domingo, 13 de novembro de 2011

Viana do Castelo, Ponte de Lima


Concelho de Ponte de Lima
Anais, S. Marinha
- Bento Coelho, filho de João Alvares e Francisca Coelho, falecidos, S. Mª de Anais, Albergaria (casou em Prado, S. Maria, a 11.7.1685, com Juliana Pereira, viuva de Francisco Rebelo, filho de Lucas Rebelo e Maria Francisca, S. Miguel de Prado e ela filha de Gabriel Lopes e Juliana Pereira, falecida, todos desta vila, T. Amaro Pimentel e Manoel Peixoto, ambos desta vila, Domingos Manoel, ponte de prado, Padre Francisco da Costa, coadjutor)
- João Gonçalves, filho de Balthazar Malya, falecido e Domingas Gonçalves, S. Marinha de Anais (casou em Câmara de Moure, a 13.10.1708, com Benta de Crasto, filha de João Gonçalves, falecido e Maria de Crasto, caraceira, T. Baptista de Lima e Abreu, Damião Coelho da Silva, ambos câmara, Domingos Gonçalves, Cristóvão de Crasto, Manoel Fernandes, Pedro Fernandes, Jacome Fernandes, Domingos Gonçalves, todos caraceira, celebrou o Padre Estevao Gonçalves, Atiães)
- Hieronimo Barbosa, filho de Gabriel Barbosa e Angela Domingues, S. Marinha de Anais, termo de Barcelos ‘Vila Verde’ (casou em Palmeira, S. Maria, a 29.10.1733, com Maria Francisca, filha natural de Sebastião de Barros, S. Miguel de Prado, couto de Regalados e Domingas Francisca, desta, T. Padre Joseph Manoel Jacome, cura, Thome de Chaves Costa, rifana, Padre Francisco da Silva, vigario)
- Luís Joseph Francisco, filho de Mathias Francisco e Josepha Domingues, S. Marinha de Anais, Portela de Cabras (casou em Esqueiros, a 7.5.1747, com Maria Francisca, filha de Domingos Franciscos e Domingas Francisca, revenda, desta, T. Alexandre Soares da Costa, mondim, Domingos Rodrigues Castro, filho de Francisco Rodrigues, falecido e Antónia Francisca, mondim e Padre Manoel Dias, coadjutor, Padre Francisco Diogo de Azevedo, abade)
- Antonio Jose Pereira, filho de João dos Carros e Luiza Maria dos Carros, turom, S. Marinha de Anais, Portela das Cabras (casou em Portela, S. Pedro, a 7.8.1840, com Benta de Andrade, filha de Jose Caetano de Andrade e Costodia da Silva, vila pouca, Portela, T. Manoel Francisco de Araujo, solteiro, filho de Thereza Angelica, viuva e Manoel Alves, solteiro, filho de Norberto Alves e Ana da Silva, todos igreja, Portela, Padre Manoel Antonio Pereira da Costa, encomendado)
- Antonio Joaquim Rodrigues, 21 anos, Barreiros, filho de Domingos Jose Rodrigues e Maria Rosa de Oliveira, Barreiros (casou em Barreiros, S. Pedro, a 3.12.1900, com Maria Jose Antunes, 29 anos, Barreiros, filha de Luis Jose Gonçalves, S. Marinha de Anais, Ponte de Lima e Maria Rosa Antunes, Barreiros, T. Manoel Joaquim de Oliveira e Antonio Jose Pereira, ambos Barreiros, Padre Domingos Jose de Amorim, reitor)
- Domingos Monteiro Agapito, 20 anos, guarda da estação de caminhos de ferro, natural de S. Lucrecia de Algeriz, Braga e morador na rua cruz de pedra, Maximinos, filho de Agapito Manoel, natural S. Marinha de Anais, Ponte de Lima e Thereza Monteiro, S. Lucrecia de Algeriz (casou em Maximinos, S. Pedro, a 28.6.1903, com Arcangela Thereza, 17 anos, larangeira, Maximinos, filha de Domingos Peixoto, S. Victor e Doroteia Rosa Ferreira, Areias de Vilar, Barcelos, T. Manoel da Costa, zelador municipal, rua direita, Maximinos e Augusto Braga, tendeiro, moador cruz de pedra, Sé, Braga, Padre Antão Jose de Oliveira, abade)
- Alexandre Gonçalves, 29 anos, negociante, Barreiros, filho de Luis Jose Gonçalves, S. Marinha de Anais, Ponte de Lima e Maria Rosa Antunes, Barreiros (casou em Barreiros, S. Pedro, a 20.10.1909, com Dolcina Leocadia Veloso, 18 anos ‘com a presença da mãe, viuva’, Barreiros, filha de Domingos Jose Veloso e Adelaide da Conceição Almeida Veloso, Barreiros, T. Jose Joaquim Gonçalves, negociante e Dª Balbina Paes Gonçalves, Barreiros e Jose Antonio Ribeiro, proprietario, Lago, Padre Francisco Antunes de Almeida, encomendado)
Resenha histórica
A antiga freguesia de Santa Marinha de Anais era vigairaria da apresentação de um cónego da Sé de Braga, passando, mais tarde, a reitoria, tendo anexa a si a antiga freguesia de Albergaria de Penela.
Esteve, em tempos, dividida por dois concelhos: duas partes da freguesia pertenciam ao concelho de Portela das Cabras e o restante ao concelho de Albergaria de Penela. O concelho de Portela das Cabras foi extinto em 24 de Outubro de 1855, passando nessa mesma data ao concelho de Ponte de Lima.A propósito desta curiosa divisão, precisa o Pe. Cardoso:
"A parte desta freguesia que fica para o nascente pertence ao concelho de Albergaria, e nesta mesma parte da freguesia está o Poço do Lumiar, do concelho de Albergaria, no lugar que tem o mesmo nome, de que é donatário o almirante-mor do reino, e comarca da vila de Viana.
Duas partes de toda a mais freguesia, para a parte do poente, são termo e pertença do concelho do Salvador de Portela, em cuja freguesia fica o paço deste concelho, comarca da vila de Barcelos, de que é donatária a Sereníssima Casa de Bragança.
Chamaram-se também estes dois concelhos de Penela por estar situada a maior parte deles nas vizinhanças duma ribeira assim chamada; e assim se processa nos papéis públicos de um e outro concelho."
O mesmo autor conta desses tempos antigos, ainda, que, "no sítio da Pedra da Cruz, divisa desta freguesia da de S. João Baptista, do couto da Queijada, junto à estrada real, que vem da vila de Ponte de Lima para a cidade de Braga, há um monumento feito de pedra lavrada, assentado na superfície da terra, com duas pedras lavradas nas pontas levantadas como pirâmides redondas. Terão de grossura um palmo; de altura, três; e outros três de largo. A mesma largura do monumento é formada à maneira de sepulcro, mas não se sabe se ali jaz algum cadáver sepultado, ou se seria feito para baliza do couto da Queijada."
No alto de um monte desta freguesia existem vestígios de antigas fortificações. O povo deu o nome ao sítio de Casa ou Castelo de Mouros.
Aqui terá existido um importante castelo medieval, que foi cabeça da antiga terra de Penela.
A igreja paroquial era primeiramente no lugar chamado da Igreja, próximo do monte do Castelo, mudando-se (provavelmente em 1673) para Anais.
Conserva alguns restos quinhentistas.
Ainda a respeito da história da freguesia, no Inventário Colectivo dos registros Paroquiais Vol. 2 Norte Arquivos Nacionais /Torre do Tombo, pode ler-se na íntegra: « Nas Inquirições de D. Afonso II, de 1220.  Aliais vem referida sob a designação de Santa  Maria de Penela, pertencendo a parte nascente ao antigo concelho de Albergaria e o restante do lado poente, ao de Portela das Cabras.  Em 1290, nas Inquirições de D. Dinis, vem citada como freguesia, com o nome de Santa Maria de "Asnãaes" e integrada na Terra de Penela. No catálogo das igrejas, organizado em 1320, no reinado de D. Dinis, para a avaliação da taxa a pagar, Santa Maria de Anais, de Penela aparece com 40 libras. No registo da cobrança das "colheitas" dos benefícios do arcebispado de Braga, na parte respeitante às igrejas da Terra de Penela, feita entre 1489 e 1493, D. Jorge da Costa diz que esta igreja rendia, em dinheiro com morturas, cerca de 136 réis. Américo Costa descreve-a como vigairaria da apresentação de um cónego da Sé de Braga, passando mais tarde a reitoria e tendo anexa a si a antiga freguesia de Albergaria de Penela. O concelho de Portela das Cabras foi extinto pelo decreto de 24 de Outubro de 1855,  passando por esse mesmo decreto ao concelho de Ponte de Lima.»

Arca (União com Ponte de Lima)

Arcos, S. Pedro
- Isidoro Gonçalves, filho de Paschoal Lourenço e Maria Gonçalves, S. Pedro dos Arcos, Ponte de Lima (casou em Sabariz, a 2.8.1734, com Domingas de Oliveira, filha de Antonio Veloso, falecido e Angela de Oliveira, T. Padre Manoel de Matos Coutinho, Joseph Peixoto de Araujo, clerigo in minoribus, João, filho de Antonio Martins, todos desta, Padre Diogo Martins Pereira, abade)

Arcozelo, S. Marinha
- João Gonçalves, filho de Antonio Gonçalves e Esperança Gonçalves, outeiro (casou em Lanhas, a 20.6.1670, com Catherina Martins, filha de Hieronimo Martins e Apelonia Martins, S. Marinha Arcozelo, Ponte de Lima, T. Bento de Alvim, Diogo da Silva, Hieronimo Fernandes, Antonio Francisco, Padre Bento do Couto, vigario)
- Manoel de Sousa, filho de Domingos de Sousa e Catherina Lourenço, S. Marinha de Arcozelo, Ponte de Lima (casou em Este, S. Pedro, a 30.6.1689, com Hieronima Francisca, filha de Andre Francisco, falecido e Isabel Francisca, T. Hieronimo Rodrigues, Francisco Gonçalves, outeiro, Padre Manoel Antunes de Oliveira, abade)
- João da Costa, filho natural de Padre André Antunes da Costa, pesqueiras, Moimenta, Terras de Bouro e Ângela Lopes, solteira, pegada, desta, Adaufe (casou em, Adaufe, S. Maria, a 27.8.1719, com Antónia da Costa, filha de António Rodrigues e Inez, solteira, falecida, Sª Marinha de Arcozelo, P. Lima, T. Padre António de Araújo Pereira, reitor desta, António Vieira da Costa, estrada e João Gonçalves, romil, Padre Domingos Fernandes velho, cura)
- Manoel Rodrigues, filho de Thome Rodrigues e Costodia Rodrigues, S. Marinha de Arcozelo, Ponte de Lima (casou em Sampaio de Vila Verde, a 4.7.1739, com Francisca Ferreira, filha de Francisco Ferreira e Natália Antunes, desta, T. Padre Henrique Barreto, Padre Bento da Silva, Padre Luís Ferreira e Padre Matheos Soares, celebrou o Padre Domingos Barbosa, cura)
- Filipe de Abreu de Lima, moço fidalgo da Casa Real, filho de Francisco de Abreu de Lima, moço fidalgo da Casa Real e Dª Ana Margarida Cardoso e Menezes, S. Marinha de Arcozelo, Ponte de Lima (casou em Prozelo, S. Tome, a 26.6.1814, com Dª Maria Adelaide Abreu de Lima Vasconcelos, filha de Manoel Joaquim Coelho da Costa Vasconcelos e Maia, lente de matemática na Universidade de Coimbra e Dª Maria Hieronima de Passos e Barbosa, assistente praça Nª Sª Oliveira, Guimarães e natural dela, estando como procuradores presentes, pela parte contraente Luis Antonio Branco Bernardes de Carvalho, morador rua S. Domingos, Guimarães e da contraente João Manoel de Passos Barbosa, morador campo de S. Francisco, Guimarães, celebrou o conego cujra da Colegiada de Nª Sª de Oliveira, Antonio Jose de Abreu Rocha, por decreto e licença e dispensa de proclames do Arcebispo eleito, T, Pedro Carreiro Amoroza, Arcipreste nesta colegiada, Antonio Sequeira, praça de Sª Sª, Manoel Antonio Carvalho e Silva, rua dos mercadores, Guimarães, o Padre Antonio Luis da Rocha Andrade e Sousa, abade)
- Filipe de Abreu de Lima, Fidalgo da Casa Real, Arcozelo, Ponte de Lima (casou em Prozelo, S. Tome, a 4.9.1826, com Dª Maria Adelaide Vasconcelos Maia, filha de Manoel Joaqujim Coelho Vasconcelos Maia, falecido e Dª Maria Hieronima de Paços, falecida, T. Narciso Jose Fernandes e João Jose Pereira, Padre Antonio Luis da Rocha Andrade e Sousa, abade)
- Leopoldo de Sousa de Almeida Pereira, capitão-mor de Moure e Feitosa, S. Martinho de Moure, couto de Moure, filho de João Baptista de Sousa, S. Martinho couto de Moure e Dª Luiza Rosa da Camara, Santiago de Arcozelo (casou na capela de Nª Sª da Conceição, vilar, Figueiredo, em Figueiredo, S. Pedro, a 4.6.1821, com Dª Joana Angelica de Abreu Machado e Vasconcelos, filha de Dª Maria Thereza Pereira do Lago, Figueiredo e Manoel Gonçalo da Maia Gonçalo e Vasconcelos, Ferreiros de Geraz, Lanhoso, ‘de licença frei Miguel da Madre Deus, Arcebispo e Senhor de Braga’, T. Padre Jose Teixeira, Figueiredo, Rodrigo da Rocha e Brito, patos, Aguas Santas e Antonio Jose Teixeira Queiroz, Figueiredo, Padre Daniel da Costa, abade)
- Antonio Jose da Silva, filho de Jose da Silva e Maria Gonçalves, Santiago de Arcozelo (casou em Navarra, S. Lourenço, a 23.1.1851, com Rosa Maria, filha de Luis Machado e Maria Thereza, Caires, Amares, T. Domingos da Costa e seu irmão Jose, Manoel da Costa, filho de Francisco da Costa, todos Navarra, celebrou o Padre Manoel Antonio de Araujo e Silva, vigario ‘por ter falecido ao tempo, lavrarei este termo’, o Padre João Jose de Azevedo Coutinho, abade de Crespos e Navarra)
Alem, S. Marinha
Historia
A sua ligação, desde sempre, ao nucleo urbano da vila de Ponte de Lima, fica eloquentemente atentada, de resto, pelo seu sitio com o nome bem significativo de Além da Ponte, durante anos e anos fazenda parted a vila e seu maior fornecedor de almas.
A este se somam os lugares de antepaço, arco da geia, armada, barrosa, barroas, boavista, borralhos, casinha, canos, costa, faldejães, folão, freiria, igreja, lousa, cardo, lousados, outeiro, pedregosas, penedinho, poços, presa, rapido, regadas, regatal, riba.rio, ribeiro, sabadão, salgueirinho, senhora da luz, tendeiros, tras o palheiros, val de pereiras, vilar, assim se completando a geografia actual da freguesia de Santa Marinha de Arcozelo.
- Jose Antonio Soares de Miranda, 52 anos ‘viuvo de Isabel Maria da Silva, falecida no hospital S. Marcos, Braga’, natural de S. Marinha de Alem, Ponte de Lima e de presente morador na casa da ribeira, Figueiredo (casou em Figueiredo, S. Pedro, a 14.3.1863, com Antonia Thereza Rodrigues, moleira, 33 anos ‘viuva de Costodio Jose de Campos, falecido na vila de Batuval, Império do Brasil’, natural de Goães, filha de João Luis Ferreira e Isabel Maria Rodrigues, Goães, T. Manoel de Jesus Carvalho, alfaiate e Francisco Vieira, ambos Figueiredo, Padre Bento Marques Pereira, abade)
- Antonio Joaquim Tinoco, 24 anos, criado de servir, ribas, Crespos, filho de João Manoel Tinoco, Crespos e Maria da Luz, Navarra (casou em Crespos, S. Eulalia, a 26.9.1877, com Antonia de Almeida, 23 anos, criada de servir, natural Arcozelo, Ponte de Lima e moradora em ribas, Crespos, filha de Constantino Antonio de Almeida, Queijada, Ponte de Lima e Rosa de Araujo exposta, T. João Ferreira Machado, viuvo, Manoel Machado, negociante de vinhos, ambos Crespos, Padre Gaspar Jose de Sepulveda, abade)
- Francisco Ferreira, 23 anos, cazeiro, natural Tenões, Braga e morador lavandeira, Crespos, filho de Costodio Jose Ferreira e Thereza Pereira (casou em Crespos, S. Eulalia, a 19.10.1889, com Ana Carmona, 26 anos, natural Arcozelo e moradora lavandeira, filha de Manoel Carmona e Martinha Maria, Arcozelo, T. Luis Manoel Gomes, proprietario, venda, Costodio Jose Ferreira, pai do contraente, ribas, ambos Crespos, Padre Jose Antonio Machado Magalhães)
- Antonio Lopes Tinoco, 24 anos, natural de Navarra e morador Figueiredo, filho de Antonio Joaquim Lopes Tinoco, Crespos e Maria Fernandes Junqueira, Arcozelo, Ponte de Lima (casou em Figueiredo, S. Pedro, a 14.9.1907, com Leopoldina Casimira Rodrigues, 22 anos, natural S. João de Rei, Lanhoso e morador Monsul, filha de Jose Martins Rodrigues e Thereza Maria de Jesus, S. João de Rei, T. Manoel da Silva Faria e Antonio de Almeida, Figueiredo, Padre Fernando Augusto de Araujo Azambuja, abade)
[Antonio Lopes Tinoco, ficou viuvo em 23.11.1939, Figueiredo]
Personalidade:
- Balthazar Gomes Lima, S. Marinha de Arcozelo, ‘um dos fundadores da povoação e cidade de Campanha, sul de Minas Gerais, Brasil, filho de Lourenço Gomes e Ventura Lima (casou com Maria Cardoso, natural de Aiuruoca, Brasil, filha de Manoel Vaz Guimarães e Antonia Cardoso)

Ardegão, S. Maria
- Simão Martins, viuvo de Mariana Fernandes, filho de Domingos Martins e Maria Gonçalves, falecidos, arca, Turiz (casou em Barbudo, a 23.12.1750, com Ângela Gonçalves, filha de Mariana Soares, solteira, costa, desta e Paulo Gonçalves, falecido, solteira, assistente quinta do sol e natural de S.Mª de Ardegão, Barcelos, T. Padre João Soares, costa, Constantino Soares, solteiro, Francisco Soares, desta, Padre João Soares, coadjutor)
RESENHA HISTÓRICA 
Nas Inquirições de D. Afonso II, de 1220, Ardegão é citada na Terra de Aguiar de Riba de Lima. Aparece como paróquia nas Inquirições de D. Afonso III, em 1258. Encontra-se, no aludido documento, inserida no julgado de Aguiar, sob a denominação de "Parrochia Sancte Marie de Ardeguam".
No ano de 1290, e Inquirições do rei D. Dinis, pertencia ao julgado de Barcelos, sendo referida como freguesia.
No catálogo das igrejas, organizado em 1320, a "ecclesia de Sancte Marie de Ardeguam" aparece incluída na Terra de Aguiar de Neiva. Foi-lhe então atribuída uma taxa de 70 libras.
No registo da cobrança das “colheitas” dos benefícios eclesiásticos do arcebispado de Braga, na parte respeitante às igrejas da Terra de Aguiar de Neiva, feita entre 1489 e 1493, D. Jorge da Costa declara que esta igreja rendia 619 réis e 3 pretos. Em 1528, no “Livro dos Benefícios e Comendas”, de que existe uma cópia do século XVIII na Biblioteca Nacional de Lisboa.
Santa Maria de Ardegão encontrava-se anexada à igreja de Alvarães. Em 1524, Ardegão e S. Julião haviam sido anexadas a Alvarães, por carta régia de D. Manuel, por ocasião da elevação desta a freguesia. O cura de Ardegão passou, a partir desse ano, até 1834, a ser nomeado pelo reitor de Alvarães.
Alguns autores atribuem-lhe como padroeira Nossa Senhora do Ó ou da Expectação. É o caso de Américo Costa e do Padre Cardoso.

Barrio

Beiral do Lima
- Nicolau Neto, sirgueiro, filho de Bento Neto e Margarida Gonçalves, falecidos, Nª Sª da Vitoria, Porto (casou em Se, Santiago, a 3.6.1631, com Doroteia do Couto, moradora em casa de Ana do Couto, junto Se, filha do Padre Francisco de Sa, Beiral de Lima e Vicencia da Silva, falecida na mesma casa de Ana do Couto, T. licenciado Pedro Machado, Manoel de Aguiar, alfaiate, rua do souto, Isabel Fernandes, junto Se, Padre Antonio de Araujo, cura da Se)
- Antonio de Abreu de Calheiros, S. Maria de Beiral de Lima [filho de Miguel Calheiros ‘filho de João Gonçalves Calheiros’ e Catherina de Abreu] (casou em S. Miguel de Prado, a 20.8.1647, com Maria Dantas ‘Pereira’, viuva de Sebastião Vilela, filha do Padre Antonio Dantas, abade que foi desta [filho de Cristovão Dantas e Catherina Carvalhais ‘tinha irmão Manoel Carvalhais, abade de S. Miguel de Prado’, couto de Gondufe] e Catherina Fernandes, vilela, T. Diogo de Caldas, couto de Gondufe, Padre Antonio de Abreu, sobrinho do noivo, Padre Cristovão Dantas, abade
- Antonio Francisco, filho de Andre Francisco e Maria Francisca, Gomirão de Prazins, Santo Tirso, termo de Guimarães (casou em, Monsul, a 1.10.1703, com Ana Pimenta, viuva de Gregorio de Azevedo, monte, filha de Domingos Dantas e Maria Pimenta, falecida, Beiral de Lima, vila de Ponte de Lima, T. licenciado Francisco da Cunha, Povoa, Francisco Rodrigues, desta e Martha, solteira, monte, Padre Paulo da Rocha Guerreiro, vigario)
- Domingos Fernandes, filho de Gonçalo Fernandes e Isabel Rodrigues, Beiral de Lima, termo de Ponte de Lima (casou em Barros, Vila Verde, a 6.8.1708, com Jacinta da Mota, filha de Francisco da Mota e Maria Fernandes, sobrado, T. Antonio de Araujo de Abreu, Antonio de oliveira, Francisco de Oliveira, Antonio Fernandes, Francisco de Oliveira, viuvo e Padre Francisco Antunes, cura, Padre Lucas de Matos, vigario)
- Francisco Gonçalves, filho de João Gonçalves e Ana Fernandes, real (casou em, Adaufe, S. Maria, a 28.5.1714, com Margarida Francisca, filha de Miguel Afonso, falecido e Isabel Francisca, armada, Beiral do Lima, Ponte de Lima, T. Henrique Ferreira, filho de Joseph Ferreira e Manoel, solteiro, meu familiar e natural de Prozelo, Padre Antonio de Araujo Pereira, reitor)
- Antonio Rodrigues, filho de Luis Rodrigues e Maria Rodrigues, falecida, vinha nova, Beiral de Lima, Ponte de Lima (casou em Barros, a 17.11.1717, com Catherina da Mota, filha de Francisco da Mota e Maria Fernandes, falecida, T. Francisco da Costa, Antonio da Mota e Francisco Rodrigues, Padre Lourenço Antunes, vigario)
- Domingos Rodrigues, filho de Domingos Rodrigues e Maria Fernandes, vila nova, Beiral de Lima, Ponte de Lima (casou em Barros, a 23.10.1719, com Felicia Barbosa, filha de Baptista Barbosa, S. Miguel de Prado e Margarida Fernandes, solteira, T. Joseph de Sousa, Francisco de Oliveira e Antonio de Araujo de Abreu, Padre Lourenço Antunes, vigario)
- Nicolau Pereira, sapateiro, Beiral de Lima, filho natural de Thome Alvares Pereira, meirinho, vila de Ponte de Lima e Maria Amorim, Beiral de Lima e de presente casada com Paulo Fernandes, couto de Gondufe e o noivo morador em casas desta residencia, meu criado (casou ‘com certidão sem impedimentos de 6.10.1725’, em Nogueira, Braga, a 27.10.1725 e benções a 13.1.1726, com Maria Ferreira, bairro, filha de João Gonçalves, pasteleiro, falecido e Francisca Ferreira, viuva, bairro, T. Manoel da Silva, João Ferreira, Joseph Ferreira, ermmitão Bom Jesus do Monte, Antonio Domingues, Braga, Padre Agostinho Moreira Baldaya, abade)
- Manoel Rodrigues, viiuvo de Thereza Francisca, S. Pedro de Este (casou em Tenões, Braga, a 8.5.1730, com Domingas Fernandes, filha de Gonçalo Fernandes e Domingas Fernandes, Beiral do Lima, termo de Ponte de Lima e assistente na casa do irmão Domingos Fernandes Lima, pousada, T. Pedro António da Cunha Ozorio, ribainhos, Manoel Antunes de Oliveira e António Antunes, ambos nogueiras, Padre António de Macedo, vigário)
- Francisco Gonçalves, filho de João Gonçalves e Ana Fernandes, real, Adaufe, viuvo de Margarida Francisca, sepultada em Adaufe, filha de Miguel Afonso e Isabel Francisca, Beiral do Lima, Ponte de Lima (casou em Esqueiros, a 20.10.1743, com Benta Francisca, filha de Domingos Francisco e Domingas Francisca, revenda, desta, T. Paschoal de Matos, Francisco Marques, António Soares, Luís Ferreira, sapateiro, todos revenda e Francisco Lopes, solteiro, filho de António Francisco, falecido e sua mulher Antónia Lopes, revenda, Padre Francisco Soares, barreo de Parada e Barbudo de minha comissão nesta igreja)
- João Marques, engeitado em Ponte de Lima e nela baptizado e morador em S. Victor (casou em Tenões, Braga, a 14.10.1748, com Rosa Fernandes Lima, filha de Domingos Fernandes Lima [filho de Gonçalo Fernandes Lima e Domingas Fernandes, S. Mª Beiral do Lima, termo de Ponte de Lima] e Maria da Costa [filha de Costodio da Costa e Maria da Costa, eira] e moradores em baixetes, Tenões, T. Padre Manoel Joseph da Cunha Ozorio, João Francisco, Francisco Ferreira, ambos baixetes e António Antunes, nogueiras, Padre Domingos Antunes, vigário)
- João Antonio da Cunha, 21 anos, negociante, natural Beiral de Lima, Ponte de Lima, morador Lago, filho de Manoel Antonio da Cunha, Labradas, Ponte da Barca e Maria da Cunha, Beiral de Lima, S. Maria (casou em Lago, S. Martinho, a 1.7.1907, com Ana Joaquina de Azevedo, 23 anos, negociante, Rendufe, moradora Lago, filha de Narciso Jose de Barros, Carrazedo e Jeronima Thereza da Conceição, Rendufe, T. Miguel Veloso, Arnaldo Alves, ambos Lago, Padre Lucio Dias Correia Fanha, abade)

Bertiandos
- Francisco Velho de Barros, viuvo de Maria Madalena Pereira, Bertiandos e ele filho de Manoel Velho de Barros e Isabel de Barros, S. Vicente de Fornelos, Ponte de Lima (casou em Câmara de Moure, a 11.?.1746, com Luiza Pereira da Silva, viúva de Constantino de Magalhães, rua dos Biscainhos, Braga e ela filha de Inácio da Silva e Felícia Pereira, Santa Se, Braga, T. Padre João Monteiro de Vilas Boas, Padre reitor de Fornelos, Manoel dos Reis, João António Machado, câmara, Paulo Diogo Machado, câmara, estudantes e seu pai Diogo de Araújo Machado da Silva, capitão-mor deste couto, Padre Paulo Monteiro de Vilas Boas, reitor) ‘padre esqueceu-se de mencionar o mês do casamento’

Boalhoza, S. Estevão
- Hieronimo da Rocha, filho de Francisco da Rocha e Domingas de Araújo, fojo, desta (casou em S. Miguel de Prado, a 29.8.1723, com Mariana Francisca, viúva de Costodio da Gama filgueira, S. Critovão, filho de António Gonçalves e Domingas Gonçalves, Boulhoza, T. Padre Nicolau da Lomba, João Gomes, estudante, todos desta, Padre Constantino de Barros, cura)
- Estevão Gonçalves, filho de Antonio Gonçalves e Domingas Gonçalves, Santo Estevão de Boalhoza, Ponte de Lima (casou em Gomide, a 26.4.1732, com Ana de Almeida de Sousa, filha de Domingos Fernandes e Mariana de Almeida, bouro, T. Manoel da Costa, filho de Caetano Rodrigues, bouro e Manoel Marques, bouro, Padre João Soares, abade)
- Joseph Francisco, filho de Paulo Francisco e Catherina Francisca, S. Estêvão de Boalhosa, termo de Ponte de Lima (casou em Merelim, S. Pedro, a 1.12.1748, com Maria Esteves, filha de Damião Esteves e Mariana Carvalho, cortinhas, desta, T. Sebastião, solteiro, cortinhas, Costodio, solteiro, estrada do Carmo e Manoel Lopes, bouças, todos desta, Padre Alexandre de Barros, vigário)
- Antonio Pinto, 40 anos ‘viuvo de Costodia Barbosa’, cazeiro casa quinta, correia, Sampaio de Arcos, anexa de Nogueira (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 9.4.1873, com Thereza Maria, 24 anos, natural de S. Maria de Duas Igrejas e moradora em S. Estevão de Boalhosa, mesmo concelho, filha de Antonio Jose, Duas Igrejas e Maria Rosa, Boalhosa, T. Francisco da Costa, sapateiro, agrelo e João Alves, bairro, ambos Nogueira, Padre João Alberto de Araujo e Castro, abade)
RESENHA HISTÓRICA
Os aspectos históricos de Boalhosa estão muito ligados à Freguesia de Queijada, porque na história desta sua irmã lê-se que:
« (...) a freguesia de Boalhosa, constituía de facto com a de Queijada um único couto, da ordem dos Hospitalários, cujos habitantes, no século XIII, cultivavam certos sítios do monte dos Francos, (...) pagando à Coroa, de alguns desses sítios, o quarto e, de outros, o quinto, e ainda, cada cultivador, um frangão, com dez ovos. Todos os habitantes do couto aí cultivavam, e, por ele se "escusando", nenhum outro foro davam à Coroa, a não ser um ovo por mês ao casteleiro (de Penela) ou o valor correspondente.
No couto, porém, viviam famílias "foreiras da trazer". aquele reguengo à vontade do rei ou do rico-homem de Penela. E os cultivadores desse reguengo deviam conduzir os tributos relativos ao mesmo a certos lugares que o mordomo real designasse. Com Boalhosa sucedida identicamente. O couto, posteriormente, entrou na comenda de Chavão, da já citada Ordem do Hospital. A região era atravessada pela estrada romana de Braga, cujos vestígios poderão ser procurados na ponte sobre o rio Trovela».
Ainda, acerca da história, pode ler-se na integra o que nos diz o livro " Inventário Colectivo dos registros Paroquiais Vol. 2 Norte Arquivos Nacionais /Torre do Tombo":
«Nas Inquirições de D. Afonso II, de 1220, Santo Estêvão de Bolhosa pertencia à Terra de Penela, sendo descrita como "Sancto Stephano de Beulosa (...) ista ecclesia est de Hospitale, et XI casalia et medium ".
Em 1258, fazia parte do julgado de Penela, sendo couto "do Esprital per padroes". É referida nestes termos nas Inquirições desse ano, de D. Afonso III.
Já nas Inquirições de 1290, de D. Dinis, vem citada como freguesia de Santo Estêvão de Boalhosa, situada no julgado de Penela.
No registo da cobrança das "colheitas" dos benefícios eclesiásticos do arcebispado de Braga, do julgado de Penela.
Américo Costa descreve este lugar como vigairaria da apresentação do abade da Queijada e couto pertencente à Ordem de Malta.
Mais tarde, este couto veio a ser unido ao de Boalhosa, também daquela Ordem e concelho de Albergaria de Penela.
Civilmente estava sob jurisdição das autoridades de Queijada e criminalmente sob a alçada do juiz de Portela das Cabras».

Brandara, Santiago
- Paulo Gonçalves, filho de António Alvares e Margarida Gonçalves, Santiago de Brandara, Ponte de Lima ‘com certidão do Padre Manoel Moreira Fagundes, cura, com o reconhecimento do escrivão publico Dionizio Mendes, Ponte de Lima (casou em Esqueiros, a 22.5.1678, com Ângela Gonçalves, filha de Domingos Gonçalves, falecido e Catherina Antunes, paredes, desta, T. Francisco Pereira da Silva, boca, João Dias, Domingos Rodrigues, paredes, Marcos Domingues, António Francisco, mondim, Padre Domingos João, cura)
- Balthazar da Silva, filha de Lourenço da Gama, falecido e Domingas Fernandes, solteira, Santiago de Brandara, Ponte de Lima (casou em, Pousada, Sampaio, a 1.8.1717, com Domingas Gonçalves, filha de Gaspar Gonçalves e Mariana André, solteira, falecidos, vilar de Porro, Montalegre, T. Manoel Fernandes, carpinteiro, saa, Alexandre Rodrigues, souto, Hieronimo Ferreira, regadas, S. Lucrécia, termo de Braga, Padre Manoel de Araújo Barbosa, reitor)
- Antonio Joaquim Cerqueira, 28 anos, sombreireiro, cruzeiro, Nogueira, filho de João Manoel Cerqueira, natural Santiago de Brandara, Ponte de Lima e Antonia Maria Carvalho, Sampaio de Arcos, anexa de Nogueira (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 11.10.1866, com Maria Thereza, 25 anos, cazeiro, agrelo, Nogueira, filha de Domingos Lopes e Maria Thereza, Nogueira, T. Jose Manoel Duarte, solteiro, agrelo e Francisco Jose da Costa, facha, ambos Nogueira, Padre Domingos Jose Jorge Pereira, encomendado)

- Jose Pereira Carneiro, Pasta 855, Procº 19629, de 15.11.1713, pagou pelo processo de IG em 18.9.1713, 9.000 reis, estudou no convento de S. Paulo, Braga e na Universidade de Coimbra, onde se encontrava na altura da IG
a) Filho de Antonio Pereira, falecido e Josepha de Chaves Carneiro, S. Mamede de Sandiães, Ponte de Lima
b) Neto paterno de João Fernandes e Isabel Pires, falecidos, S. Miguel de Cabaços
c) Neto materno de Padre Vicente Vieira, 'Caniço' de alcunha, abade que foi durante muitos anos de Sandiães e natural do campo de Santiago, Cividade, Braga e Isabel Pereira, solteira 'tocadeira' de alcunha, por tocar panos e ter loja na rua direita, com o pai que também era tocador, vila de Barcelos, que ainda solteira e após morte do pai, seguiu com a irmã Maria, para Sandiães, onde herdou umas fazendas, que segundo as testemunhas ali viveu, teve filhas do abade e morreu, sendo herdeira irmã, depois o padre que assumiu os filhos e depois passou para a filha Josepha e Antonio Pereira, a fazenda era na ponte de Anel

Cabaços, S. Miguel
- Manoel Gomes, filho de João Alvares e Maria Gomes, falecidos, monte (casou em Palmeira, S. Maria, a 9.2.1728, com Mariana Pereira, filha natural de Bento do Rego, Cabaços e Vicencia de Araujo, S. Victor, Braga, T. Vitoriano de Azevedo da Silva, Domingos de Araujo de Abreu, ambos sua quinta assento, Francisco Peixoto, pedras, Padre Joseph Lopes, cura)
- Antonio Rodrigues, filho de Silvestre Rodrigues e Josepha de Araujo, S. Maria de Sá, termo de Valença (casou em Dume, S. Martinho, a 8.10.1731, com Maria Alvares, assistente cacavelos, filha natural de Padre Manoel Alvares, couto de Cabaços e Antonia Fernandes, friestelas, T. Temotheo da Cunha e João Rodrigues, Padre Bernardo Vilas Boas Casado, reitor)
- Francisco Carneiro, viuvo de Antónia Gonçalves, filha de Luís Gonçalves e Domingas Fernandes, S, Mamede de Escariz e ele filho de Domingos Francisco e Maria Fernandes, Santiago de Atiães (casou na Capela de S. Francisco Xavier, desta, em S. Julião de Lage, a 30.1.1741, com Mónica da Silva, filha natural de João Alvares da Silva e Maria Lopes, solteira, S. Miguel do couto de Cabaços, ‘Ponte de Lima’, T. Padre Domingos Ferreira de Barros, Padre Francisco Machado e Padre Alexandre de Araújo, celebrou o Padre Manoel Soares Lopes, cura de S. João de Souto, Braga, de minha licença, o Padre Manoel da Silva Macedo, abade)
- Domingos Pereira, filho de Antonio Pereira e Maria Francisca, S. Miguel de Cabaços (casou em Palmeira, S. Maria, a 25.9.1743, com Hieronima Maria, filha de Antonio Rodrigues, falecido e Maria Martins, vila de Prado, T. Padre Francisco Thomaz da Silva, vigario, Domingos Francisco, bouça, Francisco Fernandes e Costodio Lopes, verdasca, Padre Joseph Lopes, desta)
- Ayres Dantas, filho de João Alvares e Maria Dantas, S. Miguel de Cabaços ‘Ponte de Lima’ (casou em S. Lucrecia de Algeriz, Santiago, a 21.9.1758, com Maria Fernandes, filha de Manoel Machado e Maria Fernandes, S. Lucrecia, T. Jose Francisco, pombal, Domingos Rodrigues, Pedro Alvares, ambos igreja, S. Lucrecia, Padre João Teixeira, vigario)
- Jeronimo Correia, 20 anos, S. Martinho de Dume e morador s. marta, Lago, filho de João Antonio Correia, S. Miguel de Cabaços, Ponte de Lima e Brizida Rosa, Veiga de Penso, Braga (casou em Lago, S. Martinho, a 8.5.1887, com Narcisa Rosa Ribeiro, 21 anos, criada de servir, Lago, filha de Antonio Ribeiro, Lago e Maria Thereza de Abreu, S. Pedro de Esqueiros, Vila Verde, T. Jose Maria de Azevedo, viuvo, proprietario, vila nova e João Luis Antonio, carpinteiro, cruzes, ambos Lago, Padre Domingos Adelino de Almeida, encomendado)

-  João Pereira, pasta 68, Procº 1502, de 17.9.1680, 
a) filho de João Fernandes e Isabel Pires, falecida, S. Miguel de Cabaços, Ponte de Lima
b) Neto paterno de Manoel Fernandes e Maria Alvares, lugar de carvalhal, Cabaços
c) Neto materno de Domingos Jorge e Margarida Pires, lugar de gajoso, Cabaços
Testemunhas:
- Simão Barbosa Correia, vivia das suas fazendas na quinta de carvalhal deste couto e freguesia, de Cabaços, 60 anos

- Manoel Pereira, pasta 694, Procº 16152, de 6.11.1730, a fls 78, baptizado a 21.11.1675, P. Antonio Vieira e Margarida, filha de Balthazar Loureiro
a) Filho de Geraldo Pereira, falecido, capitão de auxiliares e FSO e Maria Antunes, falelcida, natural do lugar de rio e moradores em lama, Cabaços
b) Neto paterno de Francisco Fernandes, falecido, S. Miguel de Cabaços e Ana Pereira, natural de S. Miguel da Faxa, gateiro e moradores em lama, Cabaços
c) Neto materno de Francisco Correia duro e Catherina Amada, naturais e moradores, em rio, S. Miguel da Faxa
Testemunhas:
- João Barbosa Correia, carvalhal 80 anos

Cabração, S. Maria
‘Lima é um rio de Portugal, que tem nascente em Espanha, na lagoa de Antela, formada nas vertentes da serra de S. Mamede, na Galiza (…). Foi neste formoso rio que deu nome a ilustre familia de Rodrigues Lima, que povoou a ribeira do Acaraú, no norte do Estado do Ceará, Brasil. É mais um caso de topónimo português que se tornou sobrenome familiar no Vale do Acaraú, tal como Fonteles, Linhares, Braga, Viana, Prado e tantos outros (…).
O tronco desta família, entre nós foi o capitão Domingos Rodrigues Lima, natural da freguesia de Cabração, concelho de Ponte de Lima, cujos pais chamavam-se Jose Vaz e Justa Afonso. Ao chegar ao Brasil, Domingos Rodrigues acrescentou ao próprio nome o sobrenome Lima em homenagem à terra berço (…).
Domingos Rodrigues Lima, nasceu em Cabração a 7.6.1722 e foi baptizado em casa, em perigo de vida, a 29 do mesmo mês e ano, tendo sido levado, posteriormente a igreja matriz (…).
Domingos Rodrigues Lima, veio para o Brasil antes de atingir a maioridade, pelo que deve ter viajado sob a guarda de um tutor, desembarcando no Recife, em cujo comércio se estabeleceu (…). O primento documento que atesta a sua presença ali é o inventário de Isabel Rodrigues de Oliveira, mulher do capitão-mor Domingos de Farias Castro, falecida na capital da Paraiba, a 23.10.1739 (…).
No comércio do Recife, durante dez anos, Domingos conseguiu amealhar bom patrimónico e grande número de amigos, ficandos também conhecido nas praças da Bahia e Ceará pela lisura nos negócios que mantinha. Isto foi o suficiente para lhe dar prestígio e obter a patente de capitão (…).
Em 1747, Domingos resolveu viajar para Fortaleza, com o fim de expandir ainda mais as suas actividades comerciais (…). Depois da Fortaleza, o capitão Domingos partiu para a Ribeira do Acaraú, em Sobral-Ceará, onde foi acolhido pelo patrício e também português Domingos da Cunha Linhares, em sua fazenda de S. José, hoje vila de Patriarca, na margem esquerda do rio Acaraú (…).
Em 16.9.1762, o capitão Domingos Rodrigues Lima, casou com Maria da Soledade Araújo, filha legitima do capitão Domingos da Cunha Linhares, natural do arcebispado de Braga, S. Marinha de Linhares e de sua mulher Dionizia Alves Linhares, natural do rio Grande do Norte, freguesia de Nª Sª da Apresentação, neta paterna de Jacinto Gonçalves, natural do Reino de Castela e de Suzana de Araujo, natural de Braga, S. Marinha de Linhares, ambos falecidos e pela materna de Dionizio Alves Linhares, freguesia de Cossourado e Rufina Gomes de Sá, natural rio Grande do Norte, freguesia de Nª Sª da Apresentação
Resenha histórica
Situada na montanha, mas de terra fértil, Cabração dista cerca de 14 quilómetros da sede do concelho. Toda ou parte da freguesia, pertenceu ao Mosteiro de Vitorino de Donas. Teria sido uma quinta de algum nobre godo, o que se colige de uma escritura que as freiras do mosteiro levaram quando foram para o Convento do Salvador de Braga.
Ali se diz que:
"Indo D. Afonso Henriques à caça dos javalis, a esta freguesia, que é na serra de Arga, acompanhado de Nuno Velho, Sancho Nunes, Gonçalo Rodrigues, Lourenço Viegas, Soeiro Mendes (o Gordo), Gonçalo Ramires e outros fidalgos, o abade de Vitorino, D. Fernando, lhes deu aí de jantar, junto à capela de Nossa Senhora de Azevedo, no fim do qual o rei lhe demarcou o couto."
Diz-nos Pinto Leal que:
"No reinado de D. Sancho I (1187) o seu celleireiro, por estar a capella arruinada, quiz que se lhe pagassem certos direitos, ao que se oppoz a abbadessa D. Sancha, e venceu. Depois foi vigairaria da casa de Penteeiros. As freiras do convento do Salvador de Braga apresentavam aqui o vigario ad nutum, que tinha - o passal, oito mil réis em dinheiro, 2 alqueires de trigo, 4 cabaços de vinho e a cêra para as missas conventuaes."
Referia-se ainda à abundância de caça nesta freguesia. Indicava ainda que em Cabração nascia "um ribeiro com o seu nome, ao qual também chamavam Cadoura".
Merecem referência especial nesta freguesia alguns dos seus cruzeiros, os quais simbolizam uma marcada influência do cristianismo nesta localidade. A história de Santa Maria de Cabração está associada à do Mosteiro de "Victorinho", criado, segundo o Padre António Carvalho da Costa, por D. Afonso Henriques. Este mosteiro terá sido extinto pelo rei D. Sancho I. No memorial feito pelo vigário Rui Fagundes sobre a avaliação dos benefícios eclesiásticos da comarca de Valença, organizado entre 1545 e 1549, sendo arcebispo D. Manuel de Sousa, Santa Maria da Cabração foi avaliada em trinta mil réis.

Calheiros, S. Eufemia
- Geraldo Pinheiro, filho de Frutuozo Ferreira, falecido e Ana Pinheiro, S. Pedro de Maximinos (casou na ermida de S. Miguel o Anjo, Santiago da Se, Braga, em 2.5.1652, com Catherina Carneiro, filha de Antonio Alvares, falecido, Calheiros, Ponte de Lima e Marinha Rodrigues, desta, T. Bento Gonçalves, sapateiro, Domingos de Oliveira, alfaiate, celebrou o Padre Gaspar Machado, cura dos Arcos)
Resenha historica
A honra de Calheiros foi confirmada por D. Afonso IV, em Santarem, em 5.2.1336, a favor de Martim Martins Calheiros, cuja honra lhe fora dada por D. Dinis.
Posteriormente D. Sebastião, por sentença de 12.11.1566, novamente rectificou os direitos e demarcações daquela honra, a favor de Diogo Lopes de Calheiros, o ilustre autor do memorial de Calheiros.
A geração antiquissima da casa de Calheiros, no dia do memorial provem de D. Aldias e de sua mulher Dª Gontinha, dos quais procede Martim Martins de Calheiros que obteve de D. Afonso IV a sentença da honra de Calheiros.

Calvelo, S. Pedro
[Albergaria de Penela, foi um antigo concelho de Portugal, localizado nos actuais municipios de Ponte de Lima e Vila Verde. Era constituido pelas freguesias de Anais, Calvelo, Fojo Lobal, Gaifar, S. Lourenço do Mato, Sandiães, Azões e Duas Igrejas.
A sede era localizada na freguesia de Calvelo. Foi extinto em 1837 e as suas freguesias integradas nos municipios de Penela do Minho e Pontge de Lima]
- Manoel Nogueira, filho de Antonio Gonçalves e Maria Jorge, S. Maria de Alheira, termo de Barcelos (casou na capela do Senhor, Santiago da Se, Braga, em 24.2.1653, com Ana Francisca, filha de Pedro Pires e Margarida Gonçalves, S. Pedro de Calvelo, termo de Barcelos, T. Constantino de Oliveira, criado do Padre sacristão Miguel Veloso, Agostinho da Cunha Sotomayor, celebrou o Padre Domingos Alvares, rua do poço, Se)
- Francisco da Costa, filho de Amador da Costa e Isabel Martins, falecidos, rua dos pelames, Cividade (casou em Santiago da Se, Braga, a 2.1.1670, com Paula Ferreira, rua nova, filha de Domingos Ferreira e Catherina Gonçalves, falecidos, Calvelo, Albergaria, T. Sebastião Ferreira, escrivão, Padre Domingos Ferreira Camelo, Padre Sebastião de Araujo, rua nova, Padre Paulo Gomes, vigario)
- Pedro Domingues, filho de Balthazar da Maya, falecido, Albergaria, Ponte de Lima e Domingas Gonçalves (casou em Ferreiros, Amares, a 20.10.1687, com Apolinaria da Silva, filha de Gonçalo da Silva e Ana Veloso, alem, Padre João da Silva Homem, abade)
- António Dias o rebola, viuvo de Senhorinha Gonçalves, filha de Agostinho Fernandes e Maria Gonçalves, s. andré e ele filho de Domingos Dias e Isabel Gonçalves, falecidos, moure (casou em Câmara de Moure, a 21.2.1708, com Francisca da Cunha, engeitada em moure onde se achou e de presente em Calvelo, filha de Catherina da Cunha, solteira, Cristelos, Barcelos, T. Padre Gonçalo Vaz, cura de Freiriz, Padre Francisco Lopes, vigário de Atiais, Padre Manoel da Costa, S. Miguel de Carreiras, Sebastião Gonçalves, gondramaz e Luísa Gonçalves, viúva, gandra, Padre Joseph Fragoso Ribeiro, vigário)
- Antonio Alvares Malheiro, filho de João Alvares e Ana Malheiro, Candemil, termo de Vila Nova de Cerveira (casou em Prado, S. Maria, a 15.9.1714, com Thereza da Fonseca, filha de Bernardo da Fonseca e Maria da Costa, falecida, S. Pedro de Calvelos, T. Padre Antonio Correia de Macedo, licenciado Luis da Maia, Caetano Furtado de Mendonça, todos desta vila, Padre Bartholomeo Alvares, reitor)
- Manoel da Costa, filho de Hieronimo Barbosa e Ana Domingues, falecidos, S. Pedro de Albergaria de Calvelo, couto de Albergaria ‘Ponte de Lima’ (casou em Palmeira, S. Maria, a 14.12.1735, com Angela Fernandes, filha de João Alvares e 1ª mulher Madalena Fernandes, desta, T. João Alvares, Manoel Carvalho, ambos granja, desta, Padre Joseph Lopes, cura). Passada certidão por petição de Ana da Costa, mulher de Manoel Ferreira, desta em 8.1.1797
- Costodio Esteves, viuvo de Maria Dias, filha de Francisco Dias e Maria Fernandes e ele filho de Francisco Esteves e Sebastiana Antonia, todos desta (casou em Palmeira, S. Maria, a 27.2.1744, com Maria Gonçalves, filha de Joseph Gonçalves e Mariana Gonçalves, falecidos, S. Pedro de Calvelo, T. Padre Francisco Thomaz da Silva, vigario, Padre João de Chaves, desta, Francisco, filho de Geraldo Fernandes, carreiro, celebrou o Padre Bento Domingues, cura)
- Salvador da Costa, filho de Hieronimo Barbosa e Ana Domingues, falecidos, S. Pedro de Calvelo e assistente nesta em casa João Lopes, porta (casou em Palmeira, S. Maria, a 23.11.1744, com Maria Fernandes, filha de Andre Luis e Maria Fernandes, aldeia, desta, T. Padre Francisco Thomaz da Silva, vigario que faço os assentos, Padre Antonio Joseph Martins, cura, Joseph e Andre, filhos de Costodia Luiz, viuva, pedras, celebrou Padre Antonio Joseph Martins, cura). Passada certidão por petição de Salvador da Costa e sua filha Francisca Thereza, em 5.1.1797
- Antonio Alves, 38 anos ‘viuvo de Isabel da Silva’, natural de Calvelo, Ponte de Lima e morador em torrente, Crespos, filho de Bernardo Alves, Calvelo e Rosa Correia, Sandiães, Barcelos (casou em Crespos, S. Eulalia, a 10.6.1878, com Rosa Soares, 34 anos, criada de servir, natural Crespos e moradora em S. Lucrecia, filha de Manoel de Faria, Crespos e Domingas Soares, Caires, Amares, T. João de Almeida, carpinteiro e Francisco Antunes de Oliveira, alfaiate, ambos Crespos, Padre Gaspar Jose de Sepulveda, abade)
- Francisco Moreira, 53 anos ‘viuvo de Ana Joaquina da Silva Faria, falecida em Figueiredo’, tamanqueiro, filho de Antonio Moreira e Quiteria Maria Alves, S. Pedro de Calvelo, Ponte de Lima (casou em Figueiredo, S. Pedro, a 8.12.1900, com Thereza Joaquina Martins, 46 anos ‘viuva de Manoel Antonio Pereira, falecido em Figueiredo’, filha de Manoel Jose de Araujo e Thereza Martins, Figueiredo, T. Jose da Silva e Antonio Martins, Figueiredo, Padre Fernando Augusto de Araujo Azambuja, abade)
Resenha historica:
A casa de Mereces, foi solar dos Regos, que procedem de Mem de Gondar, fidalgo asturiano que veio para Portugal, em 1093, com o conde D. Henrique.
No alto do monte está a antiquissima capela de S. Verissimo e suas irmãs, S. Máxima e S. Julia, naturais de Lisboa, onde foram martirizadas, pelos anos de 360, imperando Diocleciano e sendo consul das Espanhas o sanguinário Daciano.
A rainha D. Mafalda, mulher de D. Afonso Henriques, deu a esta capela vários casais, A quinta de Pousada, merece especial referência nesta freguesia. A freguesia desenvolveu-se à sombra dum pequeno convento beneditino que no séc. XV, passou a abadia secular.
A igreja de S. Pedro de Calvelo, é mencionada em vários documentos desde 1118 e 1164. Entre 1118 e 1128, é mencionada em doações, que fizeram D. Paio Mendes e sua irmã Dª Elvira Nunes, da parte que lhes pertencia no mosteiro beneditino de S. Pedro de Calvelo, a D. Paio Mendes.
As inquirições de D. Afonso II, de 1220, aparece-nos de S. Pedro de Calvelo, situando-a na terra de Penela. As inquirições de D. Diniz, em 1290, referem a freguesia de S. Pedro de Calvelo, integrando a terra de Penela.
No final do séc. XV, o mosteiro veio a ser extinto, passando-a abadia secular e comenda da Ordem de Cristo, era sua anexa Friastelas.

Cepois

Correlhã, S. Thome
- João Vaz, filho de Antonio Rodrigues, falecido e Maria Vaz (casou na capela do Santissimo Sacramento, com despacho e licença do juiz de casamentos, em Santiago da Se, Braga, a 26.12.1644, com Maria Fernandes, S. Tome de Correlhã, filha de Antonio Fernandes o novo e Maria Fernandes, S. Tome de Correlhã, T. ‘sem testemunhas’, Padre Jacome Ferreira, vigario)
- António de Barros, filho de Francisco Rodrigues e Margarida de Barros (casou, em 20.10.1696, com Philipa de Caldas, filha natural de Francisco Pires de Caldas e Ana Francisca, S. Thome de Correlhã, Termo de Ponte de Lima, celebrou o Padre Bento de Coimbra e Andrade, abade)
- Pedro Fernandes, viuvo, natural S. Tome de Correlham, filho de Antonio João da Costa e Isabel Fernandes, falecidos, Correlham (casou em Cividade, Santiago, a 29.7.1697, com Ana Fernandes, filha de João Fernandes e Maria Gonçalves, falecidos, S. Marta de Cerdedelo ‘celebrei por uma ordem do Dr. Jacome de Vilas Boas Casado, desembargador e juiz dos casamentos’, T. Manoel Calheiros, notario, Manoel Vieira, aljuveiro, Francisco Dias Lima, escrivão do eclisiastico, rua dos pelames, Padre Tome Gomes Vilaça, vigario)
- Domingos Fernandes Vilas Boas, viuvo de Maria Rodrigues, rua dos pelames, filho de Domingos Velho e Ana Fernandes, falecida, S. Mamede de Paradela (casou em Cividade, Santiago, a 1.5.1707, com Thereza Pereira, filha de Pedro Coelho e Angela de Mesquita, falecida, rua das conegas, Se, T. Nicolau Teixeira, alfaiate, Padre Alexandre da Silva, moradores junto igreja Santiago, Padre Agostinho de Barbosa e Lima, vigario)
- João Fernandes Lucas, S. Tome de Correlhã, termo de Ponte de Lima (casou em Geraz, S. Estevão, a 30.7.1724, com Angelica Pereira, porcas, S. Estevão, T. Padre Antonio Alvares Vieira, Manoel de Araujo e Silva, ambos S. Estevão de Geraz, Padre Manoel da Silva, cura encomendado)
Historia
Em 1498, S. Mamede de Paradela era anexa a Correlhã. Segundo o Padre Antonio Carvalho da Costa a freguesia de Paradela, designou-se também como Paradela de Seara, tendo por orago S. Martinho, como acontece com Seara
- Domingos da Silva, filho de João da Silva e Mariana da Silva, S. Eulália de Tenões (casou em, Pousada, Sampaio, a 14.10.1725, com Maria Rodrigues, filha de Balthazar Rodrigues e Isabel Rodrigues, falecidos, S. Thome de Correlhã, Ponte de Lima, T. Domingos Fernandes, João Tinoco da Silva, souto, Padre Manoel de Araújo Barbosa, reitor)
- Antonio Rodrigues, filho de Domingos Rodrigues ‘filho de Amaro Rodrigues e Maria Lopes, pregal’ e Andreza Francisca ‘filha de Domingos Francisco, paço’ (casou em Este, S. Mamede, a 16.2.1746, com Ana Maria, filha de Sebastião Rodrigues, venda ‘filho de Antonio Gonçalves, Correlhã, Ponte de Lima e Catherina Rodrigues, outeiro’ e Martha Francisca ‘filha de Pedro Francisco e Mariana Dias’, todos de Pedralva e assistentes nesta, T. Padre Miguel Vieira, Antonio Lopes, paço, Gregorio, solteiro, carvalho, Padre Francisco Rodrigues, encomendado)
- Joaquim Ferreira de Sá ‘morador Paranhos’, filho de Antonio Ferreira de Sá, falecido e Leonor Angelica de Freitas, Antas, Santiago, Famalicão (casou em Paranhos, S. Lourenço, a 2.7.1846, com Francisca Fernandes ‘moradora Paranhos’, filha de Andre Gonçalves e Mariana Fernandes, falecidos, Correlhã, S. Tomé, Ponte de Lima, T. Jose Costodio de Araujo Pereira, Souto, Manoel Jose Pereira de Sousa, Balança, S. João, Padre Jose Antonio Fernandes de Araujo, paroco)
- Manoel Carvalhosa, 23 anos, pedreiro, filho de Jose Carvalhosa e Margarida da Costa, S. Tome de Correlhã, Ponte de Lima (casou em Valdozende, S. Marinha, a 14.8.1887, com Maria Dias, 32 anos, solteira, filha natural de Maria Rosa da Vinha, solteira, vilarinho, Valdozende, T. Bernardino Jose Ribeiro, casado, João Baptista Ribeiro de Araujo, solteiro, estudante, ambos assento, Valdozende, Padre João Francisco Pereira, abade)
Historia
Em 1498, S. Mamede de Paradela era anexa a Correlhã. Segundo o Padre Antonio Carvalho da Costa a freguesia de Paradela, designou-se também como Paradela de Seara, tendo por orago S. Martinho, como acontece com Seara.
A antiga freguesia de S. Mamede de Seara ou Paradela de Seara, pertencente ao couto de Correlhã, como abadia da aparesentação da Mitra.

Estorãos

Facha, S. Estevão
- Tome Luis, torneiro, atras S. Miguel, filho de João Luis e Margarida Francisca, falecidos, ponte de guimarães, S. Victor (casou na ermida de S. Miguel o Anjo, Santiago da Se, Braga, a 6.6.1650, com Ana Rodrigues, filha de Gonçalo Esteves e Margarida Gonçalves, falecidos, S. Estevão da Facha, T. Antonio Fernandes, torneiro, detras os açougues, Miguel da Mota, porta nova, Bento Gonçalves, sapateiro, S. Sebastião, Padre Jacome Ferreira, vigario)
- Joseph Ribeiro, filho de Francisco Rodrigues e Madalena Ribeiro, falecidos, infias, S. Victor, Braga (casou em Dume, S. Martinho, a 6.7.1689, com Paschoa Soares, filha de João Rodrigues e Catherina Soares, S. Estevao da Facha, Ponte de Lima, termo de Viana, T. Manoel Alvares, cacavelos, António Cerqueira, cabanas, Francisco Brandão, meu familiar, natural de Quaires ‘Caires’, Padre Simão de Alvarenga Peixoto, Prior)
- Manoel da Silva Correia, filho natural do Padre Manoel da Silva Marques, abade de S. João da Balança e Francisca Correia, solteira, S. Salvador de Vitorino das Donas, S. Estevão da Facha (casou em Valbom, S. Martinho, a 4.10.1708, com Antonia de Lima Costa, filha de Martinho Fernandes da Costa e Damazia de Lima Filgueira, costa, T. Padre Sebastião Dias de Carvalho, cura, S. João da Balança, João Correia, Antonio Marques, Padre Paschoal Gonçalves da Roda, vigario)
- Joseph de Barros, filho de António Gomes e Martha Rodrigues, falecidos, S. Estevão da Facha, ‘Ponte de Lima’ e morador Sampaio da Pica, Regalados (casou em, Pousada, Sampaio, a 27.8.1712, com Maria da Cunha, filha de Francisco de Sampaio e Isabel Vaz, antonhais, T. Boaventura da Silva, estudante, rua dos chãos, Braga, Francisco de Sampaio, pai da noiva, Francisco da Cunha, irmão noiva, Padre Manoel de Araújo Barbosa, reitor)

Feitosa, couto
- Domingos Gonçalves, filho de Francisco Gonçalves e Francisca Gil (casou em Câmara de Moure, a 27.3.1670, com Maria Rodrigues, filha de António Rodrigues e Maria Francisca, couto de Feitosa, T. Belchior Rodrigues e Domingos Gonçalves, Padre Domingos Lopes de Passos, vigário)
- Antonio da Fonte, 24 anos, jornaleiro, Feitosa, Ponte de Lima e morador em S. Maria de Bouro, filho de Francisco da Fonte e Maria Thereza de Araujo, Feitosa, Ponte de Lima (casou em Bouro, S. Maria a 16.1.1901, com Maria Rosa da Silva, 22 anos, jornaleiro, lordelo, S. Maria de Bouro, filho natural de Costodia Maria da Silva, solteira, S. Maria de Bouro, T. Manoel Gomes Ferreira, professor, terreiro, Manoel Joaquim Fernandes, lavrador, lordelo, casados, S. Maria de Bouro, Padre Manoel Jose Antunes, reitor)


Fojo Lobal
- Antonio da Silva, filho de Antonio da Silva, Sande e Francisca de Araujo, solteira, S. Salvador do Fojo Lobal, Barca ´Ponte de Lima’ (casou em S. Miguel de Oriz, a 1.5.1669, com Maria de Araujo, filha de Francisco Rebelo e Isabel Martins, falecidos, gramosa, T. abade Francisco da Lomba, Padre João da Lomba, Padre Pedro Fernandes,vigario)

Fontão

Fornelos, S. Vicente
- Baltazar Alvares, filho de Gonçalo Alvares, S. Vicente de Fornelos, termo de Penela (casou na capela do Senhor, Santiago da Se, com despacho e licença do juiz dos casamentos, em Santiago da Se, Braga, a 24.8.1644, com Maria Fernandes, filha de Domingos Afonso e Catherina Fernandes, S. Marta de Cerdedelo, T. Padre Francisco de Sa, Gabriel de Sepulveda, Padre Jacome Ferreira, vigario)
- Manoel Vaz da Costa, filho do Padre João Vaz, falecido, reitor de Fornelos, Ponte de Lima e Madalena Francisca, solteira, vila de Guimarães (casou em Cividade, Santiago, a 21.4.1694, com Leonor Barreto de Mendonça, filha de Diogo Alvares de Mendonça e Leonor Pinheiro, falecidos, rua D. Gualdim, T. Padre Jose da Costa Madeira, João de Magalhães e Menezes, licenciado Alexandre Dias, Cividade, Padre Tome Gomes Vilaça, vigario)
- Lourenço da Silva, filho de Domingos Antunes, Dornelas [filho de Domingos Gonçalves, Vilela, S. Martha de Bouro e Domingas Antunes, Goães, Amares] e Ursula da Silva [filha de Miguel Dias e Madalena da Silva, Dornelas, Amares] (casou em Merelim, Sampaio, a 24.11.1745, com Maria Peixoto, filha de Manoel Gonçalves, penedo, Sampaio [filho de Martim Gonçalves, Souto de Rebordões, Viana e Ana Gonçalves, Fornelos, Ponte de Lima] e Maria Peixoto [filha de Costodio Peixoto, Sampaio de Merelim e Costodia Luis, Palmeira], T. Bento Domingues, Domingos Correia e Manoel Peixoto, Padre Calisto de Macedo, reitor)
- Francisco Velho de Barros, viuvo de Maria Madalena Pereira, Bertiandos e ele filho de Manoel Velho de Barros e Isabel de Barros, S. Vicente de Fornelos, Ponte de Lima (casou em Câmara de Moure, a 11.?.1746, com Luiza Pereira da Silva, viúva de Constantino de Magalhães, rua dos Biscainhos, Braga e ela filha de Inácio da Silva e Felícia Pereira, Santa Se, Braga, T. Padre João Monteiro de Vilas Boas, Padre reitor de Fornelos, Manoel dos Reis, João António Machado, câmara, Paulo Diogo Machado, câmara, estudantes e seu pai Diogo de Araújo Machado da Silva, capitão-mor deste couto, Padre Paulo Monteiro de Vilas Boas, reitor) ‘padre esqueceu-se de mencionar o mês do casamento’
- João Machado, viuvo de Maria de Almeida, brandariz, S. Vicente de Fornelos, Ponte de Lima e ele filho de Pedro Machado e Mariana Soares, solteira, S. Vicente do Bico, Amares, couto de Rendufe (casou em Câmara de Moure, a 5.7.1747, com Antónia de Araújo, filha de Domingos de Araújo e Domingas Gonçalves, falecidos, T. ‘sem nomes de testemunhas e assina de padre, espaço em branco’, celebrou o Padre Domingos Correia de Faria, vigário de Atiães)
- Jose Correia, filho de Antonio Correia e Mariana Luisa, Fornelos, vila da Ponte ‘Lima’ (casou em Paranhos, S. Lourenço, a 18.12.1831, com Ana Maria, filha de Maria Thereza de Araujo, T. João Alvares, Domingos Fernandes, Francisco Fernandes da Rocha, todos Paranhos, Padre Manoel Jose Ferreira de Lima, vigario)
- Jose Luis Afonso, 42 anos ‘viuvo de Dª Maria de Jesus da Silva, falecida Sé, Braga’, S. Lazaro e morador rua D. Frei Caetano Brandão, Sé, Braga, filho de Antonio Jose Afonso, Fornelos, Ponte de Lima e Maria da Conceição Ferreira, S. João de Souto, Braga (casou com dispensa por serem parentes em 4º de consanguinidade, em Maximinos, S. Pedro, a 4.6.1904, com Dª Catherina da Silva Gonçalves, 34 anos, solteira, moradora rua da cruz de pedra, Maximinos, filha de Joaquim da Silva Gonçalves e Ana Thereza de Jesus, Maximinos, T. Viscondes de Fraião Francisco Manoel de Oliveira Carvalho e Dª Armanda Augusta Pereira Dias de Oliveira Carvalho, casados, proprietarios, rua S. Marcos, Braga, S. João de Souto e Joaquim da Silva Gonçalves e Ana Thereza de Jesus, casados, proprietarios, rua da cruz de pedra, Maximinos, Padre Antão Jose de Oliveira, abade)
Resenha historica:
A principal fonte de documentação, mais remota, advêm das inquirições de 1220.
A antiga freguesia de S. Vicente de Fornelos, foi uma reitoria e comenda da ordem de Cristo. A apresentação do reitor ‘que tinha cento e quarenta mil reis de renda anual’, pertencia, a mitra.
Beneficiou do foral concedio em Lisboa, por D. Manoel I, em 20.6.1514, ao antigo concelho de Penela, a que sempre pertencera.
Foi aqui o paço de Anguião, de D. Rodrigo de Melo de Lima, quinto filho de D. Leonel de Lima, primeiro visconde de Vila Nova de Cerveira. Era aqui também a nobre a antiga casa de Barreiros, que foi dos descendentes do dito visconde.

Freixo, S. João
- Manoel Gonçalves, viuvo de Domingas Gonçalves (casou em Loureira, a 1.7.1713, com Antonia Gonçalves, assistente aldeia, filha de Gonçalo Alvares e Catherina Gonçalves, S. João de Freixo, termo de Barcelos, T. Padre Francisco de Araujo Soares, desta, Francisco Carneiro, familiar do ditto abade de Boiro, natural de S. Matheos da Ribeira de Homem, Antonio Gonçalves, Vilale, couto de Boiro, Padre Eusebio de Oliveira, abade)
- Carlos de Magalhães Rebelo e Menezes, filho de Gregorio Rebelo de Magalhães, falecido e Dª Isabel de Amorim, S. Julião de Freixo, termo de Barcelos (casou em Dume, S. Martinho, a 18.10.1713, com Dª Thereza Josepha da Silva e Vasconcelos, filha de Balthazar da Silva e Vasconcelos e Dª Maria de Moura e Basto, falecida, S. João de Souto, T. Diogo Pais de Araujo, Braga, Joseph Monteiro de Sousa, celebrei com licença do abade de S. João de Souto, que assistiu, Padre Boaventura Mendes da Costa, prior e abade)
- Domingos Alvares de Magalhães, filho de João Alvares e Costodia de Magalhães, S. Julião de Freixo, P. Lima (casou em Soutelo, a 28.6.1749, com Vitoria Maria, filha de Antonio da Mota e Isabel Maria de Sequeiros, falecidos, vila de Viana, T. Miguel de Sousa e João Alvares, Braga, Padre Joseph Leite da Costa, abade desta)
- José Maria de Abreu, 30 anos, monte, filho de José António de Abreu, alfaiate [neto paterno de António Ferreira e Maria Micaela, Ferreiros] e Francisca Rosa Fernandes, monte, Ferreiros [neto materno de Domingos José Fernandes e Luísa Pereira, S. Julião de Freixo, Ponte de Lima] (casou em Ferreiros, S. Maria, a 2.12.1860, com Costodia Joaquina Taveira, 24 anos, natural Prozelo, filha de Jerónimo Machado [neta paterna de Francisco Xavier Machado e Francisca Agustinha, ambos Prozelo] e Josefa Taveira, sertão, Ferreiros [neta materna de Simão Antunes e Francisca Taveira, Ferreiros], T. Pedro Antunes, alfaiate, monte e Francisco Dias, solteiro, carpinteiro, cabo, Padre Manoel de S. Catherina Alvares de Araújo Gomes, abade)
- Antonio Correia, 22 anos, soldado do esquadrão de cavalaria, natural de S. Julião da Lage, Vila Verde e morador rua s. gregorio, Maximinos, filho de Bernardo Correia, S. Pedro de Merelim, Braga e Luisa Vieira, S. Martinho de Moure, Vila Verde (casou em Maximinos, S. Pedro, a 17.6.1905, com Joaquina de Oliveira, 24 anos, criada de servir, Santiago de Ateães e moradora em sobreiro, Lage, ambas Vila Verde, filha de Manoel de Magalhães, S. Julião de Freixo, Ponte de Lima e Luisa de Oliveira, Atiães, Vila Verde, T. Costodio da Costa, solteiro, louceiro, sobreiro, Lage e Antonio Martins, casado, servo desta igreja, rua direita, Maximinos, Padre Antão Jose de Oliveira, abade)
- Thomaz Antonio Soares, 35 anos, proprietario ‘viuvo de Isabel Maria Alves Cerdeira, falecida Lago’, filho de Jose Joaquim da Silva Leite e Maria Joaquina Pires, Lago (casou em Lago, S. Martinho, a 4.11.1907, com Margarida Pereira Ribeiro, 23 anos, natural de Coussurado, Salvador, Barcelos e moradora Lago, filha de Manoel Joaquim Ribeiro, Freixo, S. Julião, Ponte de Lima e Rosa Pereira, Coussurado, Barcelos ‘declarou terem uma filha de nome Maria, n. 9 e b. 14.10.1907, Lago, para todos os efeitos legais’, T. Antonio Manoel Pereira, proprietario, Francisco de Magalhães, pedreiro, ambos Lago, Padre Lucio Dias Correia Fanha, abade)
[Dissolvido por falecimento de Thomaz Antonio Soares, as 06H00, dia 19.10.1961, Lago]
- João Luis Antunes, 68 anos ‘viuvo de 2ª matrimonio com Antonia Joaquina Ribeiro, falecida em Lago’, carpinteiro, Lago, filho de Antonio Joaquim Antunes e Rosa Maria Ribeiro, Lago (casou em Lago, S. Martinho, a 5.6.1909, com Benta Ribeiro, 27 anos, serviçal, natural Cossourado, Barcelos, filha de Manoel Joaquim Ribeiro, Freixo, Ponte de Lima e Maria Pereira ou Rosa Pereira, Coussorado, Barcelos, T. Costodio Jose Pereira, viuvo, Domingos Soares, proprietarios, Lago, Padre Lucio Dias Correia Fanha, abade)
[Dissolvido por falecimento de João Luis Antunes, em 4.3.1919, Lago, averbado em 20.12.1961]
Origem da Freguesia:
Acerca do topónimo da freguesia de Freixo, são vários os documentos medievais que dele se ocupam, não se sabendo bem a qual deles se deve dar mais crédito.
No “Censul de Braga”, do ano de 1081 vem citada como S. Julião de Paço; as “Inquirições” de 1120 chamam-lhe “Santo Johani de Pacioo, nas Terras de Aguiar de Riba Limia”; nas de 1258, de D. Afonso III, vem referida como “Parrochia Santi Juliami de Paocioo, Cabo de Vila e Carvalhos”; como freguesia regista-se em 1290 do julgado de Barcelos; em 1320 surge-nos com o título de “Eclesia Sancti Juliani de Freixhio”; em 1340 aparece com o nome de “Sam Gião de Freixeo”; em 1528 vem no “Censo Geral da Povoação” anexada a S. Miguel de Alvarães, do termo de Barcelos.
A antiga freguesia era uma vigaria da apresentação do reitor de Alvarães. Passou mais tarde a freguesia independente com o título de reitoria.
Em termos administrativos, pertenceu em 1839 à comarca de Barcelos e em 1852 à de Ponte de Lima.
Segundo alguns memoralistas, um avantajado Freixo, árvore de grande porte, que tinha sido plantada num dos lugares mais centrais desta terra, teria concorrido para a baptizarem com o seu nome.
Talvez o seu topónimo de Paço ou Paçô lhe advenha do medieval Paço de Corutelo, que actualmente designam por castelo.
Referem conceituados escritores, que foi vila na antiguidade.
O “Livro Velho das Linhagens” situa o castelo de Corutelo na encosta subjacente à montanha de S. Cristovão, em Freixo, no Vale do Neiva.
Monumento de longínquas eras, diz-se “Ter sido possuído por um tal Nuno Nudiz, que viveu no estado de casado de Riba de Neiva, no tempo de el-rei D. Fernando “ Magro”, que tomou Coimbra aos mouros e ali teve a sua corte”. E prosseguindo com a genealogia do dito fidalgo refere o seu autor: “quer pertencesse aos seus descendentes até Landugo Ordonhes, que casara sua filha com seu sobrinho Nuno Nudiz, quer em seus filhos, netos ou descendentes se conserve a sucessão dela até à mulher de Nuno Viegas “O Velho”. Ou fosse como nos quer persuadir o Marquez de Montebllo ou o Dr. João Salgado de Araújo, Abade de Pêra, o que é certo é que o Duque de Bragança e Barcelos, D. Jaime, em 1532 estava possuidor destas propriedades, cuja Quinta aprazou a João Rodrigues do Lago “pelo bem que o tinha servido na jornada e conquista de Azamor, África do Norte, e por ser descendente dos primeiros senhores daquele castelo e Quinta.
No átrio de acesso à torre ameiada existe uma pedra com data do ano 1000.
As gentes destas cercanias contam que existiu ali um prepotente fidalgo conhecido pela alcunha de D. Sapo, que tinha o direito de tirar a honra às donzelas, nas vésperas dos seus casamentos, direito feudal à vários séculos desaparecido.

Friastelas, S. Martinho
- Silvestre da Silva, filho de Domingos Afonso e Isabel Luis, S. Justa de Ameal, bispado de Coimbra (casou em Se, Santiago, a 19.8.1637, com Margarida Barbosa, minha freguesa, filha de Pedro Anes e Maria Domingues, S. Martinho de Friastelas, termo de Ponte de Lima, T. Luis de Gouveia, livreiro, Geraldo Fernandes, armador, Padre Simão Alvares, escrivão da Camara, Padre Antonio de Araujo, vigario)
- Thimoteo da Cunha, filho de Manoel da Cunha, falecido e Antonia Fernandes, Friestelas e assistente em Dume (casou em Palmeira, S. Maria, a 13.2.1730, com Maria Lopes, filha de Alexandre de Faria e Angela Lopes, falecidos, Sampaio de Merelim, T. Padre Francisco Duarte, Dume, Padre Antonio Fernandes, Francisco de Araujo, ribeiro e Domingos Alvares, lamela, desta, Padre Joseph Lopes, cura)
- António Fernandes, filho de Domingos Fernandes e Ana Fernandes, falecida, S. Martinho de Friastelas, termo de Ponte de Lima (casou em Merelim, S. Pedro, a 17.6.1736, com Gracia Francisca, filha de Francisco Antunes e Mariana Francisca, falecidos, desta, T. Bartholomeo Duarte, Bento Gonçalves, granja, Manoel Francisco, pateira, Padre Antonio Machado Soares, vigario)

Gaifar (União com Sandiães, Vilar das Almas ‘Vale do Neiva’
- Domingos Ribeiro, Cividade, morador rua carvalhal, filho de Antonio Ribeiro, sirieiro, rua do souto e Ana Francisca, falecida, Cividade (casou em Cividade, Santiago, a 12.10.1708, com Maria da Costa, S. Eulalia de Gaifar, filha de Manoel Bezerra de Campos, falecido e Margarida da Costa, solteira, ambos de Gaifar ‘Ponte de Lima’, T. Padre Manoel Soares Ferreira, morador em violinha, Se, Jeronimo Correia, carvalhal, S. João de Souto, celebrou o Padre Jacinto de Mesquita de licença que tinha do vigario)

Gandra, S. Martinho de, Ponte de Lima
- Andre Vaz, filho de Francisco Vaz e Catherina Rodrigues, S. Martinho de Gandra, Ponte de Lima (casou em Pica, S. Cristóvão, a 31.7.1623, com Mecia Rebelo, filha de Francisco Fernandes e Catherina Rebelo, Padre Francisco Ferreira vigario)
- Pedro Dantas Pinto, filho de Francisco Dantas e Maria Rodrigues, falecida, S. Martinho da Gandra, termo de Ponte de Lima (casou em Palmeira, S. Maria, a 18.11.1696, com Sebastiana Ribeiro, filha de João Alvares, falecido e Isabel Gonçalves, coucinheiro, desta, T. João Francisco, coucinheiro, João Mendes, granja, Frutuozo, solteiro, filho de Frutuozo de Araujo, Padre Pedro Fernandes, vigario)
- Bento Rodrigues Lima, S. Martinho da Gandra, Ponte Lima (casou em Vilarinho, ‘Vila Verde’, a 6.2.1728, com Ana da Lomba Vilela, filha de Manoel Fernandes e Ângela da Lomba, falecidos, T. Pedro Fernandes, Francisco da Lomba, Amaro Fernandes, todos desta, Padre Francisco da Rocha, vigário)
- Diogo Rodrigues Lima, filho de Bento Rodrigues Lima e Maria Jorge Filgueira ‘Gandra, P. Lima’ (casou em Vilarinho, ‘Vila Verde’, a 27.2.1729, com Mariana da Lomba, filha de Manoel Fernandes e Ângela da Lomba, desta, T. ‘espaço em branco e sem assinatura de pároco)
- Francisco de Lima, 28 anos, cazeiro, vila nova, Nogueira, filho de João de Lima, S. Martinho da Gandra, Ponte de Lima e Maria Thereza Gomes, Nogueira (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 28.12.1871, com Josefa Maria Ribeiro, 26 anos, cazeira, assento, Sampaio de Arcos, anexa de Nogueira, filha de Narciso Jose Ribeiro, S. Jose de S. Lazaro, Braga e Rosaria Maria, Sampaio de Arcos, T. Manoel Jose Vieira e seu irmão Antonio Jose Vieira, cazeiros, pregal, Nogueira, celebrou o Padre João Manoel de Sousa, coadjutor)

Gemieira – Ponte de Lima
- João Pereira, filho de Bernardo Pereira, falecido, Ponte de Lima e Philipa Fernandes, falecida, moradora em Gimieiras, Santiago de Atães (casou, em 20.1.1686, com Ana Gonçalves, filha de Afonso Gonçalves e Margarida Fernandes, falecidos, lamela, T. abade Domingos Ferreira Santarem, Manoel Lopes, fontelo, Padre Domingos de Sousa, todos desta, Padre Domingos da Costa, cura)
- António Gomes Lima, filho de Domingos Gonçalves, falecido e Ana Gomes, Santiago de Gimieira, Barca (casou em Sampaio de Vila Verde, a 17.7.1730, com Andreza Rodrigues, filha de João Rodrigues e Sabina Carvalho, falecidos, desta, T. António Correia e seu irmão Joseph Correia e Manoel Araújo e Joseph, solteiro, Padre Henrique Barreto Mariz, abade)

Gondufe, S. Miguel
- João Gonçalves Pinheiro, filho de Manoel Gonçalves e Ana Gonçalves, sisão (casou em Atães, Vila Verde, a 20.5.1639, com Isabel Gonçalves, filha de Bento Gonçalves e Margarida Fernandes, aguieiro, couto de S. Miguel de Gondufe, ‘Ponte de Lima’, T. António Gonçalves, igreja, Belchior Lopes e Pedro Lopes, celebrou o Padre Cristóvão Dantas, S. Miguel de Prado, nesta igreja, Atães
- João Gonçalves Pinheiro, filho de Manoel Gonçalves e Ana Gonçalves, sisão (casou em Ata~es, Vila Verde, a 20.5.1639, com Isabel Gonçalves, filha de Bento Gonçalves e Margarida Fernandes, aguieiro, couto de S. Miguel de Gondufe, Barca, T. António Gonçalves, igreja, Belchior Lopes e Pedro Lopes, celebrou o Padre Cristóvão Dantas, S. Miguel de Prado, nesta igreja, Atães
- João da Costa, natural de Santiago de Gondufe, termo da vila dos Arcos (casou em Vilarinho ‘Vila Verde’ a 9.2.1646, com Maria de Araújo, filha de Sebastião Barreto, paulo, T. na estação da missa em presença dos fregueses, Padre Manoel Moreira, vigário
- Luis de Brito, filho de Pedro Barreiros e Luisa de Brito, couto de Gondufe, termo de Barcelos ‘Ponte de Lima’ (casou na capela do Senhor, Santiago da Se, Braga, em 10.8.1666, com Madalena de Barros, filha de João Esteves e Maria de Barros, Santiago de Carralcova, termo de Arcos, T. Padre Fernandes Ferreira Camelo, Antonio da Costa, o sacristão Antonio de Oliveira, Padre Paulo Gomes, vigario)
- Luis de Brito, filho de Pedro Barreiros e Luzia de Brito, couto de Gondufe, termo de Barcelos (casou em Santiago da Se, Braga, a 12.8.1668, com Madalena de Barros, filha de João Esteves e Maria Gonçalves, todos Santiago Carralcova, termo dos Arcos, T. Domingos Nogueira, torneiro, tras os açougues, Manoel Fajardo, porta nova, Francisco Barbosa, rua dos sapateiros, celebrou o Padre Francisco Geraldes, rua do poço, Se)
- Nicolau Pereira, sapateiro, Beiral de Lima, filho natural de Thome Alvares Pereira, meirinho, vila de Ponte de Lima e Maria Amorim, Beiral de Lima e de presente casada com Paulo Fernandes, couto de Gondufe e o noivo morador em casas desta residencia, meu criado (casou ‘com certidão sem impedimentos de 6.10.1725’, em Nogueira, Braga, a 27.10.1725 e benções a 13.1.1726, com Maria Ferreira, bairro, filha de João Gonçalves, pasteleiro, falecido e Francisca Ferreira, viuva, bairro, T. Manoel da Silva, João Ferreira, Joseph Ferreira, ermmitão Bom Jesus do Monte, Antonio Domingues, Braga, Padre Agostinho Moreira Baldaya, abade)
- Jose Luis, filho natural de Manoel de Lima e Maria Branca, couto de Gondufe ‘Ponte de Lima’ (casou na igreja de S. Victor, Braga, em 13.9.1767, com Dorotheia Gonçalves engeitada e baptizada na Sé, Braga e criada em S. Vicente de Regalados ‘assistente na rua infias, em casa de João Borges, T. João Borges, beneficiado Costodio Dias Peixoto, castro, Padre Manoel Lopes, servo da igreja e Padre encomendado, Padre Jose Vieira Lopes, coadjutor)
- Jose Maria Bota, 40 anos, solteiro, professor de instrução primaria, natural de S. Miguel de Gondufe, Ponte de Lima e morador Este, S. Pedro ‘com licença do respectivo paroco, filho de João Manoel Bota, Gemieira, Santiago e Rosa Maria, Gondufe, ambas Ponte de Lima (casou em S. Lucrecia de Algeriz, Santiago, a 14.9.1878, com Joana Maria Fernandes da Cunha, 25 anos, S. Lucrecia e moradora em Este, S. Pedro, filha de João Fernandes e Isabel da Cunha, S. Lucrecia, T. Jose de Sá, solteiro, proprietario, Costodio Monteiro, cazeiro, fonte, S. Lucrecia, Padre Antonio Rodrigues, encomendado)

Labruja

Labrujó (União com Rendufe, Vilar do Monte)

Mato, S. Lourenço (União com Ardegão, Freixo)
- Manoel Domingues, filho de Andre Domingues e Maria Francisca, fozelha, desta (casou em Prado, S. Maria, a 12.5.1708, com Mariana Rodrigues, filha de Padre João Rodrigues e Madalena Barbosa, solteira, falecida, S. Lourenço de Mato, Albergaria, T. Padre Inacio Taborda, reitor de Sampaio da Ponte, Padre Domingos Martins, cura Cabanelas, Padre Francisco da Costa de Mesquita, S. Gens de Macrome, Padre Bartholomeo Alvares, reitor)
- Gregorio Joseph, filho de Joseph Gonçalves e Isabel Mendes, S. Lourenço de Mato ‘Ponte de Lima’ (casou em Dume, S. Martinho, a 1.8.1723, com Inez da Costa, filha de Pedro de Barros e Mariana da Costa, desta, T. Antonio Francisco e Vicente Duarte, ambos espessande, Padre Boaventura Mendes da Costa, prior e abade)
Resenha historica
Mato, situada em terreno fértil, na margem direita do rio Neiva, sem contudo chegar a estabelecer limites com este rio, ocupa uma área de cerca de 250 ha. Os seus limites são divididos com as seguintes freguesias : a norte Friastelas, a nascente, Calvelo, a sul Gaifar e Vilar das Almas e a poente Freixo. É constituída pelos seguintes lugares: Reboredo, Mato, Cruz, Igreja, Borral, Barreiro, Calvário, Quinteiros, Cereal, Cachadinha e Cancela.
É também conhecida pelas denominações de S.Lourenço ou S.Lourenço do Mato.
Era abadia da apresentação da mitra, no antigo concelho de Albergaria de Penela.
Transcreve-se a seguir, na integra o texto do livro “Inventário Colectivo dos Registros Paroquiais Vol. 2 Norte Arquivos Nacionais / Torre do Tombo” :
«A primeira referência conhecida a esta freguesia encontra-se no documento 546 do Liber Fidei, que está arquivada no Arquivo Distrital de Braga. É então denominada “ecclesia Sancti Laurentii de Arcelos”.
As Inquirições, de 1220 e 1258, mencionam-na sob a designação de “Sancto Laurencio de Arzelos”, situando-a na Terra de Peneda.
Somente nas Inquirições de 1290 é chamada São Lourenço de Mato.
Na taxação das igrejas, a que se procedeu em 1320, durante o reinado de D. Dinis, São Lourenço de Mato aparece na Terra de Aguiar de Neiva com apenas 35 libras de rendimento anual.
No Censual de D. Jorge da Costa (1489-1493) regista-se o rendimento em dinheiro (com morturas) de 467 réis e 2 pretos, correspondente a 6 libras. Em 1528, o Livro dos Benefícios e Comendas apura um rendimento de 10 mil réis.
Segundo Américo Costa, Mato foi abadia da apresentação da Mitra, no antigo concelho de Albergaria de Penela».

Moreira de Lima (União com Cabração)
- Francisco Lopes, filho de Gaspar Gonçalves e Justa Lopes, falecidos, S. Julião de Moreira de Lima, comarca de Valença (casou na capela do Senhor, Santiago da Se, Braga, em 4.11.1665, com Maria Francisca, filha de Pedro Gonçalves e Isabel Francisca, falecida, roxio da praça da hortaliça, T. Domingos Ramos, barbeiro, junto porta nova, banda de dentro, João Francisco, tendeiro, viuvo, junto praça da hortaliça, celebrou o Padre Domingos Alvares, rua do poço, Se)
- João Fernandes de Aguiar, viuvo, filho de João Pires e Justa Fernandes, falecidos, Moreira de Lima (casou em Sande, a 9.1.1681, com Catherina Fernandes, viúva de Miguel Gonçalves, filha de Domingos Luís e Maria Fernandes, bouças, T. Manoel de Barros, Joseph Francisco e João Martins, souto, Padre Gaspar Barbosa da Cunha, abade)
- Geraldo de Oliveira, viuvo de Maria Gonçalves, filha de Antonio Gonçalves e Maria Gonçalves, falecidos, pinheiro e de Costodia Pinheiro, Palmeira e ele filho de Francisco Gonçalves e Maria Gonçales, falecidos, lages, desta, tendo morado algum tempo em Palmeira (casou em, Adaufe, S. Maria, a 12.5.1707, com Domingas Francisca, viuva de Domingos Alvares, Vitorino dos Piães, ‘Ponte de Lima’ e ela filha de Agostinho Rodrigues, falecido e Catherina Francisca, bouça de mua, Palmeira, T. Domingos Fernandes Velho, cura, Pedro de Oliveira, Antonio Lopes, Palmeira, Padre Joaquim Fernandes de Barros, reitor)
- António dos Santos, filho de António dos Santos e Maria Moreira, Santa Comba de Moreira de Lima (casou, em 18.1.1728, com Maria de Araújo, filha de Belchior de Araújo e Maria de Araújo, penouços, T. João Correia, sande, Francisco de Abreu Felgueiras, S. Cristóvão, Manoel Ribeiro, vila da Pica, Sampaio, Luís, filho de João Correia, sande, Padre Domingos da Silva, cura)
- Joseph Afonso rateiro, filho de Domingos Afonso rateiro e Isabel Afonso, outeiro (casou em Chamoim, a 5.2.1752, com Thereza Fernandes, filha de Manoel Fernandes, Moreira de Lima, termo dos Arcos e Maria Gonçalves, outeiro, T. Antonio Simões, João Ribeiro, falecidos, outeiro, Padre Cleto Pereira Castro, vigario e com a presença no arco do cruzeiro, se resconstitui assento em cujo livro se ardeu, com o abade de Chamoim Joseph Coelho da Silva e vigario João Carvalho, em 27.4.1775)

Navió, Salvador (União com Vitorino dos Piães)
- Matheos Alvares, filho de Padre Pedro Alvares, abade de S. S. Navió, Arcos (casou em Prado, S. Maria, a 3.5.1603, com Agueda de Almeida, filha de Pedro de Almeida e Juliana Rebelo, todos desta vila, T. Francisco de Magalhães, Gregório Rebelo, Luis Fragozo, moradores nesta vila, S. Maria de Prado, Padre Braz Dias, reitor)

Poiares, Santiago
- Manoel Francisco, filho de Gregório Francisco, falecido e Antónia Gil, gandra e viuvo de Luiza de Araújo (casou em Câmara de Moure, a 17.9.1735, com Costodia de Magalhães, filha de Domingos Gomes e Domingas de Magalhães, falecida, Santiago de Poaires, termo de Barcelos ‘Ponte de Lima’, T. Diogo de Araújo Rodrigues, cavaleiro de Habito de Cristo, quinta da câmara, Costodio de Oliveira, s. andré, Padre Francisco de Barros, S. Pantalião de Cornes, António Rodrigues, clérigo in minoribus, gandra, Braz António Barbosa Pereira, estudante, filho de Diogo de Araújo Rodrigues, Padre Paulo Monteiro de Vilas Boas, reitor)
- Manoel Gonçalves, filho de Gonçalo Martins e Apolonia Afonso, Santiago de Poiares, ‘Ponte de Lima’ (casou, em 10.3.1746, com Maria Gonçalves, filha de Antonio Gonçalves e Bernarda Gonçalves, venda, T. Domingos Joseph Araujo Melo, Bento da Silva, ambos desta, Padre Jacome Fernandes Lobo, abade)
- Domingos Pereira, filho natural de Antonia, solteira, falecida, Santiago de Poiares (casou em, Adaufe, S. Maria, a 19.4.1750, com Maria Francisca, filha de Alexandre do Vale e Hieronima Francisca, pegada, desta, T. Domingos Dias, casanova, João Alvares, pegtada e Antonio Fernandes, souto, Padre Antonio Pereira de Barros, reitor)

Ponte de Lima, vila
- licenciado Francisco da Costa, natural de Ponte de Lima (casou em Coucieiro, a 3.3.1622, com Isabel de Barros de Castro, filha de Miguel Pereira, T. snor Leonel de Almeida, Pedro Pereira, solteiro seu filho e Antonio, seu filho, abade seu irmão Manoel Lima, recebeu, o Padre Manoel da Costa, reitor)
- Antonio Falcão, filho de Pedro Marinho Falcão [filho de João Falcão e Germineza Soares, Ponte de Lima] e Isabel Ferraz [filha de Gonçalo Marinho ‘filho de Lopo de Malheiro, sr da torre de Refoios e Margarida Marinho’ e Mecia Ferraz ‘filha de Antonio Rego e Ana Ferraz’], moradores e naturais de Ponte de Lima (casou em S. Miguel de Prado, a 19.10.1625, com Guiomar da Rocha, filha de Balthazar Veloso, natural e morador nesta e Luiza da Rocha, falecida, natural e moradora em S. Pedro de Serreleis, termo de Viana, com certidões do Padre Gaspar de Oliveira, cura igreja vila Ponte de Lima e Padre Francisco da Conceição, vigario de S. Pedro de Serreleis, T. Padre Francisco Rodrigues, meu cura, Antonio Marinho Falcão, meu freguez, Francisco Casado, vila de Viana, Jorge Quinteiro, meu freguez e Domingos Francisco, meu familiar, Padre Francisco Rodrigues, cura deu os banhos, Padre Antonio Dantas, abade)
- Miguel Rodrigues, filho de Francisco Rodrigues e Maria Rodrigues, falecidos, fregueses da colegiada da igreja de S. Maria, Ponte de Lima (casou na capela do Senhor, Santiago da Se, Braga, em 31.11.1654, com Maria de Oliveira, filha de Gaspar Martins e Maria Soeira, estantes ora nesta de Santiago, T. Andre Rodrigues, sapateiro, Amaro de Oliveira, sapateiro e sua mulher Catherina da Costa, ambos rua dos sapateiros, Domingos de Oliveira, Frossos, Padre Jacome Ferreira, vigario)
- Braz Falcão Marinho, filho de Antonio Falcão Marinho e Guiomar da Rocha, moradores na vila de Ponte de Lima (casou em, Adaufe, S. Maria, a 9.12.1657, com Isabel de Azevedo de Brito, filha de Miguel de Faria de Abreu e Beatriz de Guimarães ‘e Brito’, moradores nesta, T. Antonio de Araujo, assistente nesta comenda, Alexandre do Vale Peixoto, morador sua quinta avelar, Feliciano de Andrade, barreo, Navarra, celebrou o Padre João Marinho Hieronimo, S. Mª de Ponte de Lima)
- Manoel Veloso, natural de S. Cristóvão, Ponte de Lima (casou em Turiz, a 26.11.1664, com Isabel de Araújo, filho de Francisco Rodrigues, cruzeiro, T. João Soares, Lage e Geraldo Borges, desta, celebrou o Padre António Gonçalves, cura)
- Francisco de Saa Miguel Gracez, filho de Balthazar de Brito de Saa e Francisca de Saa Miguel Mogueimes, falecidos, vila Ponte de Lima (casou, por procuração do vigario Francisco da Silva, S. Maria Passo a Fernão Velho de Araujo, em Adaufe, S. Maria, a 8.9.1677, com Dª Beatriz de Abreu Vasconcelos, filha de Pedro de Abreu Brito, falecido e Dª Francisca de Azevedo e Saa, T. Pedro Fernandes, rio, Francisco Fernandes, torre, Antonio Vieira, meu familiar, Padre Jacinto Gomes Brandão, abade)
- Gonçalo da Silva, quinteiro, S. João de Souto, filho de Gaspar Pacheco e Mariana da Silva, falecidos, Ponte de Lima (casou em Dume, S. Martinho, a 9.11.1689, com Francisca Cerqueira, filha de António Cerqueira e Ângela Ribeiro, falecida, cabanas, desta, T. Simão da Fonseca e Abreu, Francisco Soares, ambos cabanas, Manoel de Campos, rua de s. Marcos, Braga, Padre Simão de Alvarenga Peixoto, Prior)
- Silvestre Peixoto de Azevedo, boticario, natural Ponte de Lima (casou em Geme, a 15.12.1698, com Ana Pimentel Barbosa, saa, T. abade Sampaio da Pica, Padre Manoel Soares, Gondiães, abade desta, Bento de Sousa e Alvim, capitão-mor, Padre Thomaz de Araujo, cura)
- Manoel de Magalhães, filho de Manoel de Magalhães, seleireiro, rua S. Antonio e Francisca Leite, falecida (casou em Cividade, Santiago, a 29.5.1702, com Leonor Pereira da Maia, filha de Manoel Henriques de Mendonça e Sebastiana da Maia, Ponte de Lima, T. Nicolau Teixeira, morador em redor desta igreja, Padre Mateos da Graça, Estacio de Novais, S. Pedro de Maximinos, Padre Agostinho de Barbosa e Lima, vigario)
- António de Góis, filho de André de Góis e Maria Soares, natural Ponte de Lima (casou em S. Miguel de Prado, a 5.5.1707, com Domingas de Barros, filha de Francisco Rodrigues e Margarida Francisca, pedreira, T. beneficiado João Gomes e Padre Lionel de Araújo, Padre Bento de Coimbra e Andrade, abade)
- Bernardo Carneiro de Vasconcelos, filho de Álvaro Vaz Mogueimes e Dª Catherina Carneiro de Vasconcelos, falecidos, todos de Ponte de Lima (casou em Crespos, a 8.2.1712, com Dª Inácia Thereza Machado de Távora e Silva, filha de Félix Machado de Azevedo e Dª Antónia de Castro e Silva, quinta do enxido, desta, T. Manoel da Costa, familiar do abade, Francisco de Caldas, meu familiar, Padre Matheos Vaz, cura)
- João de Azevedo Coelho, filho de João Velho de Azevedo e Ana de Amorim Dantas, vila de Ponte de Lima, estando por procurador Alexandre Pereira do Lago, filho de Martinho Teixeira da Silva, desta vila, com licença do juiz de casamentos (casou em Prado, S. Maria, a 13.11.1715, com Costodia Pereira do Lago, filha de Antonio Pereira do Lago e Lourença Pereira, solteiros, desta vila, T. Calisto Pereira de Araujo, ouvidor desta vila, Padre Antonio Correia de Macedo e Padre Domingos Gomes de Macedo, desta vila, Padre Bartholomeo Alvares, reitor)
- Antonio de Abreu Monteiro, filho de Gaspar de Abreu Monteiro e Isabel de Sousa, vila de Ponte de Lima (casou em Portela, Amares, a 3.11.1722, com Thereza Luisa, filha de João Carvalho, viuvo e Maria de Araujo, cabo da vila, T. Pedro Francisco, igreja, João, solteiro, filho de Domingos Francisco, Alexandre de Araujo, todos da igreja, Portela, Padre Antonio Barbosa de Sousa, abade)
- Nicolau Pereira, sapateiro, Beiral de Lima, filho natural de Thome Alvares Pereira, meirinho, vila de Ponte de Lima e Maria Amorim, Beiral de Lima e de presente casada com Paulo Fernandes, couto de Gondufe e o noivo morador em casas desta residencia, meu criado (casou ‘com certidão sem impedimentos de 6.10.1725’, em Nogueira, Braga, a 27.10.1725 e benções a 13.1.1726, com Maria Ferreira, bairro, filha de João Gonçalves, pasteleiro, falecido e Francisca Ferreira, viuva, bairro, T. Manoel da Silva, João Ferreira, Joseph Ferreira, ermmitão Bom Jesus do Monte, Antonio Domingues, Braga, Padre Agostinho Moreira Baldaya, abade)
- Alberto de Seabra e Sousa de Magalhães, moço fidalgo da Casa de sua Magestade, natural de Ponte de Lima, filho de Pantalião de Seabra e Sousa, moço fidalgo da Casa de sua Magestada e Mestre de Campo de infantaria que foi nesta Provincia e Dª Francisca Xavier de Lima, falecida (casou em Fiscal, a 22.4.1743, com Dª Joana Maria B de Azevedo e Castro, filha de Rodrigo de Azevedo Saa Coutinho e Dª Maria Manoel de Mosqueira de Sottomayor, com procuração Luis Manoel de Azevedo Saa Coutinho, Senhor e donatario dos concelhos de S. João de Rey e Terras de Bouro, T. Frei Alexandre Marinho de Abreu, vigario de Aboim de Nobrega, Joseph Miguel de Vilhena Coutinho, Joseph Antonio de Azevedo e Saa Coutinho, filho de Joseph Antonio de Azevedo Saa Coutinho, Francisco Joseph de Saa de Miranda, filho de Francisco de Saa de Miranda, casaram na capela de Nossa Senhora da Guina, Casa da Tapada, sendo celebrante o abade Jacome Fernandes Lobo)
- João Marques, engeitado em Ponte de Lima e nela baptizado e morador em S. Victor (casou em Tenões, Braga, a 14.10.1748, com Rosa Fernandes Lima, filha de Domingos Fernandes Lima [filho de Gonçalo Fernandes Lima e Domingas Fernandes, S. Mª Beiral do Lima, termo de Ponte de Lima] e Maria da Costa [filha de Costodio da Costa e Maria da Costa, eira] e moradores em baixetes, Tenões, T. Padre Manoel Joseph da Cunha Ozorio, João Francisco, Francisco Ferreira, ambos baixetes e António Antunes, nogueiras, Padre Domingos Antunes, vigário)
- Francisco Malheiro de Araujo Barriga, filho de Antonio Malheiro, casa da ribeira, Figueiredo e Dª Luiza, natural Ponte de Lima (casou na capela da ribeira, em Figueiredo, S. Pedro, a 2.12.1820, com Dª Maria Antonia Malheiro de Macedo, filha de Carlos Malheiro, casa da ribeira, Figueiredo e Dª Antonia de Macedo, Sampaio de Pousada, Braga, ‘de licença frei Miguel da Madre Deus, Arcebispo e Senhor de Braga’, T. Padre Jose Teixeira, assistente Figueiredo, Jose de Macedo Portugal, Sampaio de Pousada, Fernando Antonio, ribeira, Figueiredo, Padre Daniel da Costa, abade)
- José de Macedo, 26 anos, filho de Luís de Macedo e Bonifacia Maria Rosadas, Besteiros (casou em Besteiros, Sampaio, a 15.5.1863, com Maria Rosa, 20 anos, filha de António de Sousa, S. Marinha, Ponte de Lima e Maria José, Besteiros, T. Padre Bernardo de Lima Machado e José António Rosadas, Manoel Luís Alvares, encomendado)
- Antonio Augusto do Carmo Lopes, 33 anos, solteiro, proprietario, natural Ferreiros, Amares e ora em Amares, Salvador, filho de Francisco Antonio Lopes, Viana do Castelo e Ana Joaquina do Carmo, Vila da Ponte de Lima (casou em Crespos, S. Eulalia, a 1.7.1877, com Dª Rosa Isabel de S. Francisco Sarmento, 43 anos, solteira, vivenda das suas rendas, natural de Gualdalupe, Nª Sª ilha Graciosa, Açores e ora moradora na rua S. Bernabé, S. Victor, Braga, filha natural de Maria Isabel, Gualdalupe, Graciosa, T. Jose Ferreira Bica, proprietario, barreiro e Joaquim Carvalho, solteiro, pedreiro, venda nova, ambos Crespos, Padre Gaspar Jose de Sepulveda, abade)
- Bento Pinho, 29 anos, Bacharel, funcionario público, natural S. Victor, Braga, filho de Francisco Jose Malheiro, Viana do Castelo e Maria das Dores Pinho, Ponte de Lima, proprietarios (casou em Pousada, Sampaio a 27.3.1911, com Bernarda da Conceição Araujo, 35 anos, solteira, capitalista, Pousada, filha de Jose Antonio da Silva Araujo, Pousada e Carolina Marques da Silva Guimarães, Briteiros, S. Leocadia, Guimarães, proprietarios, T. Jose Joaquim Marques da Silva Araujo, solteiro, 1º tenente da Marinha, Lisboa e Padre Francisco Antonio Gonçalves, Bacharel, formado em Teologia, capelão naval, Porto, Padre Manoel Jose de Carvalho, abade)

Falecimentos:
- Jose Vaz da Mota, 73 anos, rua Duquesa de Bragança, viuvo de Dª Luisa Juliana Vaz da Mota, Ponte de Lima – f. 27.8.1868, assento 292, sepultado no Repouso - ‘freguesia de Bonfim, Porto’

Queijada (União com Fornelos)
- Antonio Joaquim Tinoco, 24 anos, criado de servir, ribas, Crespos, filho de João Manoel Tinoco, Crespos e Maria da Luz, Navarra (casou em Crespos, S. Eulalia, a 26.9.1877, com Antonia de Almeida, 23 anos, criada de servir, natural Arcozelo, Ponte de Lima e moradora em ribas, Crespos, filha de Constantino Antonio de Almeida, Queijada, Ponte de Lima e Rosa de Araujo exposta, T. João Ferreira Machado, viuvo, Manoel Machado, negociante de vinhos, ambos Crespos, Padre Gaspar Jose de Sepulveda, abade)

Rebordões de Souto
- Amaro Fernandes, filho de Pedro Fernandes e Ana Pires, Souto de Rebordões, Ponte de Lima (casou em Câmara de Moure, a 7.12.1682, com Francisca da Silva, filha de António da Silva e Ângela Lopes, S. Marinha, termo do Porto, T. João Rodrigues, João Fernandes e Gaspar de Araújo, ribeira, Padre Domingos Lopes de Passos, vigário)
- Luis da Silva, filho de Manoel Gonçalves, falecido e Maria Marques, S. Cristina de Longos, termo da vila de Guimarães (casou em Este, S. Pedro, a 9.1.1716, com Ana Esteves, filha de Antonio Esteves e Ana de Lima, S. Maria de Souto de Rebordões e assistente nesta na quinta do assento da igreja de Miguel Pereira da Silva, Braga, T. Manoel Jorge, Antonio, solteiro e Matheos, filhos de Antonio Luis, cazeiro no souto, desta, todos familiares do abade desta, Padre Braz Cadima de Oliveira, abade)
- Lourenço da Silva, filho de Domingos Antunes, Dornelas [filho de Domingos Gonçalves, Vilela, S. Martha de Bouro e Domingas Antunes, Goães, Amares] e Ursula da Silva [filha de Miguel Dias e Madalena da Silva, Dornelas, Amares] (casou em Merelim, Sampaio, a 24.11.1745, com Maria Peixoto, filha de Manoel Gonçalves, penedo, Sampaio [filho de Martim Gonçalves, Souto de Rebordões, ‘Ponte de Lima’, Viana e Ana Gonçalves, Fornelos, Ponte de Lima] e Maria Peixoto [filha de Costodio Peixoto, Sampaio de Merelim e Costodia Luis, Palmeira], T. Bento Domingues, Domingos Correia e Manoel Peixoto, Padre Calisto de Macedo, reitor)
Souto Abade
Historia
Entre o povo, esta freguesia foi e ainda é conhecida por ‘Souto de Abade’ e por ‘Divino Salvador de Souto.
- Jose da Silva e Sousa, 22 anos, 2ª sargento Infantaira, campo de D. Luis I, S. João de Souto, Braga, filho de Antonio Jose da Silva e Sousa e Maria Felisberta Ferreira, S. Victor (casou em Maximinos, S. Pedro, a 18.2.1905, com Elvira Marques de Oliveira, 23 anos, S. Maria dos Anjos, vila Ponte de Lima e moradora em rua direita, Maximinos, filha de Francisco Xavier Antunes de Oliveira, Souto Abade, Ponte de Lima e Maria Angelina Marques, S. João de Souto, Braga, T. Manoel Jose de Oliveira, solteiro, negociante, campo de D. Luis I, S. João de Souto, Francisco de Lima Antunes de Oliveira, casado, industrial, rua conselheiro Eduardo Vilaça, Sé, Alcina dos Anjos Gomes Moreira, solteira, rua direita, Maximinos, Padre Antão Jose de Oliveira, abade)
[Dissolvido por falecimento de Jose da Silva e Sousa, em 25.4.1965, Sé, Braga]
Resenha Histórica
Situada próximo da margem esquerda do rio Lima, a freguesia de Rebordões (Santa Maria) dista cerca de sete quilómetros da sede do concelho.
Trata-se de uma povoação muito antiga. Na serra da Nó, nos limites da freguesia, foram encontrados vestígios de edifícios de épocas remotas. Dizem uns que são os restos de uma fortaleza romana; outros sustentam que são ruínas de um mosteiro de monges bentos.
A este mesmo monte chamaram também serra de Rebordões, e D. Ordonho II, rei de Oviedo e Leão, e sua mulher, D. Elvira, na doação que fizeram da Correlhã a Santiago de Compostela, em 914, dão-lhe o nome de monte Nahor ou Mayor.
O abade beneditino de S. Romão de Neiva apresentava o vigário, que tinha setenta mil réis e pé-de-altar.
Santa Maria de Rebordões fez parte, juntamente com a antigamente denominada freguesia de S. Salvador do Souto de Rebordões, do velho concelho de Souto de Rebordões, instalado entre os termos da vila de Ponte de Lima, a freguesia da Correlhã e os coutos de Queijada, Cabaços e Feitosa.
O concelho era da Coroa até ao tempo do rei D. Dinis.
Este monarca o deu, pelos anos de 1310, a seu filho bastardo, D. Afonso Sanches (o de Vila do Conde) e este vendeu o senhorio a Gil Afonso de Magalhães, senhor da casa de Magalhães, terra da Nóbrega, Morrilhões e Fonte Arcada, que tomou o título de donatário deste concelho e o possuiu e, depois, os seus descendentes, até que acabaram os senhores donatários.
Rendia este senhorio aos seus donatários trinta e três mil réis anuais, que a Câmara do concelho recebia do povo e entregava ao senhor.
Por ser formado somente por estas duas freguesias é que muitos lhe deram o título de souto.
Era, no entanto, um povoado importante nos princípios da nacionalidade e por isso nada menos do que sete forais foram concedidos a este pequeno concelho: o primeiro, sem data, por D. Afonso Henriques, que seu neto, D. Afonso II, viria mais tarde a confirmar em Santarém, a 3 de Fevereiro de 1218; o segundo, dado por D. Sancho 1, em 1196, o terceiro, pelo mesmo soberano, em Agosto de 1207, datado de Correlhã; o quarto, assinado por D. Afonso III, quando ainda regente, em Março de 1247; o quinto, pelo mesmo monarca, em Guimarães, a 27 de Maio de 1258; o sexto, também por D. Afonso III, em Leiria, a 8 de Março de 1268; e o sétimo, dado ainda por D. Afonso III, em Lisboa, a 16 de Setembro de 1270.
Todos os forais subsequentes confirmavam os antecedentes, aumentando-lhes os privilégios.

Refojos de Lima, S. Maria
- D. Rodrigo, prior do mosteiro de Refojos de Lima e arcediago de Cerveira, filho do Visconde Leonel de Lima, teve ordens menores em 20.5.1486, Ponte de Lima
- Pedro de Lima e Jorge de Lima, filhos de D. Rodrigo, prior de Refojos de Lima e de mulher solteira, tiveram ordens menores em 20.5.1486, Ponte de Lima
- João Pereira, filho de Belchior Pereira, falecido e Maria Antonia, desta vila (casou em Prado, S. Maria, a 11.5.1626, com Inez de Sequeiros, filha de Matheos Fernandes e Catherina Afonso, couto de Refoios de Lima, T. Diogo Dias, rua, António de Carvalho e Simão Alvares, todos desta vila de Prado, Padre António Teixeira, abade reitor)
- Diogo Pires, filho de Amaro Pires, falecido e Catherina Francisca, Valdreu, passeis licencia e certidão (em 6.1.1628, para casar com Madalena Fernandes, filha de João Afonso e Ana Fernandes, Refoios de Limba, Padre Amador da Lomba, reitor deste mosteiro)
- Antonio Fernandes, filho de Maria Fernandes, S. Martinho de Valbom e Dr. Bartholomeo? Fernandes, S. João da Balança (casou em Valbom, S. Pedro, a 29.1.1662, com Gracia Fernandes, filha de Juliana Gonçalves, falecida, agrela e Pedro Lopo, solteiro, Refoios de Lima, T. Francisco Lopes, Mathias Gonçalves, Francisco de Araujo, juiz de orfãos, Terras de Bouro, morador em carrazedo, S. João da Balança, Padre Francisco da Costa Reymonde, abade)
- Antonio Jose Pereira, 26 anos, cazeiro, Nogueira, filho de Inacio Jose Pereira, natural de Refojos de Lima, Ponte de Lima e Maria Rosa, natural de Nogueiró e Dadim, Braga (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 27.5.1882, com Rosa Maria, 29 anos, criada de servir, natural de Sequeira e moradora vila nova, Nogueira, filha de Manoel Gonçalves e Thereza da Costa Pereira, Sequeira, T. Narciso Jose Ribeiro e Frederico Jose da Cunha Ribeiro, assento, Sampaio de Arcos, Padre Domingos Lopes Granja, encomendado)
- Amaro Pimentel, morador nesta, filho de Domingos Pimentel e Isabel Francisca, falecidos, Sampaio da Ponte (casou em Prado, S. Maria, a 26.9.1683, com Maria Rodrigues, filha de João Alvares e Domingas Rodrigues, S. Mª de Refoios de Lima, Ponte de Lima, T. Antonio Jacques de Sousa, Pedro Feio de Azevedo, Padre Francisco da Costa, todos desta vila, Padre Pedro Machado, reitor)
- Joseph Rodrigues, viuvo de Maria Francisca, filha de Gabriel Alvares e Domingas Francisca, couto de Fragoso ‘Barcelos’ e ele filho de João Alvares e Domingas Rodrigues, S. Mª de Refoios (casou em Prado, S. Maria, a 7.1.1689, com Angela de Campos, filha de João Luis e Luiza de Campos, desta, T. Gonçalo Domingues, poço, Padre Bento Vaz, desta vila, Padre Francisco da Costa, coadjutor)
- Feliciano Lobo, S. Maria de Refoios de Lima (casou em Geraz, S. Estevão, a 6.9.1700, com Maria de Azevedo, trastola, S. Estevão, T. Antonio Barbosa, Francisco Barbosa, Luis Barbosa, todos filhos de Domingos Fernandes, trastola, S. Estevão, Padre Francisco Pinto de Queirós, abade)
- Patricio Borges Rebelo, filho do capitão João da Costa Rebelo e Margarida Borges, redemoinhos, Carrazedo (casou em Fiscal, Amares a 9.1.1715, com Dorothea Borges de Araujo, filha de Domingos da Costa Borges e Dª Ines de Araujo, santa maria, Refoios de Lima, Arcos, Padre Francisco de Sousa, abade, T. capitão João da Costa Rebelo, Faustino Borges de Macedo, Carrazedo, capitão Bento de Barros Azevedo, Miguel Antunes, solteiro, filho de Margarida Gonçalves)
- Joaquim Correia, filho natural de Ana Maria, S. Maria de Refojos de Lima (casou em Portela, S. Pedro, a 29.1.1854, com Rosa Maria de Macedo, filha de Ambrozio de Macedo, falecido e Isabel dos Santos, sernado, Portela, T. Faustino Pereira da Costa, meu familiar e Francisco Jose Rodrigues, ambos Portela, Padre Manoel Antonio Pereira da Costa, abade)
- João Antonio Gonçalves, 30 anos, natural S. Maria de Refojos de Lima, Ponte de Lima, criado de servir em vila nova, Nogueira, filho de Antonio Jose Gonçalves [neto paterno de Jose Gonçalves e Maria Josefa, quintão de Nogueira, S. Maria de Refojos de Lima] e Costodia Maria [neto materno de Fernando Luis Fernandes e Maria Luis, Estrada de Nogueira, Refojos de Lima], (casou na capela do Hospital de S. Marcos, em Nogueira, S. João Baptista, a 19.8.1872, com Maria de Jesus, 23 anos, natural de S. Eulalia de Tenões, Braga e moradora vila nova, Nogueira, filha de Inacio Jose Pereira [neta paterna de Antonio Jose Pereira e Maria Rosa, S. Maria de Refojos de Lima] e Maria Rosa [neta materna de Antonio Jose Antunes e Ana Maria, Dadim e Nogueiró, Braga], moradores eira, Tenões, T. Jose Joaquim Gonçalves, vila nova e João Antonio da Costa, cazeiro, bairro, ambos Nogueira, Padre João Alberto de Araujo e Castro, abade)
- Jose Pereira, 21 anos, natural vila nova, Nogueira, filho de Inacio Jose Pereira, S. Maria de Refojos de Lima, Ponte de Lima e Maria Rosa, natural Dadim e Nogueiró, Braga (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 4.11.1888, com Maria Cerqueira, 21 anos, natural cruzeiro, Nogueira, filha de Antonio Joaquim Cerqueira e Maria Thereza Lopes, ambos Nogueira, T. Inacio Jose Pereira, vila nova e Antonio Jose Vieira, igreja, ambos Nogueira, Padre João de Jesus da Silva Ferraz, abade)
- Inacio Gonçalves, 19 anos ‘com presença pais, que autorizaram’, vila nova, Nogueira, filho de João Antonio Gonçalves, natural S. Maria de Refojos de Lima, Ponde de Lima e Maria de Jesus, S. Eulalia de Tenões, Braga (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 29.1.1893, com Rosa da Conceição, 22 anos, cruzeiro, Nogueira, filha de Antonio Joaquim Cerqueira e Maria Thereza, Nogueira, T. Jose Francisco Correia, professor primario, barrio e Antonio Jose Vieira, cazeiro, igreja, ambos Nogueira, Padre Jose Joaquim Pinto, abade)
[Dissolvido pelo falecimento de Inacio Gonçalves, as 13H00, dia 27.3.1937, Nogueira]
- Manoel Alves de Araujo, 24 anos, Nogueira, filho de João Alves de Araujo, S. Salvador de Pedralva e Maria da Conceição, Nogueira (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 15.7.1900, com Maria de Jesus, 22 anos, Nogueira, filha de João Antonio Gonçalves, Refojos de Lima, Ponte de Lima e Maria Rosa de Jesus, S. Eulalia de Tenões, Braga, T. Antonio Rodrigues, castrador e Manoel Jose Pereira, solteiro, ambos Nogueira, Padre Jose Joaquim Pinto, abade)
- Manoel Jose Fernandes, 23 anos, estudante, natural S. Sebastião de Vile, Caminha, morador em largo da Sé, Braga, filho de Domingos Fernandes, Refoios de Lima, Ponte de Lima e Maria Rosa Fernandes, Vile, Caminha (casou em Maximinos, S. Pedro, a 19.2.1902, com Dª Maria Elisa Pereira de Morais Bacelar, 23 anos, natural S. Salvador de Padreiro, Arcos de Valdevez e moradora na rua cruz de pedra, Maximinos, filha de Francisco Jose Pereira de Azevedo, Pedregais, Vila Verde e Dª Herminia Amalia de Morais Bacelar, Padreiro, Arcos de Valdevez, T. João Teixeira, estudante, largo da porta nova, Sé e Francisco Jose Pereira de Azevedo, proprietario, rua cruz de pedra, Maximinos, Padre Antão Jose de Oliveira, abade)
[Dissolido por falecimento de Manoel Jose Fernandes, em 22.3.1966, S. Vicente, Braga]
- Narciso Pereira, 25 anos, Nogueira, filho de Inacio Jose Pereira, S. Maria de Refojos de Lima, Ponte de Lima e Maria Pereira, S. Estevão de Penso, Braga (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 8.6.1905, com Maria Gonçalves, 17 anos ‘autorização da mãe viuva, presente’, morador Lomar, filha de Antonio Gonçalves de Sousa, Lomar e Maria Joaquina, S. Lourenço de Celeiros, T. Jose Vieira, igreja e Manoel Pereira Pereira, estudante, vila nova, ambos Nogueira, Padre Jose Joaquim Pinto, abade)
- Antonio Julio Ferreira, 27 anos, Nogueira, filho de João Ferreira e Antonia Antunes, Nogueira (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 29.1.1910, com Thereza de Jesus, 26 anos, Nogueira, filha de João Antonio Gonçalves, S. Maria de Refojos de Lima, Ponte de Lima e Maria Rosa de Jesus, S. Eulalia de Tenões, Braga, T. Domingos Joaquim Ferreira de Barros Junior, estudante, agrelo e Jose Vieira, igreja, ambos Nogueira, Padre Jose Joaquim Pinto, abade)

Ribeira, S. João
- Simão Gonçalves, viuvo, surrador, rua do campo, Santiago da Se (casou na capela do Senhor, Santiago da Se, Braga, em 19.11.1646, com Maria da Costa, filha de Antonio da Costa e Maria Mendes, S. João da Ribeira, termo de Ponte de Lima, T. Gaspar da Mota, tratante, porta nova, Francisco Gonçalves, sapateiro, rua do campo, Padre Jacome Ferreira, vigario)
- Domingos de Barros, filho de Gaspar Pires e Maria Gonçalves, S. João da Ribeira, termo Ponte de Lima (casou na ermida de Nª Sª da Ajuda, Santiago da Se, Braga, em 21.8.1664, com Ursula Pereira, filha de Francisco da Rocha, falecido e Maria Pereira, rua dos sapateiros, Se, T. ‘espaço em branco e sem assinatura de vigario’)
- Pedro Alvares, filho natural de Manoel Alvares, desta e Ana, solteira, ora moradora em S. João da Ribeira, Ponte de Lima (casou em Prado, S. Maria, a 20.8.1686, com Isabel Fernandes, filha de João Alvares e Maria Gonçalves, falecidos, caldas, desta, T. Alexandre Pereira de Lago, Salvador de Miranda e Antonio Dias, todos desta vila, Padre Pedro Machado, reitor)
- Manoel Fernandes, S. João da Ribeira, termo de Ponte de Lima (casou em Ferreiros, S. Martinho, P. Lanhoso, a 19.9.1717, com Margarida Francisca, filha de Antonio Vaz e Damazia Francisca, falecidos, moradores nesta, T. Dr. Manoel Vieira Mendes, Leandro Vieira Vaz, solteiros, Luis Alvares, Manoel Veloso, todos desta, Padre Bento da Costa e Magalhães, vigario)
- João de Sousa Caldas, filho natural de João de Sousa Maciel, Insula e Ana Gonçalves, solteira, outeiro, ambos S. João da Ribeira, termo de Ponte de Lima (casou em S. Miguel de Prado, a 27.12.1717, com Francisca Gonçalves, filha de Paulo Francisco e Ana Gonçalves, tarrio, T. Francisco de Abreu, Lionel de Abreu e João de Sousa, Padre Constantino de Barros, cura)

Rendufe (União com Labrujó, Vilar do Monte)

Sa, S. Maria
- Antonio Rodrigues, filho de Gonçalo Rodrigues e Maria Rodrigues, falecida, S. Pedro de Sousa, Arcos, com certidão igreja Santa Maria Sa, Ponte de Lima, dos respectivos parocos (casou em Valdreu, a 3.2.1708, com Martha Simões, filha de Jorge Simões e Maria Martins, falecidos, carrazedelo, T. Gabriel de Amorim, estudante, Tavora, Arcos, Gonçalo Pereira, estudante, vila Guimarães, estando eu Padre Pedro Gomes das Antas, reitor, como testemunha e meu sobrinho Jacome, celebrou o Padre Manoel Lima, coadjutor)
- Antonio Rodrigues, filho de Silvestre Rodrigues e Josepha de Araujo, S. Maria de Sá, termo de Valença (casou em Dume, S. Martinho, a 8.10.1731, com Maria Alvares, assistente cacavelos, filha natural de Padre Manoel Alvares, couto de Cabaços e Antonia Fernandes, friestelas, T. Temotheo da Cunha e João Rodrigues, Padre Bernardo Vilas Boas Casado, reitor)

Sandiães, S. Mamede (União com Gaifar, Vilar das Almas ‘Vale do Neiva’
- Pedro Braz, filho de Afonso Braz e Marta Luis, Salvador de Paradela ‘Barcelos’ (casou em Se, Santiago, a 27.12.1608/9, com Marta Domingues, filha de João Domingues e Inez Gonçalves, Santiago de Sandiães ‘Ponte de Lima’, ora moradora nos biscainhos, T. Padre Lourenço Gonçalves, Jorge de Aguiar, livreiro, Padre Antonio Francisco, cura)
- Gonçalo Gonçalves, filho de Cristovão Gonçalves e Domingas Gonçalves, lavradores, Salvador de Fervença, Celorico de Basto ‘morador na quinta dos avelar, criado de Ana Correia, Dª viuva de Andre Jacome de Sousa, falecido’ (casou em Cividade, Santiago, a 11.7.1633, com Isabel Fernandes ‘criada na quinta dos avelar de Francisca de Sousa, Dª viuva’, natural de Sandiães, Penela de D. João de Castro, filha de Domingos Fernandes e Beatriz Pires, falecidos, lavradores, Sandiães, T. Jeronimo Dias, alfaiate, rua pelames, Antonio Gonçalves, trabalhador, seu vizinho, Belchior Lopes, Baltazar Esteves, alfaiates, Cividade, Padre Pedro Lopes Falcão, abade)
- Manoel de Oliveira, filho de João Gonçalves e Hieronima Dias, Sandiães, desta (casou em Câmara de Moure, a 1.6.1684, com Antónia Domingues, filha de Miguel Domingues e Ana Tinoco?, S. Marinha de Nevogilde, T. Hieronimo Correia, filho de Manoel Correia e João Rodrigues, todos desta, Padre Domingos Lopes de Passos, vigário)
- Domingos Francisco, filho de Manoel Francisco e Maria Martins, S. Mamede de Sandiaes, Ponte de Lima (casou em Câmara de Moure, a 5.2.1687, com Antónia Domingues, filha de Domingos Afonso, falecido e Ana Gonçalves, desta, T. Gonçalo Francisco, Jacome Alvares e Domingos Gonçalves, Padre Domingos Lopes de Passos, vigário)
- João Borges, filho de João Borges e Isabel Martins, S. Mamede de Sandiães, Barcelos (casou em Cantelães, S. Estevão, a 1.3.1716, com Ana Vieira, engeitada a criar nesta, dizem ser filha de Simão Andre, casado e Maria, solteira, nisso ‘Mosteiro’, T. Domingos Alvares, quartas, Manoel Vieira, filho de Adrião Vieira, nugueiras, Sebastião Pereira, familiar do abade, Padre Agostinho de Araujo, abade)
- Manoel Francisco, filho de Antonio Pereira, falecido e Angela Afonso, solteira, S. Mamede de Sandiães ‘Ponte de Lima’ (casou em Dume, S. Martinho, a 4.9.1743, com Maria Alvares, filha de Bento Pereira e Josepha Alvares, falecida, crasto, desta, T. Agostinho de Almeida Rebelo, Manoel, solteiro, ambos cacavelos e Antonio Peixoto, fonteecarreira, todos desta, Padre Francisco Duarte, coadjutor)
- Antonio Alves, 38 anos ‘viuvo de Isabel da Silva’, natural de Calvelo, Ponte de Lima e morador em torrente, Crespos, filho de Bernardo Alves, Calvelo e Rosa Correia, Sandiães, Barcelos (casou em Crespos, S. Eulalia, a 10.6.1878, com Rosa Soares, 34 anos, criada de servir, natural Crespos e moradora em S. Lucrecia, filha de Manoel de Faria, Crespos e Domingas Soares, Caires, Amares, T. João de Almeida, carpinteiro e Francisco Antunes de Oliveira, alfaiate, ambos Crespos, Padre Gaspar Jose de Sepulveda, abade)
- Luis Gomes de Araujo, 23 anos, natural agrelo, Nogueira, filho de Antonio Gomes de Araujo e Maria Thereza, Nogueira (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 3.1.1892, com Ursula Antonia da Torre, 29 anos, natural S. Mamede de Sandiães, Ponte de Lima e moradora rua S. Marcos, S. João de Souto, Braga, filha de João Pinheiro e Thereza Gonçalves, S. Maria de Sandiães, T. João Gomes, agrelo, Nogueira e Jose Maria Ribeiro de Carvalho, sacristão S. João de Souto e morador rua de Janes, Braga, celebrou o Padre Joaquim Jose da Costa, S. João de Souto, Braga, o Padre Jose Joaquim Pinto, abade)
- Antonio Ferreira da Silva, 23 anos, Nogueira, filho de Jose Antonio Leite e Antonia Maria da Silva, Nogueira (casou em Nogueira, S. João Baptista, a 22.6.1907, com Maria Rosa, 24 anos, natural S. Mamede de Sandiães, Ponte de Lima e moradora Nogueira, filha de Jose Borges e Rosa Gonçalves Pinheiro, Sandiães, Ponte de Lima, T. Jose Vieira, Domingos Joaquim Ferreira de Barros Junior, estudante, ambos Nogueira, Padre Jose Joaquim Pinto, abade)

- Jose Pereira Carneiro, Pasta 855, Procº 19629, de 15.11.1713, pagou pelo processo de IG em 18.9.1713, 9.000 reis, estudou no convento de S. Paulo, Braga e na Universidade de Coimbra, onde se encontrava na altura da IG
a) Filho de Antonio Pereira, falecido e Josepha de Chaves Carneiro, S. Mamede de Sandiães, Ponte de Lima
b) Neto paterno de João Fernandes e Isabel Pires, falecidos, S. Miguel de Cabaços
c) Neto materno de Padre Vicente Vieira, 'Caniço' de alcunha, abade que foi durante muitos anos de Sandiães e natural do campo de Santiago, Cividade, Braga e Isabel Pereira, solteira 'tocadeira' de alcunha, por tocar panos e ter loja na rua direita, com o pai que também era tocador, vila de Barcelos, que ainda solteira e após morte do pai, seguiu com a irmã Maria, para Sandiães, onde herdou umas fazendas, que segundo as testemunhas ali viveu, teve filhas do abade e morreu, sendo herdeira irmã, depois o padre que assumiu os filhos e depois passou para a filha Josepha e Antonio Pereira, a fazenda era na ponte de Anlel
- Bento Jose Pereira, Pasta 1396, Procº 31509, de 27.5.1734, nascido a 29.3, b. 17.4.1713, P. Padre frei Bento Jacome, Braga e madrinha Josepha Chaves, empregada? de Dª Inez Maria Jacome, filha de Andre Jacome de Sousa, Braga, Padre Manoel Pereira, cura. Remete para o tio paterno Geraldo Duarte, grão mestre, por ser irmão do pai do justificante, Procº 27493 e para o tio materno Jose Pereira Carneiro, Procº 19629
a) Filho de Jose Francisco Pereira e Vicencia Pereira de Chaves Carneiro, S. Mamede de Sandiães
b) Neto paterno de Domingos Fernandes, falecido  'grão mestre', por alcunha, Santiago de Esporões, termo de Braga e Ana Francisca, solteira 'mestra', por alcunha, natural do lugar de portelo, Santa Maria de Prado, que como solteira, seguiu para Braga, onde casou com o alfaiate Antonio Ferreira, moradores na cangosta de Nª Sª a Branca, S. Victor Braga (dizem as testemunhas, que os herdeiros da Ana Francisca, vieram de Braga e venderam a casa onde nasceu e morou em portelo)
c) Neto materno de Antonio Pereira e Josefa de Chaves Carneiro, ponte de anlel, Sandiães


Santa Comba

Santa Cruz de Lima
- Domingos Joseph de Araujo, filho de Vitorio de Araujo, natural S. Cruz, Ponte de Lima e Dª Hieronima Maria, falecida, natural de Braga (casou em Loureira, a 27.6.1731, com Dª Maria Thereza de Melo, filha de Jorge de Melo e Lima e Dª Luiza Falcão, desta, T. Padre Gregorio Barreto, abade Sampaio de Vila Verde, Padre Antonio Gonçalves, cura Barbudo, Padre Bento da Mota, carvalhosa, Sampaio de Vila Verde, celebrou o snor Dr. Provisor Agostinho Marques do Couto, o Padre Eusebio de Oliveira, abade)
- Domingos Joseph Araujo e Melo, viuvo de Dª Maria Thereza Melo, filho de Vitorio de Araujo e Azevedo e 1º mulher Dª Hieronima Maria, Santa Cruz, Ponte de Lima (casou em Loureira, a 16.12.1738, com Dª Maria Josepha Sottomayor, filha de Paio Gomes de Caldas Pereira e Dª Francisca Joseph de Sousa Sottomayor, S. Martha, Valença, com procuração da noiva Antonio de Barros de Sousa, abade resignatario de S. Pedro de Portela, Viana?, T. Antonio de Abreu de Lima e Melo de Sottomayor, Fidalgo da Casa de Sua Magestade, cunhado do noivo, Padre Manoel de Sousa, Soutelo, Domingos Alvares de Campos, Padre Jacome Fernandes Lobo, abade)

Seara
- Jose Maria da Torre Lopes Viana, 24 anos, escrivão das execuções fiscais neste concelho, natural de Santiago da Cividade, morador rua conselheiro Eduardo Vilaça, Sé, filho ilegitimo de Dª Maria da Conceição Lopes, Seara, Ponte de Lima (casou em Maximinos, S. Pedro, a 19.1.1905, com Dª Beatriz da Concição Gabriel, 20 anos, natural Bonfim, Porto e moradora Estação, filha de Francisco Gabriel, Nª Sª da Marinha Grande, Leiria e Maria da Conceição, Maximinos, T. Jaime Clemente de Morais Sarmento, escrivão da fazenda deste concelho, casado, rua do Anjo, S. João de Souto, João Gabriel, casado, empregado dos Caminhos de Ferro, Estação, Maximinos, Padre Antão Jose de Oliveira, abade)

Serdedelo, S. Marta
- Baltazar Alvares, filho de Gonçalo Alvares, S. Vicente de Fornelos, termo de Penela (casou na capela do Senhor, Santiago da Se, com despacho e licença do juiz dos casamentos, em Santiago da Se, Braga, a 24.8.1644, com Maria Fernandes, filha de Domingos Afonso e Catherina Fernandes, S. Marta de Cerdedelo, T. Padre Francisco de Sa, Gabriel de Sepulveda, Padre Jacome Ferreira, vigario)
- Pedro Fernandes, viuvo, natural S. Tome de Correlham, filho de Antonio João da Costa e Isabel Fernandes, falecidos, Correlham (casou em Cividade, Santiago, a 29.7.1697, com Ana Fernandes, filha de João Fernandes e Maria Gonçalves, falecidos, S. Marta de Cerdedelo ‘celebrei por uma ordem do Dr. Jacome de Vilas Boas Casado, desembargador e juiz dos casamentos’, T. Manoel Calheiros, notario, Manoel Vieira, aljuveiro, Francisco Dias Lima, escrivão do eclisiastico, rua dos pelames, Padre Tome Gomes Vilaça, vigario)
Historia
«A freguesia de Serdedelo já existia em 959 com a designação de Villa de Cersitelo”. As Inquirições de D. Afonso II, feitas em 1220, situam-na na Terra de Peneda, denominando-a “Sancta Marta de Cersedelo”. Nas primeiras Inquirições de D. Dinis, efec­tuadas em 1290, é mencionada com catego­ria de freguesia e, em 1320, na laxação das igrejas pertencentes ao arcebispado de Braga, aparece o mosteiro de Cerzedelo das Donas com 60 libras.

Souto de Rebordões, Salvador
- Manoel Gonçalves, filho de Mathias Gonçalves, falecido e Ana Gonçalves, S. Salvador do Souto, Rebordões ‘com certidão de ausencias’ (casou em Palmeira, S. Maria, a 18.5.1724, com Maria Peixoto, filha de Costodio Peixoto e Costodia Luis, povoa, desta, T. Francisco de Chaves, rifana, Padre Antonio Fernandes, Bento de Souto, eirado, todos desta, Padre Joseph Lopes, cura)
História
Foi antigamente denominada S. Salvador do Souto e era a sede do extinto concelho de Souto de Rebordões, integrado também pela freguesia de Santa Maria de Rebordões. Era abadia da apresentação da mitra, segundo o Pe. Carvalho, ou do padroado real, de acordo com a “Estatística Paroquial”. O prior tinha duzentos e cinquenta mil réis de rendimento.
Localizava-se o antigo concelho entre os termos da vila de Ponte de Lima, a freguesia da Correlhã e os coutos de Queijada, Cabaços e Feitosa, e por ser formado somente por estas duas freguesias é que muitos lhe deram o título de Souto. Como se sabe porém, Souto significa também: mata, bosque expeço, Mata de Castanheiros. Ora realmente observam-se bastantes castanheiros na região e, no passado teriam havido, na freguesia, muitos mais, donde o topónimo Souto poderá advir. 
As terras do concelho pertenceram à Coroa até ao tempo do rei D. Dinis.
Este monarca deu-as, pelo ano de 1310, a seu filho bastardo, D. Afonso Sanches. E natural que tivessem voltado para a Coroa, pois D. João I, por carta de 17 de Agosto de 1432, fez delas mercê a Álvaro Gil Durró, seu escudeiro. Este, por sua vez, vendeu-as a Inês Vasques, criada de D. Filipa de Lencastre e casada com Gil Afonso de Magalhães, senhor da casa de Magalhães, terra da Nóbrega, Morrilhões e Fonte Arcada, que tomou o título de donatário deste concelho.
Esta venda foi confirmada, mais tarde, por D. Duarte, por carta dada de Santarém, a 27 de Maio de 1435. A posse das terras ficou nesta família até que acabaram os senhores donatários. Assim, ao casal sucedeu o filho Afonso Rodrigues de Magalhães, que, por não ter descendentes, as doou a seu irmão João de Magalhães, a quem sucedeu o filho, Gil de Magalhães. Esta última doação, de Afonso a seu irmão João, foi confirmada por carta de D. Afonso V, dada em Santarém, a 15 de Fevereiro de 1471.
Rendia este senhorio aos seus donatários trinta e três mil réis anuais, que a Câmara do concelho recebia do povo e entregava ao senhor.
No livro "Inventário Colectivo dos Registros Paroquiais " encontramos a seguinte resenha:« Freguesia de Rebordões teve como topónimo primitivo "Sauto" ou "Sautum" como se vê nas escrituras, do século XII, em que se encontra referenciada.
Pelas Inquirições de D. Afonso II, feitas em 1220, verifica-se que já nessa época se chamava “Sauto de Revordãos”. enquadrando-se na Terra de Ponte.
Vem mencionada — Inquirições de 1258, de D. Afonso IlI e, nas de 1290, feitas no reinado de D. Dinis, a par com a de Santa Maria de Rebordões, sem qualquer referência em pormenor. Pertenciam ambas ao julgado de Souto de Rebordões.
Em 1320, os rendimentos desta igreja foram avaliados em 150 libras, o que revelava a boa situação económica em que se encontrava. Pertencia nesta época à Terra de Penela.
No registo da cobrança das “colheitas” dos benefícios eclesiásticos do arcebispado de Braga, efectuado por D. Jorge da Costa, entre os anos de 1489 e 1493, rendia 30 libras, ou seja o correspondente a 2280 réis, em dinheiro com "morturas” e a 66 réis, em dízimas de searas.
Em 1528, no livro dos Benefícios e Comendas, São Salvador do Souto, ainda inserida na Terra de Penela, figura como rendimento de 25 mil réis.
O Padre António Carvalho da Costa descreve a antiga freguesia de São Salvador do Souto, sede do extinto concelho de Souto de Rebordões, como abadia da apresentação da Mitra. Porém, a Estatística Paroquial, de 1862. refere-a como sendo do padroado real.»

Vilar das Almas (União com Gaifar, Sandiães ‘Vale do Neiva’)

Vilar do Monte (União com Labrujó, Rendufe)

Vitorino de Piães
- Geraldo de Oliveira, viuvo de Maria Gonçalves, filha de Antonio Gonçalves e Maria Gonçalves, falecidos, pinheiro e de Costodia Pinheiro, Palmeira e ele filho de Francisco Gonçalves e Maria Gonçales, falecidos, lages, desta, tendo morado algum tempo em Palmeira (casou em, Adaufe, S. Maria, a 12.5.1707, com Domingas Francisca, viuva de Domingos Alvares, Vitorino dos Piães, ‘Ponte de Lima’ e ela filha de Agostinho Rodrigues, falecido e Catherina Francisca, bouça de mua, Palmeira, T. Domingos Fernandes Velho, cura, Pedro de Oliveira, Antonio Lopes, Palmeira, Padre Joaquim Fernandes de Barros, reitor)
- Jose Afonso Barbosa, 32 anos ‘viuvo de Thereza Ferreira, falecida em Crespos’, natural de Fregosa, Barcelos, filho de Jose Bento Dantas, Vitorino de Peães, Ponte de Lima e Maria de Sá Maciel, Fregosa, Barcelos (casou em Crespos, S. Eulalia, a 27.5.1878, com Maria de Caldas Ribeiro, 20 anos, natural de Ateães, Vila Verde, filha de Manoel Francisco Ribeiro, Crespos e Rosa de Caldas, Adaufe ‘tinham licença para se receberem em Crespos’, T. João Antunes de Oliveira, solteiro, barbeiro, Crespos e Bento Lopes, carpinteiro, Adaufe, Padre Gaspar Jose de Sepulveda, abade)
Resenha histórica
Do ponto de vista histórico, Vitorino, topónimo principal, tem uma origem que remonta aos séc. IX e X. De facto, “Vulturinus” vai com o tempo desenvolver-se para a forma actual de Vitorino. Seria então o nome que a tradição mantinha, dum antigo proprietário espano-romano. Já o determinativo “dos Piães” surge somente a partir do séc. XVIII. No “inventário Colectivo dos Registos Paroquiais” afirma-se que “Nas Inquirições de 1220, de D. Afonso II, vem referida sob a denominação de “Sancto Andree de Voitorio”, fazendo parte da Terra de Aguiar de Riba de Lima. Em 1258, aparece como paróquia do julgado de Aguiar e, nas Inquirições de D. Dinis, de 1290, é citada como freguesia, pertencente ao julgado de Barcelos."
Quanto ao topónimo principal, Vitorino (de significação omitológica), deve considerar-se muito remoto. Vem pelo menos do século IX para o X, Vulturinus; e, ao longo dos tempos, acaba por desenvolver-se para Voitorinho e Vitorinho. A forma actual, Vitorino, representa uma pseudo-correcção de origem erudita de Vitorinho, tomado por alteração popular ao nome pessoal Vitorino (que logo, para se diferençar, se passou a escrever Victorino).
O determinativo “dos Piães”, que primitivamente não existia, pois só depois do século XIII ou XIV aparece, tem três vias possíveis de explicação. A primeira: Piães seria forma nasalada de “piais” (‘piaes, derivado de “pias”), e, por isso, alusão à arqueologia (“pias” ou túmulos abertos na rocha). Outra: Piães proviria do genitivo Pela gionis (de Pelagiu). Ambas parecem hipóteses a rejeitar. A última, e historicamente aceitável: Piães seria a alteração de “peões”, sendo esta a classe de vilões herdadores não cavaleiros da Idade Média. Assim se fazia a distinção entre o “das donas” (as monjas, filhas de algo, do seu mosteiro) e o outro, “dos peões”, pelos muitos vilões desta classe popular.
A igreja de Santo André deve ser de fundação anterior à nacionalidade, embora de tal não haja notícias. Sabe-se é que, em 1220, ela tinha na freguesia "searas" e seis casais; o Mosteiro de Carvoeiro possuía catorze; a igreja de S. Pedro de Calvelo (antigo mosteiro), onze e um quarto de uma quinta”, além de um terço de casal de “muitos bons campos e vinhas"; a igreja de Cossourado, dois casais; o de S. Martinho (Crasto), um; a Ordem do Templo, uma “quintã menos um quarto (decerto o quarto da “quintã” da igreja de Calvelo); e a Ordem do Hospital aqui tinha uma ermida, e junto dela, e dela "freguesia" talvez, habitavam três famílias, decerto sujeitas à milícia hospitalária. De acordo com a “Enciclopédia Portuguesa Brasileira”, "é natural que algumas das da freguesia represente este histórico e velho templo, por certo românico, visto que pelo menos ascenderá ao século XII; mas dela nada se deve já conservar. Ora, atendendo que ainda hoje há nesta freguesia povoações denominadas S. Pedro Fins e S. Simão, não pode ficar grande dúvida sobre a correspondência de uma das povoações à ermida hospitalária, ou, melhor, à povoação que no ano de 1220 já tinha três fogos. Distinguir, porém qual delas, é talvez impossível: as inquirições não dizem o santo titular, e qualquer deles (S. Simão ou S. Félix, isto é, S. Fins, em português popular, culto depois agregado, em muitas partes, ao de S. Pedro advincula —festa no mesmo dia 30 de Junho, em Vitorino de Piães — e daí a sobreposição de nomes no título, S. Pedro Fins), foi objecto de 4 cultos hispânicos mais antigos e ambos muito devotos neste noroeste peninsular."
[Manoel José da Costa Felgueiras Gaio (Barcelos 17.6.1750 – Vitorino de Piães, quinta do paço 21.11.1831, filho de Nicolau da Costa Correia e de sua mulher (Barcelos, Barcelinhos, 23 de Setembro de 1748) e Antónia Maria Felgueiras Gaio (30 de Agostio de 1712-?). Neto paterno de Manuel Álvares Tomé da Fonseca e de sua mulher Benta Correia da Costa, neto materno de José de Gouveia de Mendanha e de sua mulher Francisca Felgueiras de Valadares, sendo por esta bisneto materno de Carlos Ferreira de Macedo e de sua mulher Briolanja Felgueiras Gaio.]

Vitorino das Donas, S. Salvador
- Marcos Rodrigues, igreja (casou em Lago, Amres, a 21.8.1688, com Catherina Gonçalves, S. Salvador de Vitorino de Donas, T. Bento Rodrigues, Costodio, solteiro e Mariana, solteira, todos de Lago, Padre Francisco Ribeiro Faya)
- Manoel da Silva Correia, filho natural do Padre Manoel da Silva Marques, abade de S. João da Balança e Francisca Correia, solteira, S. Salvador de Vitorino das Donas, S. Estevão da Facha (casou em Valbom, S. Martinho, a 4.10.1708, com Antonia de Lima Costa, filha de Martinho Fernandes da Costa e Damazia de Lima Filgueira, costa, T. Padre Sebastião Dias de Carvalho, cura, S. João da Balança, João Correia, Antonio Marques, Padre Paschoal Gonçalves da Roda, vigario)


Sem comentários:

Enviar um comentário