – f. 17.8.1711
- Hieronima da Costa, mulher de João da Silva, outeiro – f. 23.8.1711 – pobre
- Maria Ferreira, mulher de João Francisco, baixetes – f. 18.9.1711
- Geraldo Antunes, solteiro, baixetes – f. 16.11.1711 – sepultado igreja de Nogueiró – h. irmão
- Mariana, solteira, filha de João da Costa, falecido e Gregoria de Oliveira, eira ou pica – f. 23.12.1711 - Padre António Ferreira, vigário
- Gregoria de Oliveira, viúva de João da Costa, eira ou pica – f. 30.12.1711
- Maria Antunes, mulher de João da Rocha, pica – f. 19.3.1712
- Costodia, solteira, filha de Jacome Gonçalves e Maria Francisca, monte – f. 22.3.1712
- Maria da Silva, mulher de Paulo da Rocha, torre – f. 29.5.1712 – em Braga na casa do genro Hieronimo de Freitas, sepultada na capela Nª Sª a Branca – h. filha Thereza da Silva
- Gonçalo Antunes, viuvo, nogueiras – f. 15.7.1712 – h. filho Manoel Antunes e Costodio Antunes, 13 missas pela alma sua irmã e filha do falecido Gregoria de Oliveira – sepultado na capela de Bom Jesus do Monte - Padre António Ferreira, vigário
- Domingos Antunes, crasto – f. 22.7.1712 - Padre António Ferreira, vigário
- Isabel Fernandes, mulher de João Francisco, baixetes – f. 19.12.1712
- Maria Nogueira, solteira, nogueiras – f. 29.1.1713  - pobre mendicante – seu sobrinho Manoel Antunes, mandou dizer 30 missas - Padre António Ferreira, vigário
- Francisca Gonçalves, viúva de Domingos João – f. 30.7.1713 – h. genro Feliciano de Oliveira
- Thereza Gonçalves, mulher de Francisco Gonçalves, monte – f. 19.12.1713 – pobre
- João, solteiro, ausente mais de 30 anos, seu pai Pedro Gonçalves, pica, mandou dizer 1 oficio de 5 padres, 9 lições pela sua alma em 5.3.1714 - Padre António Ferreira, vigário
- André, solteiro, ausente mais de 30 anos, sua mai Inácia Fernandes, viúva, monte, mandou dizer 30 missas pela sua alma em 3.4.1714 - Padre António Ferreira, vigário
- Maria Luís, mulher de Francisco da Costa, ribainhos – f. 25.2.1715
- Maria Domingues, viúva, S. Mamede de Ribeirão e assistente em casa seu filho Padre António Ferreira, vigário desta – f. 7.4.1715 – irmandade Nª Sª Purificação, S. Pedro de Este
- Ilena, solteira, filha de Agostinho da Silva, viuvo, monte – f. 6.10.1715
- Hilário Fernandes, pica – f. 10.1.1716 – irmandade NªSª Purificação S. Pedro de Este, confraria do subsino, desta – pobre - Padre António Ferreira, vigário
- Manoel Diasw, pica – f. 15.1.1716 – irmandade de Nª Sª Purificação e sobsino, desta
- Jacome Gonçalves, monte – f. 27.4.1716 – no hospital de S. João Marcos
- Miguel Leite. Monte – f. 12-5.1716 - Padre António Ferreira, vigário
- Senhorinha, solteira, baixetes, em casa sua tia Hieronima de Oliveira, solteira – f. 23.7.1716
- Inácia Fernandes, viúva, monte – f. 24.9.1716 – h. filha Maria Fernandes
- Hieronimo Gonçalves, viuvo, monte – f. 28.2.1717 – irmandade NªSª Purificação, S. Pedro de Este, irmandade de S. Braz, Gualtar, sobsino, desta – pobre
- Pedro Gonçalves, viuvo, baixetes – f. 4.5.1717 – h. filho de André Gonçalves, baixetes – com as confrarias NªSª da Purificação, sobsino - Padre António Ferreira, vigário
- Isabel Martins, mulher de Costodio da Costa, eira – f. 23.10.1717 – f/T – h. filho de João da Costa, com confraria de sobsino - Padre António Ferreira, vigário
- Agostinho da Silva, viuvo, monte – f. 21.4.1718 – sepultado na sepultura de seu pai – com as irmandade de NªSª Purificação, S. Pedro, Subsino, Almas, S. Victor – h. Geraldo da Silva e neta Maria - Padre António Ferreira, vigário
- Maria de Sepultura, viúva de Hilário Fernandes, toural – f. 28.10.1718 – irmandade da Purificação, S. Pedro, S. Braz, Gualtar, sobsino, desta – pobre
- Joseph, solteiro, 15 anos, filho de Domingos Rodrigues e Maria da Silva, pousada – f. 10.3.1719 – sepultado na Sé, em cuja freguesia servia como criado
- Catherina Fernandes, mulher de Domingos de Oliveira, alem, desta – f. 22.6.1719 – f/T – deixou seu terço filha Mariana – com a confraria do sobsino, S. S. S. Victor, Purificação, S. Pedro e S. Braz, Gualtar - Padre António Ferreira, vigário
- Martha Gonçalves, viuvo, outeiro – f. 22.11.1719 – faleceu em Gualtar na casa filho Estevao e sepultado lá – h. filho Estevao e filha Maria - Padre António Ferreira, vigário
- Benta Gonçalves, viúva, pica – f. 30.3.1720 – irmandade Purificação, confraria S. António, Espinho e subsino - Padre António Ferreira, vigário
- Santos de Oliveira, pica – f. 10.4.1720 – noticia certa de Vila da Torre de Dona Chama, Trás-os-Montes – era carpinteiro, mas acabou a vida pedindo - Padre António Ferreira, vigário
- Manoel Fernandes, viuvo, crasto – f. 24.1.1721 – f/T – h. filho Francisco Antunes e genro Domingos Fernandes - Padre António Ferreira, vigário
- Maria Antónia, mulher de Pedro Fernandes, pousada – f. 5.9.1721 – deixou a filha Costodia uma camisa linho e a touca - Padre António Ferreira, vigário
- Padre António Ferreira, vigário que foi desta – f. 24.12.1721 – capela-mor – confraria subsino
- André, solteiro, filho de Pedro Vieira e Paschoa Francisca, baixetes – f. 5.9.1722 – Padre António de Macedo, encomendado
- Manoel, filho de Costodio Francisco e Madalena de Faria, crasto – f. 20.4.1723 – Padre António de Macedo, vigário
- Juliana de Araújo, mulher de Manoel Antunes de Oliveira, nogueiras – f. 11.10.1723 – confraria de subsino, desta, S.Sacramento, S. Victor, S. Braz, Gualtar, NªSª Purificação, S. Pedro e S. António, Espinho - Padre António de Macedo, vigário
- Senhorinha Lopes, mulher de Costodio de Araújo, baixetes – f. 25.11.1723
- Andreza Gonçalves, viúva, pica – f. 6.1.1724
- Domingas Pereira, viúva, baixetes – f. 12.2.1724
- Pedro Fernandes, pousada, criado de D. Garcia de Noronha – f. 16.2.1724 – ‘acharam morto na cama por outro criado, numa quinta desta freguesia’ - Padre António de Macedo, vigário
- Simoa Francisca, viúva, natural Sobreposta, couto de Pedralva, assistente na rua de Maximinos, Santiago da Sé, Braga, em casa filha Maria Francisca – f. 27.7.1724
- Geraldo da Silva, monte, desta – f. 8.9.1724 - Padre António de Macedo, vigário
- Bartholomeo da Costa, crasto – f. 18.12.1724
- Maria da Costa, viúva, baixetes – f. 29.12.1724 – h. filho Costodio de Araújo
- João Gomes, órfão, filho de André Gomes, pica – f. 8.4.1725 – ausente como soldado – h. o tutor João Francisco, rua da regoa, S. Victor - Padre António de Macedo, vigário
- Angélica Ferreira, mulher de Domingos de Barros, baixetes – f. 22.9.1725
- Inácia da Costa, mulher de António Vieira, outeiro – f. 1.2.1726 – de parto
- Costodio Antunes, crasto – f. 25.2.1726 - Padre António de Macedo, vigário
- Catherina, solteira, filha de Geraldo da Silva, falecido e Joana da Silva, monte – f. 25.4.1726
- Simão de Faria, monte – f. 6.9.1726 - Padre António de Macedo, vigário
- Luís, solteiro, filho natural de Diogo Luís Erosa, baixetes – f. 29.4.1727 – por noticia certa no hospital de S. João Marcos - Padre António de Macedo, vigário
- Maria Fernandes, crasto – f. 8.11.1727 – h. filhas Ângela Luís e Maria Antunes
- Francisco Gonçalves, viuvo, pica – f. 9.1.1728 – h. irmã Mariana, solteira, morava com falecido - Padre António de Macedo, vigário
- Inocência Antónia, viúva, eira – f. 16.2.1728 – h. filho Joseph Gonçalves – ‘não engolia’
- António, solteiro, filho natural de Manoel Gomes e Maria Francisca, rua de maximinos, Santiago da Se´, Braga, 10 anos – f. 30.9.1728 - Padre António de Macedo, vigário
- Domingos de Oliveira, viuvo, pousada – f. 18.2.1729 – h. filha Mariana
- Maria Alvares, mulher de Domingos Fernandes Lima, ribainhos – f. 16.4.1729
- Domingas, solteira, filha de Domingos Rodrigues e Maria da Silva, pousada – f. 27.1.1730
- Maria da Costa, solteira, baixetes – f. 24.5.1730 – h. irmão Costodio de Araújo
- Paschoa, solteira, morinho, S. Pedro de Este – f. 29.7.1730 – em casa do cunhado Francisco de Oliveira – ‘havia tempos que estava avariada de juizo’ - Padre António de Macedo, vigário
- Maria Francisca, solteira, regatinho, desta – f. 12.8.1730 – pobre
- João Fernandes, monte – f. 25.10.1730 – por noticia certa no hospital de Vila Real de Mafra – como oficial pedreiro – informação dada por outros companheiros da obra
- António Fernandes, pousada – oficial pedreiro – f. 2.10.1730 – por noticia certa ter falecido no hospital real de Mafra, onde trabalhava - Padre António de Macedo, vigário
- Domingas Gomes, viúva, pica – f. 26.2.1731 – h. filha Isabel
- Rosa, solteira, filha de Joana da Silva, viúva, monte – f. 4.3.1731
- Gracia, solteira, arco – f. 9.7.1731 - Padre António de Macedo, vigário
- Hieronima Antónia, outeiro – f. 19.7.1731 - Padre António de Macedo, vigário
- Martinho Gonçalves, monte – f. 3.9.1731
- Costodio da Costa, eira – f. 9.5.1733 – h. filho João da Costa e agora Costodio Antunes
- Inez Gonçalves, mulher de Domingos da Costa, monte – f. 25.10.1733 – hospital S. João Marcos, por noticia certa - Padre António de Macedo, vigário
- Domingas Geraldes, viúva, monte – f. 11.1.1734
- Ângela Luís, viúva, monte de Simão de Faria – f. 24.6.1734
- Mariana Vieira, mulher de Hieronimo de Oliveira, monte – f. 29.6.1734
- Domingas Fernandes, mulher de Marcos Gonçalves, monte – f. 19.9.1734
- Maria Fernandes, viúva, monte – f. 19.11.1734
- Maria Francisca, reguengo – f. 11.12.1734 – ‘de um estupor que lhe tirou os sentidos’
- Manoel Alvares, outeiro – f. 28.12.1734 – por noticia certa no hospital de S. João Marcos
- Manoel, ausente 22 anos, filho de Francisco da Costa e Maria Luís, pousada – em 6.3.1735 – bens de alma a mando do juiz dos resíduos - Padre António de Macedo, vigário
- Maria Fernandes, mulher de Manoel Gonçalves, monte – f. 20.9.1735
- Francisco de Araújo, solteiro, natural campo de santa Ana, Braga – f. 18.11.1735 – em casa de Hieronimo de Oliveira, baixetes – pobre - Padre António de Macedo, vigário
- Domingos Rodrigues, pousada – f. 28.1.1736
- Costodio, solteiro, filho de Miguel de Faria e Maria Antunes, pica – f. 4.3.1736
- Costodia Francisca, mulher de Costodio de Oliveira, crasto – f. 9.4.1736
- Antónia, solteira, 10 anos, filha de Félix Rodrigues e Rosa Francisca – f. 30.4.1736
- Joana Fernandes, viúva, monte – f. 2.5.1736 – h. genro Manoel Pereira e Costodio da Silva
- Francisca Gonçalves, pousada – f. 29.8.1736 - Padre António de Macedo, vigário
- Brizida, solteira, assistente casa vigário desta, natural de Gualtar – f. 21.11.1736
- Hieronima Lopes, mulher de Salvador de Araújo, baixetes – f. 25.11.1736
- Domingos Gonçalves, viuvo, pousada – f. 17.1.1737
- Padre António de Macedo, vigário que foi desta – f. 27.2.1737 – capela-mor, teve oficio de 24 padres – h. seus pais João de Macedo e Catherina Francisca, Santiago de Atiães, termo de Prado – Padre Costodio Rodrigues Velho, vigário de Dadim e Nogueiró
- António Luís, filho de Diogo Luís e Thereza de Sousa, pica, baixetes – f. 11.2.1737 – Padre Domingos Antunes, vigário – 1º assento
- Marcos Gonçalves, viiuvo, baixetes – f. 6.3.1738
- Rosa Francisca, arco – f. 1.7.1738 - Padre Domingos Antunes, vigário
- Maria Fernandes, mulher de António Gonçalves, eira – f. 24.6.1738
- Feliciano de Oliveira, monte – f. 20.8.1738
- Sebastiana Gonçalves, monte, viúva de Feliciano de Oliveira – f. 21.8.1738
- Joseph Gonçalves, eira – f. 29.11.1738
- Padre Domingos de Araújo, Bom Jesus do Monte – f. 5.1.1739 – sepultado na capela do Bom Jesus do Monte – ‘achaque de vomitos’ - Padre Domingos Antunes, vigário
- Dª Rosa, filha de Diogo Luís Erosa e Dª Luísa Paiva, baixetes – f. 21.10.1739 – sepultada na capela de Nª Sª a Branca, S. Victor - Padre Domingos Antunes, vigário
- Joseph Monteiro, filho de Francisco Monteiro, assistente pousada – f. 24.1.1740
- Francisco, solteiro, filho de Pedro Vieira e Paschoa Francisca, canhotas – f. 1.5.1740
- Joana da Silva, viúva, monte – f. 25.6.1741 - Padre Domingos Antunes, vigário
- Maria, solteira, monte – f. 14.3.1742 – tinha legitima de mai e mãe – no hospital de S. João Marcos, por noticia certa - Padre Domingos Antunes, vigário
- Domingas, solteira, filha de Feliciano de Almeida e Sebastiana Gonçalves, falecidos, monte – f. 18.3.1742 – por noticia certa, no hospita de S. João Marcos - Padre Domingos Antunes, vigário
- Maria Antunes, mulher de Miguel de Faria, monte – f. 23.6.1742
- Jacinto de Oliveira, monte – f. 25.12.1742
- Maria da Silva, viúva, pousada – f. 28.12.1742 – h. filho João Rodrigues
- Pedro Vieira, canhotas – f. 3.1.1743 - Padre Domingos Antunes, vigário
- Maria Dias, viúva, monte – f. 23.1.1743 – h. genro Costodio Fernandes
- Damazia Francisca, mulher de Inácio Francisco, telhado – f. 23.1.1743
- António, filho de Salvador de Araújo e Hieronima Lopes, falecida, baixetes – f. 12.3.1743
- Joseph Martins, viuvo, Bom Jesus do Monte – f. 13.12.1743 – na capela do Bom Jesus do Monte, com licença de Sua Alteza o Arcebispo D. Joseph de Bragança
- Gracia, solteira, filha de Manoel Gonçalves e Antónia Francisca, costa, Espinho e de presente no telhado, desta – f. 15.12.1743 - Padre Domingos Antunes, vigário
- Francisca Antunes, mulher de Domingos Fernandes, crasto – f. 18.1.1744 – confraria do Mártir S. Sebastião desta - Padre Domingos Antunes, vigário
- Escolástica Vieira, viúva, eira – f. 27.3.1744
- Pedro, solteiro, filho de Marcos Gonçalves, monte, ausente mais de 15 anos – pelo juiz dos resididuos obrigado Domingos Ferreira, monte a fazer obrigações – 29.5.1744
- André Gonçalves, pica – f. 12.8.1744 – h. mulher Andreza Antunes do seu terço
- Paschoa Francisca, viúva, toural – f. 5.10.1745
- Costodio de Araújo, viuvo, baixetes – f. 16.10.1745 – h. filho Salvador de Araújo
- João, solteiro, filho de António Francisco e Senhorinha Vieira, pousada – f. 23.10.1745
- Joseph Ferreira, hermitão, capela do Bom Jesus do Monte – f. 8.1.1746 – faleceu em Braga em casa defonte Sª a Branca e sepultado na capela dos Terceiros, S. João do Souto
- Salvador de Araújo, baixetes – f. 9.1.1746
- Maria, solteira, filha de Francisco Gonçalves e Gracia Antunes, crasto – f. 20.1.1746
- Diogo Luís Erosa, baixetes – f. 5.4.1746 – f/T sepultado na capela NªSª a Branca – h. filho Gabriel Luís Erosa, deixou 240 missas, oficio 40 padres, com irmandades Purificação, S. Pedro, S. Braz, Gualtgar - Padre Domingos Antunes, vigário
- Margarida Lopes, natural de S. Martinho de Silvares, veio para nogueiras casa filho Manoel Fernandes, para se curar – f. 14.4.1746
- Félix da Rocha, torre – f. 27.5.1746 – ‘acidente, debaixo de uma barreira quando tirava barro’
- Dª Joana, solteira, filha de Dª Luiza de Paiva, viúva, baixetes – f. 30.5.1746 – na capela de santa Ana, S. Victor - Padre Domingos Antunes, vigário
- Pedro Rodrigues, morador porta do Souto, S. João do Souto – f. 6.7.1746 – f/T – sepultado na capela do Bom Jesus do Monte, acompanhado lpor 20 padres a cavalo, com licença de S. Alteza D. Joseph de Bragança, arcebispo - Padre Domingos Antunes, vigário
- Mariana Gonçalves, pica – f. 19.8.1746
- Hieronima de Oliveira, monte – f. 7.9.1746
- Hieronimo de Oliveira, solteiro, baixetes – f. 18.10.1746 – h. Dionizia Vieira, viúva de Salvador de Araújo, baixetes, com a obrigação de lhe fazer os bens de alma
- Hieronimo Dias, costa, Espinho, vindo de Braga – f. 8.11.1746 – sepultado nesta
- Andreza Antunes, viúva de André Gonçalves, pica – f. 2.6.1747
- Mariana de Oliveira, solteira, pousada – f. 21.10.1747 – f/T
- Mariana Antunes, mulher de Francisco Gonçalves, monte – f. 30.11.1747 – f/T
- Maria da Rocha, mulher de António da Rocha, monte – f. 2.1.1748
- Maria da Silva, monte – f. 7.4.1748 – f/T – h. marido Manoel Pereira, dos seus terços
- Gracia Antunes, mulher de Francisco Gonçalves, crasto – f. 22.8.1748
- Domingas Cerqueira, mulher de Inácio de Oliveira, pousada – f. 19.9.1748
- Manoel Antunes de Oliveira, nogueiras – f. 25.1.1749 – f/T – h. filho António Antunes
- Domingos Fernandes, viuvo, monte – f. 25.3.1750 – no hospital de S. João Marcos – h. filha Gracia Antunes e genro Francisco Gonçalves - Padre Domingos Antunes, vigário
- Padre Domingos Duarte, capelão do Bom Jesus do Monte – f. 15.6.1750 – sepultado na capela do Bom Jesus do Monte, por seu desejo, teve oficio de 20 padres
- João Vieira, hermitão da capela do Bom Jesus do Monte – f. 22.6.1750 – no hospital de S. João Marcos e sepultado na capela de S. Vicente, acompanhada da irmandade de S. Vicente de que era irmão - Padre Domingos Antunes, vigário
- António, solteiro, filho de Manoel Pereira, monte – f. 31.7.1750
- Domingos Fernandes, viiuvo, monte – f. 25.4.1750 – h. genro Francisco Gonçalves, no hospital de S. João Marcos - Padre Domingos Antunes, vigário
- Clara, filha de António Vieira e Maria Fernandes, monte – f. 8.4.1751 – hospital S. Marcos
- Rosa Fernandes, mulher de João Marques, baixetes – f. 9.7.1751 – ‘vomitos continuos’
- Oficio pela alma  Sr D. João, que Deus os Tenha em Eterno Descando – s/d
- Catherina Rodrigues, mulher de Francisco de Oliveira, pousada – f. 2.12.1751
- Domingos Rodrigues, solteiro, pousada, ausente nas partes da América a mais de 30 anos, o juiz dos resíduos determinou a feitura de bens de alma pelo irmão Francisco Rodrigues, S. Pedro de Este, com 4.000 reis por conta de João Francisco, baixetes, que tinha a sua legitima em mão - Padre Domingos Antunes, vigário

Padre com IG desta freguesia:
1)* - Manoel Joseph da Cunha, Pasta 677, Procº 15832, de 9.6.1724, residente na Cividade, Braga, n. 21.10.1703, P. licenciado Manoel Pessoa e por procurador da madrinha Ilena do Espírito Santo Pereira, João Ozorio, tio do baptizado, todos de Braga, Padre João de Oliveira
a) Filho de João Pereira (Barroso), natural da rua nova, Sé e Catherina Luiza da Cunha, campo de Santiago, Cividade, onde vivem das suas fazendas
b) Neto paterno de João Pereira, rua nova, Se e Ana de Oliveira, rua dos chãos de baixo, S. João de Souto e mercadores na rua nova, Cividade
c) Neto materno de Timotheo da Cunha Ozorio, escrivão do cabido da Se, S. Victor e Dª Antónia da Cunha Ozorio, natural de Sipois na Labruja, Ponte de Lima e moradores no campo de Santiago, Cividade
[Padre João de Oliveira, era irmão inteiro da avó paterna, Ana de Oliveira, S. João de Souto]

Ermitão’s da ermida do Bom Jesus
1º - Pedro do Rosario, ermitão do Bom Jesus – f. 11.12.1661 – sepultado na hermida
2º - Pedro de S. Francisco, ermitão – f. 12.6.1685
3º - Manoel das Chagas, ermitão do Bom Jesus do Monte – f. 28.3.1705
4º - Padre Domingos de Araújo, capelão da Capela de Bom Jesus do Monte – 1726

TTonline
Memoria paroquial de 5.5.1758, vol, 36, nº 42, pag. 239-256
Santa Eulália, subordinada ao Deão da Sé
14 lugares: arco 2, baixetes 3, Bom Jesus do Monte 3, canhotas 1, crasto 2, eira 5, monte 17, nogueiras 3, pica 1, pousada 7, reguengo 4, ribainhos, 4 telhado 8, torre 1, toural 3,
11 moinhos e 1 lagar de azeite
Padre Domingos Antunes Barroso, vigario

Historia
Esta começa por ser uma devoção à Cruz levantada em sítio ermo, no século XV, já organizada em pequena ermida situada a meia encosta, em 1522 substituída por nova igreja. Em 1629 está na origem da construção de pequenos nichos devocionais e desenvolvimento da devoção dos passos da Via Crucis e Paixão de Cristo que sustentarão os progressos da devoção e das romagens populares ao longo de século XVII.
Em 1721-22 D. Rodrigo de Moura Teles assumirá a revitalização da confraria em crise, erigir-lhe-á as capelas de maior dimensão e os escadórios que permitirão o viático ascensional, escada de Jacob em pedra que permitirá a aproximação até à morte, ressurreição e ascensão de Cristo. As Memórias são efectivamente uma pormenorizada descrição deste conjunto do Bom Jesus do Monte da Falperra que dificilmente se verá descrito com tanto rigor noutros textos coevos e posteriores.
O Memorialista fixa bem o estado dos trabalhos em 1758 quando redige a Memória: acabara-se a construção da capela da Ressurreição, construída «à moda moderna», iniciavam-se os trabalhos nas 2 últimas capelas do Terreiro dos Evangelistas (bem como respectivo chafariz) porque a da Ascensão estaria ultimada.
Em contrapartida nada nos refere sobre os projectistas, os riscadores, os artistas e artífices destas obras e pouco sobre os seus financiadores para além da referência ao Arcebispo e Confraria. D. Rodrigo de Moura Teles é aí justamente fixado como o grande responsável e impulsionador das obras que dariam ao Bom Jesus o seu aspecto moderno, pelo que fez e pelo dinheiro que lhe deixou a juro, mas refere-se também ao papel da Confraria a às receitas provenientes do aluguer das vendas no local.
À romaria acorrem «fúrias de gente», relata o vigário Barromão, não deixando de referir que uns para o bem outros para o mal, gastando muitos suas «sustâncias» em pecados e em comidas, fazendo-se eco dos excessos praticados nestas romagens.
Logo o Bom Jesus do Monte se tornará o mais monumental e irradiante santuário em grandeza e arte em Portugal e Brasil, jóia impar no conjunto dos santuários de Via Crucis na Europa Barroca como tem sido justamente salientado.
E mais se afirmará como centro de enorme concorrência devocional, em grande crescendo ao longo de século XVII com o seu apogeu no decurso desta primeira metade do século XVIII, que as autoridades bracarenses querem confrontar e afirmar em impacto regional com Santiago da Galiza.
O santuário e a devoção atingirão efectivamente o seu apogeu a meados do século XVIII quando uma vez reabertas as comunicações com Roma (pós 1760), a pedido da Confraria e com atestação do Arcebispo, o Papa lhe concede a Bula do Jubileu do Bom Jesus do Monte que o equipara em bênçãos e graças a Santiago de Compostela.
Relata Inácio José Peixoto que reabertas as nossas relações políticas com Roma em 1760, os devotos da Confraria pediram e obtiveram do Papa Clemente XIV «o maior e mais amplo jubileu... como o de Santiago de Compostela». Pombal proibirá em 1774 a publicação do jubileu com o argumento que punha em causa o poder real e a Igreja Nacional e era causa de maiores abusos e imoralidade nas grandes romarias a que dava azo.
Afastado o Ministro restaurar-se-ia o jubileu com grandes e estrondosos festejos que as circunstancias exigiam. A construção deste conjunto monumental e artístico em paralelo com o impulso da radiação da sua devoção e romaria é, sem dúvida, o maior investimento político-religioso em que se envolvem as autoridades e eclesiásticos, mas também os demais segmentos da sociedade bracarense, burguesia mercantil, confrarias, artistas, artífices e povo da cidade de Braga, mas também de toda a sua Diocese na construção de um ponto de referência e dominação regional.
Na altura em que se escrevem estas Memórias a obra do Bom Jesus está a atingir como se referiu o seu acúmen. E isto apesar das dificuldades que nesta fase última lhe são levantadas pelo Pombalismo (1750-1775) em guerra rigorista contra certas manifestações religiosas que acusa as romarias de serem ocasião de «concitação e tumulto dos povos; negociações sórdidas nas estalagens e casas do santuário; galhofas nas romarias e até indecencies.

Descrição
Monte Santo composto por enorme escadório, onde se implantam as capelas da Via Sacra, várias fontes e, no topo, a Igreja. O caminho ascensional inicia-se num pórtico assente sobre alta plataforma, com acesso por escadório em leque, ladeado por duas fontes de mergulho, em nicho de volta perfeita, com tanque semicircular. O portal, propriamente dito, é de volta perfeita assente em impostas salientes, com cunhais almofadados, tendo, no fecho, as armas do arcebispo D. Rodrigo de Moura Teles. Junto a este e protegidas por muros, duas capelas quadrangulares, rebocadas e pintadas de branco, com coberturas a quatro águas, acesso por portal em arco de volta perfeita e iluminadas, nas fachadas laterais, por óculos; nelas surgem representados os episódios da Última Ceia, composto por uma mesa, onde se sentam Cristo e os Apóstolos e, no lado esquerdo, um servo de pé, e Cristo no Horto, contendo 5 imagens, um Anjo, Cristo e 3 Apóstolos adormecidos (Pedro, Tiago e João). Seguem-se trinta e nove lanços de escadas ziguezagueantes, onde se implantam capelas de planta octogonal, com cunhais em cantaria e remates em friso e cornija, rasgadas por portal axial de verga recta, encimado por frontão semicircular e por escudo, surgindo, nas faces imediatas, janelas rectilíneas, encimadas por frontão com o mesmo perfil do portal. A primeira é a Capela da Traição, possuindo, no interior, uma pintura de paisagem, criando o fundo para as 11 imagens; no lado esquerdo, a fonte de Diana, surgindo, no espaldar contracurvado, os seus atributos (mão, aljava e arco); segue-se a Capela das Trevas, contendo a imagem de Cristo com as mão atadas e olhos vendados, surgindo, à direita, a fonte de Marte, com espaldar contracurvado encimado por pináculos, onde surgem os respectivos atributos bélicos. A Capela da Flagelação tem o fundo pintado a representar Jerusalém e a figura escultórica de Cristo atado a uma pequena coluna; à esquerda, a fonte de Mercúrio, de espaldar decorado pelo caduceu. A Capela da Coroação de Espinhos encontra-se ladeada pela Fonte de Saturno, identificada por uma inscrição e pelos seus atributos, um braço com uma foice. Partindo desta, acede-se a um terreiro de perfil curvilíneo, onde se implantam duas capelas octogonais, com a representação do "Ecce Homo" e do "Caminho do Calvário". Daqui parte o escadório, subdividido em duas partes distintas, que termina no templo. O início das escadas é marcado por duas colunas helicoidais, tendo no topo uma serpente, de onde jorra a água. Chega-se, então, a novo terraço com duas capelas hexagonais, representando "Cireneu" e a "Crucificação". A partir deste, evolui o Escadório dos Cinco Sentidos, com lanços convergentes e divergentes a partir de um eixo simétrico, com os terreiros sustentados por muros de alvenaria, rebocados e pintados de branco, com pilastras de cantaria granítica, tendo seis fontes distribuídas ao longo do eixo da simetria. a primeira denominada das Cinco Chagas, com cinco bicas e taça encimada pelos instrumentos de tortura (corda, martelo e azorrague), com espaldar volutado e remate em cruz. Seguem-se, em cada patamar, cinco fontes graníticas, alusivas aos cinco sentidos, cada uma delas ladeada por esculturas figurando personagens do Antigo Testamento e inscrições latinas: a fonte alusiva à visão, com as imagens de Jeremias e Moisés, a da audição, com as esculturas da Esposa dos Cantares e de David; a fonte ligada ao olfacto com Sunámites e Noé, seguida por a Fonte do Olfacto com as imagens de Esdras e Jónatas; segue-se a Fonte do Paladar, ladeado pelas imagens de Isaías e Isaac. Chega-se, então, a amplo terraço, de onde parte o Escadório das Virtudes, composto por três lanços com muros semelhantes aos do escadório anterior, mas com urnas sobre as pilastras, surgindo, no eixo, fontes com as figuras da Fé, Esperança e Caridade, ladeadas por esculturas alegóricas, representando a Confissão, Docilidade, Glória, Confidência, Paz e Benignidade. No penúltimo patamar, duas capelas onde se representa o "Arrependimento de São Pedro" e "Maria Madalena", de estrutura semelhante às dos Passos da Paixão. Segue-se pequeno lanço de escadas que leva ao Terreiro de Moisés, onde se encontra a Fonte do Pelicano, dois obeliscos e duas capelas, dedicadas ao Levantamento da Cruz e à Descida da Cruz, surgindo, à esquerda desta, a estátua de São Longuinhos. No adro da Igreja, sobre plintos, as esculturas em granito de Anás, Pilatos, Herodes, Caifás, José de Arimateia, Nicodemos, Centurião e Pilatos. Deste sai a escadaria para o Largo das Três Capelas, à esquerda, e para o adro da IGREJA, a qual tem planta em cruz latina, transepto pouco desenvolvido com capelas nos topos, de perfil poligonal, cujo cruzeiro é iluminado por lanternim octogonal, capela-mor profunda e também de perfil poligonal e galilés fechadas, adossados a cada uma das fachadas laterais, com coberturas diferenciadas a duas águas na nave e capela-mor, a uma nas galilés, quatro no laternim, três nos braços do transepto e semicúpula encimada por fogaréus nas capelas deste. Fachadas rebocadas e pintadas de branco, percorridas por embasamento de cantaria, cunhais com pilastras toscanas e remates em duplo friso e cornija com pináculos em fogaréu no transepto e lanternim. Fachada principal harmónica, tendo, no corpo central, dois registos, divididos por friso e cornija. O inferior divide-se em três panos, demarcados por quatro colunas toscanas, surgindo, no central, pórtico de verga recta e, nos laterais, dois nichos de volta perfeita, encimados por frontão triangular e contendo as esculturas dos profetas Jeremias e Isaías, encimados por lápides com inscrições. O registo superior e igualmente dividido em três eixos, marcados por pilastras jónicas com fustes lisos, o central com vão semicircular e os laterais rectilíneos, rematados por friso e frontão semicircular. Abrem para varanda balaustrada, onde assentam os quatro Evangelistas. O corpo central é rematado por frontão, tendo representados em relevo símbolos da Crucificação, com cruz latina no vértice e urnas em fogaréus nos ângulos. As torres, ligeiramente recuadas, evoluem em quatro registos divididos por cornija. No inferior, janelas de perfil rectilíneo, encimadas por cornija contracurvada; no segundo, janela de varandim protegida por guarda balaustrada, com espaldar interrompido em volutas e por óculo circular, sendo o terceiro cego e, no superior, sineiras em arco de volta perfeita assentes em impostas salientes, tendo friso e remate em frontão semicircular. Sobre este, pequeno óculo e remate em cornija contracurvada, tendo cobertura em coruchéu bolboso e fogaréus nos ângulos. As fachadas laterais são semelhantes, marcadas pelos volumes escalonados da nave, anexos e transepto: a nave é rasgada por seis janelas rectilíneas, formando duplo clerestório, acedida lateralmente pelas galilés fechadas, com porta de verga recta de moldura recortada e remate em friso e cornija curva, sendo iluminado por dois óculos elípticos. O transepto, à mesma altura da nave, é rasgado, no topo, por janelão rectilíneo, tendo, mais baixo, o remate poligonal com vãos nos cinco panos, formando janelas rectilíneas, dois óculos ovais e, no topo, fresta jacente. A capela-mor é rasgada por três janelas rectilíneas. O lanternim tem vãos em todos os panos, alternando entre janelas rectilíneas e óculos circulares. INTERIOR com duas galilés de dois tramos, definidos por pilastras toscanas, com paredes rebocadas e pintadas de branco, percorridas por azulejo de padrão polícromo, formando silhares, com cobertura em abóbadas de aresta e pavimento em soalho. A do lado do Evangelho possui, sobre supedâneo, estrutura retabular com o Crucificado. A nave é em cantaria de calcário branco e vermelho, com pavimentos em lajedo de granito e cobertura em abóbada de lunetas, assente em duplo friso e cornija, com pinturas formando apainelados e medalhões centrais com glórias de anjos. Nave de cinco tramos, definidos por pilastras de fuste liso e capitéis coríntios, da ordem colossal, que se prolongam na cobertura em arcos torais, tendo teia de madeira, formando um U e protegendo as capelas laterais. O primeiro tramo é ocupado pelo coro-alto, em cantaria, formando arco em asa de cesto, assente em quatro consolas e possuindo guarda balaustrada do mesmo material. O segundo forma vão em arco de volta perfeita, de acesso às galilés, encimadas por tribuna de perfil contracurvado com guarda balaustrada, a do Evangelho com grande órgão de tubos, de talha policromada de branco e dourada. Os tramos imediatos têm duas capelas retabulares confrontantes, inseridas em vão de volta perfeita, assente em pilastras toscanas, contendo retábulos de talha policromada e dourada com cenas da vida de Cristo; são encimadas por janela protegida por guarda balaustrada assente em consolas e rematadas por cornija e pedra de fecho saliente. O transepto, pouco desenvolvido, apresenta os topos com pinturas murais de geométricos e elementos fitomórficos sobre o fundo vermelho; nas pilastras que ligam à nave, surgem os púlpitos quadrangulares, com bacia de cantaria e guardas de talha com elementos dourados, tendo acesso pelo muro através de porta em arco abatido. Nas paredes laterais, superiormente, dois nichos de volta perfeita, contendo os Quatro Doutores da Igreja (Santo Ambrósio e São Gregório Magno, no lado do Evangelho, e São Jerónimo e Santo Agostinho, no oposto). Nos topos, duas capelas profundas com acesso por arco de volta perfeita assente em colunas toscanas, com as coberturas e paredes apresentando pintura decorativa, com portas e janelas encimadas por sanefas e tendo, nas paredes testeiras, retábulos de talha policromada e dourada, dedicados a Nossa Senhora da Soledade, no Evangelho, e a São Clemente, na Epístola. As capelas colaterais, sobre supedâneo de dois degraus, têm retábulo de talha dourada inserido em vão de volta perfeita, dedicados a Nossa Senhora de Fátima (Evangelho) e a Nossa Senhora das Dores (Epístola). O lanternim, com cobertura em cúpula, tem florão central em talha dourada, tendo os panos da cúpula pintados, com fundos cinzentos ou dourados, estes com armas pontifícias ou de bispos. As trompas da a cúpula são pintadas com geométricos, a "grisaille". Arco triunfal de volta perfeita acede à capela-mor, protegida por teia em calcário, formando balaústres, com portadas metálicas no centro; esta divide-se em dois tramos, divididos por pilastras semelhantes às da nave, e em dois registos, divididos por friso; a cobertura, em abóbada de lunetas, apresenta pintura de geométricos e elementos vegetalistas, com medalhões circulares centrais a representar anjos a segurar os instrumentos da Paixão. Nos dois primeiros, duas pinturas ovaladas, a representar cenas da vida de Cristo, rodeada por cartela com o mesmo perfil de fundo cinzento e decoração de "ferronerie", envolvida por friso rectilíneo vermelho com motivos fitomórficos, módulo que se repete no segundo tramo, a envolver as portas de verga recta com moldura recortada e dupla cornija, a superior contracurvada. No registo superior, janelas semelhantes às da nave. No topo da capela-mor, surge a representação de um Calvário, com figuras de tamanho natural, estando o Cristo enfatizado por estrutura arquitectónica de perfil circular, constituída por quatro colunas coríntias, que suportam entablamento e baldaquino em forma de coroa, rematada por vasos de flores; a figura de Cristo é enquadrada por pilastras também coríntias, que sustentam dossel com cortinas e sanefa. Em patamares acima da igreja, surgem, ainda, dois terreiros com capelas, onde se desenrolam episódios posteriores à morte de Cristo, o primeiro com a representação da "Deposição" e "Ressurreição", aparecendo, no último, de estrutura octogonal, uma fonte cental, tendo a Capela do Encontro de Emaús, a Capela da Ascenção e a da Aparição a Santa Maria Madalena, surgindo, ainda, as esculturas dos Evangelistas, São Marcos, São Lucas, São João e São Mateus. As Capelas são hexagonais, rebocadas e pintadas de branco, percorridas por embasamento e com pilastras nos ângulos, com cobertura piramidal; é rasgada por portal em arco abatido, com moldura recortada e orelhas de concheados e acantos, sendo encimado por amplo espaldar profusamente decorado, que remata por pequeno frontão triangular; as janelas dos panos imediatos, com os extremos curvos, apresentam moldura contracurvada, também decorada com concheados, enrolamentos e acantos.

Cronologia
1373 - mencionada, pela primeira vez, a existência de uma ermida no local, dedicada a Santa Cruz; 1494 - construção de uma segunda ermida, por ordem do arcebispo D. Jorge da Costa ; 1522 - o deão da Sé, D. João da Guarda, mandou executar uma terceira ermida, tornando-se então um local de muita devoção; 1629 - reedificação da capela, consagrada ao Bom Jesus, sendo colocada uma imagem de Cristo Crucificado; constituição da primeira confraria, que zelou pela conservação e aumento do recinto, com a construção de casas para abrigo dos romeiros e das primeiras capelas dos Passos da Paixão, em forma de pequenos nichos, dedicados a Descida da Cruz, Deposição no túmulo, Ressurreição e Ascensão; nomeação do primeiro ermitão, Pedro do Rosário; 1722 - o arcebispo D. Rodrigo de Moura Teles autonomeou-se juíz da Confraria e decidiu empreender a reconstrução do pequeno santuário, encarregando provavelmente Manuel Pinto de Vilalobos de fazer o plano geral, com o alargamento e regularização das rampas, construção de oito novas capelas, de que apenas restam as duas primeiras, e o escadório dos 5 Sentidos, sendo algumas das esculturas da autoria de António Campos Peixoto e os plintos do pedreiro Ambrósio dos Santos; o bispo deixou em testamento a quantia de cinco mil cruzados para a conclusão das obras; 1723 - construção do pórtico iniciador do percurso, junto ao qual foi feita uma fonte, no ano imediato, actualmente desaparecida; 1725 - estava concluído o novo templo; 1729 - arranjo das capelas da Via Sacra; execução de novo grupo escultórico para a Capela da Descida da Cruz, por António Monteiro, pela quantia de 52$800; a primeira fonte do Escadório dos Sentidos denominava-se Fonte dos Sete Castelos; feitura de um relicário em prata; 1732, 23 Setembro - reforma da Capela da Última Ceia, com colocação de betume; 1735, 29 Dezembro - resolução de reformar o grupo escultórico da Capela da Coroação, para rodear a nova imagem de Cristo, doado pelo cónego Manuel Correia da Silva; 1737 - execução do grupo escultórico para a Capela do Enterro; 1736 - 1740 - feitura do grupo escultórico da Capela da Descida da Cruz, por António Monteiro, importando em 52$800; colocação de betume no zimbório da mesma capela, por Jerónimo Gonçalves, por 5$340; obras de pedraria na Capela da Assunção; 1740 - no inventário efectuado nesta época, é referida a existência de 12 capelas, aparecendo quatro novas, acima da igreja; 1741 - 1742 - execução da Capela da Ressurreição, fazendo-se as figuras para a capela, pintadas por João Coelho, que também pintou o túmulo e as portas; 1744, 21 Abril - decisão de desmontar a Fonte dos Sete Castelos e construir a das Cinco Chagas, da autoria de Diogo Soares, por 19$200; 1745 - 1750 - sucessivos pagamentos a António de Campos Peixoto, pela execução de esculturas em pedra, num total de 122$000; 1749 - decisão de demolir a Capela do Enterro, para construir o Passo noutro local; 1749 - 1751 - execução dos plintos das figuras do escadório dos Sentidos por Ambrósio dos Santos, importando em 82$960; séc. 18, 2.ª metade - construção do Escadório das Virtudes, por ordem do bispo D. Gaspar de Bragança; pintura das telas que ornavam as capelas da nave, actualmente no Museu, por Pedro Alexandrino de Carvalho; 1750 - 1752 - execução de uma capela por Dionísio Félix de Gouveia, por 56$800; 1750 - 1760 - construção do Terreiro dos Evangelistas; 1751 - 1752 - execução de paredões no jardim, pelo pedreiro João Loureiro, por 1$600; obras no jardim por Domingos Dias Galego, importando em $960; assentamento do tanque e feitura dos canos por Ambrósio dos Santos, que recebeu 6$600; pagamento a Manuel Vivas pelo acrescento de um chafariz e obras na capela, por 6$175; 1752 - 1753 - feitura de arruamento acima da Capela da Ressurreição e colocação de pedra no pátio, por 12$120; feitura das ilhargas das Capelas do Calvário e do Senhor da Cana Verde pelo pedreiro João Domingues, por 3$440; obras na nova capela e assentamento da fonte do Cupido por 76$235; 1755 - 1756 - execução de uma figura para o tanque, por Domingos Ferreira, importando em 7$600; 1756 - 1757 - feitura dos pináculos da nova capela por Manuel Vivas, por 28$590, sendo as figuras delineadas pelo Padre Silvestre Campos; 1757 - 1758 - António Monteiro executa as figuras por 5$600; 1758 - 1759 - o Padre Silvestre Campos faz o modelo para a imagem do Cristo Ressuscitado, por $960; 1759-1760 - pagamento da imagem de um fariseu para a Capela do Calvário, feita por Domingos António, por 4$000; o pedreiro Manuel Vivas desmantelou a Capela da Assunção, levando a pedra para o terreiro da nova, sendo as imagens compostas por Domingos António e Manuel José Gonçalves; 1760 - 1761 - Padre Silvestre Faria de Campos faz modelos para as duas Marias, por $720; António Ferreira e Cristóvão José Farto construíram a nova capela, sendo as figuras compostas por Domingos António e Manuel José Gonçalves e o Cristo da autoria de António Pinto, por 12$800; as imagens foram pintadas por António José da Rocha e Manuel Pinto e assentes pelo pedreiro Caetano Lourenço; 1762 - 1765 - risco das três Capelas do Terreiro dos Evangelistas, provavelmente da autoria de André Soares; as capelas foram executadas pelos pedreiros António Ferreira, Cristóvão José Farto, Caetano Lourenço, Francisco Soares e Manuel Vivas; feitura de quatro fontes e chafariz central, sendo o conjunto pago pelo confrade Manuel Rebelo da Costa, executadas por Ambrósio dos Santos, José de Sousa, Custódio Luís Soares e Manuel Vivas; as imagens para as capelas, segundo risco do Padre Silvestre de Campos, foram executadas por António Monteiro e pintadas por Matias de Lis de Miranda, José Inácio, João Teixeira e filho, José Galego e José Alves; feitura de uma fonte na Rua que sai da Capela da Descida da Cruz, por José de Sousa; 1762 - 1768 - pintura do grupo escultórico para as Capelas da Deposição e Ressurreição, por Matias de Lis de Miranda, segundo modelos do Padre Silvestre de Campos; 1764, 27 Julho - decisão de demolir a Capela do Enterro e aproveitar a pedra para a construção da casa do capelão e dos romeiros; 1765 - execução de novo retábulo-mor, onde trabalhou o entalhador João Bernardo da Silva, pago pelo Padre António Ferreira; 1765 - 1766 - feitura da fonte junto à Capela da Descida da Cruz, por Domingos Fernandes; 1770, 21 Maio - acrescento da igreja e da sacristia por Francisco Tomás da Mota; 18 Julho - substituição do Calvário da sacristia; execução do sacrário pelo entalhador Vicente José Correia; 1770 / 1771 - feitura do retábulo do Santíssimo Sacramento; 1771 - termina a construção da Capela da Ressurreição; 1773 - oferta da imagem italiana do Crucificado, por D. Gaspar; 3 breves com indulgências para quem visitar o templo; 1774, 22 de Abril - edital da Real Mesa Censória impõe a substituição das divindades pagãs que se encontravam nas fontes do Escadório dos Cinco Sentidos (Argos, Orfeu, Jacinto, Ganimedes e Midas) por figuras vigilantes; 1779 - Filipe Dias encarnou e pintou os bustos para a Capela dos Relicários; Março - feitura de um órgão pelo irmão Filipe Dias; 1780, 5 Julho - Carlos Luís Ferreira da Cruz Amarante e o pedreiro Paulo Vidal visitaram o local, para avaliar a implantação da futura igreja; 1781 - acréscimo do retábulo-mor por João Bernardo da Silva, sendo a pintura de Francisco José, por 51$020; 22 Junho - apresentação do risco da igreja e escadório das Virtudes, sob encomenda directa do arcebispo D. Gaspar de Bragança, preterindo-se um segundo risco, da autoria de João Bernardo da Silva; 27 Junho - começaram os desaterros; 1784, 1 de Junho - lançada a primeira pedra da igreja, ficando as obras a cargo do pedreiro António José Lopes; 1788 - a igreja ameaçava ruína da abóbada, tendo esta sido substituída por vigamento de madeira; construção de um pátio entre as Capelas da Última Ceia e de Cristo no Horto; reforma dos conjuntos escultóricos das Capelas da Prisão de Cristo, Cristo no Horto, Crucificação, Descida da cruz, Ressurreição e Ascensão, segundo projecto do teólogo franciscano Padre Manuel de Santa Ana; abertura de um óculo na frontaria da Capela da Ressurreição e execução de algumas imagens por António Monteiro; 14 Julho - no cumprimento das ordens da Real Mesa Censória, as esculturas foram rebaptizadas e executadas novas inscrições; 1789 - a actual Capela das Trevas era dedicada à Coroação; séc. 19 - construção das capelas do Ecce Homo e Caminho do Calvário, bem como o respectivo pátio; 1802 - início da feitura do retábulo-mor, delineado por Carlos Amarante e executado pelo entalhador João Martins Coelho; 1802 - 1803 - escultura do retábulo-mor por José Luís Correia, pintado por Manuel António, e feitura do retábulo por Manuel José Correia; execução das grades da capela-mor por Jerónimo Francisco; 1803, 20 Agosto - resolve-se abrir um arco para se fazer a Capela do Santíssimo; 1803 - 1805 - execução dos retábulos laterais e colaterais pelos entalhadores José Francisco Moreira Torres e José António; Manuel Joaquim Álvares e Sousa faz o modelo e executa as esculturas para o Calvário; execução do retábulo do Santíssimo, atribuível ao entalhador Manuel Moreira da Silva; 1804, 23 Julho - decisão de demolir a igreja setecentista *3; 1804 - 1805 - estuque do zimbório por João Álvares Bezerra; 1805 - feitura do retábulo do Santíssimo por João Pinto, por 370$000; 1806, Junho - 1808, Junho - execução das estátuas dos Evangelistas para a fachada, delineadas por Manuel Joaquim Álvares e efectuadas por José Domingues; 1806 - feitura das esculturas em cantaria para a fachada por Manuel Joaquim Álvares e Sousa; Dezembro - execução dos retábulos colaterais por José Francisco e José António Moreira Torres; 1807, 25 Maio - 1808, 21 Outubro - execução do baldaquino por José Francisco Moreira Torres; execução das esculturas do Calvário, delineadas por Manuel Joaquim Álvares de Sousa e concretizadas pelo escultor João Monteiro da Rocha; 1808, 8 Março - entram na Casa da Moeda 4 castiçais, 3 cruzes, 1 vaso, 1 turíbulo, 1 naveta, um par de galhetas, 3 resplendores e 1 relicário; 8 Julho - venda das imagens da igreja velha; Outubro - feitura das pilastras do retábulo-mor por José António Moreira Torres, sendo dourado por António Tomás Pinheiro; 1808 - feitura dos retábulos laterais por José Francisco Moreira Torres, sendo a escultura de João António Sousa Azevedo; 1809, Setembro - pintura do baldaquino e das figuras do Calvário por António José da Rocha; 1811 / 1812 - são rasgadas as 4 tribunas da capela-mor e acrescentado o presbitério; 1812, Março - obras de carpintaria nos sinos, por Jerónimo Francisco, Matias e José António; Julho - douramento do retábulo do Santíssimo por António José da Rocha; 1813 - feitura de bancos para a capela-mor por João Coelho, António Pereira, João Ferreira e João António de Sousa Azevedo; 1814, 30 Junho - feitura de cruzes para o Santuário por António da Silva Vieira Braga; 1815 - execução da imagem do Bom Jesus para a sacristia por Luís António Almeida, por 19$200; 1819 - feitura da Fonte do Pelicano por Jerónimo António da Silva, o qual oferece gratuitamente o desenho para a cascata; execução das grades da nave por José Bernardo Fernandes e do retábulo das Relíquias por João Álvares Bezerra, segundo risco de António Crescêncio Amarante, a que se sucede o de João Martins Coelho, sendo as sanefas efectuadas por José Evangelista Correia; D. Diogo de Sousa doou um Cristo de margim e cruz em ébano com o título do Senhor Jesus dos Viajantes, para o qual foi feita uma maquineta, pintada por Bento José Teixeira; 1820, Fevereiro - 30 castiçais torneados por Sebastião José da Costa, por 30$400; 1821 - estátua de São Longuinhos oferecida pelo Dr. Luís de Castro do Couto, de Pico de Regaladas, da autoria de Pedro José Luís; encarnação e pintura dos bustos relicários por Idalécio Lupe da Rocha; 1822, 17 Agosto - por alvará de D. João VI, o Santuário é colocado sob protecção régia, passando a gozar das mesmas prorrogativas das Misericórdias; 1823, Fevereiro - resplendor para a imagem do Bom Jesus, pelo ourives Francisco Joaquim da Fonseca, por 6$830; 1824 - início da construção das Capelas da Elevação e Descida da Cruz, esta construída com o lucro da venda das estampas; execução do escudo para o frontão da fachada principal da igreja; 1825 - pintura do retábulo das Relíquias por António José da Rocha; 1834 - sagração do templo pelo arcebispo D. António José de Freitas; 1835, 11 Março - decide-se gravar legendas nos plintos das imagens do adro; 1838 - execução das esculturas do escadório das Virtudes, por António José Pereira, excepto a alegoria à Esperança; 1840 - execução da escultura da Esperança por João Albertino Azevedo; 1841, 14 Julho - decisão de construir as Capelas de São Pedro e de Maria Madalena; 1842 - João Albertino Azevedo fez os Quatro Doutores da Igreja do transepto; séc. 19, 2.ª metade - construção da estrada de acesso ao santuário, segundo projecto do engenheiro Manuel Couto Guimarães; 1855, 15 Agosto - montagem do órgão pelo Reverendo José da Costa Neves, sendo proveniente do Mosteiro do Bouro (v. PT010301190006), colocado por Manuel Francisco Ferreira e pintado por José Joaquim Lopes; 1857, Agosto - doação de relíquias por D. José Joaquim de Azevedo Moura; 10 Agosto - sagração da igreja; 1861 - reconstrução da Capela da Flagelação, com dinheiro doado por João Joaquim de Carvalho Braga, residente no Brasil; 1862 - troca das capelas de São Clemente e São Pedro; 1881 - vinda de 500 coníferas da Mata do Buçaco; 1882, 25 de Março - construção do ascensor funicular; 1883 - plantação de arvoredo; Março - pintura e douramento da Capela do Santíssimo, por Augusto Ferreira, José da Cunha, Vicente José da Silva, com ouro fornecido por Joaquim António Pereira; obra de torno de José de Almeida Braga; 9 Junho - baldaquino e cúpula do sacrário por Elias Gomes dos Santos; 1885 - reforma dos acessos para atenuar a subida, o que implicou a demolição de 7 capelas setecentistas (Prisão de Cristo, das Trevas, Flagelação, Ecce Homo, Caminho do Calvário e Crucificação, dando origem às novas capelas octogonais, conforme projecto do tenente Augusto Pereira; projecto de um novo pórtico de acesso, que não chegou a ser executado; 1887, 30 Março - execução de novas banquetas; 5 Abril - cadeira episcopal por Elias Gomes dos Santos, por 230$000; 1902, 5 Abril - construção da gruta, com ajuda de Martins Branco; 2 Outubro - autorização para serem construídos 2 coretos; 1890 - execução das sanefas em madeira de castanho por Elias Gomes dos Santos, douradas por Cunha e Ferreira; 1902, Setembro - feitura da grade de balaústres para a capela-mor por Manuel Gomes de Oliveira, sendo as serpentinas prateadas da autoria de Manuel José Vieira de Macedo, num total de 120$000; 1903 - compra de plantas para a gruta; 1912, 17 Março - decide-se a ampliação da Mata até ao Sameiro e aforamento de talhões para construção de casas particulares; 1916, 23 Outubro - autorização para a criação de um Museu na Casa da Mesa; 1918 - é criada a biblioteca do santuário, por Gaspar Leite de Azevedo, oficial aposentado do Governo Civil de Viana do Castelo, a qual fica instalada em anexo da casa das estampas, onde se encontra o Museu da Confraria; 1919 - execução do resplendor e coroa de prata para o Menino da sacristia por Manuel José Vieira de Macedo, por 7$20; 1920 - colocação da gruta junto à igreja, proveniente do Paço Episcopal; 1922, Março - feitura de duas telas ovais para a capela-mor, por António Alves, por 150$00; 1926 - após obras de reconstrução dirigidas pelo arquitecto Raul Lino, a biblioteca passa a ocupar o espaço da casa das estampas; 1928 - tela para a Capela do Santíssimo por António Alves, que também pintou o fundo do Calvário do retábulo-mor, por 6.025$00; execução de um baldaquino por Soares Barbosa e Irmãos; 1933 - feitura da lápide comemorativa dos 100 anos do falecimento de Pedro José da Silva, por Narciso Teixeira da Silva, por 365$00; 1948, 23 Dezembro - pagamento a António Ferreira Lopes pela feitura de um banco em cantaria da Corvia para homenagem a Carlos Amarante; 1949, 9 Abril - compra de um quadro a Zeferino Couto, por 500$00.

Resenha Historica
Possivelmente um popular asceta, cristianizado pelo Apóstolo Santiago, quando das suas pregações de divulgação da fé cristã, pela Península talvez tivesse sido influenciado pelo exemplo apontado de São João, que se isolou no deserto, escolhendo o alto daquele monte e, escavando uma gruta, ali se isolou do mundo, tendo por certo elevado no local a singela cruz, que mais tarde aquando do domínio visigótico a devoção da religião de Cristo, a ela convertidos graças à acção do bispo São Martinho de Dume, fez levantar uma ermida, destruída talvez pelo século oitavo pelos mudéjares, quando da sua invasão da Península.
Tudo isto são conjecturas, pois nenhum testemunho há efectivamente que o comprove, só a lenda que abaixo cito é que nos dá uma resposta um tanto ou quando duvidosa.
Após a reconquista, iniciada por Pelágio, da Península Ibérica, da terra ocupada, desde o século oitavo, pelos sarracenos, e possivelmente após o restauro de Braga, levado a efeito pelo Bispo dom Pedro, deve de novo ter continuado a devoção no local da velha ermida ou Vera Cruz, onde, segundo Alberto Feio, “conta a lenda, que um singela cruz, arvorada por mão de desconhecido crente no alto do Monte Espinho, dera nascimento à devoção, que em longo giro de séculos, preparou e ergueu o grandioso Santuário do Bom Jesus do Monte”.
No entanto Alberto Feio, acha que na primeira metade do século XVI devia “uma cruz soía de estar acima do chan do monte, na meia encosta ocidental, lugar que a piedade aproveitaria, centenas de anos atrás” para edificar uma ermida dedicada à Vera Cruz. Para confirmar esta sua opinião lembra que em 1549, era já considerada como muito antiga a ponte de Santa Cruz, sobre o rio Este, revelando, portanto, que por aquele caminho se chegava ao lugar de uma devoção, que deu o nome a esta ponte, que hoje quase nem a reconhecemos, mas está lá alargada, e podemos ver ao iniciar a caminhada para o Monte.
Não há dúvida que pelo menos nos começos do século XIV, existia já naquele monte uma ermida dedicada à Santa Cruz, e isso está comprovado pelos estatutos da irmandade da Trindade de Braga, datados de 1373, “onde uma ordinachô determina que os confrades, por exaltamento da Santa Vera Cruz de Jesu Cristo, vão á ermida de Santa Cruz, por dia de São João (evangelista) do mês de Maio” levando tochas e doze círios, assistir a uma missa oficiada.
E ainda para confirmar a sua antiguidade, quando da aprovação dos mesmos estatutos, em 1378, era referido que os confrades fariam aquelas obrigações “como as fizeram os seus padres e outros seus devidos e linhagens passava de trinta e cinco anos e chegava a quarenta bons e mais.” Esta referência atira-nos a devoção da primitiva ermida para uma idade muito antiga.
No primeiro terço do século XV, estava a ermida de Santa Cruz anexada à igreja paroquial de Tenões, porque se situava dentro dos aros jurisdicionais daquela freguesia. Em 1430, o Arcebispo Dom Fernando da Guerra, anexou várias igrejas da região a Tenões, e como tal passou esta freguesia a ser um apetecido benefício eclesiástico, pois além dos benefícios das igrejas anexadas, tinha ainda o rendimento da Ermida de Santa Cruz.
O papa Sixto IV, concedeu por bula de l8 de Setembro de 1471, a João Vaz, Arcediago de Neiva, que, somente em sua vida, Tenões, com as restantes, igrejas anexadas por Dom Fernando da Guerra, incluindo a ermida de Santa Cruz, lhe fosse unida à conezia.
A freguesia de Tenões - Santa Ovaia – era da apresentação e colação dos Arcebispos, conforme se pode comprovar pelos registos do século XV. Ora este facto não impediu que Martim Manuel fosse, pelo papa Alexandre VI, nela provido em 1502, ao tempo do arcebispo dom Diogo de Sousa, que o elevou à dignidade de Arcediago de Neiva, como sucessor de João Vaz, anexando-lhe à conezia, vitaliciamente a igreja de Tenões, com a ermida de Santa Cruz.
Era então Deão da Sé de Braga, Dom João da Guarda, criatura e feitura, diz Alberto Feio, de Dom Jorge da Costa, que veio para Braga usufruindo avultadas rendas, tomou um chão junto a São João do Souto, para nele fazer a casa da sua residência e, colocou sobre a porta principal, o brasão do seu protector o arcebispo Dom Jorge da Costa, acrescentando-lhe a insígnia de Deão.
Assim Tenões com a já conhecida por Ermida de Santa Cruz do Monte, passou a andar unida in perpetuum ao deado bracarense, então dignidade ocupada por Dom João da Guarda.
O novo vigário de Tenões, diz Alberto Feio, “levado pela piedade ou opulência”, mandou erguer, em 1522, um templo condigno, verdadeira igreja, em cantaria lavrada ao gosto da época, um gótico peninsular, como o provam alguns restos guardados no museu e o fragmento duma porta dessa primitiva igreja que há poucos anos estava no jardim da Casa do Passadiço.
Por esse tempo, como sabemos, era Deão da Sé, Dom João da Guarda, que para ocupar esta dignidade em Braga, resignou do mesmo cargo na Sé da terra da sua naturalidade – Guarda – cargo que sabemos incluía a Ermida que havia séculos enfeitava a ilharga do Monte Espinho, e que era, por certo, de singela traça, minguando para o crescente culto divino à Vera Cruz.
Assim, como vigário da freguesia, resolveu como acima se diz construir um templo condigno. É disso testemunho, uma lápide com uma inscrição, achada em 1839, quando se construiu o escadório das Virtudes, e está encastoada na parede do último lanço do escadório.
Assim como fizera na casa do Passadiço, mandou guarnecer o novo templo com o brasão do seu protector e senhor, Dom Jorge da Costa, acrescentando como já o fizera em Braga, o símbolo de Deão.
Esta pedra de armas de fé está embutida no escadório no lado oposto ao da lápide com a inscrição atrás referida. Serviu este brasão para estabelecer uma grande confusão que levou a atribuir a fundação ao Arcebispo Dom Jorge da Costa. Um século passado sobre a morte do instituidor da primitiva igreja, Dom João da Guarda, principiou e quase se anulou a concorrência devota a ermida da Vera Cruz.
Desamparada, continuamos a seguir Alberto Feio, a igreja sofreu com o esquecimento dos povos, a aspereza do tempo e até com o desinteresse do vigário da freguesia. Certo dia, correndo o ano de 1629, numa visita de alguns bracarenses ao local da mui antiga devoção, que a piedade ali juntara, pensou em ressuscitar o antigo brilho do culto.
Nasceu então o pensamento da fundação de uma confraria, com o encargo de reacender a devoção quase extinta.
Cresceu, avolumou-se e difunde-se.
Reunindo esforços e vontades, dentro em pouco está redigido e aprovado pela Cúria Arcebispal o Compromisso da confraria ou irmandade, sob a invocação de Bom Jesus do Monte.
A velha designação de Santa Cruz do Monte, Vera Cruz, cedeu o seu nome perdura.
Pobre de recursos, a nascente confraria procurou de todos os modos aumentar os seus réditos, aumento o número de confrades, fazendo peditórios pelas aldeias e cidade ao mesmo tempo que fazia a representação de autos e bailados sacros e de cenas bíblicas que atraíam muita gente às festas mais solenes.
Entretanto um facto histórico contribuiu, e muito, para que a fama e devoção galgasse as fronteiras do Minho.
Tratou-se da Independência de Portugal do jugo castelhano, no glorioso dia 1 de Dezembro de 1640. Todos atribuíram o sucesso à intervenção divina. Havia até quem afirmasse que durante dias um sinal luminoso apareceu sobre o Monte Espinho - um cálice da consagração rodeado de um esplendor que muita gente dizia tinha observado.
O povo então ocorreu a agradecer ao Bom Jesus o favor com que tinha distinguido o pequeno reino lusitano. Restaurada a capela graças a estes esforços, dotada de paramentos e alfaias, entregam a um ermitão a sua guarda, que o cuidou com zelo fervoroso até à sua morte.
Todo o pouco que possuía deixou-o à instituição, tornando-se assim o primeiro testador do Bom Jesus.
De seu nome Pedro do Rosário, quis prevenir a tempo a sua sepultura. Tendo falecido a 11 de Dezembro de 1664, sendo enterrado na igreja perto do local em que a sua memória é recordada, através de uma lápide que tinha mandado fazer em 1647, e que está colocada, quase invisível, gasta pelo constante desgaste dos pés que a pisaram e pisam, e que está colocada ao cimo do escadório das Virtudes, e a qual diz : “A SEPOLTª Q MANDOU FAZER, Pº DO ROSÁRIO PRIMRº ERMITÃO 1647”.
No entanto êste não foi o primeiro ermitão, como quer fazer crer a lápide, pois antes, no tempo de D. João da Guarda, ou logo a seguir, um outro de nome Pedro Anes, por ali andou. Não se poupou a esforços a nascente confraria para transformar aquele sítio quase ermo, numa das mais concorridas e pomposas devoções da província. Espalhou minúsculas ermidas, pelo caminho da montanha que mandou abrir, nelas representando Passos da maior tragédia cristã, com um figurado feito por artesãos populares, edificou albergues para os romeiros, paredões para segurança dos adros, enfim transformou por completo aquele sítio até então quase ermo
Dadas as transformações e benefícios que os romeiros passaram a ter, a devoção foi aumentando e por conseguinte as esmolas iam ali caindo com generosa abundância.
A prosperidade do Santuário e a fartura da confraria despertou a cobiça do Deão D. Francisco Pereira da Silva, pessoa de qualidade e de hierarquia veneranda – era da Casa dos Biscainhos - logo pensou em se apoderar dos rendimentos da novel confraria. Alegou o facto de ser alta dignidade da Catedral Bracarense e que todos os direitos lhe pertenciam como sucessor de Dom João da Guarda na abadia de Tenões.
Dois anos durou a luta entre o Deão e a Confraria, luta desigual, fez com que os confrades desamparassem o templo, isto em 1710, deixando a sua administração por não suportarem um litígio em que não podiam vencer, embora a justiça estivesse do seu lado. Entregaram às garras do Deão tudo o que pertencia ao Santuário e deste modo perdeu-se todo o arquivo, todas as lembranças da primeira confraria, até os nomes dos instituidores ficaram na obscuridade. O novo senhor absoluto da rica benesse, cuidou apenas de a recolher para seu proveito, desprezando a devoção do templo que entrou em decadência e esquecimento.
Foram onze anos, o suficiente para a quase ruína da secular devoção. Os romeiros principiaram por rarear e por conseguinte as esmolas foram desaparecendo e em consequência, danificaram-se as ermidas e a própria igreja
À mágoa da cidade, continua Alberto Feio, e ao descontentamento geral, juntavam-se os insultos contra o capitular pela odiosa exploração. Em 1720, era arcebispo de Braga Dom Rodrigo de Moura Telles, os confrades anda existentes, vendo o estado lamentável a que tinha chegado o templo devido ao quase abandono com a administração do Deão, e não querendo que Braga perdesse a devoção ao Bom Jesus pela ruína do Santuário, recorreram ao Desembargador Juiz dos Resíduos para que ordenasse a constituição de uma Mesa Administrativa do Santuário. Obtido o deferimento procedeu-se judicialmente à eleição, que resultou como eleito Juiz, Francisco de Sousa e Castro, pessoa de grande respeitabilidade, Fidalgo da Casa Real, talvez a única pessoa que pudesse ombrear com o Deão, intimando-o a fazer a entrega de todos os haveres da confraria.
Porém já nada existia, nem sequer havia notícia dos primitivos estatutos e então foi lançado pregão por Campa Tangida para reunião da junta de irmãos onde foi proposto e aprovado novo estatuto em 29 de Dezembro, estatutos que foram confirmados por provisão de 21 de Abril de 1721, pelo arcebispo Primaz, Dom Rodrigo de Moura Telles.
Mas o pleito entre o poderoso Deão e a nova confraria, continuava sem resolução e com as consequentes demoras. É então que Dom Rodrigo de Moura Telles, entra na história do Bom Jesus do Monte. Passando por cima dos Estatutos, nomeia-se ele próprio, Juiz da Confraria. Rodeia-se de pessoas notáveis e perante tão forte personalidade, como era a do arcebispo, verga-se o Deão Dom Francisco.
Hábil político como hábil era na usurpação de direitos, foi junto de Moura Teles e, submisso, subjuga-se, desistindo da sua jurisdição sobre o templo do Bom Jesus, por si e por todos os seus sucessores, mediante o irrisório foro por ano de duas galinhas e mais uns ovos, reservando para si o direito de escolher o ermitão de entre três nomes que a Confraria indicasse.
 É então que o Bom Jesus vai entrar na fase de prosperidade, é certo que agora e adiante, por vezes, essa prosperidade fosse obscurecida. O povo da cidade rejubilou, ele que nunca tinha visto com bons olhos a administração do Deão da Sé. Logo após a sua posse, como Juiz da Confraria, Dom Rodrigo de Moura Telles (alma grande em corpo pequeno), trata do restauro do futuro Santuário. Chama para dirigir as obras, fazer o risco da nova estância, o seu arquitecto, o Coronel de Engenharia Manuel da Silva Villa-Lobos, pessoas que já tinha dado mostra da sua competência, quando do trabalho da Cadeia da Relação, no Largo de São Francisco e talvez na igreja e convento da Penha de França, na Alameda de Sant’Ana.
Delineou os escadórios iniciando-os pelo pórtico acessível por um lanço de escadas em semi-circulo, tendo em cada lado um tanque/fontanário encimado cada um por um arco no qual se destaca no fecho a representação do Sol e da Lua. Este lanço de escada dá acesso a um patamar vedado por um gradeamento em pedra, com elegantes pilares. Aqui se levanta o pórtico, com ombreiras lavradas em granito rústico, que sustentam um arco que se nos afigura abatido, mas que foi projectado de volta inteira e cedeu devido ao peso dos elementos que o decoram superiormente (há quem afirme que cedeu aquando do terramoto de 1755), sobrepujado por uma cornija em que assenta uma cruz arcebispal, com a imagem do Senhor Crucificado.

DEÃO - DECANO
É, por definição, um dignitário capitular que preside ao cabido, em razão da sua precedência por idade.
Costumamos chamar Deão ou Decano ao cónego mais idoso da Diocese.
Para além de ser um posto académico e uma posição canonical, o Deão é um dos cónegos escolhido pelo seu bispo, a quem é confiada uma autoridade determinada e especial nas actividades pastorais específicas da sua Diocese.
Os Cânones estabelecem que o Deão deve desempenhar o papel de auxiliar e conselheiro do clero da zona da sua Diocese, especialmente no desempenho da sagrada Liturgia e assistir-lhes espiritualmente nas suas doenças.
Tradicionalmente o Deão substituía o bispo nas zonas rurais ou mais afastadas e era conhecido como o Vigário Forâneo.
Mais recentemente, o Deão é também conhecido como o Vigário Urbano, escolhido como urbano ou metropolitano das zonas distritais da Diocese ou Arquidiocese. (Can.553- 555).
Em Portugal, o Deão era a primeira dignidade depois da pontifical, nas Igrejas- Catedrais e também nas das Colegiadas, embora o presidente do cabido das Colegiadas portuguesas tivesse o nome de Prior.
Segundo alguns autores, o nome Deão ou Decano teria origem na regra de S. Bento, bem como nos cabidos e cónegos regulares, a viverem em comum, do tempo de Carlos Magno.
Deão ou Decano designaria o Superior religioso com dez monges a seu cuidado. Segundo outros, há-de ir buscar-se a sua origem à Instituição militar dos Decuriones.
Deão ou Decano são termos que se empregavam ainda para designar o presidente de cada uma das subdivisões dos arcediagos das Dioceses com os chamados Deãos Rurais.
No século IX, em alguns cabidos tinham passado para o Deão as funções de arcipreste da Catedral, com o respectivo encargo dos presbíteros e cerimónias sagradas.
Em certas catedrais a primeira dignidade era a do arcediago, como vigário do bispo e prepósito do cabido.
Noutras, logo desde o início, eram distintos os ofícios de presidente do cabido e do arcediago.
Com o tempo, o regime do cabido passou para o prepósito e mesmo para o Deão ou arcipreste.
Desta forma, em alguns cabidos a primeira dignidade era a de prepósito ou a do arcediago, e noutras a de Deão ou arcipreste.
Hoje, o Deão ocupa um lugar de preeminência e honra, desprovido de jurisdição.

Curiosidades:
- Antonio Lopes Santos, casado, condutor do eléctrico do Bom Jesus - 24-1-1895

Sem comentários:

Publicar um comentário